História Esquecida - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Stray Kids
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Lee Felix, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Festa, Hentai, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Lee Felix, Park Jimin, Stray Kids
Visualizações 63
Palavras 2.674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu voltei, ebaaaa!!! Por que estou comemorando se ninguém sentiu minha falta?
Bom, o capítulo vai ser longo para compensar o tempo que eu fiquei sem escrever.
Vamos parar de enrolação e partir logo pro capítulo. Boa leitura a tds.

Capítulo 15 - Não pode ser


  - O que vamos fazer primeiro? – Olívia perguntou com um grande sorriso no rosto. – Que tal comprarmos umas roupas?

  - Podemos comprar roupas no final do dia. – Digo e o sorriso dela desapareceu. – Que tal irmos ao cinema?

  - Pode ser. Mas será que esta passando um filme legal? – Olívia perguntou.

  - Deve tá passando vários filmes legais. – Felix falou . – Vamos lá no cinema e veremos os que estão passando. Que tal?

  - Pode ser. – Eu disse sorrindo.

  - Vamos então. – Olívia sorri e logo nós, os jovens, vamos em direção ao cinema, que ficava no terceiro andar desse shopping enorme.

    Fomos ate o elevador e logo que entramos no mesmo apertamos o botão do terceiro andar. Obvio que não demorou muito no elevador, e logo chegamos no terceiro andar. Fomos em direção ao cinema e lá ficamos olhando para os cartazes, na duvida sobre qual filme escolher.

  - Que tal Deadpool 2? – Felix perguntou apontando para o cartaz do filme.

  - Não! – Dissemos Olívia e eu ao mesmo tempo.

  - Por que não? O primeiro é bem legal, o segundo deve ser melhor ainda. Vamos assistir Deadpool 2 meninas, por favor. – Felix quase ficou de joelhos, implorando para assistirmos o filme que ele queria.

  - Não, Felix. – Eu disse cruzando os braços e olhando de forma seria para ele.

  - Tá. Vamos escolher outro então. – Felix disse colocando as mãos nos bolsos da calça.

  - Que tal 50 Tons De Liberdade? – Eu perguntei olhando para o cartaz do filme.

  - Você quer ver um filme em que um homem e uma mulher tem relações sexuais com sadomasoquismo no meio? – Felix perguntou cruzando os braços.

  - Sim. – Digo calma. – Por que? Tem algum eu gostar desse tipo de filme? – Eu fiz a voz que Felix tem medo, coloquei as mãos na cintura e fiz uma expressão séria.

  - Não. Problema nenhum. – Ele balança o dedo em forma de negação. – S-Sem pro-problemas você gostar de filmes assim, S/n... Pode ficar calma...

  - Ok. – Eu sorri e olhei para Olívia. – Você quer ver 50 Tons De Liberdade ou quer ver outro filme, Olívia?

  - Acho que outro. – Olívia disse e suspira.

  - E qual? – Perguntei olhando para os outros cartazes de filmes.

  - Que tal aquele ali? – Ela apontou para um cartaz.

    Esse cartaz era grande e tinha uma mulher nele. Acima da mulher estava escrito ‘Atómica’.

  - Parece ser legal. – Eu sorri fraco. – Que tal esse filme, Felix? – Perguntei olhando para o Felix.

  - Parece ser legal. – Disse Felix e balança a cabeça em forma positiva.

  - Bom, como nós três gostamos desse filme, vai ser ele. – Eu digo animada. – Quem vai comprar os ingressos e quem vai comprar as guloseimas?

  - Bom, como você e a Olívia gostam das mesmas coisas, eu e ela vamos comprar as guloseimas e você compra os ingressos. Pode ser? – Felix perguntou com um sorriso no rosto.

  - Por mim tudo bem. – Eu sorri. – Só vou avisando, se não comprarem jujubas e uma barra de chocolate eu mato vocês dois. A é, a jujuba e a barra de chocolate são minhas, se vocês quiserem esses doces, comprem pra vocês. – Digo antes de virar de costas para eles e ir em direção a fila para comprar os ingressos.

    Chego na grande fila pros ingressos e olhei em direção a Felix e Olívia. Os dois estavam um do lado do outro, conversando, rindo e dando belos sorrisos, os dois. Eles formavam um lindo casal. Tão fofos juntos.

    Nesse momento, pensando no belo casal que Felix e Olívia formavam, me veio Jin na cabeça. Por que eu estou pensando naquele sem noção? Ele transou comigo e me tratou como uma ninguém no dia seguinte.

    Eu estou dando graças a Deus que esse foi o último ano na escola, e que depois dessas férias irei começar minha faculdade e nunca mais verei aquele... aquele... aquele cara lindo, perfeito, sexy, gostoso e... NÃO, S/N! Ele não é nada disso. Ele é um cara idiota que só quer saber de sexo.

    Uma pessoa falando “Próximo” me tirou de meus pensamentos. Andei ate o caixa livre.

  - Bom dia, senhorita. – Uma jovem disse para mim.

  - Bom dia. – Sorri para ela.

  - Vai ver qual filme? – Ela perguntou me olhando.

  - Que horas será a próxima sessão do filme ‘Atómica’?

  - Daqui pouco.

  - Eu gostaria de três entradas para esse filme, por favor. – Digo pegando minha carteira.

  - Ok... Três entradas para o filme ‘Atómica’... – Demorou uns poucos segundos e ela logo me entregou as entradas e eu paguei. – Obrigada e bom filme. – Ela disse sorrindo.

  - Obrigada. – Digo antes de ir ao encontro do “casalzinho” Felix e Olívia, que ainda estavam na fila dos lanches. – Nossa, que demora em.

  - Agora que é a nossa vez. – Felix disse e logo o atendente pergunta o nosso pedido.

    Fizemos nossos pedidos e logo fomos para a entrada da nossa sessão. Demorou cerca de cinco minutos e as pessoas da sessão anterior estavam saindo da sala e nós entramos. Sentamos nas poltronas do meio. Eu fiz questão de fazer a Olívia sentar ao lado do Felix.

    Nos acomodamos nas poltronas e o filme começou.

 

     ---Depois do filme---

 

    Saímos do cinema e fomos ao parque que havia no shopping.

  - Vamos em qual brinquedo primeiro? – Perguntei logo que compramos nossas fichas.

  - Bom, eu comprei quase cinquenta dólares de fichas. – Felix disse mostrando uma sacola cheia de fichas. – Vamos dividir igualmente e cada um vai no brinquedo que quiser. Pode ser assim?

  - Pode sim. – Olívia e eu falamos e sorrimos. – Mas primeiro vamos em uns brinquedos juntos? – Eu perguntei.

  - Pode ser, mas em quais? – Felix perguntou.

  - Vamos nos carrinhos bate-bate? – Eu perguntei animada.

  - Pode ser. Faz muito tempo que eu não vou nesse brinquedo. – Olívia disse com um grande sorriso no rosto. – E o que você acha, Felix? Pode ser esse para você?

  - Pode sim. – Felix disse sorrindo, logo nós três vamos em direção ao brinquedo. – Vai ser todos em carros diferentes?

  - Que tal você e a Olívia contra eu? – Falei com um sorriso que só o Felix entendeu. Meu sorriso dizia “aceite ou eu te mato”.

  - É, pra mim tudo bem. E pra você Olívia? – Perguntou Felix olhando para Olívia.

  - O-o que? – Olívia gaguejou e eu segurei o riso.

  - O que você acha da ideia da S/n? – Felix disse e segurou na mão dela.

  - E-e qual f-foi a ideia dessa vaca? – Olívia disse me olhando com um pouco de raiva.

  - Irmos eu e você contra ela. – Felix disse com um grande sorriso no rosto.

  - Tipo... Tipo eu e você no mesmo carrinho e ela em um carrinho diferente? – Olívia perguntou e Felix concordou com a cabeça. – É, pode ser. – Ela sorri fraco.

  - Vamos logo. – Segurei na mão dos dois e os puxei em direção ao brinquedo.

    Como tem que pagar por pessoa, entregamos três fichas ao responsável pelo brinquedo. Eu fui no carrinho de cor verde e o Felix e a Olívia no de cor vermelha. Antes de começarmos a brincar, mais seis pessoas entraram no brinquedo, e cada um ficou com um carrinho diferente.

    No momento que a brincadeira começou, Felix e Olívia partiram para cima de mim. Eles bateram com força que eu quase bati minha cabeça no volante. Por vingança, quando eles estavam de costas, eu bati com tudo na traseira do carro deles. Eu fugi na hora e fui bater nos outros participantes da brincadeira.

    Depois de cinco minutos de bate aqui bate ali, nosso tempo no brinquedo acabou. Quando saímos dos carrinhos bate-bate, Felix me deu um leve empurrão e eu ri com isso.

  - Você vai me pagar por aquela pancada no começo. – Ele disse rindo.

  - E vocês dois vão me pagar pela batida do começo também. – Eu falei rindo e eles riram comigo.- Vamos em que brinquedo agora?

  - Que tal no de basquete? – Felix perguntou.

  - Vai você no de basquete. – Olívia disse e pegou a sacola de fichas. – Vamos logo dividir essas fichas igualmente. – Ela deu mais atenção a palavra ‘igualmente’.

    Felix e eu concordamos e nós três nos sentamos em um banquinho que tinha lá perto.

    Nós dividimos trinta fichas para cada. Felix foi para os brinquedos que agradavam a ele e eu e Olívia fomos para os que nos agradavam.

  - Por que você deu a ideia de me deixar ficar ao lado do Felix no carrinho bate-bate? – Olívia me perguntou quando chegamos nos brinquedos de tiro ao alvo.

  - Porque você gosta dele. – Eu disse normal.

  - Sim, eu gosto dele, amo ele. Mas isso não é motivo de me colocar ao lado dele. – Ela disse e parecia zangada.

  - Mas pelo que vi na hora que brincávamos, você estava bem feliz ao lado dele. – Eu sorri vitoriosa para ela e ela sorriu tímida e suas bochechas ficaram vermelhas.

  - Tá, eu gostei. Obrigada, miga! – Ela me abraçou e eu retribui o abraço.

  - De nada, fofa. – Beijei a bochecha dela. – Agora vamos nos brinquedos para ganhar comida ou pelúcias super fofas? – Perguntei logo que separamos o abraço.

  - Pelúcias super fofas. Estou precisando de pelúcias, não tenho quase nenhuma. – Ela disse e eu olhei para ela e balancei a cabeça em negação.

  - Menina, teu quarto, pro lugar que olhamos, esta cheio de pelúcias gigantes e pequenas. Pra que quer mais?

  - Eu preciso de mais pelúcias. E eu não tenho tantas assim.

  - A não?!

  - Não. Eu só tenho quarenta e cinco pelúcias. – Ela disse normal e eu ri.

  - SÓ quarenta e cinco? – Perguntei ainda rindo.

  - Sim. E não vejo a graça nisso. – Ela disse normal.

  - Menina, já chega de pelúcias para você. – Segurei nos ombros dela e a balancei um pouco. – As que você ganhar você vai me dar.

  - Ah, por que? – Ela perguntou e fez beicinho.

  - Porque eu só tenho vinte e duas pelúcias.

  - Vamos fazer o seguinte. As pelúcias que eu ganhar eu te dou e as que ocê ganhar você me dá. – Ela sorri sugestiva.

  - Tá, sua chata. – Ela sorriu animada e logo me puxou para os brinquedos que tinham as mais fofas, e estranhas, pelúcias do mundo.

 

     ---Uma hora e meia depois---

 

    Depois de irmos em todos os brinquedos, ate nos de crianças, nossas fichas acabaram. Olívia e eu tivemos que pedir umas sacolas no parque, pois não dava para andar com todas aquelas pelúcias nos braços.

  - Vocês estão com fome? – Felix perguntou quando passamos perto da praça de alimentação.

  - Eu estou faminta. – Disse e minha barriga roncou.

  - Vamos comer então. – Olívia disse e logo fomos a praça de alimentação.

    Eu fui no Mc’Donalds e pedi um Mc’Lanche Feliz, pois o brinquedo era um pelúcia do ursinho pooh.

 

     ---Meia hora depois---

 

    Depois de lancharmos, fomos comprar umas roupas. Olívia só comprou um vestido, uma calça jeans e uma blusa preta. Felix só comprou uma calça e uma blusa. Já eu, eu comprei dois vestidos, três calças, dois shorts, cinco blusas, duas roupas de banho, uma sapatilha, um salto alto, um tênis, dois pares de brincos, um anel e uma pulseira que combinavam perfeitamente com todas as outras coisas que comprei. Ou seja, gastei quase todo meu dinheiro nessa loja, só sobraram quinhentos dólares.

  - Pra que tanta roupa, S/n? – Felix perguntou, enquanto segurava todas as sacolas que Olívia e eu levávamos segundos atrás.

  - Gosto de ter roupas novas no meu guarda roupa sempre que viajo. – Digo normal.

    Bom, estava tudo indo perfeito, nós três íamos tomar sorvete pra depois irmos para casa, mas ai, ai eu dei de cara com o ser que eu não queria ver nunca mais. Kim Seokjin esperando na fila do sorvete.

    Eu congelei onde eu estava. Não movi um musculo quando eu vi ele. A Olívia também ficou parada no momento em que viu ele. O Felix, que estava atrás de nós segurando todas as sacolas, não viu quando paramos e esbarrou em mim.

  - Opa! Desculpa, S/n. – Ele disse ficando do meu lado. – Por que pararam do nada.

  - Jin... Seokjin tomando sorvete na nossa frente. – Eu disse ainda sem acreditar no que via.

  - O que?! – Felix perguntou sem acreditar, e eu só tirei umas sacolas que tapavam sua visão e ele viu que o que eu falava era verdade. – Eu não acredito.

    Ficamos nós três ali, parados, como três estátuas com caras de idiotas, encarando Kim Seokjin. Foi quando aconteceu. Ele olhou na nossa direção. Ele arregalou os olhos e saiu da fila do sorvete correndo na nossa direção. Eu não conseguia me mexer. Fiquei ali parada ate ele chegar na minha frente.

  - S/n. – Jin disse logo que chegou. – Que bom te ver a... – Eu não deixei ele terminar de falar.

  - O que você esta fazendo aqui?! – Perguntei, fazendo uma expressão de raiva.

  - Eu vim visitar um primo. – Ele disse parecendo normal, mas eu estava com raiva de vê-lo ali.

  - Que mentira. Você esta me seguindo. – Digo realmente com muita raiva.

  - Por que eu te seguiria? – Ele perguntou cruzando os braços. – Eu vim mesmo visitar um primo.

  - Mentira. Eu te conheço e conheço toda sua família. O seu primo mais distante de você mora no Japão. – Eu cruzei os braços e ele pareceu um pouco surpreso.

  - É-é verdade. E-ele se mudou pra cá... – Ele gaguejava a cada palavra.

  - Então fale isso sem gaguejar e olhando nos meus olhos. – Digo seria.

  - Eu digo com todo prazer. – Ele repirou fundo e olhou nos meus olhos. – Eu... Vim... Visitar... Um... Pri-primo m-meu.

  - Viu só! Gaguejou. Esta mentindo. – Quando eu disse isso, me senti um pouco tonta. Enjoada pra falar a verdade.

  - Você esta bem, S/n? -  Olívia perguntou segurando no meu cotovelo.

  - E-eu estou um pouco... Enjoada... – Quando disse isso, cai sentada em um banco que tinha lá perto.

   S/n OFF

 

 Jin ON

 

    Quando a S/n caiu sentada eu me assustei.

  - Você esta bem, S/n? – Felix perguntou colocando as sacolas que ele segurava segundos antes no chão.

  - Estou. Acho que só me estressei muito falando com o merda do Jin. – Ela disse e colocou a mão na cabeça.

    Isso, não sei porque, mas me magoou. Escutar essas palavras dela me deixou triste, não sei porque.

  - Quer ir ao hospital? – Eu perguntei calmo.

  - Some da...  – Ela não terminou de falar pois caiu desacordada no colo da Olívia.

  - Meu Deus! – Olívia disse segurando a cabeça da S/n. – S/n! acorda amiga. Por favor... Para de graça. – Ela começou a chorar.

  - Vamos leva-la ao hospital. – Eu disse e peguei ela no colo.

  - Solta ela. – Felix falou ficando na minha frente.

  - Vocês tem carro para ir ao hospital? – Perguntei um pouco irritado.

  - Felix, vamos aproveitar que ele quer ajudar. – Olívia disse segurando no braço do Felix.

  - Só dessa vez. – Felix falou. – Me ajuda a pegar essas sacolas então, Olívia.

    Os dois pegaram as sacolas que estavam no chão. Logo nós três corremos em direção ao elevador. Apertei o botão do subsolo, onde era o estacionamento. Logo que chegamos lá saímos correndo do elevador e corremos em direção ao meu carro.

  - Pega a chave aqui no meu bolso, Felix. – Digo e o rapaz pega rapidamente. – Coloquem essas sacolas no porta-malas e vocês dois vão na frente que eu vou atrás com a S/n.

    Com certa dificuldade eles aceitaram e foram no banco da frente e eu no de trás. Quando todos nós estávamos de cinto, Felix saiu a toda velocidade do estacionamento e pegou estrada.

    Depois de quase dez minutos, chegamos no hospital. Felix deixou que eu e Olívia descermos na entrada do hospital enquanto ele estacionava o veículo. Entramos correndo. Uma enfermeira correu em nossa direção.

  - O que aconteceu? – A enfermeira perguntou preocupada.

  - Minha amiga desmaiou do nada no shopping. – Olívia disse.

    Logo uma maca chegou e eu deitei S/n na maca, que foi levada rapidamente ao pronto-socorro.

    Ah meu Deus! O que aconteceu com ela?


Notas Finais


A S/n desmaiou? OH MY GOD! Oq vai acontecer? E pq o Jin apareceu em Nova Iorque do nada? Sera que o papo dele ter ido visitar seu primo é verdade? Ou sera que ele foi atrás da S/n? Tudo isso e muito mais no próximo capítulo...

Oq acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...