História Escolhido (abo) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Abo, Alfa, Alfa Lúpus, Beta, Drama, Mistério, Mpreg, Ômega, Oroita, Sasunaru, Tortura, Tragedia, Yaoi
Visualizações 3.022
Palavras 3.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OS NOVOS SHIPPS 💙 ESPERO QUE GOSTEM EIN

Enfim...

Vamos ao capítulo *-*

DESCULPEM OS POSSÍVEIS ERROS!!!

BOA LEITURA 💙

Capítulo 14 - Medo e esperança


Naquela manhã em especial, o céu havia amanhecido bastante nublado, pude ouvir os leves barulhos de pássaros cantando suavemente e algumas conversas paralelas do lado de fora da barraca.

Sentia um peso nada incômodo sobre mim e acabei descendo meu olhar para baixo, um sorriso automaticamente brotou em meus lábios. Naruto estava com a cabeça pousada em meu peito e parecia dormir tranquilamente, mas eu sabia que o menor teve pesadelos durante a noite, o que me fez abraçá-lo fortemente no intuito de lhe passar confiança e segurança.

Esfreguei os olhos me sentindo um pouco sonolento e me movimentei lentamente sobre o simples colchão de ar, a fim de tirar Naruto de cima de mim sem acordá-lo no processo. O que não deu muito certo, afinal.

- Hmmm, me deixe dormir. - Ele resmungou apertando minha cintura e afundando a cabeça em meu peito coberto. Neguei com a cabeça achando sua birra fofa e divertida.

- Temos que chegar em casa até o fim do dia, seu preguiçoso. - Sussurrei com carinho, o encarando intensamente e vejo um bico se forma em seus lábios carnudos e rosados enquanto ele abria os olhos lentamente.

Segurei um ofego com a visão divina que tive do seu rosto.

Naruto era realmente lindo e seu rosto amassado e ainda sonolento por ter acordado recentemente apenas o deixava com um ar ainda mais rebelde e totalmente atrativo.

A boca inchada e rosada parecia me chamar, me tentava para tomá-la com a minha própria, em um beijo coberto de desejo e luxúria. Sua pele amorenada parecia dar um contraste enorme em seus cabelos loiros e exóticos, extremamente macios e cheirosos.

E os olhos.

Ah, os olhos.

Azuis como o céu límpido e sem nuvem alguma, transmitiam uma pureza e inocência que me deixava admirado e ainda mais apaixonado.

Céus, eu realmente estava caidinho por esse omega.

- Por que está me olhando assim? - Ouço sua voz doce cortar meus pensamentos apaixonados e eu o encaro ainda abobalhado, era um homem de sorte, afinal.

- Eu realmente estou apaixonado por você. - Confessei sem pensar em nada e vejo um enorme e exagerado sorriso verdadeiro rasgar sua face e iluminar seu rosto quase ao ponto de me deixar cego.

Naruto levantou seu corpo delicadamente ainda sobre o meu e logo alcançou meus lábios, os tocando com os seus próprios. Fechei os olhos ao sentir sua boca colada a minha de forma deliciosa e intensa. Sua língua pediu passagem de imediato e eu entreabri meus lábios lentamente, sentindo o músculo molhado acariciar cada canto da minha cavidade bucal.

Movi meus lábios de encontro aos seus, tentando acompanhar o ritmo frenético do beijo e acabei agarrando a cintura fina do menor enquanto uma de suas mãos estava em meu peito e a outra suportando o seu corpo inclinado sobre o meu.

Tombei a cabeça para o lado e aprofundei ainda mais o beijo, o apertei em meus braços de maneira possessiva e protetora.

Nos separamos por falta de ar após alguns minutos e eu pude sentir um pequeno e carinhoso selo de seus lábios em minha testa.

- Eu te amo, Sasuke. - Murmurou, como se contasse um segredo e eu sorri largamente, beijando o topo da sua cabeça a cheirando seus cabelos macios.

- Eu também te amo, Naruto.



POV'S OBITO ON




Abri minha barraca lentamente e me coloquei para fora, notando que as nuvens cobriam os raios de sol que deveriam iluminar todo o acampamento. Um suspiro pesado escapou de meus lábios e um sentimento de determinação bradou em meu peito.

Meus lábios se abriram em um sorriso malicioso.

Notei que alguns guardas estavam de vigia, olhando atentamente os arredores do nosso acampamento, estavam um pouco distantes de mim e não pareciam notar minha presença. Caminhei silenciosamente pelo local, prestando atenção ao redor ou se alguém havia notado minha movimentação e acabei sorrindo largamente ao encontrar meu objetivo. Andei até uma barraca de cor vinho e sem perder tempo a abri lentamente, adentrando o local em seguida.

- O que diabos você está fazendo aqui? - Ouço uma voz grossa e com claro tom de irritação e me virei rapidamente, após garantir que a barraca estava devidamente fechada.

- Precisava falar com você. - Respondi de imediato, caminhando na direção do ruivo irritado que me fuzilava com o olhar.

- Não há nada para me falar, Uchiha. Saia daqui. - Seu tom de clara ordem me fez arquear uma sobrancelha de forma irritada, odiava que mandasse em mim. O puxei pela cintura de forma bruta, estava sem tempo para delicadezas.

- Temos muito o que conversa, Gaara. - Sussurrei seu nome de forma sensual e logo sinto seu corpo se curva sobre o meu, me fazendo ir diretamente ao chão.

Gemi dolorido ao sentir a força na qual minha cabeça bateu na terra e senti seu corpo musculoso sobre o meu. Levantei meu olhar e dei de cara com as duas perolas esverdeadas me olhando com ódio.

- Porra, me deixe em paz. - Gaara rosnou e abaixou a guarda, me dando a oportunidade perfeita para trocar nossas posições facilmente, me deixando sobre seu corpo. Me sentei sobre sua pélvis e sorri maliciosamente ao ver as bochechas do alfa abaixo de mim se tornarem rubras.

Rebolei levemente sobre o membro flácido e sorri ainda mais ao ver os lábios rosados e finos sendo mordidos.

- Eu te quero, Gaara. - Segurei suas mãos acima da sua cabeça com firmeza e abaixei meu rosto de encontro ao seu.

Tomei seus lábios com violência e ânsia sentindo sua resistência inicial, rebolei em seu colo novamente e o alfa abaixo de mim ofegou, abrindo a boca levemente e essa foi minha deixa para continuar.

Adentrei com minha língua em sua cavidade quente e molhada e senti seu gemido vibrar em meio ao nosso beijo excitante. Nossas línguas duelavam por espaço e eu sentia a excitação percorrer todo o meu corpo. Meu lábio inferior foi chupado de forma obscena, me fazendo ofegar e remexer ainda mais meus quadris. Causando uma deliciosa rebolada sobre o enorme pênis do ruivo, que já se encontrava completamente duro.

- F-filho da puta. - Gaara murmurou quando me separei de seus lábios e segui com os beijos para seu pescoço pálido, lambi o local vagarosamente e senti seu corpo estremecer abaixo do meu.

Sorri maliciosamente.

- A-ah Gaara. - Gemi baixinho e de maneira dengosa.

Tudo continuaria maravilhoso se o alfa ruivo não tivesse levantado o joelho de repente de forma bruta e chutado violentamente o meio de minhas pernas.

Ofeguei de dor, o soltando no mesmo instante e caindo ao seu lado no chão, enquanto segurava minhas pobres bolas com as duas mãos. Gemi irritado sentindo a dor dilacerante em minha região sensível.

- F-farei isso quantas vezes forem necessárias para você aprender. Eu não sou a porra de um omega, Obito. - Gritou irado e saiu da barraca bufando irritado e inconformado.

Continuei gemendo baixinho e lamentando a dor forte que sentia novamente em tão pouco tempo.

- Esse desgraçado será meu. - Decreto baixinho em meio aos ofegos e rosnados. - Maldito Sabaku.




POV'S OBITO OFF




O restante da viagem se seguiu de forma calma e na maior parte do tempo silenciosa. Naruto em alguns momentos conversava baixinho com o omega grisalho que tinha se juntado a nós recentemente e Shisui não tirava os olhos dos dois.

Ainda não havia tido tempo para uma conversa séria com meu primo sobre o omega desconhecido e sabia que o melhor seria resolver todo o assunto com a presença do meu pai e do conselho, afinal, não havia como mandar o omega para fora do país, agora que o mesmo era atado a Shisui.

Vi que o platinado parecia bastante confortável com a presença de Naruto e menos receoso também.

Desviei meus olhos para Obito que cavalgava ao meu lado e notei o mesmo com uma enorme carranca na face, seus olhos negros brilhavam em raiva e eu pude notar uma leve sombra de determinação. Meu primo tinha o olhar fixo à nossa frente e eu acabei encarando o ponto de interesse de Obito naquele momento. De alguma forma eu não me surpreendi ao ver que ele encarava o Sabaku, que para minha curiosidade mantinha a mesma expressão rabugenta no rosto, o que me fez sorrir maliciosamente.

- Senhor, chegaremos nos portões do castelo até o fim da tarde. - Um dos guardas falou próximo de mim e me encarando com respeito e eu apenas me dei o trabalho de concordar com a cabeça.

Ao pôr do sol eu e o restante do grupo chegamos aos arredores do castelo Uchiha. Ouvimos os falatórios dos guardas e logo os portões da frente se abriram, revelando meu pai com os olhos arregalados e brilhando em expectativa. Ele veio correndo de forma desesperada em nossa direção e eu apenas arqueei uma sobrancelha em confusão.

Senti seus braços fortes me rodearem assim que desci do cavalo e ofeguei com o aperto forte que recebi. Seus braços pareciam levemente trêmulos e eu podia sentir sua inquietação e preocupação através do nosso contato.

Itachi também saiu correndo e da mesma forma desesperada que meu pai, seus olhos estavam banhados em lágrimas e eu me preocupei ao vê-lo tão abatido. No estado de gravidez o nervoso poderia o prejudicar de alguma forma. Me separei de meu pai e abri os braços para receber meu irmão. O abracei com força, tentando transmitir segurança e ao mesmo tempo tomando cuidado com sua barriga já evidente.

Um mau pressentimento tomou conta do meu peito.

O que diabos estava acontecendo?

Minha mãe apareceu no enorme portão e em seus olhos havia lágrimas de alívio e desespero, correu em nossa direção com igual pressa e me abraçou fortemente assim que me separei de Itachi, afundando o rosto em meu peito, mas logo se separando de mim. Desviei meus olhos para os outros atrás de mim e notei que todos eram abraçados em sequência por meu pai.

Vi que Naruto estava  sendo apertado por minha mãe e Itachi, e assim como eu, parecia confuso com a reação inesperada dos três.

- Tia, está tudo bem? - Obito perguntou, completamente preocupado enquanto minha mãe fungava em seu pescoço.

- Vamos entrar, todos direto para meu escritório. - Meu pai ordenou, sem abertura para objeções. Suspirei cansado. O que eu mais queria naquele momento era meu omega em nossa cama, agarrado a mim para dormimos por horas.

Mas acredito que isso seria impossível agora.

O caminho até o escritório foi intensamente tenso e eu podia sentir o estresse, preocupação e nervosismo de todos. Itachi se aproximou de mim lentamente, seu rosto estava abatido e bastante pálido, o abracei de lado, lhe dando apoio.

- Se acalme Itachi. - Sussurrei calmamente em seu ouvido e ele fungou baixinho, concordando levemente com a cabeça. Seu corpo estava trêmulo e eu via temor em seus olhos idênticos aos meus. Beijei o topo de sua cabeça carinhosamente e alisei sua barriga já notável.

Desviei meus olhos para a direção em que Naruto estava e notei que ele parecia assustado e intrigado com a situação, ele me olhou intensamente. Sorri fraco em sua direção e ele retribui com um sorriso fraco e nervoso.

Tudo estava bom demais para ser verdade.



Nesse momento todos já se encontravam sentados ao redor da enorme e redonda mesa da sala de reuniões, o clima parecia ainda mais pesado, o que apenas servia para aumentar minha curiosidade, procurei com os olhos meu tio e Orochimaru, porém não os encontrei em lugar nenhum.

Itachi estava sentado ao meu lado, com sua cabeça pousada em meu ombro e Naruto do meu outro lado apertava minha mão por baixo da mesa.

- Tio, o que está acontecendo? - Shisui foi o primeiro a se pronunciar, fazendo a pergunta que todos tinham internamente naquele momento. Meu pai encarou todos nós com um misto de receio e medo. Arqueei uma sobrancelha, não era normal meu pai sentir tanto medo quanto transparecia naquele momento. Um aperto em meu peito me fez ofegar, e novamente uma sensação ruim me tomou de maneira intensa.

Meu pai piscou os olhos e balançou a cabeça. Olhou para todos os presentes e sua face se tornou confusa e curiosa, enquanto olhava do omega grisalho ao lado do meu primo para o príncipe Sabaku.

- Quem é você? - Meu pai tinha a atenção voltada para o omega albino e todos voltamos a atenção para o menor que estava encolhido ao lado de Shisui.

- Seu nome é Hidan, eu o marquei para salvá-lo, ele estava sendo prisioneiro de um grupo de meliantes na estrada. - Shisui tomou a palavra e encarou o rei em desafio. Encarei os olhos negros do meu progenitor, vendo a desconfiança brilhar.

- De onde você é, garoto? - Fugaku ainda tinha a voz fria e interessada nas informações, perguntando diretamente para o omega que se encolheu temeroso.

- Do país da água mesmo. - Ele responde baixinho e receoso. Naruto bufou irritado com a atenção voltada para o outro omega e eu notei que ele não era o único insatisfeito. Shisui tinha a mandíbula travada e eu podia sentir a irritação crescente emanando do seu corpo.

- Como foi parar nas mãos dos bandidos? - Obito questionou com curiosidade, me fazendo encarar o omega. Não sabia a real história do menor e a curiosidade para saber mais detalhes me abateu.

- Q-quando eu estava no cio, eles não puderam se controlar e me usaram como um brinquedo, eu não queria, mas não é como se eu pudesse lutar contra tantos deles. - O tal Hidan respondeu baixinho e abraçou seu próprio corpo. Senti um arrepio percorrer a minha espinha.

- Falamos dos detalhes sobre ele depois, majestade. Temos outros assuntos mais importantes a tratar. - Shisui bradou com a voz fria, querendo cortar o assunto e a atenção de seu omega. Rolei os olhos internamente, estava tão na cara que ele já havia se acostumado a estar marcado ao platinado. - A aliança com o país da Terra foi um sucesso.

- Chegamos a tempo de impedir que os Uzumakis chegassem ao deserto e formassem um acordo com Suna. O próprio rei do país do vento em pessoa estava indo até Rasa, querendo negociar uma possível batalhar contra nós. - Meus olhos encarava seriamente meu pai e logo indiquei o Sabaku com uma de minhas mãos, fazendo meu pai desviar os olhos para o ruivo. - Ele enviou um de seus filhos como uma das maiores provas de sua fidelidade e confiança em nossa aliança.

- Onde está o meu pai, senhor? - Obito perguntou com educação e respeito enquanto olhava para todos os lados, não ligando que havia cortado um assunto importante, e estranhamente a tensão aumentou no cômodo.

- Tio? - Shisui o chamou e eu arqueei uma sobrancelha ao ver uma sombra de remorso e temor passar pelos olhos negros do mais velho, Itachi estremeceu ao meu lado e fungou fazendo a preocupação palpitar ainda mais em meu peito.

- Eu decidi enviá-lo a fronteira do país da água três dias depois que vocês saíram em viagem. Orochimaru e Tobirama o seguiram, como eu ordenei, porém nós não temos mais notícias deles a mais de uma semana. - Meu pai soltou de uma vez, deixando todos nós chocados e preocupados e vejo Itachi chorar ainda mais ao meu lado.

- Merda. Por que os enviou, meu pai? - Pergunto irritado vendo os omegas presentes se encolherem ao meu tom de dominância, suspirei tentando me controlar, mas a raiva que sentia por meu progenitor era enorme.

- F-filho, nós precisamos de aliados. - Ouço a voz falha da minha mãe e acabei lhe lançando um olhar frio, se ela havia concordado com a ideia absurda do meu pai também era culpada.

- E por que diabos não esperaram o nosso retorno? Que inferno!!! - Obito gritou socando a mesa com força, a partindo ao meio. Naruto e Itachi gemeram baixinho ao sentir a presença dominante e ameaçadora do alfa lúpus e minha mãe se encolheu juntamente com o omega albino.

- Omegas, saiam daqui. - Meu pai ordenou, temeroso que algo de ruim acontecesse aos menores ao sentir a aura de muitos alfas lúpus ao mesmo tempo, vi como os quatro se levantaram apressadamente e correram em direção a saída, tentando fugir o mais rápido possível.

- Merda, merda, merda. - Shisui murmura completamente abalado e leva as duas mãos aos cabelos, os agarrando com força e os puxando.

- Meu pai pode estar morto agora… Pelos deuses,precisamos parti logo em busca deles. - Obito cochichou em desespero, completamente atordoado.

- Porra. - Grunhi sem saber o que fazer, meu próprio coração parecia querer pular pela boca, se todos não se acalmarem iríamos entrar em colapso.

A porta foi aberta bruscamente naquele momento, e um beta adentrou rapidamente o local, se encolhendo em seguida ao sentir a tensão no local.

- O que quer? - Meu pai indagou, ainda em desespero.

- Recebemos uma carta do país da água, majestade. - O beta loiro respondeu de cabeça baixa e com a voz trêmula, fazendo tanto eu quanto meus primos arregalar os olhos

- O que estava escrito? - Perguntei temeroso e sentindo um nó em minha garganta.

- Uma ameaça... Se mais algum Uchiha pisar nas terras do país da água será igualmente morto, sem piedade. - Falou nos encarando com medo e eu sinto minha respiração falhar. Minhas pernas fraquejaram e eu acabo caindo na cadeira atrás de mim, olhando para o chão totalmente absorto em meus pensamentos.

- I-igualmente m-morto? - Obito perguntou baixinho ao meu lado. Um bufar irritado cortou o silêncio incômodo que tomou a sala e eu desviei os olhos para o príncipe Sabaku, só agora o notando ainda ali.

- O que quer dizer? - O ruivo perguntou ríspido enquanto encarava o beta, que ofegou e abaixou a cabeça.

- P-parece que eles eliminaram os homens que o senhor enviou, meu rei. - O beta respondeu de uma vez. Deixando a todos em choque.

Merda!

Agora não havia mais dúvidas.

O país da água também era nosso inimigo.

A situação estava cada vez pior.

Obito urrou ao meu lado e caiu de joelhos. Seu grito ecoou pelo cômodo e logo as lágrimas tomaram sua face enquanto ele socava o chão com violência. Arregalei os olhos sentindo uma súbita vontade de chorar. Shisui se mantinha paralisado, incrédulo.

- M-meu pai, meu p-pai. - Obito gemia atordoado e vi o momento em que o Sabaku se aproximou dele lentamente, tentando confortá-lo e foi puxado violentamente pelo maior, para um abraço desajeitado e doloroso.

Shisui continuava imóvel, assim como meu pai e eu.

- E-estão todos mortos. - Meu pai sussurrou para si mesmo, também se deixando cair no chão, arrasado.

Um engasgar cortou o silêncio e todos encaramos Shisui, que tinha um olhar determinado e nos encarava com expectativa. Respirei fundo, esse não era o melhor momento de me entregar ao desespero.

- O que foi? - Perguntei lhe encarando, em seguida acenei para o beta que ainda continuava estático na entrada. Ele se curvou e se retirou.

- Algo está errado...

- O que? - Gaara quem perguntou dessa vez e eu lhe encarei rapidamente, vendo que ele tinha o rosto de Obito em seu pescoço, enquanto o maior o abraçava com força.

- Itachi está bem… Apesar de tudo. Em outras palavras, isso pode significar que...

- … Orochimaru ainda está vivo... - O cortei, assombrado.

Uma pontada de esperança se alastrou em meu peito.

Talvez.

Apenas talvez.

Nem tudo esteja realmente perdido.


Notas Finais


TRETAAAAAAA 💙💙💙💙💙💙💙💙

MADARA E OROGIMARU MORRERAM?

Obrigado a todos os comentários e favoritos 😍😍😍😍

Kissuss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...