1. Spirit Fanfics >
  2. Estações (grindeldore) >
  3. Verão

História Estações (grindeldore) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Garanto final feliz nisso, porque ninguém aguenta mais sofrer.

Estou no 3 dia de quarentena e criei uma conta no Spirit... A que ponto eu cheguei?

A história não tem as estações na ordem certo, é só simbólico. Serão 4 capítulos (obviamente) em pontos no tempo diferentes.

Capítulo 1 - Verão


Fanfic / Fanfiction Estações (grindeldore) - Capítulo 1 - Verão


Gellert Grindewald odeia o verão, ele é um homem que se adapta melhor nas baixas temperaturas dos invernos alemães, mas ele esta muito longe de seu país natal, não que isso seja algo completamente ruim, estar em Godric's Hollown tem suas vantagens.

Alvo Dumbledore adora o verão, é sua estação do ano preferida, ele não precisa deixar a barba crescer para manter o queixo aquecido e seus óculos meia-lua não ficam embaçando.

Os dois jovens são como polos opostos, mas mesmo assim eles estão deitados um ao lado do outro em um campo aberto e isolado. Os dois estavam lendo alguns livros sobre preparo de poções, faz parte de um sonho adolescente de encontrar algum uso para o precioso sangue de dragão.

Gellert fecha o seu livro com uma certa brutalidade e solta um gemido de frustração, está quase anoitecendo mas a temperatura deve passar dos 30 graus, ele joga o livro ao lado do corpo e começa a encarar Alvo, o jovem ruivo estava absorto em sua leitura, mau percebendo a presença do outro, ele nem parecia se importar com o calor os seus cabelos, que costumavam chega a altura das costelas, estava presos em um coque bagunçados o que, na opinião de Gellert, o deixava mas bonito pois realçava a pele pálida do pescoço.

Alvo estava quase ternimando o penúltimo capítulo quando sentiu um peso em seu ombro esquerdo, ele viu que era Gellert que estava precionando o rosto na curvatura do seu ombro, Alvo solta um risinho e fecha o seu livro, marcando com um pedaço de papel a página que havia parado, ele sabe que quando Gellert exige atenção é porque algo está errado.

Alvo leva uma mão até a cabeça de Gellert, fazendo carinho em seus cachos dourados, ele interrompe o afego segurando a mão de Alvo e entrelaçando os seu dedos.:

"Algo errado?"

Alvo pergunta e Gellert dá um suspiro profundo antes de levantar um pouco a cabeça e responder.:

"Está muito quente, eu odeio calor."

Alvo cai na gargalhada enquanto Gellert o encara sério, ele não deveria estar rindo disso é algo sério.:

"Pare de rir..."

Gellert fala enquanto volta a esconder sua cabeça na curvatura do pescoço de Alvo.:

"Desculpa, daqui a pouco nós vamos embora, só quero terminar esse livro."

Gellert bufa e se afasta novamente, ele deita na grama verde e suspira derrotado, não adianta insistir pois Alvo sempre será mais teimoso que ele.

A grama pinicava levemente o seu rosto enquanto uma leve brisa de verão refresca, não o suficiente para Gellert, os dois jovens. O loiro estava quase dormindo quando sentiu uma movimentação ao seu lado ele nem precisou olhar para saber que era Alvo, que estava apoiado em um cotovelo e curvava seu corpo para frente levando seus lábios ao encontro dos de Gellert.

O beijo era calmo e preguiço, os lábios se moviam lentamente um sob o outro, Gellert depositou uma de suas mãos na nuca de Alvo que tinha sua única mão livre em seu peito.:

"Viu? O verão não é tão ruim."

Alvo comenta assim que se separam, Gellert da um pequeno sorriso ante de  puxar Alvo para outro beijo, dessa vez pedindo passagem com a língua e o aprofundando ainda mais, eles se separam com uma última mordida no lábio inferior de Gellert quando o ar acaba. Alvo é o primeiro a levanta sendo seguido por Gellert que sai marchando e pisoteado algumas flores que embelezam o campo, na opinião de Gellert uma das poucas coisas boas do verão eram as belas paisagens coloridas.

Eles atravessam o campo e passam pelo cemitério, onde dão uma última olhada no túmulo do velho Ignoto Peverell, o momento agradável e carinhoso foi rapidamente dissolvido por sorrisos psicóticos e pensamentos perversos sobre o futuro que o Bem Maior irá reservar.




Notas Finais


Lamento qualquer erro de português, eu ainda não corrigi.

Estou na luta de fanfic grindeldore com final feliz, por que o real já é desgraçado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...