1. Spirit Fanfics >
  2. Escolhas >
  3. Capítulo 4

História Escolhas - Capítulo 4


Escrita por: e MisaHigurashi


Notas do Autor


Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 4 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Escolhas - Capítulo 4 - Capítulo 4

Daegon continuou caminhando, estava empolgado com a notícia e se sentindo importante, afinal Jade cedeu mais rápido do que ele imaginava, mesmo tendo a aparência marcada por seus combates nunca viu aquilo como um problema. Carregava em sua mão uma caixa de veludo de cor vermelha, bem discreta para que a noiva não notasse, iriam almoçar os dois sozinhos hoje, Shao Kahn deixou a sala do trono só para eles poderem ficar mais à vontade.

          Ele se encontrou com ela que estava novamente linda, eles caminharam até a sala do trono onde estava posta uma mesa média repleta das delícias do palácio, tudo estava perfeito, eles se sentaram.

          − Fico feliz que tenha aceitado almoçar comigo. – Daegon sorriu animado, era ótimo tê-la por perto. Jade apenas sorriu, não conseguia dispor da mesma alegria. – Tenho um presente para você. – Sorrindo.

           − Outro? Não precisa se incomodar, já me deu um a poucos dias. – Jade tentando não parecer indelicada.

           − Te daria até metade do meu reino se você quisesse. – Olhou nos olhos dela, percebeu que mesmo depois de Mileena ter falado tudo aquilo ela ainda parecia incomodada com sua presença, talvez fosse tímida. Lhe entregou a caixa de veludo, ela abriu com paciência.

            − Uma joia – Pasma − Não posso aceitar. – Jade desconcertada, aquilo estava ficando cada vez mais complicado, era uma joia linda, um colar de diamantes.

           − É claro que pode, é minha noiva e futura esposa terá muito mais dessas. – Daegon, Jade era relutante, mas nada conseguiria acabar com sua paciência, ela teria que se acostumar a ganhar presentes assim.

           − Obrigada.... Mas eu não tenho nada para te dar. – Lamentou.

           − Não preciso que me dê nada, a minha vida inteira juntei muitas riquezas. A minha única satisfação é lhe ver contente com os presentes. – Daegon acabou rindo, tantas riquezas que Jade nem imaginava. – Prometa que vai usar, esses diamantes vão ficar lindos na sua pele. – Pediu.

            − Claro... Que vou usar. – Deu um sorriso sem graça. Estava completamente desanimada por estar ali com ele novamente, aquele cortejo vinha sendo muito frequente nos últimos dias. Tudo aquilo a incomodava e ainda assim tinha que fingir que estava tudo bem.

            Eles almoçaram e quando acabou Daegon novamente teve que voltar para o seu palácio, para o alívio da morena que agradeceu por não ter mais que o ver.

 

             Passaram-se duas semanas e a rotina no palácio continuava a mesma, Jade era submetida a ter que ver Daegon no mínimo 4 vezes na semana, ele fazia questão de lhe fazer a corte, o semideus estava empolgado ao pensar que Jade estava super apaixonada por ele só estava tímida demais, então ele sempre lhe presenteava com adornos.

             Kotal tentava de todas as maneiras não se desesperar em não poder ver a morena naquele momento, sentia falta do seu perfume, abraço.... Beijo. Ficaria louco se não arrumasse um jeito de vê-la nem que por um momento, mas ainda tinha medo, agora que sabia que Daegon rodeava cada vez mais o palácio para fazer o cortejo. O general muitas vezes se pegava distraído de mais, sua cabeça só tinha pensamentos a respeito da morena e sentia raiva em saber que aquele homem poderia estar a acariciando nas vezes em que se viam. Tentou se manter o mais centrado possível pois sua posição exigia isso.

              Liu Kang ainda continuava a conversar com a princesa Kitana, ela mostrava interesse no Plano Terreno e ele lhe explicava com prazer, era um bom sinal estarem conversando assim no momento certo ele começaria a colocar questionamentos em sua mente, sobre características que eram completamente o oposto das de Shao Kahn.

             Mileena e Rain sempre planejavam tramas juntos, agora ela começaria a colocar suas provocações em pratica, tinha já tudo esquematizado em sua mente e nada daria errado. Rain a apoiava em tudo o que fazia, pessoalmente Jade não lhe interessava a não ser a beleza mas se tudo saísse bem com seus planos ele poderia ter tanto Kitana como Jade como concubinas.

 

         Kotal estava preparando a montaria, novamente sairia para fazer a ronda, a algum tempo Jade ia com ele, mas ela deveria estar ocupada de mais fazendo sala para aquele homem. Ele entendia que ela não tinha no momento o que fazer, mas torcia para que tudo se resolvesse logo.

         − General Kotal. – Mileena se aproximou dele, apesar de tudo não notava nele nunca uma reação diferente mediante ao ocorrido, se ele e Jade tinham um relacionamento conseguiam esconder bem.

         − Pois não? Princesa Mileena. – Kotal fez uma pequena reverência.

         − Eu precisava de um animal para Jade, ela vai passear com o Daegon mais tarde. – Mentiu, precisa começar com algo.

         − Eu.... Deixarei dois selados e prontos. – Permaneceu frio, aquilo o incomodava.

          − Agradeço, você é muito gentil.... Dá para ver o porque Jade o estima tanto, ela praticamente iria contra qualquer um para te defender. – Mileena, provocando.

          − Fico feliz em ser útil, Jade é uma assassina exemplar muito fiel ao nosso imperador. – Desconversou, onde ela queria chegar com aquilo?

          − Realmente, seus serviços são.... Indispensáveis. – Sorriu – Que alegria, não é? Jade está noiva de um semideus e com certeza será muito feliz ao lado dele, que mulher não gostaria de uma vida regada de luxos e riquezas? E é o que ela vai ter, joias, vestidos de tecidos finos, um palácio cheio de servas para servirem e uma posição na sociedade. – Mileena sorria, encarava o general para observar sua reação.

          − A felicidade do império também é a minha princesa Mileena, casamentos são para fortalecer alianças. – Kotal engoliu a seco, pensar em tudo aquilo só o mostrava o quanto ele era.... Fraco e talvez nunca pudesse dar uma vida dessa a ela.

           − Claro. Isso se Daegon conseguir esperar até o casamento. Do jeito que Jade é atraente não duvido que ele queira tentar um motivo para se casar as pressas. – Mileena acariciava o animal. Kotal a encarou por um momento, aquilo já era demais ele não ousaria.

           −  Jade não deixaria sua honra ser manchada, mesmo ele sendo um semideus ainda continua tendo que obedecer.... As regras. – Se desconcertou um pouco.

           − Sim, com certeza nossa bela e honrada Jade não faria nada para que nosso pai duvidasse da pureza dela, mas não me surpreenderia se tivessem que adiantar o casamento por ela estar grávida. – Riu alto – Já imaginou a situação? – Mileena irônica, percebeu que Kotal já não estava mais sério como antes, ela conseguiu atingi-lo.

          − Por favor princesa eu preciso ir agora, os animais vão estar aqui e avise-a que pode vir aqui pega-los, com licença. – Kotal levemente irritado, subiu em seu animal e saiu em disparada na frente dos soldados.

       Mileena sorria satisfeita, mas não iria parar por ali provocaria Jade também, logo esperava descobrir algo de Kitana e assim sua conquista estaria completa. Ela mesma pediu que soltassem os animais novamente.

 

       Na cela Kitana ainda estava muito entusiasmada com tudo o que ouvia do Plano Terreno, de como as coisas foram evoluindo e se tornando o que eram naquele momento. Mesmo Liu sendo um prisioneiro ele era diferente de todos os homens que conheceu na corte, em nenhum momento quis tirar proveito da situação só porque estavam sozinhos ali, mas era atencioso e fazia questão de mostrar como o Plano Terreno era bonito. Poderiam ficar ali durante horas conversando.

         − Sabe é estranho que uma princesa como você não conheça o Plano Terreno. – Liu questionou.

         − Para alguns da Exoterra os terrenos são criaturas frágeis então ninguém faz questão de procurar entender ou conhecer. Porque não apresentam um perigo sério. – Kitana explicou, estava sentada no chão da cela de frente para ele.

         − Obrigado pelo criaturas. – Liu Irônico – Nos subestimam, mas por algum motivo fui trazido para cá.... Me diga, se somos criaturas tão frágeis porque precisa me manter preso aqui? – Questionou.

         − Desculpe o termo, é que é assim que alguns consideram. – Kitana – Está aqui por vontade do imperador e vai ficar até que ele te libere. – Meio ríspida.

         − Essa é sua desculpa para tudo.... Garanto que não é ele quem manda trazer uma comida tão boa. – Liu a encarou, sabia que ela era muito mais do que aquilo.

        − Por que que ao invés de questionar não agradece a bondade dele? Está te mantendo vivo, se fosse outro estaria definhando aqui embaixo – Ela se levantou. Ele conseguia estragar a conversa com aqueles questionamentos.

         − Não estou reclamando.... Só acho que você é, muito diferente do seu pai. – Liu arriscou em dizer, sabia que podia começar com poucas palavras.

         − O que? Fala isso só porque sou mulher. – Kitana o encarou.

         − Não. Sua maneira de agir tem surpreendido, não é uma carrasca como ele duvido que irá ter qualquer característica da maldade dele. – Disse finalmente, percebeu como ela ficou um pouco abalada, mas logo se recompôs.

         − Acho que já vou, nossas conversas ficam para outro dia. – Kitana levemente irritada, porque ele fazia aquilo? Ficava confusa com aquelas palavras, até parecia que ele sabia de algo.... Um simples terreno, que mal poderia fazer?

Ela saiu da cela sem olhar para trás, carregava os livros em seus braços, ao mesmo tempo que gostava de conversar com o rapaz ele estragava tudo com aquelas conversas tortas e sem significado, parecia que o tempo todo ele tentava convence-la de que tudo aquilo estava errado.... O pior era que ela tinha a mesma sensação as vezes. Saiu das masmorras, queria tomar um banho e conversar, passaria no quarto de Jade e convidaria para tomar um banho nas fontes termais que tinham no fundo do palácio.

 

      Shao Kahn estava na sala do trono, conversava com o feiticeiro a respeito do aniversário das princesas que aconteceria no final de semana, eles discutiam detalhes, seria uma surpresa a decoração da festa as garotas só se arrumariam para a ocasião. O feiticeiro ficaria encarregado de tudo, até da lista de convidados, Shao Kahn tinha muitos nobres como apoiadores que com certeza marcariam presença, por isso a festa teria que estar à altura de um imperador e com a elegância das princesas, ele se apressou para dar andamento em tudo.

      Todo aquele movimento foi interrompido pela presença de Rain que dava passos apressados até o imperador.

       − Rain que bom vê-lo, que notícias boas trás ao seu imperador? – Shao Kahn parecia muito feliz naquele momento.

        − Gostaria de poder conversar a sós com o senhor, Shao Kahn. – Rain pediu.

        − Muito bem. Shang Tsung saia, conversaremos sobre os detalhes da festa depois. – Disse com o mesmo tom de rispidez. O feiticeiro apenas assentiu e obedeceu

         − Vim falar sobre Kitana senhor, como sabe a tempos estamos noivos e já está mais do que certo que vamos nos casar, mas ela tem se mostrado muito fria e indiferente comigo.... Ela nem ao menos me deixa tocá-la e isso está me desgastando. – Reclamou, sabia que o imperador o entenderia.

         − Rain isso mostra que não está sendo sedutor o suficiente. – Gargalhou. – Mas compreendo, não costumo dar essa liberdade, mas como sei que vocês vão se casar de qualquer jeito eu permito que faça o que bem entender. Mas não se esqueça que terá que honrar o acordo de qualquer maneira. – Shao Kahn falou sério, Rain não ousaria fazer diferente.

         − Obrigado imperador e não se preocupe, vou fazer como combinamos. – Rain sorria satisfeito. Deixou a sala do imperador rapidamente, agora com a aprovação do mesmo não haveria falhas, tentaria acabar com aquele gelo da princesa.

 

       Nas fontes termais Jade e Kitana relaxavam um pouco, tantos acontecimentos que mal tinham tempo para se verem, a morena já estava entediada de ficar no palácio o dia todo.

       − Fazia tempo que não usávamos esse lugar, quase me esqueci de como as águas aqui são relaxantes – Jade afundou mais na água.

       − Você só tinha tempo para ficar babando no general. – Kitana provocou rindo.

       − Exagerada.... − Jade.

       − Como estão as coisas? – Perguntou, sabia que Jade era forte, mas até alguém como ela precisava conversar.

       − Daegon acha que estou apaixonada por ele, me presenteia e promete uma vida de princesa ao seu lado.... Me trouxe um pássaro e agora me deu um colar de diamantes. – Contava, estava indiferente a tudo aquilo.

        − Se eu fosse você soltava o passarinho e jogava a joia em lava. – Kitana, sabia que a morena não iria fazer isso.

        − Se soltar o passarinho ele vai morrer de fome e se destruir a joia Shao Kahn vai destruir a mim. Vai me obrigar a usar quando tiver algum evento. – Suspirou, não sabia como Kotal reagiria a isso quando ela contasse.

         −  Jade eu sei que é difícil e que você está se esforçando ao máximo, mas não se cobre tanto, já é desgastante o bastante ter que perder tempo com aquele homem.... – Kitana aconselhou, Jade não precisava falar a princesa a conhecia muito bem e sabia que ela estava se sobrecarregando emocionalmente.

         − Só queria que tudo isso acabasse Kitana, não sei por quanto tempo mais posso aguentar. – Reclamou.

         − Tenha calma, não jogue fora o único fio de esperanças que vocês têm de ficar juntos, logo tudo isso vai se resolver. – A acalmou.

        −  E se não der tempo? Eu vou ser obrigada a casar com ele e eu não quero isso. – Disse, não aguentou e deixou algumas lágrimas escaparem.

          − Isso não vai acontecer. Ainda não sei como, mas não vai. – Kitana – Não chore, lembra quando éramos crianças e eu sempre chorava quando a situação parecia difícil de mais para mim? Você sempre me dizia que o segredo era se manter firme e determinada? Então faça isso. – Lembrou, estava olhando profundamente nos olhos marejados da morena.

          − Você tem razão, não posso querer desistir agora. Tenho que pensar positivo. – Se recompôs. – E Rain? – Curiosa.

          − Não sei Jade, sei que somos noivos e que logo vamos nos casar, mas.... Eu não consigo ficar perto dele e nem suporto que ele me toque. – Kitana sentia arrepios de nojo só de falar.

         − Quer dizer que em todo esse tempo ele nunca tentou nada? – Jade.

     − Tentar ele tentou, mas eu dificilmente dou brecha para que fique acontecendo. Não gosto, simplesmente não suporto que ele me toque com essa intenção. Ainda bem que nunca aconteceu nada, sempre me mantive o mais longe dele possível. – Explicou.

          − Eu posso te entender. Não é culpa sua se não se sente à vontade e não quer ter nada desse tipo, é um direito seu, mas.... Acha que vai conseguir ficar casada com alguém que não suporta nem chegar perto? – Jade preocupada, não era uma reação muito comum.

           − Sinceramente eu não sei, talvez melhore, ou não. – Kitana. Estava um pouco tensa em relação a isso também, deveria talvez ser mais flexível. – Mas não quero falar sobre o Rain.... Eu estivesse conversando com o terreno. – Animada.

         − Kitana! Se o imperador souber não vai ficar nada satisfeito. – A repreendeu. − Conversaram sobre? – Jade mostrou interesse.

         − Ele me contou histórias sobre o Plano Terreno e acredite é muito fascinante, eles vivem de um jeito diferente, vivem menos, mas conseguem aproveitar tudo de forma melhor. – Os olhos da princesa chegaram a brilhar.

          − Parece interessante, me conte mais. – Jade animada, estava curiosa para saber o que tinha despertado tanto interesse em Kitana

Elas ficaram mais um tempo ali as servas trouxeram óleos e fizeram massagem nas duas, aproveitaram aquele tempo para colocar toda a conversa em dia, Kitana também contou tudo sobre o Plano Terreno, cada detalhe o que fez as duas ficarem encantadas com tanta coisa. E passaram aquela tarde assim.

 

       Shao Kahn informou as princesas da festa de aniversário o que fez Mileena ficar eufórica e já se imaginar chamando mais a atenção que todo mundo da festa.

Kitana não ficava muito animada nessa data, havia várias coisas que vinham a sua lembrança todos os anos, lembranças tristes e a forma como Mileena a tratava também era motivo para não se animar.

O imperador contou que a decoração seria uma surpresa nada que fugiria do que costumava ser as festas elegantes que ele dava aos nobres, mas dessa vez elas não participariam de nada, só na hora da festa, Shao Kahn também soube da joia que Daegon deu a Jade e fez questão que ela usasse na festa de aniversário.

       As garotas escolheram vestidos e adornos, Jade não quis nada de especial apensa um vestido longo marcando a cintura na cor verde escuro liso, usaria o cabelo metade preso e a outra metade solta com cachos nas pontas, com uma presilha de pedras da mesma cor e o colar de diamantes.

        Kitana escolheu um vestido em um tom de azul médio, rendado da mesma cor, tinha mangas e algumas pedrinhas soltas no cumprimento, ele era longo e definia bem sua silhueta, também tinha luvas que iam até o final do braço. Seu penteado era solto com apenas um rabinho bem discreto preso perto do pescoço. Ela e Mileena usariam coroas iguais.

       Mileena escolheu para si um vestido de cor rosa quente, também com mangas que ficavam presas no meio do braço, ele segurava a parte da frente no pescoço, colocou um cinto para definir a cintura, também era longo, porém o pano era mais solto e levemente transparente no cumprimento. Não contestou as coroas serem iguais, assim Kitana não chamaria mais a atenção que ela.

 

       A noite da festa finalmente começou, muitos convidados já estavam acomodados no local, havia bebidas, música e todo o ambiente estava decorado com tecidos e flores, em tons de vermelho escuro e creme, lustres com velas espelhados pela local passando aquela sensação de um ambiente bem romântico. Nas mesas haviam louças de porcelana e talheres de prata, a única coisa que parecia a mesma era o trono do imperador, outra mesa farta estava forrada de comida e alguns doces que só eram preparados no palácio, todos os convidados riam e apreciavam o bom vinho conversando e se divertindo enquanto as aniversariantes não chegavam. Kotal foi obrigado a ficar na festa, Shao Kahn mandou que ele ficasse caso alguém se descontrolasse. 

       Rain fez questão de entrar com Kitana, ele esteva igualmente elegante, gostou que todos da festa voltaram suas atenções para eles, assim ficava mais evidente de que eram um casal. Mileena veio logo atrás, não deixando por menos seu exibicionismo, todos também tinham sua atenção para ela, já que estava bela também.

     

Daegon foi buscar Jade, eles não entraram pela entrada principal das aniversariantes, mas tinham chegado na festa. Kotal por um momento ficou estático ao vê-la de braços dados com aquele homem, estava igualmente linda, mas seu ciúme crescia cada vez mais, ver como ele a abraçava e lhe tocava a cintura até mesmo acariciando seus braços, o fez ficar descontrolado por dentro, mas conteve-se, eles trocavam olhares sempre que podiam o general já estava na sua quarta taça de vinho, estava estressado e mal percebeu o quanto bebeu.

 Jade tentava não se sentir incomodada com todas aquelas carícias, não eram maliciosas, ele estava apenas mostrando carinho, mas isso a deixava desconfortável.

        

Finalmente tinha chegado o momento das honras as princesas, onde todos iriam cumprimenta-las e desejar boa sorte, no momento dos presentes as princesas ficavam sentadas em poltronas no meio do salão para recebe-los, cada um de um lugar da Exoterra não só ouro ou pedras preciosas, mas preciosidades do local.  

   

A comemoração assim ia se passando, Daegon e Jade foram se afastando, Kotal os seguia de longe observando cada movimento. Eles foram até uma sala isolada do grande salão aonde também estava decorado, eles estavam de frente a uma janela que dava a visão para o lado de fora do palácio ele segurava as mãos dela com delicadeza. Kotal estava atrás da cortina que dava acesso ao salão.

          − Sei que está cansada de ouvir isso, mas você é linda Jade. – Sorriu, dando um beijo em sua mão.

          − Obrigada, mais uma vez. – Sorriu normalmente, estava tão feliz pela amiga que por um momento fez questão de não sofrer com aquilo.

          − Esse colar está perfeito, acertei, sabia que combinaria com a sua pele. – Daegon confiante, passava a mão delicadamente pelo rosto dela.

          − Tantos elogios, eu não mereço tudo isso. – Jade, tirava a mão dele de seu rosto.

          − Porque está tão tímida? Somo noivos, só estou demonstrando meu afeto por você. – Olhou nos olhos dela, estava bem próximo agora. Jade ia se afastando para trás até não ter mais para onde ir. – Você é uma mulher especial Jade, diferente de todas que conheci me faz querer te conquistar cada dia mais e quanto mais você recua mais vontade tenho de continuar. – Segurou novamente o rosto dela, dessa vez não hesitou arriscou e tocou-lhe os lábios delicadamente depois forçou um beijo mais profundo. Jade tentava não deixar que ele aprofundasse o beijo, mas quanto mais ela o afastava mais ele insistia. Até que o conseguiu afastar de vez.

      Kotal assistiu a tudo, estava com raiva e só tinha mais certeza de tudo o que Mileena tinha falado, ele estava tentando ter algo a mais com ela, não hesitou e entrou bem na hora.

           − Algum problema? – Daegon ríspido, se recompondo não gostou nem um pouco da atitude do general.

          − Sim, vocês não podem ficar aqui. O imperador me pediu para certificar se Jade estava bem, porque a viu saindo da festa. – O general da mesma maneira

         − Claro que está, sou noivo dela que mal poderia haver? – Daegon levemente irritado, quem era aquele homem para lhe dizer o que fazer?

          − Não é direito que ela esteja sozinha aqui com você, mesmo sendo noivo dela. Podem não ver com bons olhos. – Kotal o encarou.

           − Como ver com mal olhos? Ela é minha noiva, tenho direito sobre ela e estou fazendo a corte, estou a acompanhando na festividade. – Daegon, como aquele general era insolente.

          − Tem direito sim, mas não de ter intimidades deve respeitar uma moça da corte de Shao Kahn. – Sério, sabia que aquilo não acabaria bem.

          − Estou procurando onde faltei Jade com respeito? O senhor deve ter excedido na bebida, talvez devesse descanar um pouco. – Daegon disse, ele só poderia estar bêbado para enfrenta-lo assim.

           − Vou sim, quando a senhorita Jade estiver em seus aposentos. – Kotal insistiu, estava a um passo de botar tudo a perder, não suportava ver Jade nos braços dele.

          − Escute aqui, general, talvez eu deva informar o imperador sobre a sua insolência ao atrapalhar a minha corte com a minha noiva, devemos nos conhecer antes do casamento, é uma festa e estamos nos divertindo, mas parece que você está vendo coisas onde não tem. – Daegon Irritado, agora estava face a face com o general. Kotal se segurou para não socar a face dele.

           − De maneira nenhuma, senhor, só estou fazendo o que Shao Kahn me ordenou.... Agora se não concorda com as regras tem todo o direito de ir reclamar. – Respirou, falou de maneira um pouco mais calma.

           − Pois eu irei e falarei do senhor em específico, estou no meu direito de aproveitar a noite com a minha noiva e em momento algum a faltei com respeito. Onde já se viu, sermos tratados como dois adolescentes imprudentes. – O semideus indignado, estava irritado de mais naquele momento.

            − Tem suas regalias em seu palácio, aqui é submetido as regras como qualquer um. A moça está cansada e você terá todo o tempo para vê-la, então não faça escândalo. – Irritado.

           − Não admito que fale comigo dessa maneira! Você não é nada além de um generalzinho sem valor, a festa mal começou e eu desfrutarei com a minha noiva, Shao Kahn me convidou para isso, deixei meus compromissos apenas para vê-la e parabenizar as princesas, não é você, logo você quem vai dizer o que devemos ou não fazer! Com licença, nos temos mais o que fazer. – Daegon estava no limite, delicadamente pegou no braço de Jade querendo tirá-la dali, mas Kotal a puxou bruscamente pelo outro a tirando de perto dele.

         − Não precisa se submeter a ele se não quiser ir, ele tem que entender que você não é igual as servas que fazem tudo o que ele quer. – Kotal encarou Jade, ele estava fazendo muita força em seu braço, mas não conseguiu perceber.

         Daegon se irritou e para não ferir a amada noiva, cerrou o punho e socou o estomago do general. – Não ouse encostar em Jade, ela é minha! Sua atitude está muito suspeita, notificarei isso a Shao Kahn! Seu insolente! – Daegon estava agora tremendo de tanta raiva.

         − Por favor não faça isso, ele só está preocupado.... Cuida de nós a muito tempo não é comum para ele. – Jade tentou apaziguar.

         − Ele não tem que se intrometer no que não é da conta dele, você é uma mulher não uma adolescente emocionada, não permitirei que ele estrague a nossa noite por um ciúme infantil. Você é minha mulher e todos do palácio tem que respeitar isso, Shao Kahn me deu garantias. – Daegon irritado, sim ciúme era a palavra que definia a ação do general. Respirou fundo – Desculpe fazê-la passar por isso minha querida, confio em você, não confio é nos homens que a cercam, quem não concordaria comigo que você é magnífica? – Sorriu para ela não querendo a preocupar.

          − Por favor não use esse termo ciúmes, é muito pesado.... O general só deve estar exaltado um pouco na bebida, só está querendo se certificar que estou bem. Não há motivos para que notifique isso a Shao Kahn. – Jade estava com medo, sabe-se lá o que o imperador faria.

          − Não há se sairmos logo da presença desse homem infeliz, quero aproveitar essa festa com você, conversar, vamos? – Daegon mais calmo, tentando tira-la dali.

          − Tudo bem.... – Kotal se levantou – Pode até me bater agora, mas saiba que onde estiver eu também vou estar. – Ameaçou o homem.

         − Parem! Ou vou agora mesmo para o meu quarto e não aproveito mais festa nenhuma! – Jade estava chorando de nervoso. – Kotal por favor vai embora.... – Pediu com pesar, mas se ele ficasse os dois se matariam.

       Kotal se afastou deles, porém, seu olhar era de guerra e com certeza aquilo não tinha acabo ali. Jade se sentou em umas das poltronas e chorava Daegon tentava consola-la de qualquer maneira, mas nada parecia ajudar.

 

Ainda na festa Kitana estava com Rain no jardim, eles estavam conversando mas de repente as coisas começaram a mudar e quando ela percebeu eles estavam se beijando intensamente, ela não estava muito a vontade mas deu uma chance, já que o rejeitava sempre, mas as coisas começaram a ficar piores quando ele começou a apertá-la e a trazer seu corpo para mais perto do dele, sua respiração estava ofegante e sua mão passeava pelo corpo dela, Kitana se sentia incomodada tentava afastá-lo mas nada parecia funcionar.

       − Rain.... Pare.... Não podemos. – Kitana tinha seu coração apertado de medo.

       − Por que não? Somos noivos. – Continuou a morder seu pescoço.

       − Eu não quero! – Kitana, já estava começando a se irritar, ele parecia um descontrolado deslizando a mão pelo corpo dela lhe apertando.

       − Kitana vai ser bom eu prometo. – Rain sussurrava em seu ouvido. – Podemos ir para o seu quarto ou fazermos aqui mesmo. – Insistia. Se sentia vitorioso, ela cederia a qualquer momento.

         −  Rain eu estou falando sério pare com isso, você está me estragando meu vestido. – Reclamou.

         − Posso tirá-lo de uma vez se é esse o problema. – Sorriu com maldade, teria o que queria finalmente. Rain ergueu o vestido até a cintura dela onde pode passar a mão direto na pele.

         Kitana não se conteve, aproveitou que ele estava distraído e lhe deu um chute na região íntima, fazendo o rapaz agonizar de dor. 

– Eu disse que não, não sabe entender isso? Não quero que fique me tocando dessa maneira, você não me respeita e muito menos está preocupado se quero isso também. – Kitana estava irritada e ao mesmo tempo muito chateada, não só com isso, mas magoada com a irmã que só fazia questão de pisa-la e agora o noivo que só se importava em contato íntimo, saiu dali as pressas, arrumou o vestido e foi correndo para o quarto onde se trancou debulhando-se em lágrimas pelo ocorrido. Toda felicidade da festa tinha passado em um piscar de olhos quando achou que podia dar uma chance de não ser tão fria com Rain ele se aproveitou disso.

 


Notas Finais


Nossas fics não são nossas fics sem eventos, essa festa linda foi ideia da MisaH. E como sempre evento que é evento tem treta!
Obrigada (MaskKira)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...