História Essa droga,chamada amor! - Capítulo 15


Escrita por: e Kawahima

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens Jackson, JB, Jennie, Jinyoung, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé, Suho, Youngjae, Yugyeom
Tags Drama (tragédia), Romance
Visualizações 29
Palavras 2.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opaaaa, Bom dia, fofos! Trago aqui, mais uma vez, um capítulo fofinho. Espero que gostem. Beijos.

OBS: ESCUTEM In my blood- Shawn Mendes. E algum cover do kook. É isto, beijos.

Capítulo 15 - Capítulo 14.


Fanfic / Fanfiction Essa droga,chamada amor! - Capítulo 15 - Capítulo 14.

Acabaram passando-se mais quatro semanas, e cada dia a mais, eu estava ficando encantada com o Yoongi. Eu sei, eu sei, parece muito Clichê. Mas, esse amor é recíproco, essa paixão é sentida por ambas partes, e é muito bom saber, sentir e demonstrar isso. Essa sensação me atraí cada dia mais, ele é tão carinhoso, atencioso e tão, tão.... Gostoso!

É, meio estranho essas minhas palavras, mas, sinceramente, ele tem uma bunda tão grande! Deus do céu, só queria ter a metade. Aliás, eu amo o cheiro dele. Seu abraço, seu carinho, seu cheiro é tudo para mim! Simplesmente isso.

Eu praticamente, estou obcecada por ele. Isso é normal? Me sinto estranha.

Por essas semanas, fui a várias consultas. De psiquiatria a ginecologia. E tudo estava fluindo normalmente, graças aos céus. E em todos os momentos, Yoongi não saiu do meu lado. Ele era perfeito. Ficávamos deitados na cama, lendo por horas, assistíamos a filmes, jogávamos uns jogos acessíveis ao meu estado e o melhor, e mais importante, estudávamos. Ah, era maravilhoso estudar com ele, era praticamente prazeroso. E sabe o que eu descobri? Descobri que ele sabe falar três línguas, sendo elas: Inglês, Coreano e chinês. Céus, é o homem perfeito? É o homem perfeito! E ele também descobriu que eu sei falar três línguas, ficou tão surpreso que quis aprender a falar japonês- minha língua de origem. E descobrimos, que estou com uma leve alteração de açúcar em meu sangue, então precisarei comer comidas saudáveis. Quando minha avó descobrir, já estou vendo as broncas.

Agora, estou deitada na cama, lendo meu belíssimo livro de romance, sinceramente, estou muito Clichê. Já havia tomado banho e tomado café, estava esperando o Suga terminar o banho para se juntar a mim. Nós havíamos criado uma brincadeira, cada um lia uma estrofe ou parágrafo de seu livro. Era divertido e trazia curiosidade para cada um de nós, pois ao final, poderíamos trocar de livros.

— Posso ler a minha parte?- Perguntou-me, ao chegar no quarto e sentar-se ao meu lado. Assenti. Ajeitou os livros entre- mãos e olhou fixamente para o livro.

— Eu te amei desde a primeira vez que te vi. Você não hesitou, nem um pouquinho. E olhou para mim, e naquele momento, senti que podia encarar tudo com você ao meu lado. - Respirou fundo e me olhou, aquelas palavra, de certa forma, me tocou. Estava com lágrimas nos olhos, bochechas vermelhas e com vergonha de olhar para ele.

— Gostou? Isso é muito eu e você! Não acha? - perguntou com um sorrisinho no rosto.

— Gostei. Existe, na nossa relação, sentimentos. E sentimentos, é o que define essas palavras. - Falei e ele assentiu. Aproximou-se de mim e beijou minha bochecha.

— Mereço um beijinho, hum? -Cheirou meu cabelo e pescoço, fazendo-me arrepiar. Neguei, ainda olhando para o livro, mas concentrada em seus carinhos. — Não? Nossa, ser seu namorado é difícil, tem que ser bipolar. - Negou com a cabeça.

— Ainda há tempo para desistir. Você quem sabe! - Dei de ombros, falando divertida. Ele riu e deu mais um beijo na minha bochecha. — Yaa, vamos voltar a ler. Quando eu encontrar o parágrafo, eu falo. - Virei-me em sua direção e encontrei seus olhos em mim, desviei meu olhar para seus lábios e os juntei contra os meus, dando-lhe um selinho rápido, fazendo-nos rir.

{°°°}

Eu e Bong estávamos no quarto conversando e os meninos estavam lá em baixo, jogando video-game. Fazia muito tempo que nós não conversávamos, estávamos ali por muito tempo, colocando os papos em dias. Era muito bom conversar com ela, de certo modo, ela me distraía.

— E aí, como é beijar a boca de alguém? -Bong perguntou-me ansiosa. — Você já viu o instrumento dele? - Esbugalhei os meus olhos com tal pergunta.

— Yaaa, isso é coisa de se perguntar? Meu Deus, Bong, quanto assanhamento! - Ela riu e me olhou curiosa. — Aishhh, eu não vi o instrumento dele, mas aparenta ser grande. Satisfeita? -Ele riu batendo as mãos. — Safada! - Falei me deitando por completa na cama

— E você é tão santa, que fica imaginando o tamanho! — ela dita e se joga ao meu lado.

— Aish, sei lá, vai dizer que nunca imaginou o de alguém que você ame? — falei com uma sombrancelha arqueada.

— Claro, mas você tem o perfil de santa, eu, a maioria já sabe que não sou! — ela dita tranquila — Mas admita, você tem curiosidade, né? - Perguntou-me, rindo safada.

— Para Bong! - Falei envergonhada.

— Será que é branquinho como a pele dele? — perguntou, levantando e abaixando as sobrancelhas.

— Paraaaaaaa! — enfio minha cara no travesseiro .

— Hahahaahahaha!! — ouço sua risada escandalosa

— Precisam de algo, meninas? — ouço a voz rouca de Yoongi soar, e eu fico extremamente vermelha por conta de segundos atrás.

— N-não — me sento na cama evitando olhar para ele

— Você está bem, Mia? Está com o rosto vermelho!— ele caminha em minha direção e se senta em minha frente, na cama, analisando meu rosto

— E-estou sim! — falo, desviando meu olhar do seu.

— Certeza? — ele ergue meu queixo me fazendo encará-lo.

— S-sim! — para de gaguejar, pelo amor de Deus, Mia!

Ele me encara um pouco desconfiado e então me da um selinho rápido

— Gente, as Olimpíadas já passaram e eu não tenho vocação para ser Tocha! — Bong diz nos encarando e nós dois rimos com seu comentário — Hey, o que acham de fazermos uma festa do pijama?

— Aqui? — tombo minha cabeça para o lado.

— Não imagina, vamos fazer na árvore. — ela ironiza.

— Boba! — dou a língua para ela.

— Se eu fosse você guardava essa língua dentro da boca do Yoongi — ela diz e sai correndo. Eu? Tava mais vermelha que um tomate, e ele não estava diferente .

— Desculpa!— encaro o chão.

— Não se preocupe — ele ergue minha cabeça um pouco, o suficiente para encontrar se olhar —De certo modo, ela ta certa! — ele se aproxima e sela nossos lábios.

{°°°}

— Tudo pronto? Não está faltando nada? — Kook perguntou pela 3456782936 vez em 10 minutos

— JungKook, meu amor — Bong começa calma — SE VOCÊ PERGUNTAR ISSO MAIS UMA ÚNICA VEZ, EU VOU PASSAR COLA QUENTE NA SUA BOCA!! — ela quase grita, enquanto segurava a faca que usava para cortar a pizza, apontada para o moreno.

— Socorro! Ela vai me matar! —ele pula por cima do sofá e se esconde atrás do móvel.

— Para de bobeira Kookie, a Bong é incapaz de fazer algum mal. — eu dito terminando de arrumar o sofá.

— Certeza, minha querida? —ela vira o pescoço para mim de forma psicopata, e seu sorriso não ajudou.

— Pensando bem, Kookie, se eu fosse você, andava com uma katana, ou spray de pimenta, só por precaução.

Ele faz um sinal de cruz com os dedos, o que fez eu e Bong rirmos. Olaf já devia ter terminado de tomar banho, será que aconteceu alguma coisa?

— Já volto! — digo e subo as escadas, assim indo para meu quarto, assim que abro a porta, tenho visão dele só de calça de moletom .

Tapo meus olhos por vergonha e ouço uma risadinha de sua parte.

— Pode tirar as mãos do rosto, já estou vestido! — tiro as mãos de meus olhos, meio receosa .

— Desculpe por entrar sem bater! - Falei sincera.

— Não há problemas, bem! -Falou carinhoso, alisando minha bochecha. O puxei com delicadeza para baixo, fazendo com que seu rosto, ficasse na altura do meu. Rocei meu nariz ao dele, em um ato de carinho, fazendo-nos fechar os olhos. Seu carinho em minha bochecha, fazia-me delirar, para retribuir o seu carinho, passei minhas mãos por seus fios da nuca, que estavam um pouco molhados. Rocei nossos lábios, deixando-nos em êxtase, puxei seu lábio inferior com delicadeza, dando início a um beijo quente e carinhoso. Sua mão desceu para as minhas costas, depositando lá, um carinho, que na verdade, estava fazendo-me relaxar. Quando o ar nos faltou, nos separamos do beijos com dois selinhos. Continuavamos com os carinhos, nossos narizes faziam carinho um ao outro, nossas testas coladas, lábios quase juntos, novamente. Quando abri meus olhos, me deparei com um Olaf todo vermelhinho, seu nariz vermelho e sua boca. Era um fofo, um neném. Um neném que sabia beijar muito bem, até!

— Acho melhor descermos, hun? - Falei dando um beijo em sua bochecha. Ele assentiu e descemos, quando chegamos na cozinha, nos deparamos com a Bong sentada no colo do Kook-Oppa, quase engolindo a boca de ambos, as mãos do kook estavam na bunda da minha amiga, o que me fez arregalar os olhos.

— Para a informação de vocês, minha cozinha não é motel, caso não saibam! - Falei, tentando manter o semblante sério. Ela quase caiu do colo dele pelo susto, o que fez Suga rir muito. Nossa, nunca havia escutado a sua risada tão alta assim, pelo menos foi uma boa distração.

— Aish, que medo, Mia, pensei que era a tia. Quase infartei aqui, menina! - Falou com a mão no peito. — Pelo o que vejo, não fui a única. - Falou e eu ri.

— Pelo menos eu fui discreta, vocês estavam quase se comendo aqui. - senti os braços quentes do Yoongi abraçar-me por trás e depositar a sua cabeça na curvatura do meu pescoço, era realmente confortável.

— Podemos comer? Estou com fome, Bong! - Meu bichinho falou, e pude imaginar seu biquinho. Percebi, que, toda vez que o Yoongi fala, ele faz um biquinho, que de fato, me faz querer beijá-lo!

— Vamos, seu guloso! -Falou. Era divertido ter mais pessoas em casa, era de fato, maravilhoso. Não que eu achasse ruim só ter o Yoongi por perto, longe disso, mas há semanas eu não via a Bong e o Kook com frequência, já era de costume. Eles sempre me alegraram, o que fazia minha vida, não ser tão chata, ao ponto.

Havíamos comido as pizzas e ainda, havíamos feito pipoca, esse era o terceiro filme que assistíamos, entre carícias e outras, eu e o Yoongi prestávamos atenção ao filme. Às vezes, pegava-o dando o cochilo e ria mentalmente, pra não o acordar. Seu biquinho era maravilhoso, tão lindo, tão vermelho, dava vontade de morder. Haha, meio louco, não? A verdade é que, eu estou louca por ele, quando passamos algum tempo separados, sinto a sua falta, quando não o vejo por perto, bate-me um leve desespero, que faz meu coração acelerar e meu corpo todo gelar, fazendo com que um frio, percorra todo o meu corpo. Não sei a que ponto cheguei, mas onde eu cheguei, foi por sua ajuda.

Nunca, em toda a minha vida, pensaria em apaixonar -me por uma pessoa. Sabe, tão recíproco. O melhor de tudo isso, é saber que é mútuo. Me sinto amada, me sinto desejada, me sinto acolhida, protegida. E isso, de alguma forma, me faz querer prosseguir.

Agora, estava tirando a minha roupa- Yoongi já havia dormido, estava no meu quarto, já que a Bong e o kook estavam aqui, ele dormiria comigo -, adentrei embaixo do chuveiro, o contato da água com a minha pele, fez-me arrepiar instantaneamente. Após terminar o meu banho, escovei meus dentes, vesti uma roupa bem quentinha e deitei ao lado do meu Olaf. Assim que eu deitei ao seu lado, coloquei minhas mãos atrás da minha cabeça, olhando para o teto, respirando fundo, logo em seguida. Senti suas mãos em minha cintura, puxando-me para mais perto dele, o que me fez tirar minhas mãos da cabeça e as colocarem em seu abdômen. Seus olhos me encaravam com intensidade, passamos um bom tempo assim, sérios e apaixonados. Bem Clichê, admito.

— O que tanto pensa, hun? - Perguntei-lhe.

— Mia, eu quero te perguntar uma coisa. Posso? - Pediu-me. Assenti. — O que será do nós, no futuro?

— Woou, agora você me pegou, garotão. Eu sinceramente não sei, mas o que sei, é que não quero você longe de mim! Eu te quero assim, bem pertinho de mim. - Dei-lhe um selinho rápido e ele riu.

— Eu também te quero bem pertinho de mim, Forever! - Juntou nossos lábios e minha mão, inconscientemente, foi para sua nuca. E ao contrário da minha mão, a dele foi para a minha cintura. Seus beijos deixavam-me em êxtase. Finalizei o beijo com um beijo em seu pescoço, o que ajudou muito pela posição.

— Não estou com sono, só cansada! - Falei fazendo um bico.

— Vem aqui, vou te fazer um carinho. - Sentei-me em seu colo e deitei minha cabeça em seu peito. Essa posição, fez-me sentir uma coisa lá em baixo. Ele ligou o telefone em uma música calma e afagou meus cabelos até que eu pudesse dormir. Esse é o melhor cafuné da vida.

.....


Notas Finais


Opa, o que acharam? Comentem, please.

E o que acharam do Kook e da Bong na cozinha, hun? 🌚💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...