História Escolhas Novas - Capítulo 5


Escrita por: e PrincessYokai

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hyuuga Hinata, Naruhina, Novela, Romance, Sakura Haruno, Sasusaku, Uchiha Sasuke, Uzumaki Naruto
Visualizações 37
Palavras 2.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem por não postar ontem, tive um pequeno bloqueio de criatividade e estava ocupada. Mas está aí um direto do forno.

Boa leitura!

~♥~

Capítulo 5 - Possível sequestro?


Fanfic / Fanfiction Escolhas Novas - Capítulo 5 - Possível sequestro?

Narradora ON

Sasuke passara o resto da noite tentando se descontrair com os convidados que compareceram à festa... –que na vista do mesmo, estava insuportável – ...mas, essa ameaça contra Sakura não saira da cabeça do mesmo. Suspirou tantas vezes por tentar formatar  um plano bom e não dar certo que já havia perdido as contas. Já saira para tomar um ar umas 8 vezes, em vão. Mesmo Sasuke não percebendo, Sakura já estava se sentindo incomodada e preocupada. Mas sempre que tentava perguntar sobre o que estava havendo, ou ele mudara de assunto ou inventara qualquer coisa que lhe viesse à mente. Estava se sentindo frustado. Não conseguia formular um plano estratégico pelo lugar que o esconderijo do homem que lhe ligou ficava mais afastado da cidade. Sasuke passara por lá apenas uma vez, lá é uma área afastada mesmo, um terreno baldio. Sakura claramente não estava conformada com suas desculpas.

O moreno já estava quase chegando ao seu limite de irritação por tanta frustação até Sakura lhe apresentar uma breve idéia. Que realmente cairia bem melhor naquela hora.

Sakura ON

Toda santa vez que eu olhava para Sasuke, o mesmo estava com o cenho franzido parecendo estar bem distante dali. Já saiu tantas vezes para fora que eu nem sei mais quantas vezes. Cada suspiro dele me dava vontade bufar e obriga-lo à ir embora. Claramente ele não queria ficar ali. Então o “convidei” para irmos embora. Eu também já não me sentia tão confortável, seu pai me enchia de perguntas sobre os negócios da minha antiga empresa – ela faliu à alguns anos –... Eu já estava de saco cheio.

– Sasuke. – o chamei despertando à atenção do mesmo enquanto seu pai se levantava para conversar com alguns empresários e velhos.

– O que é? – falou suspirando pela milésima vez. Completamente irritante.

– Vamos embora. Sua situação está ficando deplorável e irritante. Claramente está incomodado com algo e sua casa te ajudara à por seus pensamentos em ordem – Sasuke mesmo sendo um teimoso, sabia que eu estava certa e apenas assentiu.

Saímos meio que com pressa, mas ao mesmo tempo – apenas eu – sorria pra as câmeras que nos filmavam e tiravam fotos. Sasuke permaneceu calado tanto o caminho para o carro quanto o percurso inteiro para a minha casa. O céu estava limpo graças à Kami. Sasuke parecia bem irritado com algo, e parecia mais que estava descontando sua raiva no volante. O que era para demorar no mínino meia hora, demorou apenas 15 minutos por causa de um Sasuke irado que atravessa os sinais vermelhos. Ele iria pagar minha indenização se acontecesse algo comigo. Egoísta.

– Obrigada e, sinceramente, seja lá o que for, não deixe que isso suba muito à sua cabeça. Reflita e durma ET. Até segunda. – falei saindo do carro. Apesar de ser temperamental e explosiva demais, eu amava ajudar os outros, seja um simples idoso ou um moreno arrogante que aparentemente odeia ajuda. Ele não me respondeu nada – eu já esperava mesmo – Apartir do momento que eu coloquei meus dois pés para fora do carro ele já acelerou como se não houvesse um amanhã. – e se ele continuar assim, provavelmente não haverá um para ele mesmo –.

Minhas queridas amigas estavam me esperando e, apesar de ainda ter um pingo de energia lá no fundo, não estava afim de responder uma tonelada de perguntas, apenas respondi algumas óbvias.

– E então, e então??? – falou Tenten com um brilho e um sorriso um tanto quando malicioso no rosto.

– E então o que?! – falei perdendo a paciência. Parecia um interrogatório.

– Beijou o Sr. Gostoso?? – corei levemente com essa pergunta completamente idiota e desnecessária.

– É óbvio que NÃO Tenten! – falei franzido o cenho quando vi ela ficar cabisbaixa – esperava que eu me jogasse nos braços dele?!

– Não. Esperávamos que ele fizesse isso haha. Mas é uma peeeena não ter acontecido nada. Mas mesmo assim estamos na torcida Ok?! – falou Ino, que estava jogada mo sofá levando um cheetos à boca.

– Vocês falam como se eu me interessasse por isso! – Mas, era aí que estava... Será que estou interessada nele? É, ficar 1 anos sem qualquer tipo de transa causa isso. Mas pelo meu “chefe” ignorante NÃO!

– Por que sabemos que se interessa... – falou Ino com um tom de deboche, sem tirar os olhos de dentro do salgadinho.

– Vocês não iriam embora hoje? – falei tentando mudar de assunto.

– Está nos expulsando assim??

– Nãããão. É só uuuma dúvida. – ela me olhou de canto e sorriu

– Era, mas vamos ficar mais uma semana para matar as saudades.

– QUE?! – eu sou explosiva assim, mas por dentro eu realmente queria que elas ficassem haha. Que mar de bipolaridade.

– Isso mesmo, vai nos aguentar por mais 7 dias – eu fechei os olhos e suspirei. Quase como automático eu me levantei e fui tomar um banho. Estava exausta. Fui dormir.

O que será que Sasuke tanto pensa?

Sasuke ON

O dia já havia amanhecido. Eu tinha apenas algumas horas para pagar uma quantia inacreditável e, evitar um quase possível sequestro. Já vi tudo o que tinha e não tinha direito da vida de Sakura e sei que ela não merece as consequências do que meu pai não conseguiu resolver, e eu tinha pouco tempo para pensar em algo, e, simplesmente não chegava à conclusão nenhuma. Já havia recebido no mínimo 10 ligações desse homem, aparentemente ele queria ter certeza absoluta que eu iria pagar. Como se a minha palavra já não bastasse.

Fui à casa de meu pai a contra-gosto. Uma parte do problema era dele, ele tinha que ajudar também, ou ao menos me dar a senha da conta bancária dele, eu tinha uma ótima quantia na minha, mas não seria suficiente.

Bati da porta 2 vezes e ninguém atendeu, então entrei mesmo assim. Tsc, não é como se eu precisasse ser educado com ele. Itachi apareceu.

– Aaah, eae maninho, veio fazer uma visitinha? – Ele claramente estava de ressaca.

– Não. Vim resolver algo sério – falei suspirando.

– Ah, o sr. Prodígio precisa de ajuda?

– Tsc, não enche Itachi. Não é algo necessariamente a ver com a empresa se quem saber tanto assim. Chame o Fugaku, sei que ele está.

– Hm. Tá chefe.

Eu esperei em pé por volta de 10min’s e ele apareceu.

– O que devo a sua ilustre visita Sasuke?.

– Sem rodeios por favor. – Tsc. Praticamente repeti a frase de Sakura – É algo sério e preciso de parte da sua quantia na sua conta bancária.

– Acha que vou da-la assim para você? – falou se sentando. Fiz o mesmo.

– Sei que não. Mas você tem parte no problema – ele arqueou uma sobrancelha. – Recebi uma ligação de um homem anônimo que aparentemente você devia um bom dinheiro.

– Ah. Hidan?

– Eu sei lá. Se soubesse não falaria “anônimo” – ele bufou e remungou algo baixinho. – Obviamente não daria nem metade do meu dinheiro nisso, você está muito envolvido nisso.

– Resumindo, um homem te ligou, eu devo dinheiro e você quer dá-lo assim?!

– Exatamente. Ele ameaçou sequestrar uma amiga minha por causa de seus atos.

– Não, não vou pagar nem um tostão.

– Que?! – me levantei.

– Este homem trabalhou um tempo na empresa. Ele me ajudou e quando devia dinheiro à ele eu o demiti, a empresa nã estava numa boa condição, eu não podia dar dinheiro assim para os outros. Se está demitido não é mais meu caso.

Irresponsável. – eu não media palavras com meu pai, e vice-versa. – É da sua conta! O MÍNINO que poderia fazer era dar uma parte do seu dinheiro.

– Não vou Sasuke. E saia daqui, primeiramente já havia lhe proibido de vir.

– Achei que mantíamos nossa palavra Fugaku.

– Desde o momento que você nasceu eu disse que não iria me comprometer à nada com você! – ele já havia aumentado o tom e eu já estava perdendo a paciência que reuni.

– Tsc! Acha mesmo que vim aqui por que queria?! Vim aqui por que PRECISAVA!

– Eu precisava da sua mãe e você me tirou ela! Não tenho que te ajudar!

– Vai ficar apertando a mesma tecla novamente?! – me levantei bruscamente.

– Vou. Até você entender que nunca vou te ajudar.

– Tsc. Tanto faz. Não vou continuar com essa discussão desnecessária. E NUNCA fale o nome da minha mãe, ou apenas “mãe” em vão na minha frente Fugaku. – Me retirei.

Já estava explodindo de raiva e o único plano que tinha foi por água à baixo. Agora tinha que falar com Sakura. Não. Melhor não. Ela provavelmente, nos pequenos dias de convívio que tivemos juntos, vai enlouquecer e ficar com raiva por causa da minha incompetência.

Fiquei mais um tempo pensando e tive uma pequena idéia. Liguei para Hidan.

Alo?

– Uchiha Sasuke. – apenas me apresentava. Ele sabia quem eu era.

– Aaah, o prodígio já arrumou o que eu queria?

– Hidan é seu nome certo?! – ele resmungou algo como um “sim” – Não vou lhe pagar.

– O que?!

– É exatamente isso.

– Sabe que estou vigiando a sua garota de pelo menos uns 40 metros, certo?! – gelei mas não deixei transparecer. Apenas suspirei.

– Deixe-a. – falei em seco. Eu tinha um pressentimento ruim. Uma preocupação fora do normal.

– Sabe do nosso trato Sasuke... E eu cumpro minha palavra. – desligou. Eu demorei para colocar meus pensamentos em ordem. Quando entendi. Liguei meu carro e fui direto para casa de Sakura.

Chegando lá... Bati várias vezes. Não havia ninguém. Abri a porta e tinha rastros de sangue no chão. Droga! Não era o que eu queria!

Sakura ON

Aproveitei a tarde ensolarada para arrumar minha casa. Claro que pedi, ou melhor, ordenei que as minhas lindas amigas me ajudassem. E fizeram. Por incrível que pareça, elas nem reclamaram, acho que sabiam que deviam ao menos ajudar. E assim fizemos. A casa ficou brilhando no fim do dia. Terminamos e me joguei no sofá. As meninas foram se arrumar, iriam à uma festa, eu estava exausta, achei melhor ficar e descansar. Uma escolha ótima aos meus olhos.

Fiquei uma boa parte do tempo pensando do que acontecera para deixar Sasuke tão irritado e incomodado como ontem, convívi poucos dias com ele, mas as horas que passei com o mesmo vi que ele se irritava apenas com coisas sérias. O mal-humor dele era normal. Mas espera, não era para eu estar pensando nele. Ele que resolva seus problemas. E eu tenho um também, essa “preocupação” com ele tem apenas uma resposta. E não gosto dela. A odeio.

Comecei à cozinhar algo para mim, mesmo estando um pouco “cedo” para a janta, eu estava realmente exausta, só queria dormir. As meninas tinham acabado – acabado mesmo – de sair. Ouvi a porta ser destrancada discretamente e passos. Eles pareciam mais pesados, como a porta da frente ficava um pouco longe da cozinha, essa pessoa demorou para chegar. Os passos estavam lentos demais. Achei que eram minhas amigas, elas deviam ter esquecido algo. O que não é muito a praia delas.

– Garotasss...? Esqueceram algo? – perguntei ainda de costas para a sala. Não ouvi nada. Achei melhor deixa-las e voltar ao que eu estava fazendo. Até sentir uma presença atrás de mim. Não ouvi mais nada. A última que senti foi uma pancada na cabeça. Apaguei.

Sasuke ON

Eu estava quase desesperado, não sabia exatamente o por que de tanta preocupação, Sakura apenas era uma conhecida irritante. Fui direto ao carro dando suspiros pesados. Fiquei pensando no que fazer. Mas não podia demorar, uma pessoa estava correndo perigo de qualquer tipo de atrocidade e perigo por minha causa.

Quando formulei um, ele não estava estratégicamente perfeito mas dava pro gasto. Fui ao banco e tirei uma boa quantia do meu dinheiro, coloquei umas caixas pequenas em um fundo falso e o dinheiro por cima. Obviamente eu não tinha tanto dinheiro, dar 2,400,000,00 de mão beijada para alguém não é fácil. Mesmo assim arrisquei meu plano. Chamei um parceiro meu da polícia completamente confiável e competente. Apenas ele. Sei que se chamasse mais alguém iria chamar à atenção de Hidan, mas ele também não estava sozinho nessa.... 

Tsc. Formulei três planos ótimos em poucas horas e não consigo definir o significado de tal preocupação com Sakura. Ou melhor. Apenas não gosto da resposta, e, aposto que um dia esquecerei isso. Passar por tudo de novo seria difícil. Ter mais uma recaída seria difícil. Olhar para ela todos os dias seria mais difícil ainda. Mesmo assim, é impossível evitar o inevitável, mas vou tentar deixar para lá. Tenho que salva-lá, no momento não tenho tempo para os meus problemas.



Notas Finais


Sei que ficou curto, me desculpem mesmo por isso, mas não quero deixar tudo para um cap, provavelmente no próximo cap eu resolvo as coisas... Ou posso deixar vcs no suspense.

Bjs!

~♥~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...