1. Spirit Fanfics >
  2. Estações >
  3. Treino

História Estações - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


oie

minha gente espero que gostem deste cap. que foi feito com carinho

sem mais delongas, boa leitura

Capítulo 7 - Treino


Fanfic / Fanfiction Estações - Capítulo 7 - Treino

TREINO

Amar é consequência de uma atração espiritual

 acima de qualquer mera paixão humana.

(autor desconhecido)

 

Chego 30 minutos antes do horário marcado no silencioso e amplo campo de treinamentos do antigo time 7, na esperança de chegar antes do Hatake para me preparar emocionalmente, mas tudo foi por agua a baixo quando o homem pula bem a minha frente de uma arvore que estava apoiado, segurando nas mãos o pequeno livro nada discreto do mestre Jiraya, Sasuke já me falou sobre o conteúdo, situação da qual eu queria morrer de constrangimento as vezes penso que ele me vê como um homem para falar tais assuntos abertamente, em tal ocasião relembrávamos os tempos de genins onde o Sasuke garantiu que seu sensei nunca chegava na hora. “tolice minha acreditar” sou tirada dos meus devaneios com a voz ligeiramente rouca do Hatake

-Hyuuga, chegou cedo?

-Kakashi sensei, pensei em vir um pouco antes para me habituar ao campo. Falei sem jeito ainda sem poder olhar diretamente nos seus olhos

-Bem vamos aproveitar, e começar logo. Falou, mas não esboçou nenhuma posição de combate nem ao menos fechou o livro, o que me deixou frustrada será que o Kakashi me tem em tão baixa confiança com minhas habilidades como konoichi

-Sensei você ... ah... você não vai guardar seu livro? Falo apontando o pequeno exemplar de capa alaranjada, para ver se homem toma uma atitude, e me surpreendo quando ele diz que não será necessário, ferindo assim meu orgulho, e sinto que a frustração deixa meu rosto queimando de nervoso. “vou mostrar pra esse homem que não se deve subestimar uma Hyuuga”

 

A pequena chegou a passos lentos olhando tudo em volta, mas pareceu não notar minha presença, visto o pequeno pulo para trás que deu assim que cai a sua frente, ajeitando minha roupa um pouco desconfortável devido a visão de minutos, afim de disfarçar a ereção aparente, e falhando miseravelmente com minha voz saindo mais rouca que o habitual.

Ela pareceu confusa com minha chegada adiantada “será que minha pontualidade é levada em tão pouca conta, e pareceu quase indignada quando me recusei a guardar meu Icha Icha, formando um bico involuntário na boca rosada, que deu vontade de morder e as bochechas tornando-se tão vermelhas quanto um tomate, dando uma certa graça a menina”  desperto rápido dos meus devaneios quando a percebo tomando sua posição habitual de taijutso o byapugam já ativo, então noto as bandagens nos pulsos e dedos, não me lembro dos Hyuuga usarem outros jutsos que forcem os punhos para necessitarem de tais aparatos

E a menina me ataca com fúria, e por pouco não me acerta, me deixando desconcertado por um instante.

-Tem certeza Kakashi que não quer guardar o livrinho? Falou com certa arrogância, o que me fez erguer uma sobrancelha em descrença.

-Onde está a doce Hyuuga? Provoquei, antes de mais uma vez ser atacado por um chute que passou raspando sobre meu colete

-Acho que a convivência com o Uchiha, me trouxe maus modos. Deixou escapar um sorriso genuíno mostrando a diversão que sentia por lutar, muito diferente da criança tímida do exame chunnin, ou apreensiva durante a guerra, ali ela estava verdadeiramente se divertindo.

-é percebi ontem que está sendo influenciada. Não resisti a brincadeira, o que a fez desestabilizar um instante, engasgando-se com o ar me olhando com as pérolas arregaladas em descrença.

-kakashi... eu. eu sinto muito. Falou sem jeito, desmanchando a posição de guarda e vi a oportunidade de atacá-la, fui rápido um... dois... três... chutes nas costelas, o que a desiquilibraram a fazendo me olhar com surpresa

-Não se distraia Hyuuga. A repreendi, mesmo que minha mente se sentiu desconfortável em atacá-la, mas era preciso ela precisa estar preparada.

-hay. Falou rápido com a voz suave e agilmente se posicionando fazendo os selos de mãos típicos do Uchiha -Katon flor de fênix. e várias shurikens banhadas em fogo vieram em minha direção me surpreendendo e fazendo com que eu usasse a substituição me escondendo ofegante, ainda surpreso pela Hyuuga utilizar outros jutsos, fui encontrado e mais uma vez a voz suave -Raiton Kangekiha. Uma onda de choque se espalhou pelo chão denunciando a pouca habilidade da Hyuuga no estilo raio, mas isso não a deixa menos surpreendente, poder manipular dois elementos em tão pouco tempo é incrível. E um sorriso escapa através da minha máscara quando sou mais uma vez provocado de maneira petulante por sua voz suave.

-O Sensei vai ficar só se escondendo? Assim não tem graça por que eu já te achei Kakashi-san

Então, querendo entrar na brincadeira da Hyuuga apareço atrás dela, os corpos tão próximos que sou capas de sentir o aroma de lavanda misturado ao suor, e vejo a boca entreaberta pela surpresa de ter as mãos travadas nas costas, o hálito suave e quente batendo no meu rosto através da mascara que fazem por um instante eu querer experimentar aquele gosto, vendo os rumos que minha mente estão tomando  e as reações involuntária do meu corpo, falo mais uma vez a voz rouca demais devido a tensão

-Eu estou cansado Hyuuga afinal, alguém roubou as minhas chaves e não pude entrar em casa.  

E a coloração avermelhada mais uma vez dominou o rosto branco da pequena a minha frente, a fazendo engasgar com o ar descontroladamente, dou tapinhas suaves nas suas constas a ajudando a recobrar os sentidos, decido que não tenho condições de continuar este teste, visto que a menina é de fato habilidosa e mais um pouco ao lado dela sou capaz de perder a sanidade, os dias sem ter uma parceira esta fazendo minha mente me pregar muitas peças e as imagens do corpo da pequena e nossa aproximação estão me torturando pouco a pouco.

 

A aproximação do Kakashi foi inesperada e pude sentir o calor do seu corpo tão próximo ao meu, minhas mãos presas nas minhas costas os dedos roçando sua barriga, sei bem me defender eu acumulo chakra para me desvencilhar  da proximidade constrangedora afinal muitas vezes o Sasuke fez isso comigo mas com ele era diferente não sentia meus músculos formigando.

  mas as palavras que saíram da boca do Kakashi  me desestabilizaram, e a vergonha e constrangimento tamanha que eu sentia dominaram cada célula do meu corpo, a imagens agora nítidas da fatídica noite de sexta, e as chave do Hatake no meu criado mudo junto com o bilhete agora não mais misterioso, me engasguei com o ar me deixando ainda mais constrangida a complacência do homem que sorria com os olhos enquanto me dava tapinhas nas costas “eu quero sumir” só isso minha mente conseguia proferir com clareza enquanto eu segurava as lagrimas de constrangimento, ate que a voz rouca mais uma vez se fez presente, me tirando da humilhação.

-Hyuuga acabamos por hoje.

-Mas, sensei... baixei a cabeça -desculpa

-oww... não precisa disto. Acenou negativamente com as mãos –você foi ótima, este treino eu pedi devido a missão, e vejo que você está preparada.

-Obrigada. Proferia ainda cabeça baixa devido ao constrangimento

-owww onde está a Hyuuga petulante? Falou pegando meu queixo me fazendo encarar os olhos divertidos e incrivelmente escuros, me causando um frio na barriga e logo me desvencilhei do toque diante da sensação nova que me foi imposta, e sua voz rouca se fez presente. -Mas eu ainda preciso das minhas chaves.

-Ah. Sim. Sim claro, você pode me acompanhar até minha casa. Olhar curioso do Kakashi, fez mais uma vez minhas bochechas ficarem em chamas e o coração descompassado pelo constrangimento de ter que explicar. -Suas chaves estão em casa.

 

O caminho ao clã Hyuuga foi silencioso, vez ou outra interrompidos pelo comprimento dos cidadãos ao ninja de elite, que se mostrava cordial mas de alguma maneira seu olhar era vago, a brisa de fim de tarde acariciava meu rosto e balançava meu cabelo agora solto, agraciando minhas costas com uma manta natural, nesse curto período de tempo pude notar algumas qualidades do ninja que copia, além do fato da discrição visto que não mencionou nenhuma vez meu vexame “pelo menos não abertamente” Ri com o pensamento, o que me faz receber um olhar de esguelha do maior, com olhos tão negros as vezes parecem divertidos mas tenho a certeza que não dizem tudo.

pude reparar melhor no homem que mesmo através da máscara parece ter traços finos a pele clara, os cabelos brancos “como algodão doce”  e mais uma vez sorri com pensamento, o cheiro amadeirado misturado ao suor, presente na blusa preta colada ao corpo mostrando músculos definidos, a tatuagem no braço esquerdo revelando suas habilidades como exímio assassino.

-Está tudo bem Hyuuga? O olhar curioso do homem me pegando em flagrante o analisando tão abertamente me fez corar.  

-c..claro kakasshi-san. Falei em um fio de voz, baixando a cabeça “se você quer encarar Hyuuga pelo menos disfarça” com esse pensamento voltei a analisar o homem que de repente me pareceu tão interessante, a máscara preta tão presente em seu rosto, me lembrei das fantasias de criança onde a curiosidade por ver o rosto do ninja dominava a mente de todos os pequenos ninjas da academia.

E logo atravessamos os portões do clã apenas o olhar curioso do guarda sobre a companhia inesperada, mas rapidamente ignorado,  entrei em casa um pouco constrangida sendo seguida pelo homem que não dizia nada apenas observava o ambiente muitas vezes frio que é minha casa.

-Pode ficar à vontade Kakashi-san. Dei de costas zunindo para meu quarto a fim de buscar lhe o pertence.

 

A Hyuuga se mostrou observadora e nada discreta no percurso, o que a tornava encantadora, cada vez que eu a pegava me olhando os olhos travessos de quem estava fazendo arte, mas sua postura mudou assim que atravessamos os portões do clã, silencioso quase sufocante, a pequena rua que atravessamos para chegar na casa principal onde alguns se mostravam desconfiados, os olhos opacos e sem brilho. Diferentes do da menina que seguia a passos pesados a minha frente, então chegamos a mansão principal também silenciosa, quase sufocante por um momento lembrei da minha solidão quando caminhava de volta a vila depois da missão “Será que a menina também é solitária” o pensamento correi minha mente e se dissipou logo com a pequena que disse qualquer coisa que eu fui incapaz de ouvir enquanto ela já corria escadas a cima.

 

 

 

 

 

Meu corpo não me obedeceu quando subi os degraus de madeira da grande casa, que parecia tão fantasmagórica buscando saciar meus desejos


Notas Finais


e ai? gostaram?

próximo cap. promete 😈😈😈

minha gente fica o convite para lerem minhas fics todas estão sendo desenvolvidas com muito carinho 🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...