História Estelar - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 8
Palavras 2.072
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi pessoas, mais um capítulo fresquinho pra vcs
🌈🌈🌈🌈🌈🌈

Capítulo 3 - Bagunça na Mente


Joana on

Essa Paola é louca... Foi até mesmo no dia em que nos conhecemos. Comecei a rir daquele dia, ai ai!

Flashback on (NARRADORA)

A pequena Joana se preparava para ir ao parque de seu bairro. Ela conferiu de novo se tudo estava em seu lugar. Patins, ok! Água, ok! Guarda-chuva, ok! Toalhinha, ok! Cesta de piquenique, ok!

-Mamãe!!! Nós vamos nos atrasaaaaaaaar

A pequena subiu na velocidade da luz até o segundo andar.

-Mãe? Onde a senhora está?

-BUUUUUUU

A pequena pula de susto e cai de bunda no chão e já ia indo abrir o choro quando notou que era sua mãe. Essa era a brincadeira das duas, se assustarem.

-Hahaha, ponto para mim!- disse Fernanda pegando a filha com seus já 8 anos feitos e a colocando em seus ombros- Vamos! Nada tema, oh! Querida filha! Em direção ao parque!

Fernanda correu escada abaixo com um projeto de menina em seus ombros.

-Vocês viram meu... FERNANDA! Você vai cair com a Joana!

Esbravejou Diego.

-E eu vou rir muito!- completou a frase e todos caíram em gargalhadas gostosas e verdadeiras

-Vamos gente, eu já conferi e tudo está aqui.

-Mas que menina responsável... Isto é digno de um... Ataque de cócegas!

Seus pais praticamente fizeram um montinho em cima de Joana e a atacaram com cócegas de todos os lados até o trio se cansar. Arrumaram a si mesmos e os materiais que iriam levar e saíram felizes da casa.

Ao chegarem ao parque logo Joana tratou de colocar seus patins e saiu em disparada, sentindo o vento em seu rosto e o cheiro de grama molhada.

-Deixa que eu vou atrás dela querido, vá arrumando as coisas. Espero que ela não se machuque...- Fernanda deu um beijo em Diego que a puxou para mais um- Idiota!

Fernanda logo saiu correndo em busca de Joana.

A pequena corria com seus patins sobre os pisos de concretos colocados entre as árvores e arbustos. Ela amava a sensação, se sentia livre e como estivesse flutuando. De repente essa sensação acaba quando ela colidi com algo duro.

-Eiiii! Você não olha por onde anda não? Agora meu skate quebrou!

Joana abre os olhos e se depara com uma garota de cabelos castanhos bem escuros e olhos brilhando de fúria por ter seu skate quebrado. Joana ficou vermelha de vergonha.

-Desculpa... Eu posso tentar consertar. Você... Deixa?

A outra garota hesitou, mas por fim cedeu. Joana olhou e viu que a roda tinha apenas soltado, e em segundos ela ajeitou tudinho.

-Pronto!- a pequena exclamou feliz

-Nossa! Está novinho, valeu mesmo!

Para a surpresa de Joana a garota a abraçou.

-E qual seria seu nome?- a pequena indagou

-Paola, e o seu?

-JOANA! Tá tudo bem meu anjo?

Fernanda viu a filha cair de longe ainda e veio o mais rápido que pode. Fernanda se abaixou e começou a examinar Joana.

-Eu tô bem sim mãe, não foi nada de mais. Ah! Essa aqui é a Paola. Nos esbarramos, literalmente.

-Oi tia!

Fernanda teve um péssimo pressentimento em relação a garota, mas não Paola em si e sim uma outra coisa por trás.

-Já caiu de novo Paola?

E aí estava o motivo de seu mau pressentimento, Marta. De repente tudo invadiu a mente de Fernanda como um foguete espacial. As brigas, as discórdias e o fracasso. A sensação de perder invadiu ela de novo. A sensação de decepção universal invadiu ela de novo. Fernanda ficou estática em seu lugar.

"-Você fez a gente ser derrotado!"

"-A culpa não foi minha, eu estava desestabilizada! E você sabe muito bem por que sua idiota!"

-Oh... Olá Fernanda, como você está?

Marta abriu aquele seu sorriso cínico de sempre, Fernanda teve vontade de socar aquela cara.

-Mãe, você tá bem?

A voz doce de sua filha a despertou de seus devaneios.

-Tá sim filha, eu só...-

Sua voz morreu ali mesmo, seu corpo ficou leve e o ambiente foi perdendo as cores e se distorcendo até ela ter uma visão típica de pessoas com aqueles poderes. Fernanda estava na sala de sua casa, alguns móveis estavam diferentes e outros mudados de lugar. Duas jovens entram e ela logo reconhece Joana nas costas de... Paola?! Que loucura... Mas ela já estava acostumada com esquisitices. A maior joga Joana no sofá e fica por cima dela, Fernanda fica surpresa “Será mesmo?” ela pensa.

-Você é muito idiota!

-A idiota que você ama e que vai salvar a porra do universo!

-Convencida

As duas se beijam apaixonadamente. “É, é isso mesmo!”

Fernanda volta de sua visão e encara Paola. Na verdade não se passou um segundo a mais antes dela entrar na visão, um meio de evitar problemas para as pessoas dessa “raça”

-É Paola, certo?- a garota afirmou- Por que você não passa lá em casa amanhã pra brincar com a Joana? Ela ia adorar.

-Sério tia? Eu ia adorar!

-Eu também mãe!

-A sua mãe deve ter meu número... Passe lá depois do almoço, mas agora precisamos ir. Tchau Paola e tchau... Marta

Marta estava fervendo de ódio, ela não acreditava que aquela videntizinha tinha feito isso.

E se tudo estivesse certo, essa seria uma das possibilidades que iria acontecer. Se o universo quiser...

Flashback off

Esquentadinha desde sempre. Ri sozinha dessas lembranças, senti um cheiro estranho e quando olhei pra baixo vi o brigadeiro queimando.

-Puta merda!

Desliguei o fogo e mexi pra ver se ficava melhor. Falha tentativa.

-Que coisa feia, falando palavrões. Esperava mais de você Joaninha!

Pulei de susto com a voz repentina de um ser idiota atrás de mim.

-Sua maluca, ainda não te levaram pro hospício?

-Não, e quem tentar vai levar onde o sol não bate.

Ri de sua falta de delicadeza. Peguei mais uma colher e ofereci pra ela pegar um pouco do brigadeiro.

-Você queimou, não foi?- ela perguntou rindo

-Humm, se não quer deixa pra mim então- me fiz de ofendida- E eu só queimei por que estava lembrando do dia em que nos conhecemos.

-Ah, eu lembro. Você quebrou meu skate.

Ela ficou com um biquinho fofo na ponta dos lábios e passei chocolate neles pra ver se sumia e rimos de novo. Paola é tão espontânea, criativa, corajosa, destemida. E uma amor de pessoa depois que você conhece.

-Vamos ver um filme lá no meu quarto.

-Ok, mas tem que ser de terror- ela sorriu que nem uma psicopata

-Vai me matar?

-Talvez...

-Vem logo.

Subimos as escadas nos empurrando levemente. O meu quarto não era nada parecido com aqueles de adolescente apaixonada, com bichinhos de pelúcia e uma decoração rosa ou roxa. Ele tinha paredes laranjas e um piso de madeira preto. Minha cama era de casal, por que eu ocupo muito espaço e as cobertas eram de estampa galáctica, com estrelas e poeira espacial. Sempre admirei o espaço, aquela imensidão toda! Pretendo trabalhar para a NASA e não ria de mim, pode parecer idiota, mas é isso que eu quero. Me tornar astronauta.

Nos aceitamos na cama e eu dei play no filme. Eu sou muito cagona pra esses tipos de coisa, então sempre me assustava e Paola ria de mim, num feto momento apareceu um cena de sexo explícito e lembrei de Daniel. Já fizemos sim, foi incrível e inesquecível.

-Ihhhh, lembrou de alguém foi?- a voz aveludada de Paola me despertou de meus pensamentos eróticos e nada puros com Daniel- Pela sua cara sim, tá até vermelha!

-Uh, não enche. Só tô... É...

-Excitada com a cena?

-Paola!

-Também pudera, olha que gostosa!

Peguei um travesseiro e bati bem na cara de pau dela, que me olhou incrédula e, entrando na brincadeira, pegou um e começou a me perseguir pelo quarto tentando me acertar. Eu ria sem parar, minha barriga já estava doendo tanto que eu pensei que ia morrer de rir literalmente. De repente sinto um ser humano gigante (pelo menos pra mim) me segurar pela cintura e me rodar.

-Para, s-sua doida!- tentei dizer entre meus risos

-Você que pediu!

Paola se jogou na cama comigo ainda em seus braços e de algum jeito eu fiquei por cima dela. Encarando aqueles olhos castanhos avermelhados. As mãos dela continuavam em minha cintura e as minhas estavam em seus ombros. Nossos rostos a centímetros de distância e as nossas bocas a milímetros. Senti um formigamento em meu cérebro e uma vontade repentina de beijar aquela boca. E o fiz, eu selei os nossos lábios em um beijo calmo e doce, com gosto de chocolate. Eu passei a língua de leve em seus lábios, sentindo o gosto de chocolate mais presente ainda, Paola rosnou e aprofundou nosso beijo. Agora nossas bocas dançavam em perfeita sincronia, me dei a liberdade de morder o lábio inferior dela, que suspirou entre o beijo.

Do nada o formigamento parou e eu abri os olhos me deparando com Paola me beijando, ok. O QUE DIABOS FOI ISSO?! Eu quebrei o beijo de forma brusca, levantando de cima dela o mais rápido possível e Paola também parecia estar surpresa com o que houve.

-Caralho, eu... Eu juro que não queria, foi. Foi muito do nada Joana, eu juro que não sei o que deu em mim. Puta que pariu... Meu cérebro começou a formigas e me deu vontade de fazer isso do nada. Sério me desculpa. 

Franzi o cenho.

-O seu cérebro começou a formigar também?- ela afirmou- Tem alguma coisa errada..

Paola ficou quieta, e como a conheço ela deve estar com muita vergonha.

-Calma, vamos... Só tentar esquecer o que houve. Apesar de você beijar muito mal- tentei brincar para amenizar o clima pesado entre nós

-Como é Joana Montes? Pode dizer, eu beijo muito bem. E você deveria se sentir privilegiada de ter seu primeiro beijo lésbico com a incrível rainha aqui.

Ri, mas eu ainda estava me perguntando o que caralhos houve aqui.

"-Está tudo dando certo majestade"

"-Ótimo, o plano está incrivelmente perfeito..."

-Ah, eu nem te falei. Meus pais descobriram que eu sou lésbica. E não foi só isso eu..

Paola foi me explicando tudo que rolou na casa dela e eu fui tentando prestar atenção. Tentando. Eu não estava ouvindo uma palavra sequer do que ela disse. Eu estava em um conflito interno me perguntando a explicação mais lógica que poderia ter esse beijo, até por que eu sou hétera. Será que eu realmente quis beijar a Paola? Isso não é possível. Ou é?

-Ei! Você me ouviu? Terra chamando Joana! Você tá bem amiga?

Ela tocou levemente meu rosto. Não me senti desconfortável, ela era meu porto seguro, minha melhor amiga e claramente aquilo foi manipulado, como? Eu não sei...

-Tô sim, eu só... Tô pensando em como isso tudo é louco demais... Eu repassei milhões de vezes alguma solução plausível pra o que... Aconteceu.

-Ah, mas isso é óbvio. Você reparou que eu sou irresistível e que é melhor uma bu...

-NÃO TERMINA!

Ela começou a rir que nem uma débil mental. E eu só neguei com a cabeça sorrindo.

-Ok, acho melhor a gente ir dormir, boa noite Girafa.

-Boa noite Joaninha.

Ela me abraçou e dormimos de conchinha como sempre. Ela é bem maior que eu com 1,87, enquanto eu tenho 1,55.

Manhã seguinte...

Paola on

Quase não consegui dormir. Eu beijei a Joana, caralho, e como ela beija bem. Não sei o por quê de fazermos isso, mas até que não foi tão ruim assim... Eu acordei faz uns minutos e fiquei admirando ela dormindo. Os cílios abundantes, a boca rosada e fina. Uh! Se controla Paola, se controla.

Joana treme os olhos e logo se abre, expondo suas íris cor de mel. Ela sorri assim que vê que estou acordada.

-Bom dia Girafa

Me dá um beijo na bochecha.

-Bom dia projeto de humano- ela ri- O banheiro é meu!

Me levanto correndo em direção ao banheiro pegando a minha mochila no caminho.

-Ahhh, mas você tem muito mais corpo pra lavar...- Joana grita da cama

-Você tem mais bunda que eu!

-Paola!

Rio já dentro do banheiro. Eu não sei o que sinto por Joana, será que eu realmente gosto dela? Ou eu tô confundindo as coisas? Sei lá, esse sentimento é estranho... Eu tenho um crush na Amanda, por que gente! Ela é muito gost... Hã, “bonita”. Rio sozinha debaixo da ducha com meus pensamentos idiotas.

-Seja o que o universo quiser!- sussurro deixando a água gelada me despertar por completo.


Notas Finais


Acho que eu em bolei ali no meio, mas eu gostei.
No próximo capítulo teremos a festa e muitas surpresas... 😜
Pra qm não entendeu ali os diálogos com as aspas, o primeiro é da Fernanda com a Marta no passado (se eu disse mais coisa vou dar spolier hehe) e o outro... Bem, são de outras pessoas que eu ainda não posso revelar
Isso é tudo pessoas, até mais 🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...