História Esquecendo o passado - Capítulo 6


Escrita por: e Liz_MBWeasley

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alastor Moody, Alice Longbottom, Andromeda Tonks, Arthur Weasley, Bellatrix Lestrange, Franco Longbottom, Lílian Evans, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Nymphadora Tonks, Pedro Pettigrew, Regulus Black, Remo Lupin, Rodolfo Lestrange, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Harry Potter, Marotos, Severo Snape
Visualizações 49
Palavras 1.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais cap, espero que gostem! Eu revisei, e realmente espero estar com tudo certo kkkkk. /Liz

Capítulo 6 - Um fim de semana nada agitado


POV. Mary

A semana passou rápido. Durante esse tempo eu e Alice ficamos mais próximas. Lily e Marlene sempre conversavam comigo, mas não era a mesma coisa. Eu e Audrew também criamos um vínculo maior, a nossa amizade era sempre: Ficar mais de 2 horas por semana na biblioteca com ele copiando as tarefas e conversando. Mas claro, com as amizades também vieram as inimizades. E com certeza a primeira era com os marotos. O principal motivo é por que, pode não ser todo dia, mas eles sempre irritam Severus! E por isso eu os odeio. Menos Remus Lupin, ele eu suporto, por que é o único que consigo ter uma conversa normal sem que ocorra um insulto a Severus.

Era sábado a tarde, estavamos reunidos no salão da Sonserina, Alice tinha saído antes para encontrar Frank, e estavamos fazendo belos nadas. Os passeios em Hogsmeade só começavam nos próximos meses. Drew fez o favor de pegar um gripe ontem mesmo, e Madame Pomfrey o proibiu de sair do castelo, e com isso eu e Sev prometemos ficar com ele. Mas foi a pior escolha, porque, se não estivessemos de baba, poderiamos sair e nos divertir lá fora, mas não, tive que ter essa ideia genial:

—Maaaaaryyyyy. -Drew me chamou, ah, esqueci de avisar, ele também está nos fazendo de mordomos, essa deve ser a décima vez que ele me chama.

—Que é? -Perguntei, já sem paciência.

—Pode me buscar um lanche na cozinha? -Ele me perguntou tentando fazer uma carinha fofa.

—Eu só vou porque vou poder sair um pouco. -Disse me levantando. -Quer vir junto, Severus? -Ele se levantou rapidamente, também querendo se livrar dos serviços que Drew pedia.

—Ah, isso é injusto! Se ele sair vou ficar sem ninguém!

—Pena! -Gritei já na saída, querendo demorar o máximo possível nesse percurso.

Durante o caminho fomos conversando, víamos uns alunos juntos, outros conversando, estudando, nada fora do normal. Quando chegamos na cozinha mandei alguns elfos prepararem um lanche para levarmos, e outro para comermos ali mesmo. Nos sentamos em uma mesa e voltamos a conversar:

—Mary, eu gostaria de te perguntar algo. -Severus comentou sério. -Eu realmente estou pensando em me tornar um comensal. -A notícia não me abalou, nem me assustou, já esperava. Severus comentava bastante nesse assunto, mas ele continuou. -E eu queria saber se você também. -Aquilo sim me chocou. Eu não pensara nisso, mesmo meus pais sendo comensais, aquilo não parecia algo meu, que eu seguiria.

—Eu não sei Severus, eu não pensei nisso. -Disse com simplicidade.

—Mas seus pais não são? Temos que nos juntar. É o melhor, você mesmo disse que achava correto oque Lord Voldemort dizia. -Ele parecia não entender a minha resposta, mas quem entenderia? Ele estava certo, me juntar aos comensais era meu final.

—Eu sei, eu sei, você está certo, eu só não tinha pensado nisso, só isso. Mas você esta certo. -Eu disse colocando minha cabeça em seu ombro, como sempre fazia. -Quando acabarmos Hogwarts nós nos juntamos, juntos.

Quando os lanches ficaram prontos comemos o nosso levamos até a Sonserina o de Drew, lá conversamos ainda mais, e acabamos resolvendo jogar xadrez, pois tinhamos acabado as tarefas, pelo menos eu e Sev, Drew copiou das nossas.

Não sei quando cai no sono, eu estava realmente cansada, mas não queria subir, então acabei dormindo em algum lugar no salão mesmo. Acordei com alguém mechendo meu braço levemente:

-Mary, não acha melhor dormir no quarto?

Não identifiquei quem era no primeiro momento, com mão fechada esfreguei meus olhos para tentar ver melhor, então vi que quem me acordara fora Severus. Então eu notei que acabei dormindo em seu colo. Me levantei meio sem jeito, olhei para o lado e vi que Audrew não estava mais ali:

—Ele subiu faz um tempo, acabei ficando com dó de acordar você, parecia estar tão bem ali. -Ele parecia tão sem jeito quanto eu, eramos amigos mas, não sei explicar direito.

—Tudo bem, vou ir deitar, até amanhã. -Me despedi levantando rapidamente e beijando seu rosto levemente.

Enquanto subi as escadas vi alguém sair correndo de umas das colunas que dividia os quartos, mas não segui para ver quem era, estava realmente cansada e necessitava dormir, então subi o resto do percurso sem me importar com mais nada, nem mesmo liguei por ainda estar de roupa, se fosse em casa minha mãe já teria brigado comigo, mas ela estava bem longe, igual minha cabeça durante o resto da noite.

*--*--*--*--*

Eu estava novamente na casa dos Malfoy, mas dessa vez parecia que era uma reunião, não um baile. Todos estavam em uma mesa conversando, mas não conseguia escutar quase nada, era baixo demais os tons de voz das pessoas.

De repente Severus entra pela porta e vai direto a um homem que vestia vestes negras, e que sentava na ponta, como se fosse o mais importante de todos. Sev se agachou e fala algo ao homem, mas novamente não consigo escutar. Isso estava me deixando realmente frustada, só podia observar as cenas.

Então tudo muda, as mesmas pessoas estavam no mesmo lugar, mas dessa vez debatendo algo, então alguém levanta a mão. Não reconheci de primeira, mas então vi que era meu pai. Ele disse algo que irritou profundamente o homem da ponta, e uma mulher, que vi ser minha mãe, parecia concordar com papai. Então o homem da ponta puxa a varinha e parece os dar duas chances, meus pais negam, e uma luz verde surge da varinha do homem. Quando olhei para meus pais novamente, tomei um susto, eles estavam mortos.

*--*--*--*--*

Acordei ofegante. Tudo fora um sonho, só um sonho, mas era tão real. Parecia que tinha acontecido, ou então que aconteceria! Mas não podia ser, meus pais concordavam com Lord Voldemort, e tinham cabeça o suficiente para não negar algo do Lord.

Depois de um tempo me acalmando fui ver que horas eram. 5:27. Se fosse qualquer dia eu voltaria a dormir, mas ainda estava assustada com o pesadelo, então só troquei de roupa, uma blusa branca simples e calça verde claro e um tênis prata, peguei um livro e desci para o salão.

Ao chegar embaixo encontrei Audrew, que me chamou para sentar. Ele estava na poltrona, lendo alguma revista bruxa estranha que só ele lia, então me sentei entre suas pernas no chão e comecei a ler meu livro.

Quando tomei coragem contei a ele meu pesadelo, Drew me acalmou dizendo que era só um sonho, que não podia ser real, mas ainda assim, algo em meu íntimo dizia para me preocupar.

Com o passar do tempo Severus chegou e nos chamou para dar uma volta nos jardins, já que o tempo de repouso de Drew já tinha passado. Me levantei e fui guardar meu livro, ao chegar no quarto não encontrei nenhuma das meninas, que presumi estarem em algum armário de vassouras com algum garoto ou garota.

Quando descemos revolvemos sentar em uma árvore qualquer. Passou um tempo, os meninos estavam conversando, não sei o assunto, estava prestando toda a atenção no livro. Só sei que quando olhei para o lado dos dois não estavam mais lá.

Já estava quase saindo quando escuto passos indo em direção a árvore, e acabo ficando um pouco mais. Quando os passos cessaram alguém começou a falar:

—Eu não acredito no que vi! Você e a Ruiva conversando! O que aconteceu que você não nos contou Prongs? -Não faço a menor ideia de quem era, e se fosse ver não poderia escutar o resto da conversa.

—Nós só estavamos falando sobre as férias. -O tal de Prongs respondeu.

—Como assim? Ela não te odiava? -Um garoto que até então não tinha dito nada perguntou.

—Eu mudei, não estou mais a irritando nem chamanfo para sair, e bom, com o Ranhoso é um caso a parte. Mas eles não mais amigos então...

—Você ainda vai nos explicar direito o que aconteceu.

Eles continuaram a conversar, mas não prestei atenção. Tive que esperar até os garotos irem embora, já que se eles me vissem iam descobrir que os escutei.

Quando finalmente consegui me levantar fui direto jantar, lá encontrei Drew e Sev já comendo. Conversamos um pouco mais antes de ir deitar. Não contei sobre a conversa que escutei, afinal, não era nada demais. Chegando no quarto me arrumei e coloquei todo o material pronto para amanhã. Então fui me deitar, mas acabei demorando um pouco mais que o normal, relembrando o pesadelo de antes. Mas Audrew estava certo. Era só um sonho, nada demais.


Notas Finais


Eai?

O que sera esse pesadelo da Mary?

Sera que Audrew esta realmente certo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...