História Esse garoto é tumblr - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Otpeotp

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Sehun
Tags Fem!yixing, Otpéotp, Sekai, Sekaiéotp, Tumblr!au
Visualizações 295
Palavras 6.251
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!! Vcs não sabem como eu estava animada pra postar essa one sekai! É a primeira vez que eu faço sobre esse couple e eu amei a experiência. Acabou resultando em mais palavras do que eu acharia, mas mesmo assim estou feliz. É uma comédinha bem levinha, espero q gostem <3

Capítulo 1 - Capítulo único


Tirar fotos para Kim Jongin era algo realmente difícil. Embora muita gente acreditasse que, por ele ser bonito, poderia ser modelo e assim, de repente, teria talento para ser fotogênico.

De fato, o garoto era lindo de morrer, chegando a arrancar suspiros de muitas pessoas sem fazer nada — acredite, ele nem fazia ideia que era ele que causava esse efeitos —, apenas por sua pele parecer beijada pelo sol, em um tom moreno perfeito que até aqueles que viviam se bronzeando nunca iriam chegar aos pés; o cabelo preto sedoso e sempre com um cheirinho de shampoo de bebê, olhos puros que ficavam pequenininhos na maioria das vezes por ter um senso de humor mais bobo do mundo, o qual resultava em rir de absolutamente tudo; e lábios charmosos, nem muito carnudos e nem tão finos.

Basicamente, ele era um anjo que devia ter caído do céu por ter sido abençoado com tanta beleza, porém Jongin tinha certeza que não era um por obviamente não ter asinhas brancas. E também porque teria que ser perfeito em todos os aspectos, e posar em fotos era de longe uma de suas piores habilidades.

Apenas em colocar uma câmera à frente dele e falar para posar, o garoto já entrava em desespero. Nada saía natural o bastante, parecia forçado; o sorriso que esboçava e a pose era desajeitada, mesmo que fosse sentada, e a única coisa que teria que fazer para a foto ficar pelo menos mais respeitosa era fechar as pernas.

O moreno já tentou ser mais dinâmico, treinando diferentes expressões no espelho de sua casa para ser mais fotogênico, e ficava feliz com a forma que saía bem até com um biquinho ridículo que às vezes via alguns homens em outdoors de marcas famosas. Porém, quando se sentia preparado para tirar uma simples selfie, ele se assemelhava a alguém em um velório dando um sorriso falso.

Quando tinha aniversários de parentes e amigos? Já sabia que era horrível tirando fotos, então fugia a festa inteira das câmeras e celulares, mas no final, uma tia maluca que mal conhecia ou um amigo insistente — lê-se o embuste do Junmyeon — o arrastava e ele acabava sendo obrigado a forçar ânimo e ficar parado por dez segundos até que o maldito retrato fosse tirado. Ou até, em uma situação mais constrangedora, acabavam capturando um momento seu comendo com a boca cheia e o rosto sujo ou tirando meleca do nariz.

O quê? Fazer a limpeza do salão sempre é bom. Não julgue Kim Jongin pela capa.

E você se perguntasse se ele tinha uma rede social sequer, porque aparentemente todas obrigam a ter pelo menos uma foto no perfil, assim, qual seria o motivo de ter uma se não for para dar uma espiada na vida dos outros? Mas é, o moreno até tinha Instagram — o que foi forçado a criar para acompanhar algumas notícias de seus artistas favoritos —, mas se fosse para uso pessoal, estava inativo desde 2015, e detalhe, ele só tinha três publicações, duas delas eram de seus cachorros e a outra era uma sua com uns amigos, a qual achou que estava aceitável pois a cabeça de Kris tampava maior parte da sua.

Twitter? Só teve uma conta, com finalidade de apenas ler aquelas contas de horóscopo, mas acabou esquecendo a senha após um tempo. Facebook? Havia excluído já fazia anos, desde que os seus pais criaram um perfil — preferia não arriscar passar por mais vergonha alheia do que já passava todos os dias, muito obrigado. Snapchat? Ocupava muito espaço na memória do celular, além de nunca ter entendido aquele aplicativo direito. Afinal, aquele lugar era para gente que mandava nudes ou fotos zoadas?

Então o que restou para Jongin passar metade do seu tempo fazendo nada no celular? Qual seria o motivo de ter um se sequer mexia nele e somente respondia mensagens de seus parentes e amigos três dias depois?

Tumblr. É, aquela rede social mais esquecida do mundo depois de 2010, que ninguém normal usava com o intuito de socializar entre pessoas conhecidas e era utilizada apenas pelas pessoas que ou gostavam muito de arte, cantores famosos, anime ou eram fotogênicos e que tinham talentos para um caralho que faziam um simples copo de café do Starbucks parecer “conceitual”.

E por que diabos Jongin se enfiaria nesse meio? Bem, no começo foi só pra ver fanarts fofinhas do seu anime favorito Haikkyu!!, ficar viciado em olhar os gifs se mexendo de um jeito engraçado do Harry Potter e também rindo dos posts nada convencionais e sarcásticos ao extremo. Era um jeito de se distrair no dia a dia, mas acabava ficando na rede social por mais tempo do que deveria por ser algo que apega demais e quando vê, já se passaram horas que estava apenas procurando um ícone bonitinho para colocar no perfil — apesar de que, atualmente, estava usando uma foto própria para vencer seus medos.

Até tinha tentado convencer seus amigos a entrar, mas nenhum deles se interessava em gastar nem três minutos fazendo uma conta para ver um bando de nerds publicando sobre Big Bang Theory ou Friends — sendo que o caminho era bem mais fundo do que apenas gifs de séries.

O moreno não podia julgá-los, tanto porque, quando começou a mexer naquele aplicativo, não tinha a menor ideia do que estava fazendo ou para que servia cada botão. Confessava que já até havia colocado uma foto própria para testar e ver no que acontecia — era uma das únicas fotos decentes que tinha no celular —, mas ela não rendera mais do que dois míseros “gostei”. Depois de um tempo que Jongin foi perceber que não era como o Instagram ou Twitter que a pessoa postava toda a sua vida dentro e sim para pessoas que mais queriam se camuflar do que outra coisa.

A não ser que você fosse gato pra caramba, rico e com um senso de estilo maravilhoso que seria famosinho por ser considerado “aesthetic”. O Kim achava toda essa história de “fotos tumblr” era uma perda de tempo, afinal, quem quer ficar olhando fotos de pessoas que nem conhecia que tinham um bom editor de fotos e uma carinha bonita? Poxa, ele só queria ver fotos de cachorrinhos fofos em paz.

Bem, ele achava isso, até conhecer um usuário que havia tomado sua curiosidade.

Apareceu em uma de suas “sugestões de quais contas e temas deveria seguir” um tal de Ohprincehun, que postava fotos dele mesmo e sobre seu dia a dia. Era uma sugestão totalmente descartável, se Jongin não tivesse lido a descrição engraçadinha “tiro fotos de tudo porque sou esquecido” e dado uma chance para navegar no Tumblr. Que dizer, ele nunca tinha entrado em um desses blogs por conta própria, ele só via umas imagens aleatórias que pessoas reblogavam na suadash, então não faria mal dar uma espiadinha, certo?

Resultado: se Jongin já era viciado o suficiente naquele site, depois de ter visitado essa conta, ficou mais ainda.

Era realmente hipocrisia da sua parte para alguém que revirava os olhos quando aparecia fotos de asiáticos bem vestidos na sua página, mas ele tinha que admitir que aquele tal de Ohprincehun não somente capturava momentos bonitos como o próprio era também bastante bonitinho.

Geralmente os coreanos intitulados Ulzzang tinham a mesma essência de sempre, com suas roupas escuras e cigarros pendurados na boca, mas Sehun — Jongin acabou sabendo seu nome depois de ter visto o seu Instagram — tinha uma vibe diferente dos outros. Conseguia arrasar com qualquer tipo de roupa e fazer ela mais legal do que seria, mesmo tendo uma cor bizarra com um corte mal feito. Não usava roupas caras, mas o seu estilo fazia as peças virarem como se fossem.

Desde as fotos de paisagens até selfies, o blog era esteticamente belo, principalmente porque Sehun parecia ter uma perfeita noção harmônica de como combinar cores, editar e ajustar o foco nas fotos. Sem falar que ele próprio parecia ter sido esculpido por Michelangelo e virado um homem na vida real de tão bonito que era.

O cabelo sempre estava do mesmo jeito: preto e simples, porém impecável. Raramente usava toucas, mas ele não ficava com uma cara de extraterrestre as usando.  As sobrancelhas não eram finas e nem grossas, mas se destacavam em seu rosto de formato V, com mandíbulas salientes que Jongin temia que se encostasse na foto, iria cortar seu dedo.

Pelo que o Kim pôde constatar vendo as fotos do garoto, ele não sorria tanto, contudo, quando sorria, era um sorriso tão puro e bonito que Jongin desejava ver mais vezes, mesmo não o conhecendo pessoalmente. Naquele dia que apertou o botão “seguir”, meio que passou a ter uma quedinha platônica.

O moreno mesmo sabendo que Sehun era de sua cidade — afinal, ele já tinha visto todas as suas publicações —, sabia que não podia confiar em pessoas que conhece na internet, assim logo de cara. Preferiu ser um admirador à distância, apenas acompanhando o blog diariamente, curtindo e reblogando as postagens.

Era meio bobo, mas todo o dia que acordava checava na rede social se o seu crush de internet havia publicado alguma foto nova. Acabou sendo um costume que Jongin não conseguia largar e deixava-o mais feliz quando via Sehun logo de manhã, como se instantaneamente ficasse de bom humor. Ele entendia quando não havia nenhuma novidade e não deixava se afetar por isso, mas admitia que quando acontecia um update, o Kim dava um gritinho interno como um fanboy de carteirinha e corria para mostrar para sua mãe.

— Mãe, ele não é lindo? — Perguntou Jongin, admirando o moodbord do garoto que estava de terno preto com um fundo cinza simples, com maquiagem escura que ressaltava suas sobrancelhas. Só havia duas fotos do Sehun e o resto era de coisas aleatórias como flores, um livro que estava lendo no momento, janelas e etc. Abaixo das publicações, na legenda, estava escrito: Resultado do trabalho de fotografia da faculdade. Acho que ficou ótimo, não acham? Quero receber nota máxima, pois como vocês já sabem, é uma das minhas matérias favoritas ^^ — Ele também era esforçado, olha só!

— Realmente ele é, querido. Mas já pensou em olhar na rua? Tem um monte desses aqui em Seul.

— É verdade que tem muita gente bonita pelas ruas… mas sei lá, prefiro admirar alguém de longe por não ter coragem de puxar assunto com um estranho ao vivo e a cores.

— Bem, você bem que podia conversar com esse tal de... — A mulher apertou os olhos para enxergar melhor o nome do usuário. — Ohprincehun pela internet, já que não se sente bem em falar com as pessoas pessoalmente e tem interesse nele mesmo.

— Eu só o acho bonitinho, mãe… Não é como se eu estivesse necessitado de um homem.

— Acredite, Jongin, você está precisando de alguém. Não aguento mais você falando desse garoto que nem conhece e se lamentando por não ter namorado. Aliás, vê se toma vergonha na cara! Já tem vinte e dois anos, tá na hora de você vazar da minha casa e morar com alguém pra dividir as despesas.

“Nossa, como minha mãe me ama. Quer que eu arranje um homem num piscar de olhos e more num castelo com unicórnios pra não ter que ficar aqui com ela. Bem, ela até que tem razão em me chutar para fora, eu sou bem mala com ela...”

▪▪▪

Com a iluminação fraca da lâmpada e o brilho intenso da tela do computador em cima da mesinha às quatro da manhã, Oh Sehun espremia os olhos sonolentos para tentar enxergar o aparelho em que continha um dos seus sites favoritos.

Dificilmente o garoto de vinte e um anos acordava pela madrugada para ficar que nem aqueles viciados em jogar encarando a telinha do computador, porém, a curiosidade matou o gato — é só uma expressão, nenhum gato foi de fato morto ou machucado, por Deus — após ter postado uma foto no dia anterior um tanto polêmica em uma rede social.

Fiquem calmos, o moreno não é louco de postar nudes pelo Tumblr como certas pessoas fazem para ganhar mais seguidores e curtidas de alguns pervertidos. Sehun apenas estava sem camisa e com um terno por cima, puxando a gravata de um garoto aleatório e o beijando.

Tá, e aí? Tumblr é tipo a rede social que tem a maioria da população LGBT, não é como se fosse uma novidade.

Bem, realmente a foto não tinha nada fora dos padrões do site, porém, desde que postou aquela foto, sua caixa de mensagens quase lotou com milhares de perguntas de garotinhas fujoshis que aparentemente adoram ver animes do gênero Yaoi.

O número de perguntas com Meu Deus! Você devia fazer um live action de Yaoi!, É top ou bottom?E Puxa, você deve ter uma pegada daquelas! Conta mais o que aconteceu aquela noite!, era quase incontável se não fosse pelo contador do próprio site. Sehun era famoso no Tumblr pelos seus posts, mas nunca tinha recebido tantas Asks em uma madrugada só!

Ainda que aquela foto fosse uma das mais antigas que guardava em seu celular, quando os seus cabelos eram tingidos em um amarelo ovo. Só tinha postado aquela desgraça pois estava bêbado e triste escutando The Smiths com um pote de sorvete no colo e cantando em um inglês desengonçado, tentando imitar o jeito de Morrissey e incomodando seus vizinhos; pois seu namorado de longa data, Kyungsoo, havia dado um pé na bunda dele e fugido com um tal de Kim Jongdae.

Sehun já conhecia o aviso se beber não dirija, mas naquela noite aprendeu o se beber, desligue o celular.

De qualquer jeito, a foto não era um grande problema para si, afinal, era só excluí-la, nunca responder aquelas meninas estranhas e ponto final, apesar de que aquela foto era a que mais tinhanotas entre todas as suas outras, o que era até engraçado, pois a sua conta Ohprincehun era uma das mais famosas do site e ele nunca tinha visto alguém rebater os seus números de seguidores e atividades.

O blog do moreno era um dos mais tradicionais, contendo posts esteticamente belos de paisagens de onde passava, comidas que conseguiam ficar mais bonitas que muita gente por aí se fossem focadas da maneira certa, e até ele mesmo posando com milhares de roupas conceituais.

Tumblr era uma das redes sociais em que todo mundo comenta pelo mundo, mas nunca participa ativamente colocando suas próprias criações como Sehun fazia. Ele era conhecido pela sua criatividade e espontaneidade, sendo reblogado com maior frequência todos os dias mais do que qualquer outro pelas suas habilidades fotogênicas tanto como fotógrafo e como modelo.

Desde criancinha, Oh queria capturar momentos com um piscar de olhos, apertando-os fortemente para nunca esquecê-los. Via seus pais com uma câmera fotográfica e raramente eles o deixavam mexer nela, afinal, era uma criança distraída que poderia quebrar o aparelho com facilidade, então os maia velhos compraram aquelas de brinquedo da Fisher Price, como se pudesse contentá-lo somente com a mudança de imagens que já vinham coladas ali. Bem, até que por um tempo Sehun conseguia fingir que gostava de brincar com aquilo, mas aos seus dez aninhos de idade, teve que colocar uma máquina real na sua lista de desejos para que o “papai noel” — lê-se o seu irmão que colocava as roupas do bom velinho do nada na celebração de Natal — lhe desse esse presente tão pedido há cinco anos.

Por tanta insistência, os seus pais concordaram em dar uma de simples modelo que não fosse tão cara para o filho, que ficou mais feliz do que o meme do garoto do Blastoise e o do Nintendo 64.

E não deu outra, o gurizinho ficou fissurado naquele objeto mágico que registrava momentos. No começo, suas fotos eram terríveis, todas tremidas e fora do ângulo, mas qual é, Oh tinha somente dez anos, que é a idade que você se gaba por ter dois dígitos. Seu irmão mais velho acabou tentando ajudá-lo a tirar fotos melhores e, a partir daí, foi fácil, fácil.

Aos doze anos, preferia tirar belíssimas fotos de borboletas do que ficar jogando o famigerado beyblade caro dos amigos. Ou melhor, tirar fotos deles enquanto brincavam, as reações ficavam incríveis na lente da câmera.

Sehun acabou caindo com a fuça naquele mundo fotográfico, e uma vez que você entra, não sai mais de lá, principalmente se for um dos representantes do jornal da escola, responsável por qualquer tipo de fofoca ou evento que possa ser divulgado — pela permissão do colégio e dos alunos, óbvio. Oh era uma pessoa racional.

Ha, até parece.

Okay, então vamos considerar que ele era, sim, racional na hora de divulgar o que era certo no jornal da escola, porém, e ao terminar o ensino médio e ter que decidir o que escolher da sua vida? Sehun com certeza era a pessoa mais perdida do mundo. Até mais que os Garotos Perdidos do Peter Pan.

Por fim, afogado no meio de tantas faculdades para optar, cursos para realizar e profissões para exercer, chegou à conclusão que não seria nem um pouco feliz com a escolha de uma coisa que apenas faria para ganhar dinheiro. Seu pai queria que se tornasse médico, advogado ou engenheiro, porém resolveu escolher por Design Gráfico, que abrangia, quase, todas as coisas que mais gostava de fazer.

Bem, acabou rachando o bico com o seu pai, até conseguir uma bolsa para uma faculdade pela qual o mais velho não precisaria pagar e provou que queria escolher por conta própria o que iria fazer pelo resto da vida até que ficasse gagá e teria que frequentar lares de idosos.

Então terminou provando para o pai que sua escolha não havia sido em vão, já que Sehun era um dos melhores alunos do curso. Se esforçava, pedia conselhos a veteranos e procurava melhorar cada vez mais para conseguir ter uma carreira boa no futuro. Embora gostasse de festas de faculdade, várias vezes preferiu ficar no canto do seu quarto aprimorando seus projetos.

Por mais que odiasse admitir, não tinha muitos amigos no começo da faculdade, até que duas pessoas simpáticas vieram a falar consigo para ajudá-los em um trabalho fotográfico do curso de Jornalismo. Zhang Yixing e Byun Baekhyun acabaram sabendo que Sehun era um dos melhores alunos para esse tipo de trabalho e os namorados não perderam tempo em pedir um auxílio extra.

O mais novo ficou feliz que, depois do trabalho árduo, não sentava mais sozinho nos recreios — intervalos, como Yixing gostava de ressaltar, já que ninguém aos seus dezoito anos de idade fala recreio — e que suas amizades acabaram virando mais fortes. Um único problema era que o casal não se desgrudava e, ás vezes, Sehun acabava ficando de vela.

Contudo, Yixing não viu problema em ajudá-lo a encontrar uma paquera. Falava sobre alguns detalhes de garotas para ele e até apresentou algumas de suas amigas, porém Sehun nunca admitia que era gay para ela até encontrar Do Kyungsoo.

Argh, ele se arrependia de como foi tão bobo por gostar dele e depois de alguns meses Kyungsoo o abandonar para ficar com um artista que vendia arte na praia.

Baekhyun e Yixing não viam problema com o relacionamento de Sehun, porém, quando o menino recebeu o primeiro pé na bunda, resgataram a bebida e o pote de sorvete para falar umas poucas e boas na madrugada, escutando músicas tristes.

E, consequentemente, Sehun se encontrava com uma dor de cabeça das brabas, encarando a tela do computador com cara de peixe morto, excluindo aquela foto ridícula e se explicando em um post que a imagem foi somente um engano. Se seu humor já estava ruim, agora estaria pior se não fosse por uma das suas contas preferidas chamada kimkawaii.

Não sabia dizer quando, mas por muito tempo percebeu que aquele blog o acompanhava com muito carinho, sempre reblogando e curtindo suas fotos que postava no Tumblr diariamente. Sempre se destacava entre todos os URLs que tinham em suas notificações, como se aquele nome instantaneamente deixasse um brilho nos olhos de Sehun.

Oh sempre gostou de elogios —afinal, quem não gosta? —,  e dava pra ver que aquela pessoa gostava do trabalho que postava na rede social e isso o deixava imensamente feliz por ter alguém que apreciasse o que ele fazia. Como toda pessoa no mundo, Sehun sempre dava aquela espiadinha no perfil, esperando uma notificação nova das coisas engraçadas que o seu seguidor postava.

Era um pouco bobo, mas às vezes se permitia admirar o ícone de kimkawaii e perceber o quanto aquele menino da foto era fofo! Porém, depois se repreendia por ter um namorado e deixava o pensamento de lado.

Agora que estava sozinho, e com o coração quebrado, não viu motivo de não olhar mais um pouco para a foto. O garoto usava uma camisa xadrez simples e tinha pele morena, os olhos eram inocentes e redondinhos, e na boca formava um biquinho que dava vontade de morder. Sobre sua cabeça, havia um efeito de uma coroa de coraçõezinhos, o que deixava tudo mais adorável.

Suspirou. Já que estava na merda mesmo, não seria tão ruim se mandasse uma mensagem direta pelo site dizendo obrigado, certo?

▪▪▪

Um grito soou pela residência dos Kim.

Jongin não podia acreditar no que os próprios olhos estavam vendo na telinha do celular. Mexia a cabeça freneticamente e se beliscava, em uma tentativa estranha de “acordar no sonho” que estava vivendo.

Aquilo não podia ser real. Desde quando o seu amorzinho platônico do Tumblr estava o chamando para conversar?

8 de outubro de 2017, 04:38

Ohprincehun

Olá, tudo bem?

Queria agradecer por sempre acompanhar meu blog <3

Sou fã da sua conta, me mato de rir em quase todos os posts

Vi que é de Seul também...É você mesmo na foto de perfil? Não me leve a mal, apenas quero conversar, mas queria te dizer que você é lindo demais.

Com aquelas simples quatro frases, Jongin já podia sentir seu coração querendo saltar para fora. Se quando ele via somente as fotos de Sehun e quase desmaiava de amores, agora mesmo iria ter um ataque de pelanca.

E por Deus, ele o achou não só bonitinho, como qualquer um, mas lindo! O Kim geralmente recebia vários elogios, porém, aquele pareceu realmente sincero e fofo, mesmo tendo sido feito através de uma mensagem. E também que gostava de seus posts engraçados, que provavelmente teria lido sua biografia a qual mencionava sua sexualidade como a maioria das pessoas naquele site faziam. Se Jongin fosse hétero, Sehun não teria “dado em cima” de si. Ok, não foi tecnicamente um flerte, mas dava a entender que ele queria saber mais sobre si.

Estava certo também que Sehun era, ou pelo menos tinha tendência, pois já havia comentado algumas vezes em seus posts. E sabia que ele postou uma foto recente que estava beijando um garoto, mas nunca chegou a ver, já que o Oh colocou-a enquanto ele estava dormindo e excluiu,  então ele pôde notar o “pedido de desculpas” que  havia escrito.

Estava tão nervoso que não sabia segurar o telefone adequadamente. Não conseguia nem pensar adequadamente em uma resposta decente! O pior de tudo era que, um dia antes, sua mãe dissera para puxar assunto com o crushizinho da internet, e logo no outro dia Sehun aparece querendo conversar.

Ficou desconfiado. Não fazia ideia se sua mãe sabia demais, ou se um stalker estava o vigiando. Não fazia ideia em quem confiar, por isso saiu correndo até o quarto da Sra. Kim e foi com a intenção de a acordar para mostrar as mensagens recentes. A morena estava com a coberta até o queixo e com um sorrisinho no rosto, denunciando que provavelmente estava tendo um bom sonho.

Pena que o embuste do seu filho iria ter que acordá-la.

— Mãe… Acorda! Oh Sehun me mandou mensagem, você precisa me ajudar no que responder. — Jongin falou calmamente, dando leves cutucadas na bochecha da mulher, que logo desfez o sorriso do rosto e virou de lado, ignorando completamente a tentativa do filho. — Vamos, mãe! Acorda, por favorzinho!

— Arranja uma coisa pra fazer, Jongin, não me enche. Vê se aproveita e lava a louça de ontem.

— Aish, omma. Preciso da sua ajuda, é sobre o Sehun! A senhora é a única que vai entender.

A mais velha virou novamente para o lado do filho, sentando se na cama e tirando a máscara de olhos com estampa do Gudetama.

— É bom que sua história seja boa o suficiente para me acordar cedo em um domingo, moleque. — Reclamou. — Ok, pode começar. Sou toda ouvidos.

— Mãe, você não vai acreditar. O Sehun me chamou pra conversar no Tumblr! — Jongin disse, sentando-se ao lado da mãe na cama, colocando o telefone perto dos olhos dela e mexendo freneticamente.

— Primeiramente, filho, eu acabei de acordar e não estou raciocinando direito. Quem é esse tal de Zehun? E estou sem óculos, querido, não enxergo nada de perto. — Ela pegou o celular e afastou para tentar ver melhor por conta do problema de vista que quase todos os adultos têm depois que atingem os quarenta, a maldita....

— É Sehun, omma — Jongin disse, pegando o óculos de armação amarela berrante perto do criado mudo. Aquele era o óculos mais feio que o filho já tinha visto, não sabia de onde sua mãe tirava tamanha cafonice em usar aquele modelo pequenininho em formato de “gatinho” nas pontas. — Ele é aquele cara que eu sempre mostro a foto dele para você, sabe?

— Ah! O garoto bonitinho, lembrei. Então o que aconteceu mesmo? — A mãe ajeitou o óculos, lendo a conversa e Jongin bufou, pois tinha acabado de falar, mas não culpava a mãe, pois (quase) ninguém entende nada do que acontece quando acorda.

— Ele me chamou pra conversar! Lembra que você disse que eu deveria conversar com ele?

— Aham.

— Não acha uma coincidência enorme? Sehun querer puxar conversa comigo assim quando você mesma disse que era pra eu fazer isso?

— Às vezes, coincidências acontecem. — Deu de ombros e depois de ter terminado de ler a conversa, ela sorriu. — Aww, que fofo! Adorei esse Zehun. Além de bonito, é bem educado também.

Jongin não pôde evitar sorrir. Pelo menos sua mãe concordava consigo.

— Então, o que a senhora acha que eu faço?

— Ué, puxa conversa com ele, óbvio! — Fez uma careta de “você é burro, menino?”.

— Tá, mas sobre o quê? Simplesmente não posso chegar e falar: Nossa, sou fã do seu blog também e te acho maravilhoso! — Jongin fez uma voz animadinha e afinada, como se estivesse imitando uma menininha, e depois sua mãe deu uma olhada repreendedora nele para parar porque já estava ficando feio.

— Filho, eu estou ficando velha e só aprendi a arte da sedução em tempos diferentes do seu. Não sei bem como te ajudar nessa situação, afinal, não estou tão atualizada, mas se quer saber um conselho de mãe, eu diria apenas para deixar rolar.

— Deixar rolar? Desde quando mães falam isso?

— Você entendeu, Jongin. Só conversa normalmente com ele! — Exclamou e voltou a deitar na cama, ignorando a presença do filho e dormindo novamente.

O moreno suspirou. Se fosse com qualquer pessoa que conhecesse, não teria tanta insegurança, mas com aquele garoto parecia diferente. Não sabia como era pessoalmente, porém Jongin tinha algum tipo de carinho não compreendido por ele. Ao mesmo tempo que queria conversar, também estava nervoso caso desse algo errado.

Retornou ao seu quarto, jogando-se na cama. Poxa, o que custava mandar uma simples resposta normal? Não é como se algum dia eles se tornassem super amigos ou Sehun acabasse o odiando. Era apenas uma simples conversa, não tinha o que se desesperar.

Quer dizer, ele era a pessoa que o fazia sorrir apenas olhando para a foto e eles viviam na mesma cidade, mas Seul tem o quê? Dez milhões de habitantes? No meio de tantos sul coreanos, era difícil encontrar o cara mais lindo da Terra. Era como jogar “Onde está Wally?” na vida real na fase mais complicada possível. Além disso, não é como se Ohprincehun estivesse com uma blusa listrada vermelha e branca, um óculos e uma toquinha vinte e quatro horas por dia.

Alcançou o aparelho, desbloqueando a tela — senha era a data do aniversário do seu cachorro, patético —, e ali encontrou as exatas palavrinhas que fizeram suas mãos tremer. Não pensou muito em uma resposta elaborada, apenas respondeu de modo direto e automático.

8 de outubro de 2017, 9:23

Kimkawaii

Olá!!! Tudo bem, sim, eu que digo obrigado por também gostar da minha conta. Eu pessoalmente amo demais a sua, se desse para curtir cem vezes, eu o faria.

Haha está dizendo que eu sou bonito? Já olhou pra si mesmo? Quer dizer, você é todo fotogênico e tal, eu apenas enfiei um filtro de coração e fiz uma caretinha.

Mas de qualquer jeito, obrigado. Vindo de você esse elogio, eu apreciei bastante <3

Jongin quase ia desligar a tela, já que pensava que o menino iria demorar a responder, pois era um domingo de manhã, e pelo o que tinha visto, a mensagem havia sido mandada de madrugada. O Kim não podia nem pensar em dormir tão tarde porque, primeiro, sua mãe pedia para ir dormir às vinte e três horas, no máximo, e segundo, que ele mesmo não aguentava ficar acordado por tanto tempo. Porém, antes mesmo de apertar o botãozinho, um balãozinho de resposta apareceu.

Ohprincehun

Bem, eu tenho que encarar a minha cara todos os dias no espelho, e embora pareça que eu sou metido (não sou), eu gosto dela. Porém, devo dizer que você é bem lindinho, sim senhor. Sua careta me encantou, ok?

E fotogenidade é uma coisa que é natural da pessoa, mas dá pra se aprender pegando a manha. Tiro foto desde que eu era novinho, sempre gostei de guardar momentos (até porque eu sou um pouco esquecido de vez em quando).

Com o tempo, acaba percebendo quais são os seus melhores ângulos e fica tudo certo no final. É questão de prática.

Kimkawaii

Certo, não me convenceu. Você pode ser incrível tirando fotos, mas eu sou péssimo, é sério. Mas obrigado de qualquer forma pelas palavras de incentivo.

Ohprincehun

Acho que você está sendo um pouco pessimista, só isso. Mesmo não sendo fotogênico, o que mais nós precisamos é nos soltar.

Seria atirado dizer que poderia te ajudar com isso, afinal, mal te conheço. Mas sabe, se quiser, algum dia, poderíamos...

Não quero te assustar, só quero alguém pra conversar.

Kimkawaii

Se eu gostar de você, quem sabe um dia.

É, você pareceu um pouco, mas aposto que não é por maldade. Aconteceu alguma coisa? Quer dizer, é no mínimo estranho querer conversar com alguém virtualmente sendo que pode conversar com um amigo, ou sei lá.

De qualquer jeito, sou todo ouvidos. Não tenho nada pra fazer hoje mesmo.

 

Ohprincehun

Uhm, eu não esperava que fosse aceitar, agora não sei por qual parte começo.

Kimkawaii

Talvez pelo começo?

Rs

▪▪▪

Dizer que Kim Jongin não olhava de cinco em cinco segundos para a tela do celular disfarçadamente no trabalho esperando por mais mensagens de um garoto especial que vinha invadindo seus pensamentos seria mentira.  O pior era que ele nem conseguia fazer isso disfarçadamente.

Estava estampado na sua cara frustrada que estava doidinho por alguma mensagem depois do que aconteceu no dia anterior, a tarde toda.

O caso foi que Jongin, do jeito desocupado que era, não se importou em ler todas as coisas que aconteceram com Sehun e seu relacionamento que foi rompido. Não se importou de escrever algumas palavras bonitas de superação ridículas que encontrou no Google ou que sua própria mãe dizia — que de inspiradoras não tinham nada — para o menino ficar mais felizinho. Nos primeiros minutos de conversa, o Kim não esperava que fosse ser um porre ouvir um homem reclamando tanto, mas fez isso porque concordou em “ouvir” o que ele dizia.

Pelo menos a conversa sobre relacionamentos não durou tanto depois que Jongin mandou mais uma das frases de sua mãe para Sehun cair na real e esquecer aquele tal de Kyungsoo. O filho tinha herdado o tanto de paciência que a Sra. Kim tinha: nenhuma.

E então, o moreno resolveu mudar de assunto. Poxa, se o chamou para conversar, conversasse de coisas boas, não é mesmo? De ruim já tinha sua vida, agora tinha que ler também a dos outros?

Mentira, menino Jongin sempre amou sua vida, porém todo mundo tem aquelas decaídas “queria star morto”.

Mesmo que suas esperanças estavam baixas depois da bomba que Sehun tinha falado, apesar de tudo, rendeu papo até às duas da manhã de segunda feira, também rendendo a Jongin um belo par de olheiras e bocejos intermináveis.

Quem vê pensa que o Kim falava sobre conspirações do universo com seu crush, mas na verdade era só bobagens, como a típica batalha do “é biscoito ou é bolacha?”, que acabaram sendo suas conversas mais sem noção que já teve na vida. Não podia estar mais feliz de ter descoberto esse lado piadista e idiota do garoto Tumblr, coisa que não teria esperado nunca de uma pessoa tãoconceitualzinha.

Agora, quem era o idiota da história— ou melhor, mais idiota — era Jongin que vivia checando pelo rabo do olho o celular, enquanto o chefe da livraria não via, ou quando um cliente não estava por perto. Fazia truques óbvios como fingir que estava só checando o horário ou que precisava atender o telefone, pois era um ligação importante.

Porém, nada de Sehun até as onze da manhã, que foi quando o moreno deu um berro em plena livraria e deu pulinhos animados no caixa. Quando viu que estava pagando mico, fingiu que tinha batido o pé em alguma coisa e ficou reclamando para ninguém perceber que estava surtando porque recebeu uma mensagem.

— Ouch, essa batida que eu dei tá doendo muito... — Disse enquanto massageava o pé por cima do sapato com uma careta forçada no rosto. Além de não ser fotogênico, Jongin era um péssimo ator.

Quando viu que ninguém estava olhando mais o seu terrível fingimento (ou pelo menos, aparentavam que não para que o atendente não sentisse mais vergonha ainda), desbloqueou novamente o celular e foi ver com as suas migalhas de 3g que estavam sendo reservadas justamente para falar com o Oh.

9 de outubro de 2017, 10:02

Ohprincehun

Olá!! Bom dia ^^ já comeu de manhã?

Kimkawaii

Bom dia!

Sim, eu comi BOLACHA.

Obrigado por se preocupar...

Não está mandando mensagens em plena aula, está?

OhprinceHun

É BISCOITO.

Talvez...

 Jongin revirou os olhos. Por mais que amasse que Sehun o mandasse mensagens, ele achava muito incômodo conversar com outras pessoas quando estão ocupadas.

Kimkawaii

Sehun...Você é uma criança!

E crianças têm que prestar atenção na aula.

Por mais que eu queira conversar com você...

Ohprincehun

Eu tenho vinte e um!

Você só é um ano mais velho, não exagere.

E qual é, a aula tá um puro tédio, hyung!

Kimkawaii

Quase me convenceu pelo hyung.

Tente melhor, se não eu vou embora.

Ohprincehun

Jongin hyung senpai supremo, por obséquio, poderia conversar comigo?

Vou ter que te chamar de oppa também?

▪▪▪

14 de dezembro de 2017, 17:03

Oprincehun

Hey, você não vai acreditar em quem eu estou vendo agora!

Kimkawaii

É alguém famoso certo?

Não me diga que você viu Lee Taemin

Se for tirar foto com ele, mostra uma minha!

Faz o favor de pegar um autógrafo

Ohprincehun

Não é o Taemin, é melhor ainda!

Eu fui comprar um presente de Natal pra minha mãe em uma livraria e encontrei a pessoa mais linda do mundo!

Kimkawaii

Aposto que não é mais bonito que você, aliás, gostei da nova foto que postou

Você fica bem de amarelo

Ohprincehun

Claro que é mais bonito que eu, afinal, é você.

Kimkawaii

Eu o quê?

Ohprincehun

Eu tô vendo você, idiota, olha pro seu lado esquerdo.

Jongin moveu o rosto lentamente, olhando de esguelho para o lado e encontrou ali o amor da sua vida que vinha conversando durante quase dois meses.

Tinha que admitir que achava bobeira essa história que pode se apaixonar por alguém mandando mensagens, por isso sempre não gostou do Tinder — assim como também não gostava das outras redes sociais —, mas realmente parecia que toda vez que conversava com Sehun era tão natural que eles só pareciam amigos de longa data que se separaram quando o colegial acabou.

Sehun parecia tão bem quanto nas fotos que tirava, porém ver de perto aquele sorrisinho de canto e os olhinhos pequenininhos era bem melhor ao vivo do que em uma simples tela de celular.

Naquela tarde, Jongin acabou descobrindo que além de Sehun ser uma pessoa magnífica de pertinho, pôde fazer com que ele fosse seu modelo particular por brincar de tirar tantas fotos do mais novo nas posições mais diferentes.

E não pensem que o Kim se safou de tirar fotos, pois o próprio Sehun era um fotógrafo nato e precisava guardar todos os detalhes do moreno. Por mais que não gostasse de admitir, se fosse para ser o garoto Tumblr do Oh, ele seria com todo o prazer.


Notas Finais


Primeiramente OBG PELA BETAGEM @etnom vc é milagrosa <333 e @dangomochi
Senha: hunnienenêdonini
Obg por lerem até aqui, espero que tenham gostado aaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...