História Esquecido - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Boysxboys, Bts, Chanbaek, Exo, Hospital, Hunhan, Jikook, Kaisoo, Love, Médico, Namjoon, Professor, Romance, Sulay, Supe, Taejin, Taoris, Xiuchen
Visualizações 163
Palavras 2.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores lindos. Capítulo está um amor porque temos o melhor trio parada dura, Ksoo, Baek e Luhan. Espero que vocês gostem e aproveitem porque tem algo que o Luhan vai fazer que vocês vão amar.
Boa leitura!

Capítulo 7 - Kyungsoo


Fanfic / Fanfiction Esquecido - Capítulo 7 - Kyungsoo

- Eu não sei. - sussurrei. A história da minha família era longa e complicada, era difícil tentar explicar a Jongin.

- Se não quiser falar, eu entendo. - comentou tocando em meu braço em um gesto de apoio. Sabia que ele jamais me forçaria a falar, mas eu estava disposto a me abrir em comparação as vezes que o médico precisava de mim para alguma coisa.

- Minha omma, Yeongae, casou com meu pai muito nova, os dois eram tão apaixonados que era contagiante olhar. Só que os pais dela não aceitavam a relação deles já que meu appa, Byungrun, não tinha uma boa condição financeira. Os dois resolveram fugir achando que viveriam o amor deles livremente se ficassem longe dos meus avós, mas não foi isso que aconteceu. Quase cinco anos depois de casados eles estavam morando em uma cidadezinha perto de Seul, porém não conseguiam nem se sustentar com o dinheiro que ganhavam. E para piorar tudo, eu nasci. - suspirei esfregando as mãos nos joelhos. - Minha mãe me amou desde o momento em que soube que eu viria ao mundo, mas meu pai só sabia pensar na despesa que eu traria a família. E foi isso que aconteceu, as contas aumentaram, a comida faltava, não tinha leite para mim. Até que chegou o momento que eles tiveram que decidir o que seria melhor para o meu futuro, e essa decisão era me manter longe deles.

- Kyung... - Jongin chamou e ouvi em seu tom a pena que ele estava sentindo, eu não queria receber isso.

- Eles me deram para a adoção. - meus olhos marejaram com as lembranças. - Só que, sem meu appa saber, minha omma me visitava sempre que podia. Infelizmente essas visitas acabaram impedindo que eu fosse adotado várias vezes já que as pessoas que queriam a adoção diziam que ter a mãe biológica por perto dificultaria a relação deles comigo. - expliquei sem olhar para o médico, sabia que eu cairia em lágrimas se o fizesse. - Eu vivia no orfanato, mas sempre que podia estava visitando meus pais que já estavam um pouco melhor financeiramente. Appa trabalhava como jardineiro de uma família muito rica da cidade e omma Yeongae era a cozinheira da casa.

- Você voltou a morar com eles? - perguntou Jongin. Respirei fundo antes de continuar com a tragédia que era meu passado.

- Quando completei quinze anos, me descobri como gay. Eu era apaixonado por um garoto do terceiro ano, ele era filho de uma família bem renomada da cidade, dona de uma loja de jóias. Eu quis contar aos meus pais sobre minha orientação sexual. Omma Yeongae disse que me amava do jeito que eu era. - uma lágrima solitária escorreu. - Mas meu appa Byungrun disse que eu era uma aberração e que envergonhava toda a nossa família. Ele me humilhou de todas as formas possíveis, tentou até mesmo me bater, mas minha mãe não deixou.

- Sinto muito. - ouvi o maior sussurrar.

- Eu passei uma semana sem voltar a casa de meus pais. Queria um tempo para pensar nas minhas escolhas e cheguei a cogitar na possibilidade de começar a namorar uma garota para agradar meu appa. Foi então que a notícia veio. - as lágrimas começaram a brotar de meus olhos. - Eu estava na escola quando a diretora me chamou para conversar. Ela me deu a notícia de que meu appa havia tido um infarto e não havia sobrevivido. Eu entendia que minha situação com ele não estava boa, mas ainda sim era meu pai, chorei por horas na sala da diretora antes de tomar coragem e seguir ao hospital.

Senti o braço de Jongin rodear minha cintura tentando me confortar.

"Minha omma estava na recepção aos prantos, mas com ela estavam várias pessoas desconhecidas. Descobri que eram meus tios, irmãos de meu appa. Passei um tempo abraçado com minha omma Yeongae, mas então uma das minhas supostas tias me acusou de ter matado meu pai, dizia que eu havia sido um desgosto tão grande para ele que o coração dele parou. Isso me destruiu por muito tempo, eu me sentia culpado e havia jurado que jamais teria algo com um garoto para não manchar a imagem de meu appa."

- O que mudou? - ouvi ele sussurrar em meu pescoço.

- Conheci Junior. - resmunguei. - Ele estudava na mesma turma que eu, havia chegado pouco depois da morte de meu appa. Me ajudou com o luto e se mostrou interessado em mim, um ano depois estávamos namorando e essa relação durou até terminarmos o ensino médio. Juntamos dinheiro para vir para Seul fazer faculdade, era o sonho dele fazer veterinária. Como alguém que amava tanto os animais conseguia machucar tanto os humanos? - sussurrei limpando as lágrimas.

- O que ele fez?

- Junior nunca havia me apresentado aos pais, eu achava que era por que ele era tímido. Idiota eu, namorávamos a três anos e eu nunca soube nem o nome de seu appa. Quando nos mudamos para Seul estava tudo uma maravilha, mas quase dois meses depois ele começou a agir de modo estranho e afastado. Um dia eu fui ao shopping para comprar algumas coisas para meu apartamento, quando cheguei na praça de alimentação, Junior estava lá. Mas não sozinho. - ri com minhas lembranças daquele sábado. - Ele estava com uma garota e os dois se beijavam. Uma senhora, um senhor e uma menina de no máximo onze anos os acompanhavam. Me aproximei deles e tentei conversar, ele me apresentou para as pessoas como seu amigo, e para melhorar, aquele eram seus pais. A mãe dele, animada em me conhecer disse que a garota que estava com eles, elegante, bonita, delicada, era a namorada de Junior. Eu fiquei arrasado com aquilo, falei que na verdade eu era o namorado dele e que Junior era um covarde por mentir para os pais e fazer a garota de trouxa. - comecei a me alterar ficando com raiva. - Ele disse que eu era apenas mais um vagabundo em sua vida e que eu não significava nada além de alguém para foder quando ele estava entediado. Quando perguntei o que aqueles três anos que estávamos juntos significava para ele, e se todas as vezes que ele dizia que me amava era mentira ele me ignorou. Então eu gritei para ele "é assim que você se despede, você já foi bem mais carinhoso quando gemia meu nome". - fiquei envergonhado. - Eu jamais falaria algo assim, mas estava tão irritado e magoado que não me importei, mas Junior sim. Ele me deu um tapa no rosto e me chamou de cadela vadia, eu fui jogado no chão e fiquei na chorando enquanto ele terminava de me humilhar, todas as pessoas na praça de alimentação estavam nos olhando. Foi assim que conheci o Baek.

- Baekhyun? - Jongin me perguntou surpreso.

- Enquanto eu estava sentado no chão chorando, Baek se aproximou da cena, pegou seu copo de café quente e derramou inteiro na cabeça do Junior. - ri lembrando do momento em que meu ex namorado começava a gritar. - Ele disse que Junior nunca mais deveria magoar alguém assim, se não o café quente seria apenas o começo. Antes de sair ele chutou a canela do meu ex e me ajudou a levantar. Viramos amigos depois disso.

- Então toda essa situação teve algo de bom. - Jongin enxugou minhas lágrimas e me abriu um lindo sorriso.

- Baekhyun foi realmente uma das melhores coisas que me aconteceram. - falei. - Mas não conte que eu disse isso, o ego dele já é alto demais.

- Tadinho. - o médico riu da minha brincadeira e acabei sorrindo.

- Eu encontrei Junior dois meses depois que tudo aconteceu, ele foi ao meu apartamento e discutimos. - expliquei enquanto minha mente era inundada por aquele dia horrível. - Eu tinha chamado Baekhyun para passar a noite comigo. Junior apareceu antes de Baek, ele estava bêbado e me bateu. Ele me deu um soco e eu cai sobre o balcão da pia quebrando algumas tigelas de vidro, me cortei. Eu fiquei desnorteado por causa de todo aquele sangue, não vi ele ir embora. Só me lembro de Baekhyun me levando ao hospital, depois disso nunca mais ouvi falar de Junior.

- Sinto muito. - esse sussurrou. Levantei meus olhos para analisar seu rosto e vi o quanto estávamos próximos.

- Acho melhor irmos dormir. - disse me afastando e levantando, percebi que Jongin se levantou depois de mim.

Já devidamente arrumados para dormir, convenci o policial a me deixar ficar no chão enquanto ele deitava na cama. Quando estava quase pegando no sono, sussurrei:

- Jongin, sobre o anel...

- Ficou lindo em você. Boa noite. - ele me interrompeu, abri um sorriso com sua fala.

- Boa noite. - sussurrei uma última vez antes de ser engolido pelo sono.

**

O sábado estava sendo tudo o que eu não imaginava. Meu planejamento era ficar assistindo algum filme na televisão depois que Jongin me deixou em meu apartamento. Porém, assim que coloquei os pés em meu quarto meu celular começou apitar avisando que alguém estava me ligando, era Baekhyun me convidando para uma sessão de compras no shopping. Não recusei, queria ver se encontrava algo legal para mim.

E aqui estava eu bem pleno sentado em um banco de uma das lojas analisando os looks que Baekhyun escolhia. Nós havíamos convidado Luhan e ele estava no ajudando a escolher algumas roupas lindas, o rapaz tinha um ótimo gosto.

- Não sei se levo essa calça. - resmungou Baek se analisando em frente ao espelho, Lu estava muito empenhado rodeando o garoto como um estilista. Depois de um tempo de silêncio ele falou:

- Leva, e usa aquela camisa verde com os detalhes em azul como conjunto. - suspirei vendo que a sessão de moda não iria acabar tão cedo. Peguei meu celular em minha bolsa e resolvi digitar algo para Jongin.

"Jongin hyung"


Escrevi analisando antes de mandar. Me assustei lembrando que ele estava trabalhando e logo mandei outra mensagem.

"Desculpe, esqueci que estava trabalhando"


Voltei a observar os dois que faziam compras animados. Meu celular apitou em meu colo e vi uma resposta de Jongin.

"Kyunie, não se preocupe. Estou no meu intervalo para o café"


Outra mensagem logo apareceu.

"O que está fazendo para se divertir nesse sábado?"


Sorri com sua pergunta. Digitei rapidamente e enviei:

"Estou no shopping perto de seu apartamento. Baek e Luhan resolveram renovar o guarda roupas e acharam legal me trazer para ficar olhando"


Esperei um pouco por uma resposta, então voltei minha atenção a Baek que perguntava a Luhan:

- Lu, você já apimentou sua relação com Sehun de algum jeito? - vi que o garoto ficou corado com a pergunta de meu amigo.

- Em que sentido? - perguntou, mas continuou a falar: - Sehun gosta bastante de mudar as coisas na relação.

- Já tentaram usar fantasia? - Baek continuou com as perguntas.

- Não. - as bochechas de Luhan estavam em um tom forte de vermelho. Eu queria rir da situação. - Quer dizer, ele já me fez usar roupas de babe.

- Roupas de babe? - perguntei confuso, eu definitivamente não era muito por dentro das tendências e fetiches sexuais atuais.

- Eu me visto de babe e Sehun é meu Daddy. - explicou o rapaz enquanto Baek voltava para o provador. - Quando chegar em casa pesquise sobre Daddykink.

- Tenho medo de acabar caindo na Deep Web e meus órgãos serem vendidos clandestinamente. - brinquei.

- Mas você já tentou algo assim com algum namorado?? - Luhan me perguntou e eu cai em uma linda armadilha, não era meu forte falar sobre antigos relacionamentos. Cadê Baek quando a gente precisa dele? - Ou com Jongin?

- Espera, Jongin? - perguntei quase saltando do banco em que estava sentado.

- Ótima pergunta, Luhan. - Baek apareceu extremamente interessado no assunto. - Sabe, você e Jongin...?

- Não existe essa de eu e Jongin. - cruzei os braços.

- Mas você já pensou nisso? Sobre vocês juntos? - Luhan se sentou ao meu lado completamente animado.

- É, Kyung. Já pensou? - gritou Baekhyun de dentro do provador. Que amigo traíra.

- Bom... - sussurrei sentindo minhas bochechas corarem.

- Já sei, vamos comprar algo para você usar se rolar algo entre vocês. - Luhan disse animado. - Depois vamos ao cinema.

- Mas eu... - tentei me manifestar.

- É, Soo. - Baekhyun me lançou um sorriso malicioso. - Tente apimentar mais sua relação com seu chefe.

Cachorro. E eu ainda chamava aquele garoto de amigo.

- Se bem que do jeito que Jongin baba pelo Kyungsoo, não vai ser difícil ter algo apimentado com ele. - Luhan brincou ao sairmos da loja depois de pagar. Meu constrangimento era tanto que mal cabia em mim.

- Não sei porque aceitei vir com vocês. - reclamei e os dois me levaram a uma loja afastada que vendia artigos sexuais. Eu nunca tinha entrado em uma e nem pretendia, para piorar eu jamais usaria aquilo com Jongin já que nós não tínhamos nada.

Luhan e Baekhyun foram escolhendo o que eu levaria ou provaria, no final acabei sendo obrigado a provar várias roupas indecentes. Antes de entrar no provador vi que Jongin havia mandando uma mensagem:

"Se divirta, Soo. Preciso ir agora porque aconteceu uma emergência no trabalho. Posso te pedir uma coisa? Não saia do shopping até eu lhe mandar uma mensagem? Quando eu puder te chamo. Beijos, pequeno"


Estranhei o pedido, mas resolvi não contestar, deixei minhas coisas com Luhan enquanto provava as roupas. Os dois pediam desesperadamente para ver até que cedi e sai do provador. Eu estava muito ridículo com aquilo.

- Você está um arraso! - gritou Luhan animado. Ele parecia estar muito feliz me vendo vestir aquilo.

- Eu estou muito idiota. - falei tentando me cobrir com as mãos. Respirei fundo me analisando.

- Você vai levar. - Baek afirmou me encarnado.

- De jeito nenhum. - exclamei cruzando os braços.

- Eu vou te dar de presente! - exclamou meu amigo totalmente feliz com sua decisão.

- Vamos ver o que Jongin acha disso. - quando vi, Luhan já estava com a câmera apontada para mim. Assustado tentei tomar meu celular de suas mãos, mas já era tarde demais, ele havia enviado a foto para o médico.

"Jongin, aqui é o Luhan. Só estou te mando uma prévia do que Kyungsoo comprou para se divertir. Aproveite essa foto e me agradeça depois"

- Luhan, eu só não te mato porque seu appa é policial. - rosnei voltando para o provador e colocando minhas roupas.

- Vamos comprar essa então? - Baek perguntou já passando a peça pelo caixa. Revirei os olhos vendo ele pagar pela roupa e segui os dois até a ala do cinema.

- Vamos comprar os ingressos para a próxima sessão. - Lu nos puxou pelo braço. O shopping era divido em dois prédios, um deles destinado quase tudo ao cinema e outro para as lojas. Nós estávamos no primeiro onde compramos as roupas e iríamos para o prédio do cinema.

- Meninos, podem ir na frente e comprar o meu ingresso. Eu vou no banheiro aqui. - apontei para o corredor que levava aos banheiros. Eles assentiram e seguiram o caminho para o outro prédio.

Entrei no banheiro e fiz tudo o que devia. Não tinha mais ninguém lá dentro o que era estranho, mas ignorei. Quando estava lavando as mãos para sair ouvi uma gritaria incomum do lado de fora, as pessoas pareciam em pânico. Resolvi sair para ver o que estava acontecendo, mas antes de alcançar a porta um barulho alto e em sequência me assustou.

Aquilo eram tiros.


Notas Finais


Gostaram?
Gente, se vocês lerem algo onde fala que o Jongin é policial, me desculpa. É que mesmo que eu leia a história pra revisar, as vezes eu deixo passar alguma coisa. Perdão.

Estou quase de férias, isso significa que vou ter mais tempo para escrever. Isso é ótimo, já que estou na reta final e bem nervosa.

Outra coisa, vocês querem Kyungsoo grávido? Eu acho interessante escrever isso, mas apenas se vocês desejarem no final da fanfic. E vai ter casamento Supe, queridos.

Não esqueçam de comentar aí, favorite se ainda não o fez, e compartilhe com os amigos. Obrigada por lerem. Beijos! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...