1. Spirit Fanfics >
  2. Escolhas (ABO-kaisoo) >
  3. Sobre as profundezas da água

História Escolhas (ABO-kaisoo) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meus amores!!!! Olha aqui quem voltou!!

Desculpa a demora, eu tive uns problemas com esse capítulo, mas está aí!

Se tiver erros, me perdoem 😅

Capítulo 18 - Sobre as profundezas da água


Jongin queria rir, tinha certeza que encontraria criaturas perigosas e sedentas por sangue; felizmente não encontrou.


— Qual o seu nome? — Perguntou ainda afastado enquanto olhava para o minúsculo ser na sua frente.


— Meu nome é Haly, vossa alteza. — A menor se reverenciou. — É um prazer conhecê-lo.


— Como… Como sabe que sou um príncipe? — Perguntou curioso, afinal, ele não falou em nenhum momento.


— Bom, a chama azul emana com força de seu corpo, embora ainda não tenha despertado ela. — Jongin ficou curioso.


A chama azul era a chama que apenas a família real possui, detalhe, tem que ser um lupus para que a chama ande por todo o corpo. Ela é um pouco intensa demais, e alfas normais não suportam a intensidade que é ter essa chama correndo dentro do corpo.


Para que ela venha ser despertada, o tempo se encarrega ou, algum acontecimento que seja o causador do seu despertamento.


— Bom… Vossa alteza, eu preciso ir. — Ela falou com pressa e assobiou chamando um pássaro que havia trago ela. — Eu não posso ficar, preciso avisar algumas pessoas sobre algo.


Jongin assentiu. Ela subiu na ave, mas o animal não voou, um vento muito forte passou por eles e uma grande explosão foi ouvido pelos dois, não muito longe dali.


— O que foi isso? — Perguntou Jongin.


— Não… — Haly estava com seus pequenos olhos arregalados, sua expressão facial era de muito medo. — Ele… Ele despertou. Yoongi despertou!


(...)


Algumas horas antes


Minseok continuava parado, sua mente estava com muita dificuldade em pensar em algo. Como… Como aquilo tudo era verdade? 


— Vocês… Vocês não podem estarem falando sério. — Era difícil demais, e acreditar estava sendo uma tarefa muito árdua.


O dragão negou com um balançar de cabeça, e quis fugir, ele realmente queria fugir.


— Eu sei que talvez esteja confuso, mas não o culpe. — Um dos dragões falou. — Culpá-lo será um erro, como falamos, tudo que aconteceu foi por causa de uma pessoa, e essa pessoa não é Kyungsoo.


— Mas… Mas ele não sabe! — Por um momento ele sentia-se triste por Kyungsoo não saber de sua origem, sua família. — Nós dois somos os últimos que restaram da nação da água, ele tem que saber.


— Minseok, você não deve ser o responsável por contar isso a ele. Deixe que as coisas aconteçam como deve acontecer, e quando ele souber vocês terão muita coisa pra conversar. — Ele sabia disso, mas não era justo ele ter um parente… O único, e o mesmo não souber.


— O que está acontecendo com ele? — O ômega perguntou percebendo que Kyungsoo remexia-se.


— Ele precisa encontrar um equilíbrio dentro dele, mas isso não será possível. — Minseok olhou confuso para a criatura que falava. — Aquela dragão que foi com ele, ela sabia, mesmo assim ela foi.


— Vocês acham que os demônios podem fazer algo? Afinal ela vai despertar o poder dele.


— Sim, ela vai, e para que Kyungsoo desperte o poder da água ela precisará despertar o demônio da água.



— Você está pronto? — Perguntou a linda criatura olhando com carinho para Kyungsoo. — Agora, abra os olhos.


Assim fez, mas não entendia o que acontecia. 


— Que lugar é esse? — Nunca em toda sua vida esteve naquele lugar. Um grande portão de água estava na sua frente, ele não sabia o que era aquilo. — Que portão é esse?


— Kyungsoo, algumas coisas precisam ser explicadas para você. Mas, eu preciso que você mantenha a calma. — Não… Não ele não queria manter a calma, estava em um lugar que nunca viu antes. Pedi para ficar calmo era estar pedindo demais. — Nós estamos dentro de você. 


Kyungsoo olhou em volta. Era algo impossível de se acreditar, afinal, ele nunca esteve dentro dele mesmo e ter um grande portão dentro de si, não era algo que esperava descobrir.


Vejo que cresceu, criança. — Uma voz melodiosa entrou em seus ouvidos, um arrepio e uma sensação desagradável tomaram conta de seu corpo que involuntariamente tremia. — Mas, você está tão patético quanto seu Omma. — Kyungsoo sentiu raiva, seu Omma não era patético, ao contrário, era destemido demais uma pessoa sem igual. — Vamos, não deixe a curiosidade o consumir, aproxima-se.


Kyungsoo queria, nossa, e como queria se aproximar e ver o quê ou quem estava atrás daquele grande portão.


— Não! — A dragão, segurou um dos seus braços com sua calda. — Não chegue perto, nosso dever é apenas achar o equilíbrio dentro de você. Nada mais.


— Mas… — Kyungsoo olhou novamente para o portão, não havia nada o que temer, por que a preocupação? — Está tudo bem, eu só quero ver.



Kyungsoo não era apenas poderoso demais, era teimoso ao extremo. 


Isso, eu quero ver seu rosto. — Aquela voz, parecia tão familiar. — Quantos anos você tem? Faz tanto tempo que estou aqui… — O ômega se aproximava devagar, mesmo depois do dragão ter dito não, ele não quis ouvir. — Isso, chegue mais perto, deixe-me ver seu maravilhoso rosto, ômega.


Kyungsoo deixou os olhos arregalar e um nó em sua garganta formou-se. Uma bela moça estava atrás daquele portão, mas o que mais assustou o jovem, era o fato de estar presa por correntes feitas por água e espinhos de água perfurarem seu corpo. O rosto, no rosto o que mais deu um certo pavor no ômega, era o olhar que era direcionado em sua direção: ele carregava ódio e rancor, sua cor avermelhada mostrava quanto ódio estava sendo carregado e fortalecido por ela.


Surpreso? — Ela perguntou e sorriu. — É, seu Omma não foi muito gentil quando me prendeu nessas correntes, e olhe só! Meu corpo todo está sendo furado, não é muito justo, não é? 


— Meu… Meu Omma fez isso? — Ela riu. — O que você é?


Oras, não reconhece um demônio quando ver?


Demônio… Não, Kyungsoo não reconhecia, ele nem sequer sabia que existiam. Mas, era perceptível que mesmo sendo muito bonita, a moça possuía uma energia muito forte e ameaçadora.


— Meu Omma não faria algo assim! — Segurou fortemente a grade de água. — E se fez, deve ter tido um motivo!


Motivo? Me diga, te contar mentiras é um motivo? — O ômega franziu o cenho. Mentir? Não, Seokjin nunca mentiria para ele. — Vamos ômega, existe muita coisa que você não sabe.


— Coisas? Que tipo de coisas?


— Kyungsoo, já chega! — O ômega olhou atrás de si, a criatura cristalina ainda estava ali, olhava com raiva para o demônio atrás das grades. — Deixe-o em paz, Jiwoo. Ele não tem nada haver com você.


Kyungsoo, você não quer mesmo saber de algumas coisas? Bom, vejamos, você quer saber por quê nasceu com dois elementos? Quer saber quem é seu Appa? Ou melhor, quer saber quem é seu Omma de verdade? 


— Como assim? — Perguntou, mas o que recebeu em resposta foi apenas um sorriso. — Ande, me diga! O que você quer dizer com "Omma de verdade"?


As coisas estavam saindo do controle, mesmo sabendo que iria enfrentar uma situação difícil, o dragão nunca imaginou que Jiwoo seria tão ousada para falar sobre o passado.


— Kyungsoo, não dê ouvidos a ela. — A criatura aproximou-se. — Ela não é uma pessoa boa, ela gosta de manipular e não deixe que ela use palavras para manipular você.


Manipular? Me poupe dessas suas palavras, ele foi enganado a vida toda, o que custará se ele souber a verdade?!


— A verdade? Que verdade você está falando?


Que você não passa de um monstro… — Kyungsoo sentiu-se fraco, ele não sabia contratar os poderes, mas chamá-lo de monstro? Não, ele não era um monstro. — O quê? Vamos, não me olhe dessa maneira, diga alguma coisa.


O que de fato Jiwoo queria? Ela ainda podia lembrar muito bem no dia em que conheceu Chanyeol, ele era só um bebê mas, quando cresceu, mostrou quão poderoso poderia ser. Claro, ela também sabia que em algum momento ele iria morrer, e sabia mais do que ninguém que Kyungsoo é o único que pode deixar ela ser livre. Porém, ela nunca entendeu como seria essa liberdade, não tinha certeza se deveria confiar no ômega ou controlar ele para poder ter a tão "sonhada liberdade".


Você consegue imaginar? Sabe o que seu Omma escondeu de você? — Ela sorriu, iria manipular ele de qualquer maneira apenas para que tivesse liberdade e pudesse finalmente sair dali. Foram tantos anos presa, estava quase perdendo a esperança, mas no momento em que sentiu uma presença diferente, a chama que antes estava apagada, acendeu-se. — Ele foi embora para a nação do fogo, você sabe o que ele foi fazer?  


— Ele… Ele foi ajudar um amigo. — Sua fala saiu como um sussurro, afinal ele queria ser sincero consigo mesmo, pois não tinha certeza se era isso mesmo que seu Omma fora na nação. — Você não sabe de nada!


Não sei? — Perguntou e sorriu. Se ele soubesse… Ela realmente não estava se importando muito, sair dali era sua prioridade. Tantos anos livre, e muitos deles odiando os humanos como se fossem as piores criaturas do mundo, embora não tivessem provado o contrário; os humanos costumam machucar para ter o que querem; matar para terem o que tanto querem. Em conclusão, para os demônios, os humanos não passam de criaturas extremamente gananciosas e egoístas, porém existem aquelas pequenas exceções e são poucas. Muito poucas. — Se eu realmente não soubesse… Kyungsoo, se você está tão curioso, por que não vai até aquele cristal? 


— Que cristal? — Com a cabeça, Jiwoo apontou para um lado mais afastado, um grande cristal flutuava. O que era muito estranho, ele não imaginava que pudesse ter tudo isso dentro de si. — O que tem ele?


Minha liberdade… — Ela sussurrou. — Suas respostas, você apenas precisa quebrá-lo.


Respostas… Durantes tantos anos Kyungsoo teve perguntas, algumas ficavam presas em seus pensamentos, pois sabia que suas perguntas iriam continuar sem respostas e não perguntar, era a melhor maneira para não ficar frustrado.


— Kyungsoo, não escute ela! — Nada nem ninguém acabaria com a curiosidade do ômega naquele momento, ele precisava ter suas dúvidas respondidas.


— Não se preocupe. — Falou com um lindo sorriso tentando acalmar o dragão fêmea. — E eu realmente preciso fazer isso.


O animal tentou parar o ômega, mas sua tentativa foi falha. Kyungsoo andava calmamente, e sempre olhando para os lados, era incrível como dentro de si era tão vazio e escuro. 


Você precisa apenas erguer um pouco de água e misturar ao seu sangue, o cristal irá quebrar. 一 Kyungsoo olhou para cima, o cristal era imenso e notou que havia algo dentro dele. 一 Corte sua mão, faça um pequeno corte e pronto!


Ele não se importava com mais nada, nem com os protestos do dragão. Um corte foi feito em sua mão com água, JIwoo estava satisfeita. O ômega ergueu um pouco de água e misturou ao sangue.


一 Eu preciso fazer apenas isso, certo? 一 Olhou para Jiwoo e a mesma assentiu. 一 Certo.


Mesmo um pouco receoso, Kyungsoo ergueu seu pulso e o liquido meio avermelhado seguiu seus movimentos, tocando logo em seguida a ponta do cristal.


Ele não devia, não podia fazer isso. 


O cristal brilhou e ele tampou a visão com um braço.


一 Kyungsoo! 一 Ele ouviu a voz do dragão. 一 Vai explodir! 一 Antes que Kyungsoo fizesse algo, o animal se posicionou na sua frente. Ela sabia o que iria acontecer e temia ter falhado em sua missão. Eles precisavam sair dali, se o ômega encontra-se quem o diamante guardava muita coisa poderia acontecer, e não saber o que aconteceria acabava consigo.


Quando a luz finalmente parou de brilhar tão intensamente, Kyungsoo saiu detrás do animal e surpreendeu-se ainda mais com o que viu: Um rapaz que deveria ter mais ou menos sua idade apareceu. A água rodeava seu corpo, e a luz ainda vinha de seu corpo. Seus olhos finalmente se abrirão e Kyungsoo admirou-se em ver que eram tão azuis que poderia se comparar as águas do mar, qualquer pessoa se perderia naquele olhar.


Olha quem finalmente acordou! 一 Jiwoo falou chamando a atenção de todos. 一 Foi bom dormir todo esse tempo, Yoongi? 一 O rapaz olhou na direção do grande portão.


一 Quem… Quem é você? 一 Kyungsoo olhava fixamente para o rapaz. 一 O que você fazia dentro do cristal? 一 Yoongi pareceu cair em si, e olhou para Kyungsoo.


一 Quem é você? 一 Depois de tanto tempo calado, finalmente falou. 一 O que fazes aqui? 


一 “Aqui” é dentro de mim. Essa pergunta é minha, o que você faz dentro de mim e ainda preso em um cristal?! 一 Yoongi olhou em volta e percebeu uma coisa que ainda não havia notado.


一 Cadê o Baekhyun? 一 Olhou para Kyungsoo como se quisesse matá-lo. 一 Me diga onde ele está!


Kyungsoo não entendeu, ele nunca ouviu esse nome antes e continuou olhando confuso para Yoongi, até que finalmente lembrou-se que esse nome não tinha ouvido e sim lido em um lugar.


一 Você está falando de Byun Baekhyun? 一 Yoongi assentiu levemente. 一 Ele está morto.


Ele está morto” O demônio nunca pensou que escutaria essas palavras ligada ao nome do Byun, não deveria ser verdade. 


一 O que disse? 一 Kyungsoo notou que a água em seus pés estava mais agitada. 一 O que você disse?! 一 Ele não possuía mais a expressão calma no rosto, Yoongi estava com raiva. 一 Onde ele está?


Antes que Kyungsoo notasse, a água agarrou seu corpo e o ergueu.


一 Me solte! 一 Se debater não adiantava nada, ele não tinha forças para lutar contra o demônio. Aos poucos, uma pressão começou a se fazer presente, Kyungsoo ficou enjoado e com medo, aquela força demoníaca o deixava temeroso. 一 Me solte… Por favor.


一 Yoongi, solte o menino agora mesmo! 一 O dragão que antes estava calada se manifestou abrindo suas  asas. 一 Kyungsoo não tem culpa de nada!


一 Fogo… Eu sinto a força do fogo emanando desse garoto! E você, não se meta nisso. 一 O corpo de Kyungsoo estava ficando fraco, Yoongi não estava sendo piedoso. 一 Onde ele está? A única coisa que me lembro era que ele estava fugindo da nação do fogo.


一 Eu já falei, ele está morto. 一 Com dificuldade, o ômega falou. Seu corpo estava sendo apertado com muita força, sua mente estava se perdendo para a inconsciência. 一 Isso é um fato, toda a nação da água foi destruída… 一 Foram suas últimas palavras antes de ser jogado para longe, seu corpo todo doía. 一 Por que…?


一 Kyungsoo, você está bem? 一 Ele escutava com dificuldade a voz do dragão. 一 Me responda!


一 Me desculpe… Eu de-deveria ter escutado você. 一 Ela negou com a cabeça, mas não culpava o ômega, afinal ele era apenas mais um jovem curioso.


一 Não se preocupe, agora vamos sair daqui. 一 Ela ajudou ele a levantar-se, mas Kyungsoo foi pegou Yoongi. 一 Yoongi, não faça isso!


一 Eu sabia! 一 O demônio apertava com força o pescoço do ômega. 一 Essa força que vem de você, esse fogo, é do Park Chanyeol. 一 Kyungsoo não podia fazer nada, ele não tinha forças para tirar a mão de Yoongi de seu pescoço. 一 Eu sabia que ele seria um perigo para a minha nação.


一 Solte ele! 一 Yoongi foi atingido pela dragão fêmea. 一 Eu disse para deixá-lo. 一 Kyungsoo estava fraco demais, nunca tinha visto uma força tão assustadora em toda sua vida, o poder que Yoongi possui estava sufocando-o. Ele olhou para o lado, e mesmo estando com a visão um pouco embaçada, notou que Yoongi lutava contra a fêmea. 一 Sim, ele é filho de Park Chanyeol, mas isso não é tudo.


一 Chega! 一 Ele jogou o animal para longe, sua fúria era tanta, nada que o animal dissesse, mudaria o fato de que sua nação toda foi morta. 一 Ele deve morrer.


Quando Kyungsoo escutou essas três palavras, ele sentiu quando seu coração pulou uma batida, ele iria morrer ali, dentro dele mesmo? 


Ele fechou os olhos quando viu que algumas flechas de água se formavam em sua direção, fechar os olhos foi a única coisa que fez antes que aquelas flechas atingissem seu corpo. Porém, o impacto nem a dor aconteceram.


一 Me…  Me perdoe, por favor. Me desculpe ter falado quem era seu appa, isso era algo que apenas seu omma deveria dizer. 一 A fêmea olhava o menor com carinho. 一 Me perdoe por ter falhado. 一 Kyungsoo olhou para baixo, seu corpo todo estremeceu. Ele era o culpado, sua curiosidade estava matando a fêmea. 一 Ei… Não se preocupe, e por favor, não tema o Yoongi, ele que tem que temer você.


Ela finalmente fechou os olhos, seu corpo caiu sem vida perto de Kyungsoo. Ela havia se colocado na frente, para servir de escudo para o ômega, e morreu sem arrependimentos.


一 Não… 一 Sua mente girava. 一 Não…


Era muita informação para o menor, seu corpo estava fraco e sua mente perdida com tudo que acabara de acontecer. Seus olhos estavam pesando, ele não conseguia manter-se em pé.


一 O que pretende fazer com ele? 一 Jiwoo perguntou quando Yoongi chegou perto de Kyungsoo que acabara de desmaiar. 


一 Ele… Ele é realmente o filho de Chanyeol? 一 Jiwoo sorriu e assentiu. 一 Eu lembro… Lembro que o Baekhyun uma vez me colocou em um sono profundo por que estava grávido, ele tinha medo que eu pudesse machucar o bebê.


一 Ora… Você acabou de machucar ele, então por que não machucou quando ele era apenas um bebê? 一 Yoongi afastou a mão que iria tocar no rosto de Kyungsoo. 一 O que foi? O poder do fogo emana com bastante força dele, mas a água também. 


一 Eu… Jiwoo, você sabe quem foi o responsável por tudo isso, não sabe? 一 Ela sorriu. 一 Quem foi?


一 A única pessoa que me odeia. 一 Ela sorriu mais e suspirou. 一 Ela não desistir enquanto não me ter, mas sabe o que é melhor? Se você me soltar, eu posso tomar conta de Kyungsoo e vingar sua nação.


Yoongi ficou calado, ele sabia mais do que ninguém que Jiwoo era traiçoeira demais, e confiar nela estava fora de cogitação.


一 Fique aí. 一 Ela deixou o sorriso morrer, pois sabia que seu pedido foi negado. 一 Baekhyun disse que um dia, eu precisaria cuidar de seu filho e é isso que vou fazer.


一 Como assim?


一 Ela precisa dele para ter você, e para ter você, ela precisará matá-lo. 一 Yoongi começou a andar sobre a água, levando Kyungsoo consigo. 一 Eu agora estou selado a ele, assim como você, mas diferente de você eu cumpro com a minha palavra.


O corpo do ômega estava sendo coberto pela água. Yoongi havia prometido uma vez para seu velho amigo que cuidaria de seu filho quando precisasse, só não imaginava que irão se conhecer assim e arrependia-se amargamente por ter ferido o ômega. 


一 Eu perdi tudo… 一 Yoongi sussurrou ainda olhando para Kyungsoo. 一 Desculpe garoto, mas eu vou usar seu corpo um momento. 一 Ele não poderia negar, além do mais ainda era um demônio, e estava preso ali dentro. 一 Agora quem ficará em um sono profundo, é você.


(...)


一 Minseok, você está bem? 一 Jungkook chegou rapidamente perto do ômega que foi jogado para fora da água. 一 O que aconteceu? Cadê o Kyungsoo?


Minseok ainda estava tentando assimilar o que houve dentro da água, nunca visto uma energia como aquela, seu corpo ainda tremia por causa da sensação de morte que reinou dentro da água quando Kyungsoo despertou, mas o que Minseok viu o causou medo. Apesar dos olhos do ômega estarem extremamente azul, carregava raiva e remorso.


一 Eu… Eu não sei. 一 Falava com dificuldade. 一 Estava indo tudo bem, mas… Jungkook, veja.


Aquilo não poderia ser real. Jungkook deixou seus olhos arregalar ao ver seu irmão lutando contra dois imensos dragões.


一 Jungkook, esse… Esse não é o Kyungsoo, não sabemos o que houve, mas esse não é o Kyungsoo. 一 Minseok olhava atentamente os movimentos do ômega, a água fazia movimentos se que ele movesse suas mãos. 


一 O demônio… 一 Minseok olhou para Jungkook. 一 Vem Minseok. 一 Minseok não pôde levantar com facilidade, sua perna esquerda doía muito. 一 Você está bem?


一 Estou, mas acho que minha perna, Jungkook, cuidado! 一 Jungkook olhou na mesma direção que o ômega, e uma grande bola de água foi lançada contra eles. Eles não iriam ter como escapar e Jungkook não esperava por isso, ele simplesmente se colocou na frente do ômega para que ele não se machucasse.


一 Nossa, quem diria que um dia nós iríamos nos reencontrar de novo. 一 Jungkook abriu os olhos ao escutar uma voz brincalhona. 一 Acho que já podes soltar esse ômega, alfa. 一 Jungkook olhou para Minseok e percebeu que nem ele, nem o ômega foram atingidos pela água.


一 Jimin? 一 Jimin sorriu. 一 Como você chegou aqui?


一 Acho que isso não importa agora, o importante agora é parar seu irmão. 一 Jimin tinha razão. Kyungsoo estava fora de controle.


一 Minseok, precisamos trazer o tio Hoseok até aqui. 一 Minseok levantou com dificuldades. 一 Jimin, ajude ele.


Os dois ômegas olharam para Jungkook não acreditando no que ele estava falando.


一 Os dragões não irão conseguir pará-lo, e ele não pode sair daqui. 一 Ele olhou para Jimin, e ajudou Minseok ser carregado pelo outro. 一 Vão os dois e digam para o tio Hoseok o que está acontecendo.


一 Espera… Você por acaso bateu a cabeça?! 一 Jimin perguntou exaltado. 一 Você não pode lutar contra ele, pelo menos não sozinho. Deixe eu ficar!


一 Jimin, Minseok irá mostrar o caminho para a casa onde estamos, ajude-o a chegar lá em segurança. 一 JImin queria pegar o alfa pelo pescoço, parecia que ele não tinha dado a mínima para que ele havia dito.


一 Você pode me ouvir?!


一 Não esqueçam de ir pelo lugar mais seguro. 一 Jimin segurou seu braço antes que o alfa andasse na direção do irmão. 一 Eu vou ficar bem. 一 Ele aproximou-se mais de Jimin e tocou seu rosto. 一 Eu escutei o que você falou, e minha resposta é não. Eu preciso que o tio Hoseok venha até aqui o mais rápido possível, eu vou mantê-lo ocupado enquanto isso.


一 Você tem certeza? 一 Jungkook assentiu. Jimin sorriu docemente e puxou o alfa pela gola de sua roupa e deixou o sorriso morrer para mostrar uma expressão bastante séria. 一 Se vocÊ ousar morrer… 一 Os rostos estavam perto demais, e isso deixava o lobo de Jungkook agitado. 一 Eu vou dar um jeito de trazer você a vida para te matar de novo.


一 Pode deixar, eu não vou deixar que isso aconteça. 一 Ambos riram um para o outro.


一 Eu acho que vocês poderiam fazer isso em outro momento, temos um problema para resolver, esqueceram? 一 Rápido eles se afastaram. 一 Jungkook, tome cuidado. E por favor, não esqueça, não é o Kyungsoo ali.


一 Eu sei…


Os ômegas adentraram a floresta, e quando o alfa virou-se ele foi atingido.


一 Um descendente da água… 一 Kyungsoo estava a poucos metros e sorria. 一 Quer dizer que vocÊ vai me impedir, achas que pode fazer isso? 


一 Você deve ser o Yoongi. 一 Jungkook levantou. 一 Bom, eu não acho, tenho certeza.


(...)


Jongin e Haly resolveram ir na direção da explosão, o que só piorava para a pequena ninfa era a presença demoníaca que ela sentia.


一 Haly, eu já disse que não precisa ter medo. Não deve ter sido algo tão grave. 一 Ela negou, a presença de Yoongi já estava por toda a floresta.


一 Jongin, por ali! 一 Ela gritou quando sentiu a presença do demônio mais forte.


Jongin correu. Ele não podia negar, apesar de estar aparentando estar calmo, seu corpo estremecia a cada passo dado. Uma presença muito diferente, um poder que nunca havia sentindo.


一 Haly, o que é isso? 一 Jongin perguntou.


一 Você já ouviu falar de demônios? 一 Jongin assentiu. 一 Essa presença esmagadora, esse poder, é de um demônio.


Jongin não disse nada, apenas continuou correndo e parou os passos quando escutou mais uma explosão.


一 Por ali. 一 Haly apontou e o alfa correu naquela direção. 一 Ali Jongin, ele é o demônio.


Jongin sentiu suas pernas fraquejarem, ele não via um demônio, estava muito longe de ser um demônio.


一 Kyungsoo… 一 Sussurrou. 一 Não pode ser.


Não poderia, o que seus olhos viam era algo quase que impossível: vários dragões estavam jogados por todos os lados e o irmão de Kyungsoo estava se levantando. 


Mas, Jongin sabia, aquele não era Kyungsoo, não poderia ser ele. Aquele controlando a água e machucando Jungkook, não era seu ômega.








Notas Finais


Esperamos que ninguém morra, amém 😢

E então, o que acham??
Jongin aparecendo, Yoongi aparecendo...

Espero que tenham gostado💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...