1. Spirit Fanfics >
  2. Estamos em Naruto? SOCORRO! ("Reescrevendo") >
  3. "Nossa ajuda? Konan?"

História Estamos em Naruto? SOCORRO! ("Reescrevendo") - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Okay, relevem o título meio bosta mas...
Boa Leitura! ❤️

Capítulo 17 - "Nossa ajuda? Konan?"


Pov's Maria-chan


Depois da explicação de Flávia, pedimos para a mesma nos mandar informações do que acontece dentro da Akatsuki. Mas depois disso, tivemos um conflito com uns ninjas da Nuvem, pois eles sabiam da nossa relação com a Akatsuki.


— Raikage-sama, nos não temos nada haver com o sequestro do Killer Bee-sama. E se a gente soubesse onde  ele está, com toda certeza iríamos contar! — suspiro, tentando me acalmar. — Se não se importa, temos que voltar para Konoha e reportar sobre a reunião! — digo, já impaciente.


Duda:— Até mais, Raikage-sama! — deu um aceno, e começou a correr novamente.


Nós duas fomos o caminho inteiro em completo silêncio, até que eu decido quebra o silêncio.


— O que nós duas faremos quando chegarmos em Konoha? Como nós vamos explicar que Danzou foi morto? — perguntei, ficando meia inquieta.


Duda:— Não faço idéia de como vamos contar, mas até lá... A Tsunade-sama já deve ter acordado, e assumido novamente o posto de Godaime! — sorriu. 


Continuamos a correr, tentando chegar o mais rápido possível em Konoha.


[....]


Havíamos demorado bastante para voltarmos a Konoha, e quando voltamos, encontramos a Tsunade-sama acordada e em seu escritório.


— Vovó Tsunade? A senhora já acordou, que bom! — sorri, aliviada. — Estava sentindo falta de suas broncas... — dei risada.


Tsunade:— Vocês duas tem algo para me contar, certo? Então, digam! — cruzou os braços.


Duda:— Danzou acabou morrendo vindo para cá, e a Aninha foi sequestrada! — olhou para seus pés, cabisbaixa.


Tsunade:— Então eu terei que assumir a liderança novamente, e sobre a Ana, mandarei um pelotão de busca atrás dela! — falou.


— Tudo bem. Enquanto isso, eu e a Duda iremos na biblioteca fazer uma pesquisa! — falei, abrindo a porta. — Vamos Duda! — disse a outra concordou, me seguindo. Saímos da sala, e fomos em direção da biblioteca.


Duda:— O que nós iremos fazer aqui? — perguntou, olhando para as pratereiras cheias de livros.


— Nós iremos procurar um livro sobre o clã dos Demônios, ou seja, o nosso clã— falei, a outra concordou e começou a procurar, junto de mim.


Procuramos em todas as prateleiras do lugar, mas não encontramos nada. Decidimos rever todas as prateleiras novamente.


Duda:— Eu achei — falou, vindo correndo na minha direção. — É esse, né? — perguntou, mostrando o livro.


— Sim, é esse! — sorrio, pegando o livro da mão da Duda. Vou até uma mesa, coloco o livro lá e abro o mesmo. 


Começamos a ler, e nós descobrimos  que quando morremos, aparecemos em outro lugar. Ou seja, o purgatório!


Duda:— Que dor de cabeça! — reclamou, colocando a mão na testa. — Tô cansada de tanto ler, quero ir pra casa! — falou, cruzando os braços.


— Vamos, amanhã voltamos aqui — falei fechando o livro, e o levando para a estante. Saímos da biblioteca, e se deparamos com o céu todo escuro. — Senhor, nós ficamos a tarde toda lendo aquele bendito livro? Meu Rikudō! — disse, a Duda começou a rir. 


Duda:— Vamo logo, Maria. Eu tô com sono! — disse, bocejando. Concordo, voltando a andar. Estava bem mais frio do que estava de manhã, então se apressamos para chegar em casa rápido.


Chegamos em frente a casa, e batemos na porta, esperando alguém vim abrir ela para nós. Ouço alguém descendo as escadas, e pela voz, era o Itachi.


Itachi:— Quem é? — acendeu a luz de fora e depois girou a chave, e abriu a porta. — Maria? — disse bocejando. O mesmo veio até mim, me abraçando.


— Eu senti saudades! — falo. O outro segura em minha cintura e me beija. Ficamos alguns minutos assim, até o ar fazer falta.


Itachi:— Eu também senti sua falta! — disse, sorrindo.


Entro dentro de casa, tirando meus tênis e deixando eles encostados na parede. Duda faz o mesmo e logo vai para a escada.


Duda:— Viu estou indo dormir, beleza? — disse, no começo da escada. Concordo, a outra boceja, começando a subir as escadas.


Vou para a cozinha pegar um copo de água pra mim beber, porém um pote de lámen me chamou atenção. Abro o pote e coloco água quente nele, espero 3 minutos e começo a comer.


— Itadakimasu! — digo, e começando a comer. Itachi estava atrás de mim, fazendo uma massagem nos meus ombros enquanto eu comia. 


Itachi:— Amor, estou indo para o quarto, tá? — falou, concordo colocando um pouco de lámen na boca. O mesmo sai, me deixando sozinha na cozinha, comendo meu lámen.


Pov's Duda-chan


Subo as escadas, indo pro meu quarto. Abro a porta, e vejo o Hidan deitado na cama sem camiseta, dormindo. Dou uma pequena risada e vou para o meu guarda-roupa,procuro uma roupa bem confortável para dormir.


Vou para meu banheiro trocar de roupa e fazer um coque simples em meu cabelo. Me olho no espelho e vejo meus olhos vermelhos de sono. [N/A: Proerd é o programaaa kkkk ]


Termino de fazer o coque em meu lindo cabelo castanho e logo saio do banheiro, indo para o quarto novamente. Abro a sacada do quarto, sinto um vento frio, mas não ligo. Fico adimirando as estrelas no céu.


[....] 


Acordo com uma puta dor de cabeça, eu mal lembro de como eu fui dormir. Eu só me lembro de ir ver as estrelas e mais nada!


Tento me levantar da minha cama, mas uns braços estavam me prendendo na cama, não me deixando sair. Respiro fundo, e tiro a coberta de cima de mim, e tento tirar o braço de Hidan.


Hidan:— Já acordou? — concordei, feche meus olhos e espiro. — Saúde! — riu. Sorri pra ele, mas me lembro do único motivo pra mim estar acordada a essa hora.


— Hidan, eu tenho que levantar! — falei, o outro tirou seus braços de minha cintura. — Obrigado! — sorri. Finalmente me levanto,indo para o meu guarda-roupa, pegando a minha roupa diária ninja.


Vou para o banheiro, e troco de roupa lá. Me encaro no espelho, fazendo um coque alto e depois lavo o meu rosto.Escovo meus dente e logo saio do banheiro, vendo Hidan trocar de roupa.


— Você sabia que existem mais de um banheiro nessa casa? — digo, colocando a mão na cintura. Hidan apenas me olhou com deboche, e sorriu. — Viu, eu tô indo falar com a Tsunade-sama, e só vou voltar para almoçar — falo, abrindo a porta do quarto.


Hidan:— Tá bom, toma cuidado! — veio até mim e me deu um beijo na testa. Apenas acendi e sai do quarto, descendo para a sala.


Maria:— Eu pensei que nunca mais ia acordar! — sorriu debochado, mostro a língua pra mesma. Que retribuiu mostrando o dedo do meio.


— Ei, vamos? A Tsunade-sama já deve estar nós esperando! — falo, indo para a porta de casa. Maria concordou, vindo atrás de mim


Saímos da nossa casa, e fomos para o escritório Hokage. No caminho, encontramos a Sakura-chan.


Duda/Maria:— Hey, Sakura? Tudo bem? — falamos juntas, Sakura nós olhou e sorriu.


Sakura:— Sim, eu estou bem, e vocês? — perguntou, vindo até nós.


— Ah, estamos bem. Aonde está indo? — pergunto, super curiosa. Maria me deu um cascudo em minha cabeça, me fazendo voar longe. — DOEU! — gritei, passando a mão na área onde foi atingida.


Maria:— E era pra doer, sua mal educada — falou, com fogo nos olhos.


Sakura:— Respondendo sua pergunta, eu estou indo para o hospital, visitar o Jiraya-sama! — sorriu, vendo agora, a mesma estava segurando um buquê de flores.


— Tendi. Nós duas estamos indo para o escritório Hokage, conversar com a Tsunade! — digo, com um sorriso no rosto. — Temos qu ir, ou levaremos uma bronca da vovó! — rio.


Eu e a Maria se despedimos de Sakura e partimos novamente, rumo ao escritório. Não demorou muito, e chegamos no local aonde estavam reformando e arrumando. Subimos para a sala da vovó Tsunade.


Maria:— Desculpem o atraso e.... — para de falar, assim que vê os dois conselheiros e o Senhor Feudal. — Porque eles estão aqui? — pergunta, fechando a porta.


Tsunade:— Eles estão aqui, porque precisamos da ajuda de vocês duas! — falou.


Pov's Ana-chan


Estava em meu quarto, olhando para o teto branco, morrendo de tédio. Quando um ser decido me chamar.


Obito:— Quero te apresentar alguém! — disse, não olhando para os meus olhos. Bufei e levantei da cama e fui até ele.


— Se não for ninguém importante,eu vou te bater! — ameaço, o olhando friamente. Sim, nós ainda estávamos brigados. — Vamos, não temos tempo à perder! — passei por ele, indo na frente. Chegamos na sala, vendo ninguém menos que a senhora Flávia.


Obito:— Essa é a Uchira Flávia, a minha irmã mais nova! — disse, apontando pra outra.


— Oi, prazer me chamo Hamori Ana — sorri amigável. Me faço de idiota, para Óbito não desconfiar, mas eu já havia conversado com ela!


Flávia:— É um prazer te conhecer, meu irmão falou muito de você! — sorriu, dando cotoveladas em Obito. As minhas bochechas arderam, e com certeza fiquei igual a um tomate.


Obito:— Agora que já se conhecem, eu tenho uma missão para você! — apontou para mim, reviro meus olhos. Porra, será que eu não tenho paz não? — Iremos atrás de uma coisa, na Vila da Chuva! — cruzou os braços.


— Como assim, "iremos"? — perguntei, meia confusa. — Não vai me dizer que você vai junto! — o outro concordou, bufei e me joguei no sofá.


Obito:— Sairemos daqui a pouco, então trate de se arrumar, pois estou com pressa! — falou, saindo de lá. Me levantei do sofá, indo para o meu quarto.


Abro a porta, indo pro meu guarda-roupa e lá, pego uma mochila e coloco umas roupas necessárias. Vou até a minha gaveta e pego um colar, que eu ganhei da Maria e da Duda. O qual eu não tirava para nada!


[....]


Obito estava conversando com a Konan, que lutava para não revelar aonde estavam os Rinnegan do Nagato. Estava meia entediada e então, decidi pegar um salgadinho que tinha na minha mochila.


Do nada, a barulheira da luta para e eu não escuto nada mais. Somente o barulho da chuva! Olho para trás, e vejo um corpo caído no chão.


Corro para perto dele, e vejo quem era.


— Ei, Konan? Por favor olha pra mim! — falei, concentrando chakra no coração dela. — Por favor, abre os olhos... — lágrimas desciam do meus olhos, minha visão estava embasada


De repente, o coração da mesma volta a bater. Suspiro aliviada, limpo minhas lágrimas e volto a me concentrar em curar ela.


Konan:— A-ana...? Porque está aqui...? O que você pensa que está fazendo aqui...? — perguntou, segurando em minha mão.


— Cala a boca, você está me deixando desconcentrada! — disse firme, a outra parou de falar. Depois de curar ela, a mesma se levanta.


Konan:— Agora me responde, oque está fazendo aqui? — olhei para os lados, e não vi ninguém.


— O viado do Madara me trouxe aqui...— digo, revirando os olhos. Konan dá uma risada alta. — Agora vamos ao que interessa, preciso da sua ajuda! — disse, cruzando os braços.


Konan:— Minha ajuda? Pra quê? — perguntou, me olhando confusa.


— Você vai ir pra Konohagakure, ajudar as meninas por mim! — falo, me levantando. — Como você está com o chakra esgotado, irei transferir um pouco do meu, para você! — pego o braço da mesma, e começo a transferi um pouco do meu chakra.


Konan:— Obrigado, mas... O que é pra mim fazer lá, exatamente? — disse, ainda meia confusa.


— Você irá falar com a Tsunade-sama e contar tudo que você sabe sobre a Akatsuki — digo, me levantando. — Agora que já sabe, pode ir, antes que o "Madara" volte! — falo, a mesma concorda e sai correndo.


"Ash, porque eu não fugi com ela? Aquele puto do Obito nem liga pra mim, eu sou bem tapada!" Penso, balançando a cabeça negativamente.


[Continua....]


Notas Finais


Perdão pela demora, amanhã terá mais dois caps!
Comentem para mim saber se o cap está/estava legal! 🙃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...