História Espírito Indomável - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Chichi, Goku
Tags Chichi, Goku, Maldição
Visualizações 219
Palavras 1.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente! Depois de uma noite tórrida de amor, o que será que Goku irá fazer em relação ao Lorde?

Capítulo 39 - Capítulo Trinta e Nove


Goku acordou primeiro com a forte ferroada em suas costas. Ele tentou se mover apenas para encontrar uma mulher meio esparramada sobre ele. A segunda descoberta fez a primeira ser mais suportável. Ele levantou uma mecha de cabelo do rosto de Chichi e o colocou para trás. Um sorriso sensual curvou os lábios dela enquanto dormia. Goku a queria novamente imediatamente. Então lhe ocorreu que ela tinha se rendido a ele, e a compreensão o fez olhar para dentro.

Ele não se sentia nem um pouco diferente de ontem. Olhando para Chichi, ele admitiu que não era verdade. A fera ainda vivia dentro dele, mas também vivam sentimentos de paixão e carinho por Chichi que estavam mais fortes do que no dia anterior. Sim, ele tivera mulheres no passado, muitas mulheres, mas nenhuma como ela.

Nenhuma o fizera se sentir como ela o fizera noite passada. Como se fosse a sua primeira vez com uma mulher. Não precisava de bebida para acabar com a dor de sua solidão ou imaginar, quando sóbrio, se ela o quereria sem o magnetismo animal que seu cheiro liberava.

Ela não quis o seu cheiro.  Ela quis a ele. E sem a bebida para entorpecer seus sentidos ele a quis, mas do que a qualquer mulher antes de ela entrar em sua vida. Apenas Chichi o fez verdadeiramente sentir como se pertencesse. E talvez fosse apenas um sentimento de pertencer a ela. Mas era algo de que ele se esquivara durante toda sua vida.

-- No que está pensando?

Ele olhou para baixo e a viu olhando para ele. Goku passou seu dedo pelo ombro macio dela – Estou imaginando se minhas costas protestarão muito se eu fizer amor com você novamente essa manhã.

-- Mais do que suas costas irão protestar – ela disse – O que você fez com meu corpo? – ela tentou se mover e gemeu.

-- Não tanto quanto eu gostaria de ter feito – ele respondeu, beijando-a no alto da cabeça.

-- Talvez depois de eu tomar um longo banho e cuidar de suas costas, nós poderemos conversar sobre isso novamente.

Ele suspirou.

-- Tudo bem. Temos outros assuntos para tratar também essa manhã.

Os olhos deles se encontraram. Como ele, ele supôs, ela também agradeceu a oportunidade de não pensar sobre a noite passada e o atual dilema deles. Goku havia matado um homem. Que soubesse, seu primeiro. Mas não fora ele quem rasgara a garganta do homem. A fera o havia feito, mas o homem teria agido de forma diferente se Chichi estivesse sendo ameaçada? Não. Ela não acreditava nisso.

-- Preciso ver Gohan – ela sussurrou de súbito – Preciso abraçá-lo.

Goku liberou o peso dela de cima dele, admirado por sentir a pele quente e macia dela, então se levantou da cama. Ele foi até o guarda –roupa, pegou calças limpas  e as vestiu. Pelo bem de Chichi, ele tentou não se contrair cada vez que seus movimentos puxassem as chicotadas em suas costas. Colocar a camisa foi uma tortura pura. Engraçado, ele não se lembrava de suas costas o incomodarem tanto noite passada.

-- Eu vou buscá-lo – ele disse – Fique aí.

Chichi puxou as cobertas para cima e as colocou debaixo dos braços. Ela parecia muito tentadora esperando em sua cama. Quase muito tentadora para se resistir, mas ele devia ter cuidado não apenas  com seus próprios ferimentos, mas também com as exigências que já fizera sobre ela por toda noite. Mais tarde, ele se prometeu.

A ama de Gohan sempre o olhava de modo nervoso  quando Goku entrava no quarto. Logo eles não precisariam mais dela. Gohan estava crescendo e um pouco de cereais e a transferência para leite de cabra estava em seu futuro próximo.

-- A lady deseja que eu leve seu filho – Goku explicou para Mary. A mulher acenou com a cabeça e ficou fora do caminho. Goku caminhou até o berço e sorriu para o garoto. Ao ver Goku ele sorriu seu sorriso sem dentes.

-- Olá, homenzinho – Goku disse, então se aproximou e o tirou do berço. O surpreendeu o quão natural se sentia agora enquanto carregava Gohan. E como alguém tão pequeno pudesse puxar tão fortemente as cordas de seu coração – Sua mãe deseja dar uma palavrinha com você – ele disse a Gohan, carregando-o para fora do quarto de criança na direção do próprio quarto.

Chichi estava com os braços estendidos antes mesmo de ele chegar perto da cama.

-- Dê ele para mim.

Gohan deu um pequeno grito de excitação ao ver a mãe. Goku não podia culpar o menino. Ele entregou Gohan para Chichi, observando enquanto ela trazia o bebê para perto e espalhava beijos por todo o rostinho.

-- Ah, ser jovem novamente – Goku disse, sorrindo para ela quando ela voltou o olhar para ele.

Ela riu. Era delicioso. Seus pensamentos obscuros não podiam ser mais evitados e ele se sentou sobre a cama, observando Chichi brincar com Gohan.

-- Não podemos lidar com Lorde Daimaoh aqui em Londres – ele disse – Ele é muito bem protegido.

Os pequenos dedos de Gohan se curvaram sobre o dedo dela, ela olhou para cima para Goku.

-- Devemos fugir?

-- Não gosto de pensar nisso como uma fuga, mas como um modo de atraí-lo para longe.

-- Para onde? – ela perguntou – Para a residência de campo?

Ele sacudiu a cabeça.

-- Não levarei esse assunto até Raditz e Tights.

-- Mas ele é seu irmão – ela argumentou – Ele pode nos ajudar.

-- E nós podemos muito bem fazer cm que seja morto também – ele explicou – Além disso, a maldição cairá sobre mim logo. Ele não sabe. Prefiro que não saiba, pelo menos agora.

-- Isso tem a ver com seu orgulho? – ela perguntou.

Era uma boa pergunta, e Goku pensou muito e com cuidado  antes de responder – Você e Gohan são minha responsabilidade, Chichi. Preciso que confie em mim. Preciso que você tenha fé em mim, para que eu possa ter fé em mim mesmo.

Ela olhou para baixo para seu filho. Goku precisava que ela confiasse nele tão desesperadamente. Que acreditasse nele. Mas como ela poderia quando a vida dela e de seu filho estavam em perigo?

Quando olhou novamente para ele, seus olhos se suavizavam – Tudo bem, Goku. Eu vou confiar em você. Juntos nós conseguiremos montar um plano.

 

                                 *****************

 

Depois que Chichi tomou um longo banho e dormiu um pouco, ela voltou ao quarto de Goku com agulha e linha.

-- Enquanto discutimos sobre planos, vou costurar suas costas – ela disse – Senão temo que esses cortes nunca cicatrizarão,

Ela notou que a banheira dele ainda estava no centro do quarto. Os cabelos dele estavam úmidos e ele obviamente removera as faixas antes do banho, já que seu peito estava nu. Seu coração saltou ao vê-lo. Seus pensamentos não estavam alinhados com a continua cura dele. Chichi subiu na cama e bateu com as mãos no colchão – Sente-se aqui.

-- Se você me quiser na cama novamente tudo o que precisa fazer é pedir, Chichi – ele provocou.

-- Agora, chega de besteira – ela ralhou, mas não conseguiu esconder o sorriso. Ele se sentou e ela parou de sorrir. Os feios cortes gotejavam sangue – Você já levou pontos antes? – ela perguntou.

-- Não que me recorde – ele respondeu – Mas há uma grande parte de minha vida de que não me lembro nesses anos que passaram.

-- Vai doer – ela o avisou,

-- Penso que seria melhor mentir para seus pacientes em situações como essa – ele sugeriu.

Ela sorriu novamente.

-- Tudo bem, não vai doer nada.

-- Tarde demais – ele resmungou.

Chichi havia escolhido sua menor agulha, ela esperava fazer com que as cicatrizes ficassem menos perceptíveis, mas seria necessário usar de mais força para passá-la entre a pele. Ela respirou fundo e começou.

-- Podemos discutir nosso plano agora – ela disse – Ajudará a desviar sua mente do que estou fazendo.

-- Meu plano é atrair Lorde Daimaoh para longe de Londres e matá-lo – ele disse de forma sucinta.


Notas Finais


Então, esse é o plano..
Beijos e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...