História Estações - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Minakushi, Naruhina, Naruto
Visualizações 14
Palavras 3.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Desculpem a demora.
Senti falta de interações. A fic tem um prólogo e 4 capítulos e um comentário apenas. :(

Capítulo 5 - Capítulo 4


Eram quase quatro horas da manhã quando Hinata acordou. Ela olhou para o outro lado do quarto e viu Tenten ainda dormindo. Então se levantou e saiu em silêncio dali.

A menina Hyuuga seguiu até o pátio aberto, o mesmo no qual Naruto e ela estiveram na noite de dois dias atrás. Ela sentou-se sobre o chão seco de terra batida do grande pátio e olhou para o céu.

Havia perdido completamente o sono.

Havia transcorrido pouco mais de meia hora quando Naruto chegou e se assentou ao lado dela. Logo ele passou a observar o fim da madrugada junto de Hinata.

— Faz tempo que acordou? — Ele puxou assunto depois de alguns instantes.

— Acho que faz menos de uma hora. — Ela contou — E você? Parecia estar andando já há algum tempo.

Ele concordou com um balançar de cabeça.

— Não dormi quase nada. — Confessou ele.

— Isso não me impressiona. Você não costuma perder o sono por ansiedade, sempre foi dorminhoco, mas não estamos vivendo algo corriqueiro. Será a primeira vez que sairemos de Konoha, a Cidade da Folha, e não é como se estivéssemos indo a um passeio, não é mesmo?

Ele sorriu pequeno, sinalizando que concordava com a linha de raciocínio da jovem Hinata.

— Daqui a pouco começa a amanhecer e você não se despediu da sua família. Quero dizer, sabe como a Hanabi vai ficar reclamando por sairmos em missão e não termos nos despedido dela. Ela sempre reclama do Neji por isso.

Naruto riu e ela também.

— Não posso discordar. — Disse Hinata e então suspirou.

Naruto viu a expressão dela e coçou a bochecha com a ideia que lhe acometeu.

— Ainda não amanheceu, então eu pensei aqui, agora, que nós podíamos ir lá antes de sairmos em missão. Acho que ainda há tempo. — Ele sugeriu sem muita segurança em relação ao que dissera. Já estava amanhecendo. Talvez não tivessem muito tempo, ele ponderou internamente.

Hinata sorriu pequeno.

— Minha casa fica a mais de uma hora de distância daqui, Naruto-kun. Não acho que daria tempo de ir e voltar antes da missão. Mas eu agradeço, você é sempre muito gentil.

— Er... er... — Ele ficou encabulado com o comentário dela.

E os dois ficaram ali, em silêncio, um ao lado do outro.

 

 

No dormitório masculino, Neji foi o primeiro a acordar. Suspirou quando viu que a cama de Naruto estava vazia. Ele não se preocupou em acordar os outros. Lee tinha um relógio biológico assustadoramente preciso e Shikamaru sempre acordava segundos antes do despertador tocar e ficava com uma cara de marmota resmungando. E, mesmo que dormisse em dormitório distinto, quando dava a hora de se reunirem, Tenten sempre estava lá.

O Hyuuga seguiu pelo corredor, já com um destino certo em mente. Ele parou a uma certa distância e encostou-se em uma parede, cruzou os braços e ficou observando a irmã mais nova e o melhor amigo dela ‒ Naruto — mais adiante. Ele fechou os olhos por alguns segundos quando viu o capitão Kakashi se aproximar.

— Neji-kun, como sempre, o primeiro a levantar. — O homem comentou simpático, embora não demonstrasse muito ânimo.

— Kakashi-san, o senhor diz isso, porém é quem sempre acorda primeiro. Afinal, quando eu levanto você já está rodando por aí. Às vezes, me questiono se o senhor dorme realmente. — Ele acusou.

Kakashi riu sem som.

— Mas acho que hoje nós dois fomos passados para trás. — O rapaz completou.

Neji então fez um singelo gesto com o queixo, indicando o local mais à frente. Kakashi olhou e viu Hinata e Naruto mais ali na frente.

— Veja só! Eles parecem ser muito amigos, hm?! — Ele mais afirmou do que perguntou, apesar do leve tom de indagação.

Neji vincou levemente as sobrancelhas.

— Não me entenda mal. Mas eu não consigo saber se isso é realmente bom. Olhe só para eles! Está na cara que há algo e eles não percebem. Tenho medo que alguém acabe mal no fim, e não me refiro a decepções. Acho que você entende o que quero dizer.

Kakashi balançou a cabeça em concordância.

— Porém, você nem qualquer outra pessoa pode fazer algo realmente, certo?! Acredito que o melhor é deixar que eles resolvam tudo com o passar do tempo. Ficar se afligindo não resolverá nada. Você deve apenas focar-se em protege-los durante a expedição para que depois possa se preocupar com isso. Não acha? — Ele perguntou — E, também, acredito que vocês encontrarão algo verdadeiramente relevante por agora. Mas é só um palpite.

Neji suspirou.

— O Shikamaru odeia seus palpites. Diz que são sempre problemáticos.

Kakashi apenas sorriu e acenou. Foi-se então, sendo seguido pelo olhar de Neji até desaparecer ao virar o corredor.

Neji suspirou e saiu dali, deixando Hinata e Naruto.

 

 

Naruto e Hinata ficaram no pátio vendo as estrelas sumirem conforme ia clareando até o nascer do sol, o qual acontecia em Konoha sempre às 6h09min desde seis anos atrás.

E quando o relógio marcava exatamente 6h50, estavam todos reunidos em frente ao portão de Konoha. Era um grande portão de madeira pintado de verde fixado na grande muralha que cercava e protegia a Cidade da Folha.

— Espero que tenham verificado se estão trazendo apenas o necessário. Não queremos ficar agarrados ou tendo problemas de locomoção por estarem trazendo artefatos supérfluos. — Neji dirigiu-se a Naruto e Hinata.

Eles assentiram.

— Vejo que não trouxeram barracas, então acredito que estão com sacos de dormir infláveis. É a opção mais inteligente, afinal. Barracas e cobertores fazem muito volume e peso. — Ele elogiou. — Bom, como sabem, iremos até a ‒ recém-descoberta por nós ‒ área em branco do mapa. Espero que se lembrem de não se separarem do grupo. Evitem ao máximo se afastarem, para que não se percam em nenhuma área de difícil locomoção e territórios confusos. E lembrem-se que, ao atravessarmos este portão, demonstramos que não tememos o que vem de fora, que nos importamos com Konoha e todo o povo do País do Fogo. Dizemos também que honramos e reconhecemos os esforços de todos aqueles que nesses seis anos bravamente enfrentaram as adversidades que o clima instável no mundo trouxe.

— É uma promessa! — Naruto falou — Enquanto houver vida em mim, lutarei com todas as minhas forças para encontrar uma solução, mesmo que eu vá me arrastando pelo chão.

As palavras dele surpreenderam a todos.

— Eu farei o meu melhor também! — Hinata disse logo após ele.

Shikamaru coçou a cabeça e verificou as horas em um relógio amarrado em seu pulso.

— Está na hora!

Neji concordou e então sinalizou, indicando a permissão para saírem.

 

 

 

— Neji, já estamos andando há pelo menos sete horas e ainda não paramos pra comer. Estou morrendo de fome! — Como que para realçar suas palavras, o estômago de Naruto roncou enfurecido.

— Você deveria ter trazido algo para comer enquanto andamos. Não me culpe.

— Você disse para trazer apenas o necessário. — Naruto acusou.

— Até onde sei, comer é algo necessário. — Neji rebateu.

— Aqui, tome algumas pílulas de comida! — Tenten tirou as pílulas da mochila e lhe estendeu a mão. — Você devia ser mais prevenido, Naruto. A missão pode durar dias, semanas e até meses e você não traz nada para comer?! — Ela pontuou.

— Pensei que poderia estragar. — Ele se defendeu.

— Mesmo assim! — Ela replicou — você pensou que é sempre fácil encontrar alguma comida por aí? — Ela indagou e apontou o espaço em volta com os braços.

Naruto visualizou as árvores secas e o farelo que sobrou das folhas pelo chão. Coçou a cabeça constrangido.

— He... obrigado, Tenten.

Ela sorriu pequeno.

— Como você é idiota!

— Ei! Eu estou agradecendo e você me ofende?!

— O simples fato de você está agradecendo, não retira por si só a sua idiotice.

— Naruto, pare de reclamar! — Shikamaru resmungou.

— A quatro horas daqui há local em que costumamos acampar. Lá nós iremos tentar resolver o seu problema. — Neji comentou.

— Naruto-kun eu trouxe bastante comida, posso dividir um pouco com você. — Lee disse e fez sinal de positivo com o polegar.

— Eu não trouxe muita comida, mas também posso dividir com você, Naruto-kun. — Hinata comentou.

— Hinata, sobrancelhudo. Vocês são companheiros de verdade, não são como esses dali. — Ele apontou.

Tenten irritou-se.

— Eu dividi minhas pílulas de comida com você também!

— Mas me chamou de idiota, então anulou sua boa ação!

— Vocês não são capazes de seguir em silêncio?! — Neji deu bronca.

Então eles calaram-se e seguiram em silêncio até o local aonde iriam acampar.

 

 

Após quatro horas, eles realmente chegaram em um local para acampar. Mas o lugar era diferente do que Hinata e Naruto esperavam.

Há poucos minutos de onde estavam, a paisagem já começava a se modificar. As árvores secas iam ficando para trás e dando lugar a outras com folhas que ameaçavam esverdear até chegarem perto de árvores verdinhas e saudáveis, algumas frutíferas até.

— Ei, nós ainda não estamos no País do Fogo? — Naruto perguntou. — Não sabia que havia um lugar assim ainda por aqui. — Completou admirado.

Hinata tirou um papel dobrado do bolso e abriu um mapa do País do Fogo.

— Se consideramos a distância que estamos de Konoha, eu diria que estamos aqui — Ela indicou para Naruto — e ainda teremos que andar quase dois dias para sairmos do País do Fogo aparentemente.

Neji desviou um pouco do caminho e empurrou alguns arbustos, mostrando uma trilha estreita que começava ali.

— Nós costumamos acampar por aqui. É uma trilha curta e tranquila, cerca de dez a doze minutos de caminhada. Mas tenham cuidado, e evitem tocar em algumas árvores que vocês não reconheçam, pois existem bastantes plantas venenosas na trilha.

— Só na trilha? — Hinata perguntou achando estranho.

— É. — o irmão mais velho respondeu e deu de ombros. — Venham!

 

 

Quando atravessaram enfim a trilha, eles se depararam com uma pequena campina aberta cercada por uma vegetação tropical nativa do País do Fogo e um outro caminhozinho aberto mais adiante.

Os outros jogaram suas mochilas no chão e Shikamaru já deitou a cabeça em cima da sua e fechou os olhos se espreguiçando.

Naruto e Hinata imitaram o gesto deles e colocaram suas mochilas no chão também.

— Por ali há algumas nascente e pequenos riachos com poços rasos aonde podemos beber água e tomar banho. — Neji apontou o outro caminho. — Nós colocamos esses troncos aqui no chão para sentarmos e comermos. Só fazemos fogueiras para esquentar a comida, pois com podem ver está já noite e não escureceu muito. Como não há dias nublados por agora, fica o tempo todo bem claro durante a noite.

— Naruto, você pode encher um saquinho desses com frutas — Shikamaru lhe disse e jogou um rolo de sacos plásticos para ele. — Só não exagere porque senão elas vão estragar.

Naruto agarrou o rolo e destacou dois saquinhos e jogou de volta para Shikamaru.

— Eu pensei que você já estava dormindo. — Naruto comentou.

Shikamaru pegou o rolo e nem respondeu.

— Se quiserem encher os cantis de vocês, é só seguirem até o final da trilha. — Tenten falou. — Eu recomendo que não demorem muito para se arrumarem. Vamos dormir cedo, pois partiremos daqui ainda de madrugada. E se quiserem se limpar o momento é esse. Não sabemos se iremos encontrar mais locais para isso.

Naruto foi o último a ir tomar banho, ele aproveitou o pequeno poço de água para se abaixar e colocar todo o corpo embaixo d’água. Quando terminou o banho, reclamou que ninguém avisou que a água era tão quentinha.

— Eu achei a água um tanto fria. — Hinata comentou encabulada.

Naruto estranhou.

Já estava tarde e as meninas dormiram no lado contrário aos meninos.

Ainda pela madrugada, antes de o sol nascer, Neji acordou a todos para que seguissem caminho.

Eles seguiram por uma zona montanhosa do País do Fogo para evitar terem que cruzar território estrangeiro e possíveis coações.

A trilha era estreita e tiveram que andar em fila única. Em alguns trechos da montanha precisavam andar de lado e encostados na parede de pedra devido ao espaço pequeno. Havia também algumas cavernas extremamente escuras nas quais tiveram que seguir com apenas uma lanterna pouco potente que Lee sempre levava com ele.

Eles acamparam em local pouco espaçoso ainda um tanto distantes do ponto aonde começava a trilha que descia para o lado que seguiam. Ali era uma região periférica do país e estavam a cerda de menos de dois dias de caminhada do País do Vento e, por isso, ventava um ar seco e quente apesar de ser uma zona montanhosa.

A passagem pela área montanhosa levou quase dois dias inteiros e deixou-os bastante cansados.

— Droga! O Kakashi tinha que mandar a gente logo por esse caminho problemático — Shikamaru havia reclamado — Odeio passar por aqui.

Neji olhou adiante e suspirou.

— Ainda é cedo, mas estamos um pouco distantes do local. Como ainda não dá para avistá-lo e nem sabemos como é por lá, acredito que seja melhor pararmos por agora e continuarmos ao amanhecer.

Eles concordaram e se acomodaram por ali.

 

 

 

Já havia amanhecido quando eles levantaram e se preparavam para continuar.

— Precisamos encontrar algum lugar que tenha água. — Hinata comentou quando sentiu sede. — Estou sem água desde ontem à noite nos dois cantis que trouxe. — Ela suspirou.

Naruto concordou.

— Shikamaru, verifique o mapa. — Neji mandou.

— Eu vou dar uma volta por ali enquanto vocês olham o mapa. — Naruto indicou com o polegar as suas costas — Não vi nenhum de vocês indo por ali ontem. Talvez tenha água atrás daquele morrinho. — Ele disse e já foi andando em direção ao pequeno planalto.

— Hmm. Isso está errado! — Shikamaru comentou — Não estou reconhecendo essa área. Acho que nós pegamos uma trilha errada em alguma daquelas montanhas.

— O que você está dizendo? — Tenten perguntou. — Não era você quem estava lendo o mapa?

— Eu deixei o Lee ler dessa vez. Acho que ele e o Naruto podem ter acabado se confundido em algum momento — Ele riu nervoso e coçou a cabeça. — Ah, cara, que problemático!

Neji intrometeu-se.

— Deixem-me ver. — Ele pegou sua cópia do mapa e passou os olhos por todo o papel e fechou os olhos. — Não pegamos a trilha que o Kakashi indicou, mas nós não estamos longe. Na verdade, parece que estamos ainda mais próximos. — Ele constatou surpreso e apontou — É bem aqui perto, na direção que o Naruto seguiu.

— Ei, Hinata! Sobrancelhudo — Naruto gritou lá de longe — Vocês não vão acreditar nisso! — Ele os chamou com a mão. — Vejam lá em baixo!

Hinata e Lee foram até ele e quando olharam a direção que Naruto apontou ficaram estarrecidos.

— O que...? — Hinata balbuciou.

Logo Shikamaru, Neji e Tenten perceberam eles no alto, parados, olhando para frente e foram até eles.

— Ei, o que vocês estão fazendo aí? — Tenten reclamou.

— Neji-nii-san, veja isso! — Hinata apontou.

Neji chegou mais perto e olhou, logo se assustou.

— A paisagem está distorcida! — Shikamaru titubeou aturdido ao chegar ali — Por isso a região não foi mapeada. Quem chegou até aqui só via um enorme borrão.

— Hã?! — Naruto não entendeu. O sorriso que ele tinha nos lábios tornou-se uma careta de confusão. — O que quer dizer com isso?

Eles olharam para Naruto não entendendo a reação dele.

Hinata olhou para Naruto e suspirou.

— Naruto-kun, o que você está vendo ali? — Ela perguntou mordendo os lábios desconfiada.

— Como assim? — Ele estranhou aquela pergunta. — Estou vendo um campo aberto e florido. Ao longe há também uma construção, parece ser um tipo de castelo, mas o formato da construção é um pouco diferente. Você não está vendo?

Ela negou com a cabeça e Naruto arregalou os olhos.

— O que vocês estão vendo ali então? — Ele abaixou a cabeça ao perguntar.

— Nada! Apenas um enorme borrão manchando o ar até aonde meus olhos conseguem enxergar. — Shikamaru foi quem se pronunciou.

— Eu não entendo o porquê disso, mas eu estou vendo um grande campo e me parece tão familiar. — Naruto disse. — Será que eu estou enlouquecendo?

— Claro que não, Naruto-kun! — Hinata disse e pôs a mão no ombro dele, assustando-se então. — Oh!  — Ela se afastou assustada e caiu no chão.

— Hinata! — Neji chamou. — O que foi? — Preocupou-se.

Ela olhava a mancha assustada.

— E-eu vi o campo que o Naruto-kun falou quando eu encostei nele.

— Do que está falando?

Shikamaru encostou em Naruto.

— Cara, isso é problemático!

— Shikamaru, o que isso significa? — Neji perguntou.

— Parece que mais absurdo que a paisagem distorcida é tocar no Naruto e ver o mesmo que ele vê. — Ele respondeu e suspirou. — Apesar de ver tudo um pouco borrado.

Eles olharam para Naruto, mas ele focou o olhar assustado de Hinata.

— Naruto-kun?

— Hinata, eu também não sei o que está acontecendo. Você acredita em mim, não acredita?

Os olhos dele demonstravam um certo desespero e expectativa em relação a resposta dela.

Ela o fitou nos olhos.

— Eu acredito em você, Naruto-kun!

— Vamos descer até lá e ver o que conseguimos descobrir. — Neji falou.

 

Eles logo chegaram ali embaixo e, quando Lee pôs a mão sobre o borrão, a mancha sumiu na parte em volta da mão dele e se formou uma espécie de barreira invisível ali.

— Parece que essa distorção é uma barreira de proteção. — Lee notou.

— Para proteger o quê?

— A questão mais importante agora é saber como iremos atravessá-la.

Você só precisa da permissão de quem mora aqui.

— Você só precisa ser convidado por uma estação. — Naruto falou e tapou a boca.

Os outros olharam para Naruto e ele engoliu em seco e suspirou. Fechou os olhos por um instante e encostando-se na barreira a atravessou. Logo os seus companheiros de expedição nada viam além da grande mancha ali outra vez.

Hinata bateu os punhos na barreira e chamou Naruto preocupada.

Naruto pôs a cabeça e os braços para fora e a puxou pelas mãos. Do lado fora, os outros ouviram ele os chamar e dizer para eles atravessarem a barreira também.

Shikamaru deu de ombros e caminhou até abarreira e a atravessou, logo os outros fizeram o mesmo.

Já do lado de dentro, eles visualizaram melhor o lugar. Era um terreno que se estendia por longas distancias. Era tudo verdinho, cheio de árvores e todos os tipos de flores. Havia alguns pássaros voando e um rio com uma pequena ponte de pedra sobre ele, mais adiante.

— Ei, tem alguém ali! — Tenten falou. — Vamos observa-la e-

— Oe! — Naruto chamou e acenou com o braço.

Era uma jovem moça. Ela estava sentada sobre a grama e, ao ouvir que alguém a chamava, virou-se para ver quem era. Ao avistar o pequeno grupo de pessoas ela levantou e sorriu.

— Naruto! — Ela gritou e correu até ele e o abraçou quando o alcançou.

Ela tinha os cabelos curtos e na peculiar cor-de-rosa, grandes olhos verdes e vestia um tipo de vestido que parecia um campo florido e que tinha um efeito translucido que o fazia parecer não ter fim perto dos pés descalços.

Naruto a afastou. Sem entender a reação da estranha.

— Ei, como sabe o meu nome? — Ele perguntou em tom acusatório. — E que lugar é esse?

A menina piscou os olhos.

— Você não se lembra? Você cresceu aqui. Esse é o território das Estações.

— Quem é você? — Hinata perguntou.

— Eu sou Haruno Sakura, a primavera.


Notas Finais


Obrigada a quem leu.
A fic já está chegando ao final.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...