História Essas Garotas - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Deidara, Fugaku Uchiha, Guren, Hashirama Senju, Hidan, Hinata Hyuuga, Ibiki Morino, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kakuzu, Karin, Kimimaru, Kisame Hoshigaki, Konan, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Mito Uzumaki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Dandara Runaway, Irmãos Uchiha, Itachi Uchiha, Naruto, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Universitário
Visualizações 42
Palavras 2.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu voltei! Desculpem a demora mas com escola e tudo mais acabo me perdendo em questão de tempo, o foda é que a parte pesada ainda nem começou e eu não estou afim de imaginar por ora KKKK
Bem, espero que estejam gostando da minha amorinha que escrevo com tanto amor pra vocês!😍

Capítulo 13 - Tecido, agulhas e encanto


Fanfic / Fanfiction Essas Garotas - Capítulo 13 - Tecido, agulhas e encanto

Na vida a gente tem de compreender que nada é realmente da forma que a gente quer. E realmente não era. Meu horário com Sasuke tinha sido determinado as nove da manhã e quando foi nove e quarenta quando eu ajeito minhas coisas para sair da biblioteca e poder voltar para o quarto ou para a sala de aula vejo a porta abrir e o ser sonso que eu esperava entra, sonso e com uma cara de tédio natural.

—Desculpe o atraso, estava resolvendo uma coisa. — Ele se senta na minha frente arrastando a cadeira com o pé com as duas mãos no bolso da calça xadrez.

—Sabe quanto tempo de trabalho acabamos de perder? Quer mesmo ganhar esse concurso?! — Bato na mão na mesa e olho para ele séria, que só fecha os olhos e balança a cabeça em reprovação.

—Não grite, por favor. Eu já pedi desculpas, o que eu estava fazendo era importante.

Eu não iria perguntar o que era para não parecer uma completa sem educação mas a cara de desgosto que ele estava me despertava uma curiosidade chata.

—E conseguiu?

—Sim, mais fácil do que eu pensei. — Sasuke passa a mão pelo cabelo bagunçado, uma coisa que já era costume. — Já estava resolvido, eu só precisei dizer algumas palavras para saber a verdade.

Será que tinha a ver com a conversa com a Karin? Pela forma que ele se mostrava tinha grande possibilidade, também pelo fato dele não ter chegado me perguntando uma resposta sobre nosso assunto no corredor na noite passada. O nosso assunto. Lembranças me fazem corar e sentir aquele fogo estranho subir mais uma vez pelas minhas veias.

—E o assunto da Karin? — Pergunto jogando o mais verde possível. Minha bobeira com certeza é achar que eu posso enganar alguém, ainda mais alguém que me deixava toda boba na sua presença.

—Bem, foi isso que eu fui resolver. Ela está se envolvendo com um cara que entrou no curso dela e acabou se esquecendo de mim mais rápido do que eu pensei. — Uma raiva subiu pelas minhas veias substituindo o fogo estranho. Era por isso a cara de bunda suja?

—Deixe-me adivinhar: isso te deixou triste? — Pergunto revirando os olhos. Eu não queria admitir mas aquele assunto estava me deixando enciumada e outra, se ela não estava mais ligada ao Sasuke por que Ino me alertou?

—De forma alguma. Dei foi graças a Deus depois de ter rezado nove Ave Maria. — Ele sorri incrédulo. — Meu tio foi transferido para cá no mesmo curso do meu irmão e isso me deixa incomodado só que eu simplesmente não sei dizer o porquê.

Olho para ele jogando o cabelo para trás. Entendo que ter parentes por perto nem sempre é uma coisa boa, talvez esse tio seja um porre mas sua feição passava muito mais desconforto do que um simples "não gosto", era preocupada e distante com olhos concentrados em coisas nada a ver.

—E isso é muito ruim?

—Eu realmente não sei. A relação dele com meu irmão nunca foi… boa, na verdade sempre foi péssima. Mas aí já entra uma outra história. — Sasuke se levanta e se senta ao meu lado. — Vamos começar a trabalhar, não podemos perder mais tempo com bobagens.

—Claro! Disse que já tinha decidido um modelo, pode me mostrar? — Pergunto empolgada. Sasuke era um incrível desenhista.

—Aqui está.

Ele puxa um papel do bolso e desdobra colocando na minha frente. Um vestido azul claro todo cheiro de borboletas lilás e rosa bebê e alguns brilhos em tecido. Era muito bonito entretanto detalhado demais, não sei se teríamos tempo.

—É incrível mas acha que vamos ter tempo para isso tudo? O tempo está muito curto. Não temos o tecido, nem máquinas e nem uma modelo. — Digo analisando melhor aquela obra de arte.

—Eu cuidei de tudo que se trata de material só não sou muito bom em falar com garotas, então você arrume a modelo. — Ele diz mordendo a unhas já curta.

—Está me dizendo que já comprou o materiais?!

—Sim, estão lá no nosso espaço.

—E se eu não aceitasse?! — Me levanto segurando o papel.

—Eu não sei. Não cheguei a pensar nisso.

Sasuke me olha de cima a baixo, com a mão no queixo me deixando completamente sem graça e desconfortável. Estaria olhando para os meus peitos? Ou estaria me imaginando nua debaixo daquela calça legging montaria? Eu não sei dizer.

—Acho que já encontrei alguém que ficaria perfeita no vestido. — Ele se levanta e me analisa, girando e olhando cada detalhe do meu corpo.

—E quem seria? Quer que eu fale com ela? — Faço a desentendida, torcendo para que não seja o que eu estava pensando.

—Não seja tola. Sakura, você ficaria perfeita nesse vestido! O cabelo combinaria perfeitamente com a cor! — Ele pega o papel da minha mão colocando bem em frente ao meu rosto para eu ver novamente.

Não nego que um vestido daquele ficaria incrível, mas a vergonha de subir numa passarela e ter de mostrar um vestido nosso para o dono da universidade me gelava a espinha.

—Isso não seria uma boa ideia nem aqui nem na China, Sasuke! As pessoas querem ver caras "conhecidas", é dessa forma que estilistas se tornam famosos. — Digo, me sentando e olhando para cima para olhar naquele rosto de santo que não valia nada. Sasuke se aproxima lentamente e segura minha mão não olhando para os meus olhos.

—Como acha que alguém se torna famoso? Rostos conhecidos um dia já foram apenas um rosto no mundo. — Seu dedo passava delicamente sobre as costas da minha mão. — Os rostos daqui não são famosos por uma descoberta que foi comprovada até pela NASA, nem mesmo por prêmio Nobel. São conhecidos pelos seus atos ruins, o que todo mundo tem mas prefere apontar o alheio do que olhar para dentro de si. Sakura, seria uma prazer, tanto para você tanto para mim, te ver usando uma obra nossa.

Ele não mentira. Seria realmente incrível poder mostrar algo que eu fiz parte no meu corpo e ainda sendo mostrado para mais de mil pessoas. Sabe aqueles sonhos de que você canta para a escola inteira quando todos duvidavam de você e não sabiam desse talento escondido? Os aplausos e a emoção como em um filme da Disney. Aquele era com certeza algo que eu queria, mas uma coisa que nunca apresentam de verdade é o medo da falha.

—Enquanto pensa nosso tempo está passando. — A voz macia de Sasuke atrapalha meus pensamentos. Todos nós somos feitos de falhas.

—Tudo bem, me convenceu. Eu serei a modelo do nosso trabalho. — Sorrio sem mostrar os dentes sentindo o medo e a empolgação subir pelas veias.

Sasuke coloca seus dedos entre os meus perdendo a concentração até mesmo no que eu estava dizendo e também atraindo minha atenção para aquele gostoso e delicado movimento na minha mão.

—Isso pode parecer estranho, de verdade, mas suas mãos são tão bonitas. — Seu olhar se encontra com o meu imediatamente e se fixa, uma troca de olhar brilhante e surpreendentemente mágica.

Suas mãos me puxam para cima e quando vejo estou sentada sobre o seu colo na mesma cadeira que eu estava, eu não podia crer que aquilo estava realmente acontecendo, quando seus lábios se chocam contra o meu rapidamente e suas mãos entram no meu cabelo o tirando o eixo eu poderia dizer que para alguém me tirar de cima daquele homem seria necessário uma espécie de guindaste.

Minhas mãos vão abrindo sua camisa lentamente enquanto as suas entram por debaixo da minha camiseta se encontrando com meus seios extremamente delicados.

—O que estamos fazendo? — Pergunto quando jogo sua blusa no chão e começo a beijar seu pescoço branquelo sentindo sua respiração forte na minha orelha.

—Eu costumo chamar de sexo. — Sasuke tinha uma força ou eu que era muito magra, ele levanta da cadeira e me coloca sobre a mesa fria de madeira envernizada.

Meus sapatos são delicamente tirados e como numa cena de cinquenta tons de cinza — com um Christian vestido de calças retrô — ele tira minha calça junto da calcinha me puxando para a beirada da mesa vejo Sasuke sumir das minhas vistas. Eu não acreditava que ele ia me chupar sobre a mesa de uma biblioteca, mas eu podia crer quando senti sua língua se encostar no meu clitóris levemente e se encaixar perfeitamente nos meus grandes lábios. Tão quente e tão molhado. A sensação era muito boa que não conseguia nem mesmo conter minha perna que alisava suas costas nua e quente como o restante do seu corpo.

Eu gemia e colocava a mão na boca, me penalizando por o fazer alto. Estávamos muito perto do corredor, apesar de que ninguém ficava ali. As aulas já tinham se encerrado então poucas pessoas ficavam na Universidade, só aquelas que realmente queriam algo. O lugar que viriam? A biblioteca. Se tratava de sorte, com duas em todo prédio, eu esperava que o do andar de baixo ficasse lotada.

Me apoio em meus braços olhando para aquele rostinho bonito me chupando. Aquilo era constrangedor quando se é uma pessoa que não consegue controlar pensamentos. Por isso a maioria dizia para pensar em boletos.

Meu corpo estava arrepiado com sua delicadeza e todos os pensamentos são interrompidos por um gemido e me segurada no cabelo do Sasuke, quando sinto seus dedos deslizarem para dentro de mim. Minha perna tremia. Tão rápido?! Precoce ou aquilo estava bom demais?! Não me deu tempo de achar uma resposta quando a porta se abriu e um cara de cabelo branco lambido entra e se assusta com a cena na mesa. Sasuke se levanta rapidamente e num pulo estou escondida atrás dele, segurando pelas pontas aquela sensação não completa. Merda!

—Cara, eu só queria fumar. — O cara de cabelos grisalhos com uma aparência muito daddy sorri.

—Para de palhaçada, Hidan. — Sasuke pega minhas calças e me entrega ficando na minha frente enquanto eu me visto. — Se contar pro meu irmão eu mato você.

—E por que Itachi acharia ruim você estar transando? — Hidan dá de ombros e acende seu cigarro se sentando na cadeira giratória perto do computador. — Bom que você não é gay.

—De novo com isso? Superem!

—Não sou eu que falo! É o Deidara, que também me parece ser do vale. — Sua risada escandalosa ecoa no espaço. Eu estava com tanta vergonha que não sabia se saía dali ou se ficava parada esperando Deus me levar.

—Até você é do vale, Hidan. — Sasuke pega sua camisa e veste enquanto olhava para a cara pálida de Hidan.

—A bissexualidade é uma deusa, meu querido. — Ele traga aquele cigarro de maconha como Dandara, era tão chique.

—Pensei que sua religião não lhe permitia. Jashin pode ficar chateado com você. — Sasuke se aproxima de mim e segura minha mão, andando até a porta. Eu estava tão envergonhada que se ele quisesse me levar pro sol eu iria.

—Ele vai me entender. Se for realmente pecado, eu vou por inferno de qualquer jeito. — Ele roda naquela cadeira antes de eu e Sasuke sairmos da sala.

—O que aconteceu… — Começo não sabendo como terminar.

—Se quiser vamos ter uma chance de terminar, agora vamos começar o que realmente queríamos. — Seus lábios encostam na minha bochecha e ele segue na minha frente com as mãos no bolso cobertas pela camisa preta.

—É claro.

Eu não sabia dizer com o que eu concordei e nem mesmo como eu consegui me envolver tão profundamente nisso. Eu estava chocada comigo mesmo o que me fazia sentir diferença até no meu jeito de andar. Sasuke roubava todo o ar que eu conseguia respirar mas também me fazia sentir um ar que eu nunca respirei antes. Eu estava realmente envolvida mas hesitando na ponta da precipício. Eu não sabia dizer o que ele realmente queria com tudo aquilo, será só um jogo ou ruim de palavras?


Notas Finais


Me digam o que estão achando, se não for incomodar é claro!❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...