1. Spirit Fanfics >
  2. Esperança Colorida! ( Jack Risonho ) >
  3. A Terapia. ( 2 Parte - Final )

História Esperança Colorida! ( Jack Risonho ) - Capítulo 5


Escrita por: JeonSooKyung

Notas do Autor


Voltei!!!

📚 Leiam o capítulo anterior para que entendam melhor. 📚

Boa Leitura e Espero que Gostem.💞

Capítulo 5 - A Terapia. ( 2 Parte - Final )


Fanfic / Fanfiction Esperança Colorida! ( Jack Risonho ) - Capítulo 5 - A Terapia. ( 2 Parte - Final )

CAPÍTULO: 05

- A TERAPIA. ( 2 PARTE - FINAL )

Sinceramente, pensei que o Jack Risonho estava com palhaçada com a minha cara, mas não estava, a Psiquiatra apareceu realmente. Meus pais tiveram de sair a trabalho, me deixaram sozinha com a psiquiatra e o Palhaço sem cor.

...

Psiquiatra: Então você é a Rosella? - A mesma vêm até minha cama com um sorriso amistoso no rosto.

-- É. Sou sim. - Falo bem desconfortável.

Quando a psiquiatra se sentou ao meu lado o Jack Risonho apareceu, o mesmo ficou olhando pra moça bem encomodado com a presença dela.

Jack Risonho: Não quero ela aqui com a gente, expulse-a agora mesmo! - Fala autoritário. O mesmo ficou logo, atrás da psiquiatra, sentir um arrepio ao pensar que ele podia fazer algo de ruim para ela e eu ser a culpada no final.

Psiquiatra: Rosella? Você está me ouvindo? - Ela bate palmas, querendo minha atenção.

-- Oi?! Sim... ouvir sim. - Volto a realidade bem mais desconfortável que antes.

Psiquiatra: Uh. Vim até a sua casa porque aqui parece ser um lugar calmo.

Jack Risonho: Se ela soubesse. - Fala revirando o rosto.

Psiquiatra: Sua Mãe também me disse que você anda meio... nervosa, falando com o que não existe...

Jack Risonho: "Que não existe"?! Cachorra intrometida e mal-educada! - Fala entre dentes.

-- Não fale assim com ela! - Falo olhando calma pro Jack.

Psiquiatra: Ahm?

Jack Risonho: Você deve falar isso pra ela, sua retardada!

-- Não sou retardada! - Fico de pé totalmente aborrecida com os xingamentos sem preciso do Jack. -- Porquê não some daqui!?

Psiquiatra: O que!? - A psiquiatra ficou de pé me olhando um pouco assustada com o meu comportamento fora do normal.

-- Não! ... Desculpe... eu estou falando com... - Paro de falar quando me lembro que ninguém podia ver o Jack Risonho, além de mim. Fico cabisbaixa e solto um leve suspiro.

Psiquiatra: Rosella, você não está conseguindo me falar o que há de errado com você, por qual motivo? - Ela fica de pé e eu me afasto um pouco dela, indo pra direita, perto da porta.

...

-- E se eu te disser que... eu tenho um... - Sou interrompida quando vejo o Jack Risonho jogar a sua própria caixinha de música na minha direção. A força com que ele arremessou aquela caixinha em mim foi inexplicável, conseguir cair no chão fortemente, e na queda eu bati minha cabeça no chão.

Jack Risonho: Não pode contar pra ninguém que você tem um novo amigo meu amor, esqueci de te alertar foi!? - Ele sorrir feito um maluco psicológico.

Quando penso em me levantar eu já vejo a Psiquiatra ao meu lado, me olhando bem preocupada. -- Meu deus Rosella! Se machucou? - Ela pergunta enquanto me ajudava a ficar de pé.

Já de pé eu coloco minha mão atrás da cabeça, onde doía muito! -- Estou sim. ... Aii! ... Só... - Sinto um líquido em meus dedos enquanto passava minha mão na cabeça, aí parei de falar, vejo o Jack atrás da psiquiatra me olhando com raiva.

Vejo também as garras nos dedos do Jack Risonho, a Psiquiatra começou a olhar confusa para mim ao me ver (quase paralisada), quando vejo o Jack chegando a tocar na psiquiatra, eu...

-- Ah...! - Soltou um leve grito ao vê-lo quase ferindo a psiquiatra com suas garras ( fatais ). Calo minha boca com minhas mãos.

Psiquiatra: O-... o que houve? - A psiquiatra olha pra trás já nervosa também.

( Autora: Pelo que analisamos até aqui, a Psiquiatra vai sair da casa MUITO MAIS maluca que a sua paciente! Kkkk )

-- Nada! - Pego na mão da psiquiatra e ela me olha. -- E-...eu acho que vi um rato, só isso! - Tento sorrir calma mais não consigo. -- Acho melhor remarcar-mos essa terapia maluca, eu não tô me sentindo bem.

Psiquiatra: Ok... Remarcar-mos então. Tenho um remédio pra você, sua Mãe que comprou e me pediu pra entregar para ti. - Da sua bolsa ela tira o remédio, pelo formato da caixa do medicamento, esse remédio era líquido.

Pego o remédio em mãos e faço uma confirmação com a cabeça. Acompanho a moça até a porta, ( só pra não ficar naquele quarto sozinha com o Jack Risonho. )

...

Psiquiatra: Vou falar com sua Mãe, você mesma pode me dizer um dia adequado para outra consulta.

" -- Só no dia que eu morrer! "

-- Claro. - Coloco um sorriso falso no rosto e fecho a porta. -- Vai consultar a tua Mãe! - Resmungo.

...

Pego o remédio novamente em mãos. -- Isso não parece o que minha Mãe costumava me dar. - Falo baixo. Depois tento me lembrar do remédio original, mas não conseguir lembrar-me.

...

Jack Risonho: Me der isso! - Olho pra esquerda e vejo o Jack a me olhar sério. Ele estendeu sua mão para mim, querendo o meu medicamento.

-- Não. Eu preciso tomar isso, minha Mãe vai me matar se por acaso eu não tomar...

Jack Risonho: Sério? - Ele me olha surpreso. -- Poxa, que coisa. ... Me desculpa... - Ele suspira. -- Só vou pedir mais uma vez, me der isso! - Falou entre dentes, quase grunhido.

Acabei fazendo o que ele disse. Ele abriu o frasco do medicamento e cheirou o líquido de dentro.

Jack solta um riso nasal e tampa o frasco. -- Isso ia te deixar maluca. - Terminando de falar isso, ele arremessa o remédio na parede ao nosso lado.

Vejo ele aparecer ao meu lado, fiquei parada enquanto ele ia para trás de mim...

Jack Risonho: Cortou muito? Não parece ter sido nada grave. Infelizmente. - Ele abre meus cabelos na procura do meu ferimento que foi causado justamente por ele, quando ele jogou a caixinha de música em mim.

...

-- Aiii! ISSO DÓI! - Reclamo com a mão no local certo do machucado. Meu grito inesperado fez o mesmo soltar meus cabelos.

Jack Risonho: Que susto da p&ste Vadia! - Exclama irritado.

-- Se olha no espelho. - Olho pra ele já um pouco longe do mesmo.

Jack Risonho: O quê? - Sem tempo pra responder, eu vejo meu pai entrando pela porta.

Pai: Oi filha, sua Mãe já te ligou? - Ele chega perto de mim com compras em mãos.

-- N-não. Porque?

Pai: Nada, ela só disse que ia te ligar pra saber como você está. - Ele passa por mim indo até o centro da sala.

-- Eu não vi mais o meu celular... - Coloca minhas mãos nos bolsos do meu short, mais meu celular não estava lá.

Jack Risonho: Eu me livrei dele!

-- O quê?!

Pai: Uh?

Jack Risonho: Ele fazia muito barulho, e tecnologia faz mal ao aprendizado! - Ele sorrir de canto.

-- O que faz mal e ficar perto de você! Eu tinha arquivos importantes lá, Jack eu não acredito que você fez isso! - Estava espumando de raiva, logo engulo em seco a raiva e tanto me acalmar.

Jack Risonho: Minha casa, minhas regras! - Ele me olha sério e logo some de lá da sala.

...

Pai: Ella, a sua psiquiatra veio consulta-lá? - Meu pai me olha preocupado.

-- EU NÃO TÔ LOUCA! - Grito e saio de casa totalmente estressada pelo meu celular.

[...]

                     [ Continua...??? ]


Notas Finais


- Ficar estressada pelo celular é normal? Kkkkk Quando o assunto é comigo, eu entro em momento de TPM! KKKK

Mais o que acharam?

Devo continuar????

...// Até a próxima.💞 \\...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...