1. Spirit Fanfics >
  2. Esse amor tão errado. >
  3. Lover

História Esse amor tão errado. - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Lover


Fanfic / Fanfiction Esse amor tão errado. - Capítulo 5 - Lover

Luna on

Luna:sin está tudo bem, só tive um mal estar - espero muito que ele acredite nessa desculpa.

Matteo:certeza? - me olha meio desconfiado.

Luna:acho que sim - solto um sorriso sem graça e tenho como respostas seu sorriso maravilhoso que se forma nos seus lábios,ai meu Deus se ele não ficar pelo menos 10 metros de distância eu juro que vou beijar esse corpinho interior.

Matteo:você fica linda sorrindo - minhas bochechas estão queimando - mas sei muito bem que esse ai não e o seu melhor sorriso.

Não digo nada, abaixo minha cabeça na tentativa de esconder um sorriso de orelha a orelha que se forma nos meus lábios e vejo que ele carrega uma caixinha de cerveja.

Luna:você pretende ir pra outro lugar com isso? - por favor diz que não - porque se não pode me passar uma. - dou um riso sem graça.

Matteo:eu sei exatamente o motivo desse seu "mal estar" - faz um parênteses com a mão que estava desocupada - sei também que sofrer sozinho é um pecado, então trouxe isso para nós dois - levanta a caixinha de cerveja para que eu veja melhor - e também me trouxe - você só está com muito tecido.

Luna:seria realmente pecado se eu recusasse um convite disses - levanto um pouco uma sobrancelha.

Matteo:vem.

Ele pega na minha mão e me leva até a cozinha, sento em cima de um balcão que ficava ao lado da pia e ele em outro mini balcão que ficava na frente dividindo a cozinha.

Luna:eu proponho um brinde - levanto a garrafa - um brinde ao futuro inesperado.

Matteo:e a cerveja que nos uni - adoraria que fosse outra coisa que unisse agora, isso envolveria ficar sem roupa, acho que ele leu meus pensamentos porque ele está com um sorriso safado nos lábios.

Karol on.

Estávamos dançando como loucas, quando se tratava de dominar a pista de dança eu e minhas amigas somos bastante experientes.

Carolina:amiga desisto - sua respiração estava alterada - eu preciso de uma bebida - diz indo para o barzinho que tinha alí na luta.

Valentina:amiga hoje eu saio daqui acompanhado - fala meio desajeitada - nem que seja com o barman - Valentina era a coisa mais perigosa quando estava com o seu nível de álcool no seu sangue alterado, ela poderia agarrar qualquer um.

Karol:você com certeza vai sair daqui acompanhada,mas vai ser comigo mocinha - coloca seu braço direito no meu ombro e carrego ela até uma cadeira que ficava perto da mesa dos docinhos.

Carolina:Valentina ainda vai pagar muito cara por sempre encher a cara e dá trabalho para as amigas. - fala enquanto dá um pouco de água pra Tina.

Karol:ela se aproveita de min, porque sabe que eu não bebo nas festas - sorrio.

Carolina:vai querer minha ajuda? - pergunta enquanto Tina come alguns doces que normalmente sóbria ela não comeria.

Karol:não amiga, você vai sair com o Agustín daqui a pouco.

Carolina:não tem problema eu falo com ele pra marcarmos outro dia - ela tá querendo fugir do Agustín e isso mesmo?

Karol:isso tá me parecendo uma desculpa pra não ir para a casa do Agustín. - cruzo os braços e lanço um olhar desconfiada.

Carolina:eu não sei o que tá acontecendo comigo amiga, quando ele me chamou pra ir hoje depois para a casa dele eu disse que toparia qualquer coisa com ele hoje. - ela estava vermelha, aaaawwwwww Lina envergonhada é a coisa mais linda do mundo.

Karol:Agustín diferente do Rugg e do Michael e um cara romântico e sensível, tenho certeza que ele vai te tratar como você merece. - nunca pensei que esse relacionamento deles iria durar uma semana, Lina é uma pessoa maravilhosa quando está com os amigos de verdade, agora em relação a pessoas novas ela e grossa e fria.

Carolina:nunca pensei que estaria conversando com a minha amiga sobre perder a virgindade com o namorado tão cedo - rir - imaginava que isso ia acontecer com meus 27 anos.

Karol:pra ser sincera amiga - me aproximo dela - nem eu - rimos.

Carolina:eu vou atrás do meu namorado antes que uma perua agarre ele - não duvido nada que isso aconteça.

Karol:tchau amiga, se divirta bastante e amanhã quero saber de cada detalhe - sorrio enquanto abraço ela.

Carolina:pode deixar - solta uma gargalhada e vai embora atrás do namorado.

Karol:agora somos só nos duas, vem vamos pra fora - ela se apoia em meus ombros e na luta conseguimos ir para o lado de fora e ficar em um lugar onde não havia ninguém. - você fica aqui na grama enquanto ligo pro Michael.

Só espero que minha carona tenha ido embora e esqueci de min, se não eu mato ele.

Valentina:olha quem tá vindo alí - aponta para o Ruggero que vinha em nossa direção - na hora certa - ela tenta se levantar mais cai de volta deitando na grama - nossa essa grama tão macia.

Ruggero:precisa de ajuda morena - ele sabe que eu odeio quando ele me chama de morena.

Karol:se você souber onde Michael está eu agradeço, preciso levar ela pra casa e depois ir pra minha - digo e olho pra Valentina fazendo carinho na grama.

Ruggero:Sua carona saio daqui acompanhado de uma ruiva pra terminar a festa em outro lugar - eu não acredito, Michael eu te mato.

Karol:onde eu vou arranjar um táxi essa hora - bufo.

Ruggero:não precisa se preocupar eu levo vocês duas. - nunca que eu vou entrar naquele carro.

Karol:de jeito nenhum eu entro naquele seu carro - faço uma careta.

Ruggero:ei qual é o preconceito com o meu carro? - pergunta inconformado - e não seria a primeira vez que duas gatas entram no meu carro.

Karol: e bem capaz de ter várias doenças sexualmente transmissíveis grudadas naquele seu carro que parece um motel - se eu aparecer com Aids mesmo sendo virgem vai ser culpa do carro desse tarado.

Ruggero:você tem uma amiga bêbada pra levar a essa hora da noite, não vejo sinal de nenhum táxi aqui então você só tem uma opção, aceitar minha ajuda - eu odeio quando ele está certo.

Karol:vamos logo antes que eu me arrependa.

Luna on.

Depois de termos ficado conversado muito tempo, percebi que já era tarde e lembrei da Karol que tinha ido para um festa.

Luna:eu adoraria ficar mais tempo, porém tenho uma irmã mais nova que foi para um festa é eu não sei se ela está bem - digo saindo de cima da bancada arrumando minha roupa é ele faz o mesmo.

Matteo:você sabe que não precisa se preocupar,a Kah e uma pessoa muito responsável. - anda ao meu lado em direção a saída.

Luna:disso eu sei, mas ela e uma jovem de 16 anos, em algum momento ela vai descobrir coisas novas e aprontar também - eu confio muito na minha irmã, tenho muito orgulho de ver como ela é madura mesmo ainda tendo 16 anos.

Matteo:tenho certeza de que quando essa dia chegar ela terá responsabilidade - já estávamos do lado de fora e Matteo trancava a porta.

Luna:mas sempre tem a primeira vez - caminhamos até meu carro.

Matteo:quando esse dia chegar me liga que eu vou dá um belo de um puxão de orelha na minha pequena - ele para na minha frente quando chegamos ao meu carro.

Luna:ei eu cheguei primeiro, ela e minha pequena. - dou um tapinha de leve no seu ombro.

Matteo:nossa pequena, mas vamos deixar isso pra ela decidir quando nos reencontramos juntos.

Acho que o assunto terminou alí, ficamos calados olhando um para o outro sem mover um músculo, só se ouvia o barulho das chaves do meu carro que eu estava assegurando.

O mundo derrepente ficou em câmera lenta ele se aproxima de min é então eu faço o mesmo, seu braço rodeia minha cintura com firmeza levando meu corpo para mais perto do seu, minha respiração estava descontrolada e minhas pernas bambas.

Matteo:Can we always be this close forever and ever? - ele canta o início da nossa música antes de me beijar de deixando louca, e uma beijo calmo, eu só queria curtir o momento, eu não sabia quando voltaria beijá-lo então fiquei desesperada ao pensar nisso e puxei ele para mais perto de min, sua mão estava na minha cintura me segurando para que eu não saísse, mesmo se salto eu estava nas pontas dos pés, e mesmo sentindo o chão eu estava nas nuvens, eu queria que isso durasse pra sempre.

Paramos o beijo com calma e continuamos abraçados de olhos fechados, nenhum de nós queria falar nada, só curtir a brisa da madrugada.

Seu celular toca nos tirando da nossa bolha e vejo que é a Fernanda,merda tinha me esquecido dessa garota.

Matteo:eu tenho que ir - me olha meio sem graça.

Luna:eu também. - novamente silêncio.

Tínhamos que ir embora mais não saímos do lugar, seu olhar meu prendia de uma forma inexplicável é eu só queria poder ouvir ele chamar meu nome enquanto fazemos amor agora.

Matteo:preciso mesmo ir, tchau - me dá um beijo da buchecha e vai embora com o seu carro.

Entro no meu e tento não pensar muito no que aconteceu alí em frente na minha futura casa que seria nossa,agora eu só quero minha cama e acordar somente quando meus problemas estiverem resolvidos.

Karol on.

Deixamos Tina na casa dela é agora estávamos a duas quadras do meu apartamento,e estou sendo obrigada a ouvir a indignação do Ruggero por eu nunca ter bebido.
Ruggero:e sério mesmo que você nunca bebeu nunhuma bebida alcoólica? Nem uma ice? - eu vou ter que desenhar por acaso?

Karol:eu já te falei um milhão de vezes que não, e nem quero - se ele perguntar de novo eu vou enfiar esse carro no traseiro dele.
Ruggero:se quiser tenho um ice aqui, sempre tem a primeira vez.

Karol:pra você me embebedar e abusar de min nesse caro cheio de Aids? - faço um cara feia - não obrigada. - ele entra no estacionamento que ficava no subsolo no prédio e estaciona o carro.

Ruggero:não querida - se aproxima - quando eu transar com você vou te querer sóbria pra você poder gemer meu nome loucamente e lembrar no dia seguinte com quem você teve a melhor foda da sua vida e de quem te deixou sem sentar por 2 semanas. - mais o que e isso? Preciso sair daqui agora.

Karol:eu já vou indo - saio do carro com pressa mas ele e mais rápido e consegue me alcançar, sou pega de surpresa quando ele me puxa pelo braço, me levanta fazendo com que eu fiquei meio sentada sentada no capô do seu carro.

Ruggero:relaxa morena - ele sussurra no meu ouvido - curta o momento - ele estava entre as minhas pernas e me puxa para mais perto e me beija.

Era um beijo nada comportado, minhas mãos puxavam seu cabelo fazendo ele gemer baixinho, as suas mãos percorriam meu corpo apertando cada centímetro, minhas pernas agarraram mais ainda aquele corpinho sexy e minha cabeça se jogou pra trás ao sentir sua bocs deixando mordidas nele, uma de suas mãos desceram até minha intimidade acariciando ela.

Karol:Ruggero - gemo o seu nome antes de voltar a beijá-lo.

Ele tira sua mão da minha intimidade e aperta minhas coxas com força me fazendo gemer de excitação.

Luna:Karol? Ruggero? - fudeu.

Ótimo, essa noite não podia ficar mais estranha,minha irmã mais velha acabou de me ver se pegando com o irmão do seu ex namorado em cima do capô do seu carro.

Saio de perto do Ruggero que agora estava cheio de batom vermelho.

Karol:Ruggero já estava de saída, Tchau. - puxo Luna rapidamente para irmos logo embora
Ruggero:Tchau Kah, Tchau Luna. - diz enquanto caminho rápido.

Karol:nenhuma palavra disso, vamos deixar essa conversa pro café da manhã.



Notas Finais


Alguém pode me explicar o que foi tudo isso??????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...