1. Spirit Fanfics >
  2. Estilhaços >
  3. Stars

História Estilhaços - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


GENTE
Tô com muito sono e tecnicamente eu deveria estar dormindo pq tenho trabalho amanhã cedo, mas hoje me deu uma vontade imensa de att.
Esse capítulo contém MUITA referência a Alice no País das maravilhas, pq eu sou fascinado pelos livros e pelos filmes (reli pela 172727277 vez nessas férias) e se você ainda não assistiu os filmes, eu digo sinceramente : você não sabe o que está perdendo.
Enfim, desde já, sinto muito pelos erros.
Capítulo revisado ao som de :
Generation why - Conan gray
Hello? - Clairo
Can i call you tonight? - dayglow

Capítulo 4 - Stars




Número desconhecido

Qual é a semelhança                                              entre um corvo e uma                                             escrivaninha

                                                   You

                                                    Renjun                                                      Como conseguiu                                                          meu número?

Huang

Pedi do seu irmão                                                  quando ele estava                                                  saindo pro trabalho.

                                       You

                                     Algum motivo                                                          Em específico?

Huang

Ainda não sei                                                        que te dar de presente Lee.

                                 You

                                  Não precisa me dar                                               nada, não há nada                                                   que eu queira.

                                  You

                                 A menos que você                                                 possa comprar uma                                              passagem pra china                                               pagar minha escola                                                  e um lugar pra eu                                                                       morar.

Huang

Infelizmente isso                                                   está fora do meu                                                     orçamento

                                You

                                  Foi o que pensei.

Huang

Você é uma pessoa difícil                                    Lee.

                               You

                                vou levar isso como                                                um elogio.




    Vendo que Renjun não responderia mais nada, Jeno desligou a tela do celular e o jogou na cama. Mais uma semana tinha se passado desde que conversara com o Huang, desde o dia, Renjun não dava muita importância a existência do Lee na escola ou quando o via pela vizinhança, não que desse antes, mas Jeno ficou incomodado. Talvez tivesse sendo intrometido, talvez tenha falado coisas que não devia, mas tinha certeza de que disse a verdade, algo que parecia que ninguém tinha dito a Renjun até aquele momento.

    Por isso a mensagem dele tinha sido tão estranha.

    Era uma sexta a noite, e ele estava em casa sozinho. Os pais tinham saído em um jantar, provavelmente queriam aproveitar sozinhos em Seoul. O irmão tinha saído com os amigos novos da faculdade.

   Aquele era o horário em que normalmente Jeno ligaria para YangYang, então o fez.



"Jeno oi!"

Jeno ouvia barulhos vindo do outro lado da linha, como se YangYang estivesse em uma festa.

"Oi yangie… Que barulho é esse?"

"O que?! Espera um segundo nono."

  Jeno ouviu somente o barulho da festa se abafando.

"Ok, desculpe, eu meio que estou em uma festa."

"Meio?"  jeno riu nasalado "de quem é a festa?"

"Xiao Dejun. É um aluno novo, ele é completamente maluco você deveria conhecer ele"  YangYang riu "Mas e você? O que está fazendo?"

"Nada, só jogado no quarto sozinho."

"Nono… é sexta a noite, por que não saiu com Haechan, chenle ou Jisung? Eles parecem ser legais."

"Eles são legais Yang… eu só, não sei, acho que não me acostumei a isso tudo ainda." Jeno suspirou

"Odeio ver você assim"

"Queria que você estivesse aqui me abraçando. Sinto saudades."

"Jogo sujo Lee Jeno" YangYang disse em tom acusatório e Jeno riu "eu também sinto sua falta meu amor…"  Jeno sentiu seu coração se apertar ao ouvir aquela palavra do outro lado da ligação, só queria ter o amado nos braços novamente. Porque a saudade tinha que ser algo tão insuportável?

"Yang! O que você está fazendo aqui dentro? Venha pra festa!"  O coreano ouviu uma voz desconhecida em meio a barulheira toda.

"Vá se divertir. Amo você"  

YangYang suspirou.

"Também amo você. Sempre."


      

   E a ligação foi encerrada.

 Jeno só queria chorar, chorar porque a cada dia que passava a distância o matava aos poucos, e a insegurança o corroía, pensando se algum dia enquanto ele estivesse fora YangYang conheceria uma nova pessoa, e se apaixonasse por ela.

   Mas ele não iria encher a cabeça do chinês com essas coisas, afinal era apenas infantilidade sua.

   Quando jeno se levantou da cama decidido a sair nem que fosse para dar uma volta na vizinhança, ele pegou seu casaco, e ao sacudi-lo, algo caiu de dentro de algum dos bolsos.

   Claro, o pingente, Jeno havia se esquecido completamente dele.

   Jeno pegou o objeto, e quando o abriu, viu ali a foto de um garoto, ele estava sorrindo, os cabelos eram de um tom rosa e jeno não pode deixar de notar no quanto o sorriso dele parecia genuíno, ele tinha traços como os de um modelo, e por algum motivo desconhecido, o coração de Jeno se apertou ao ver ele.

   Jeno não sabia como devolveria aquele pingente ao dono, ele não fazia ideia de quem a pessoa da foto era, e muito menos de quem era.

   Ele contentou-se apenas em colocar o objeto de volta no casaco e acabou por desistir da idéia de sair, voltou em passos lentos até a cama, se jogando ali, e caindo no sono.

   Quando acordou abruptamente algumas horas mais tarde, olhou para a janela, e arregalou os olhos com o que estava vendo, se aproximando para ter certeza de que o que via não era alucinação.                                  

                               

                                     You

                                     Acho que estou                                                        delirando.

 Huang 

Eu normalmente bloqueria alguém                      que me mandasse                                                  isso

 Huang

Mas no seu caso estou curioso                          Porque acha que                                                     está delirando?

                                     You

                                     Porque estou                                                          vendo um garoto                                                    muito parecido                                            com você no telhado da                                                    sua casa, fumando.



   Jeno ouviu ao longe, a risada de Huang Renjun, aquela gargalhada divertida que o Lee nunca esperou que fosse ouvir do chinês.


Huang

não faço idéia                                                         de quem seja esse garoto                                     devo chamar polícia?

                                     You

                                      Ele parece ser                                                          inofensivo.

                                      You

                                       Mas acho que                                                         ele está meio                                                                      perdido.

                                   

 Huang

Também acho                                                       ele não faz idéia de quem é.

                                      You

                                     Você acha que                                                         ele pode                                                                    descobrir?

 Huang

Talvez, mas ele tem medo.

                                      You

                                       Medo de quem                                                       ele possa ser                                                           sem a sombra                                                         de outra pessoa                                                       sobre ele?

Huang

Boa noite Lee.

                                       You

                                        Vou registrar                                   essa conversa como um sonho.






[...]             


No dia seguinte após a conversa estranha que tivera com Renjun, Jeno estava almoçando com os pais e o irmão, enquanto Doyoung o interrogava sobre sua semana na escola.

- Foi tudo bem, não se preocupe Hyung.

- Fico feliz que tenha feito amigos.

  Jeno também estava feliz por aquilo, achava que ia ter dificuldades para fazer amigos, mas tinha sido recebido tão bem e os garotos e Meiqi faziam de tudo para que ele ficasse o mais confortável possível. 

- Por falar em amigos - a mãe de jeno se pronunciou - Você tem alguma aula com o filho da vizinha? Huang Renjun… Sim, acho que esse é o nome dele.

- Tenho, mas não somos muito próximos, ele é bem quieto. Mas eu falo com a irmã mais nova dele, Meiqi.

- Ah sim! Essa garota é mesmo um doce! - sorriu a mais velha - por falar neles, Shijie nos convidou para um jantar de boas vindas hoje a noite então espero que não tenham marcado nada, seria desfeita não ir.


    Doyoung e Jeno apenas assentiram sabendo que mesmo se tivessem compromisso, teriam de desmarcar.





[...]




      A noite, todos da familia Lee estavam a porta dos vizinhos, a mãe de Jeno era a mais animada. A mais velha adorava fazer amigos novos e não tinha problema com isso.

       Assim que Jeno tocou a campainha, a família foi atendida por um pequeno garotinho, o Lee se assustou com a semelhança que ele tinha com Renjun. Devia ter no máximo 7 anos, o garotinho os observou durante algum tempo, parando o olhar em Jeno e semicerrando os olhos como se quisesse lembrar de onde o conhecia, não chegando em nenhuma conclusão, o garotinho apenas saiu do caminho para que a família pudesse entrar, e saiu saltitando gritando em chinês que os vizinhos já haviam chegado.

    Não demorou até que uma mulher aparecesse do lugar que Jeno concluiu ser a cozinha, já que a mais velha estava usando avental.

    Ela recebeu os Lee com aquele sorriso que Jeno constatou como sendo característico dos Huang.

Dakho, Seonghee! - ela abraçou a mãe de jeno e cumprimentou o pai - e o que temos aqui… - ela olhou para Jeno e Doyoung - Mas que meninos bonitos! - ela deu outro abraço forte nos dois irmãos.

    Jeno não pode deixar de notar no quanto aquela mulher era calorosa e gentil.

- Shijie, que cheiro maravilhoso é esse? - a mãe de jeno perguntou a Sra.Huang

- Estou preparando pratos típicos chineses espero que vocês gostem!

- Ah sim…Todos sentimos falta da china, principalmente Jeno. - a mãe sorriu de forma acolhedora para o filho como se pedisse desculpas

- Ah querido… As vezes eu também sinto falta do meu país, mas aqui é uma cidade tão maravilhosa! Fiz bons amigos e criei meus filhos aqui, foi uma boa oportunidade quando deixei de prender a mim mesma a um lugar que ficou no passado. Espero que você faça o mesmo por você meu doce. - A Sra.Huang sorriu gentil para Jeno e deixou um carinho em suas bochechas fazendo com que Jeno ficasse envergonhado e agradecido - Você conhece meu filho Renjun?

- Ahn… conheço sim Sra.Huang, mas não somos próximos, ele é bem quieto. - a mais velha suspirou entristecida

- Ah meu pequeno… Sinto falta dele. - ela olhou o chão durante alguns segundos mas voltou a sorrir radiante - Bem, fiquem a vontade meninos! Dakho, meu marido está na garagem trabalhando naquele maldito carro, ele vai gostar de companhi, e Jeno e Doyoung… hm… bem apenas fiquem a vontade por aqui. Seonghee, se não se importa preciso de uma ajudinha na cozinha - a Sra.Huang sorriu para a mãe de Jeno a levando para o outro cômodo. 

  O que ela queria dizer com aquilo? que sentia falta do próprio filho?

- Pelo que mamãe me contou, ela tem 5 filhos. - Doyoung disse alguns minutos depois de os dois terem se sentado no sofá da sala de estar.

- Como é?! - esganiçou Jeno que não pôde deixar de ficar surpreso

- Pois é… o mais velho não mora mais aqui mas acho que vem pro jantar, a do meio é Meiqi, Renjun é o segundo mais velho e os mais novos são os gêmeos.

- Gêmeos? Você quiser dizer que aquele garotinho que nos atendeu tem um gêmeo? - Doyoung assentiu e o Lee mais novo apenas abriu a boca em um "o"

  Os dois passaram algum tempo ali na sala de estar conversando entre si ou mexendo no celular até que se viram sendo rondados pelos dois gêmeos.

   Os garotos estavam observando atentamente Jeno e Doyoung como se quisessem escolher sua presa com os olhos semicerrados, e Jeno nunca admitiria mas estava sendo intimidado por duas crianças de 7 anos.

   Por fim, pareceram decidir que seria Jeno.

- gege você quer brincar comigo?! - um veio á direita de Jeno

- Não! Ele quer brincar comigo! - outro veio da esquerda assustando Jeno que pulou na poltrona

    Doyoung apenas saiu dali aos poucos lançando um sorriso quadrado de "boa sorte" para Jeno, provavelmente querendo evitar virar a atenção dos gêmeos indo para a cozinha. Traidor, Jeno pensou.

- Eu posso brincar com os dois… - Jeno respondeu sem jeito, nunca sabia como agir com crianças.

- Gege quantos anos você tem? - o da esquerda perguntou

- D-dezesseis

- A mesma idade que Renjun-gege! - exclamou o da direita

- Qual seu nome? - O da esquerda perguntou novamente

- Jeno. Lee Jeno.

- Jaeno? hm… parece bom! - sorriu divertido o da direita.

- É Jeno - corrigiu o da esquerda

- Claro que não! É Jaeno.

- Jeno!

- Jaeno!

- Jeno! 

- Jaeno!

  Jeno estava virando a cabeça tão rápido de um lado para o outro que achou que fosse ficar tonto.

- Tweedles! - Jeno ouviu seu salvador ao longe descendo a escada exclamar

  Logo os dois gêmeos pararam levando sua atenção ao irmão mais velho

- Vocês querem assustar as visitas? - o mais velho perguntou já de frente para os garotos que apenas negaram com a cabeça - ótimo, agora subam, coloquei Alice No País das Maravilhas na TV.

  Os olhinhos dos garotos brilharam em alegria.

- Mesmo? Eu sou o tweedledum e ele é o Tweedledee não é? - o da direita disse apontando para o da esquerda.

- Não! Eu sou Tweedledum e você é Tweedledee!

- Não é! - ambos já se afastavam em direção as escadas ainda discutindo sobre quem era qual dos tweedles e se empurrando até sumirem no topo a escada.

  Jeno tentou assimilar a cena que tinha visto durante alguns segundos mas voltou sua atenção ao Huang mais velho que sentava no sofá ao lado dele rindo.

- Eles são uma coisa…

- Você os viciou em Alice no país das maravilhas? - Renjun sorriu travesso e assentiu

- Aquele que disse que era o Tweedledum primeiro era Jingtian e aquele que disse que era Tweedledum depois era jingyi.

- Você só está me deixando mais confuso - Renjun riu

- Sobre aquilo de ontem…

- Aquilo não foi um sonho? - Jeno disse fingindo confusão e Renjun apenas sorriu e assentiu

- Sim. Foi um sonho.

 Ambos ficaram ali se encarando durante longos minutos, como se tentassem entender um ao outro pela troca de olhares, como se pudessem responder todas as perguntas que tinham um sobre o outro através daqueles pares de olhos castanhos que se encaravam tentando suprir a curiosidade sem fazer perguntas.

   Jeno prendeu o ar nos dentes quando sentiu a mão de Renjun encostar na sua o puxando escada acima.

   Renjun abriu a porta de seu quarto e com os dois já dentro do cômodo fechou a mesma, o Huang soltou a mão do Lee que sentiu um frio repentino ao não ter mais o calor das mãos pequenas do chinês envolvendo as suas.

   Jeno olhou em volta, o quarto era simplesmente incrível, era o que parecia aos olhos de Jeno, aquele quarto era mais Renjun do que ele poderia imaginar.

  O quarto era de um branco creme, haviam posters de bandas e cantores antigos colados aleatoriamente nas paredes, no meio do quarto de frente para a cama ao lado da porta - provavelmente do banheiro - havia uma escrivaninha com desenhos espalhados e colados com alfinete na parede, até as próprias paredes do quarto tinham desenhos pequenos e frases em inglês ou chinês rabiscadas.

     O guarda-roupa ficava ao lado da cama e no lado oposto, tinha uma parede com uma estante de livros e discos de vinil.

      Mas o que mais chamou a atenção do Lee, foram as fotos polaroids penduradas em pregadores com piscas-piscas na parede acima da cama, Jeno se aproximou para oberva-las.

      Tinha fotos dele com Haechan, algumas com seus irmãos e algumas dele com Mark.

      Mas a maioria eram fotos dele com outro garoto, Jeno sabia exatamente quem era ele, e com um baque surdo, seus pensamentos se voltaram ao pingente que estava guardado religiosamente no bolso de seu casaco todas as vezes que ele saía, e daquela vez não foi diferente, as mãos de Jeno automáticamente foram para o bolso do casaco onde estava o pingente. Aquele no bolso do seu casaco e nas fotos polaroids da parede de Renjun, era Na Jaemin.

      O Lee tentou não parecer tão afetado pela descoberta, ele sentia que não devia devolver aquele pingente agora.

- Esse é Jaemin. - eu sei pensou Jeno. 

- Ele parece ser feliz - foi só o que saiu do boca de Jeno, porque isso, era exatamente o que o garoto de fios rosas emanava, felicidade.

- Ele foi. - ele foi, no passado, a palavra atingiu Jeno como uma pedra e ele sentiu náuseas.

- Você sente falta dele.

- Todos os dias. 


     Renjun pairou o olhar melancólico sobre a parede de polaroids, e parou em uma específica, uma em que Jaemin estava sentado no meio de um banco, e Renjun e Haechan davam um beijo em cada lado de sua bochecha, e Jaemin estava de olhos fechados e sorrindo sem os dentes. Amizade verdadeira.

- Também sinto falta de Haechan.

- Ele está aqui Renjun. - lembrou Jeno.

- Eu sei - o menor suspirou em um sussurro.

   Ele deitou em sua cama, e Jeno viu os fios castanhos e macios se espalharem pela cama.

   Jeno continuou ali, em pé, estático, observando Renjun. 

- Deite aqui - o chinês deu um tapinha no espaço ao seu lado na cama, Jeno hesitou - Venha de uma vez Lee.

   E sem mais uma resposta, Jeno se deitou ao lado de Renjun, e olhando para o teto, não pode deixar de sorrir ao ver estrelhas brilhantes espalhadas por toda a extensão do teto.

- Eu gosto de estrelas. Elas me acalmam - disse Renjun por fim.

  Ambos ficaram em silêncio por vários minutos observando as estrelas do céu de Renjun.

   Sim, essa era a frase, o céu de Renjun, o céu que ele não podia observar do lado de fora quando era dia, o céu que ele mesmo colocara ali em seu próprio quarto para o acalmar sempre que pudesse, com as estrelas espalhadas ali da forma como Renjun as arrumou.

- Você sabe… - Jeno disse quebrando o silêncio - Acho que sua mãe sente sua falta.

- Eu sei - disse o menor ainda olhando para o teto.


      Jeno virou a cabeça para o lado para poder o observar, e Renjun ainda estava olhando para o teto, agora Jeno teve a desculpa perfeita para encarar o menor.

    Observou cada traço do rosto dele. Os fios bagunçados, as bochechas com um leve rubor, e o maxilar delineado suavemente, Jeno fez o que pôde para não reparar na boca de Renjun, a pele levemente bronzeada como se o sol tivesse deixado um beijo suave e calmo pelo corpo de Renjun, e por fim os olhos…

    Os olhos focados no teto, brilhando e refletindo o desenho das estrelas acima, ele não estava pensando em nada, Jeno sabia que ele não estava. E então, aquele era Renjun, o Renjun que ele poderia ser, aquele que não se culpava nem martirizava pela perda do seu primeiro amor, aquele que tinha esperanças de seguir em frente, aquele que não tinha receio.

     Mas tudo se quebrou ao que o chinês virou a cabeça para o lado olhando para Jeno.

- O que você quer me olhando assim? 

   E então o garoto ao seu lado voltou a ser aquele, aquele Renjun que estava se mascarando, se escondendo, o rubor já não existia mais, o brilho nos olhos voltando aquela tristeza do Renjun de agora.

- Entender você.

- Eu não me entendo. Por que você me entenderia?

- Porque você não se vê da mesma forma que eu vejo.

- E qual é a forma, Lee Jeno? - 

Renjun se aproximou mais de Jeno, as respirações entrecortando-se uma a outra, os corações batendo forte, os olhos se perdendo um no outro, em um sussurro soprado no rosto de Jeno, Renjun perguntou :

      - qual é a forma que você me vê?

   E antes que Jeno pudesse responder algo, aquele momento foi quebrado pela batida da mãe de Renjun na porta.

- Meninos o jantar está pronto!

  Renjun foi o primeiro a levantar, ajeitou os cabelos e lançou um olhar a Jeno.

- Você vem pra forca?

   Jeno riu, ele sabia o que seria aquele jantar, ambos seriam bombardeados de perguntas.

   Ele se levantou e abriu a porta do quarto, descendo até a cozinha, com Renjun atrás de si.




[...]




- E então Renjun, o que você pretende fazer depois que se formar? - seonghee foi a primeira a perguntar enquanto todos comiam á mesa.

- Não tenho certeza, mas tenho interesse em fazer faculdade de artes visuais.

    Renjun sorriu sem jeito provavelmente achando que a mãe de Jeno o julgaria por ele estar no 2° ano do ensino médio e não ter certeza do que quer para a vida. Mas Jeno sabia que sua mãe não era assim.

- Ah então temos um artista aqui? - ela sorriu para o chinês - não tem problema não saber o que quer fazer no futuro querido, você ainda tem o resto da sua vida para se decidir. Sua mãe me disse que você também gosta de ler...

- Sim eu gosto bastante - o menor assentiu sorrindo

- Sabe, esses dias eu tenho conversado com um amigo meu, ele é dono de uma livraria aqui por perto e está precisando de alguém por lá, você tem interesse?

- Sério? Eu não quero incomodar mas eu realmente adoraria...

- Não vai ser incômodo algum querido, ele estava procurando um estagiário, então como você me parece ser perfeito, vou indicar você para ele e depois digo a você como foi.

- Minha nossa e-eu realmente não sei como agradecer! - os olhos do chinês brilharam em entusiasmo

   Pela primeira vez Jeno viu Renjun sem alguma resposta na ponta da língua, ele achou aquilo divertido, teria que experimentar deixa-lo sem palavras algum dia. Jeno olhou para a mãe de Renjun que estava sentado ao lado da sua, e viu ela segurando a mão de sua mãe forte como se dissesse "obrigada", as duas se entreolharam transbordando maternidade pelo olhar.

     Mães, Jeno pensou, ele sabia que elas tinham tido conversas sobre seus filhos e que no meio da conversa a Sra.Huang deveria ter contado a história de Renjun para Seonghee.

    O Sr.Huang pigarreou quebrando o momento e se dirigindo a Jeno.

- E você Jeno, tem planos para depois do ensino médio? 

- Eu vou fazer faculdade de cinema. - Jeno disse convicto

- Ah! Cinema? Que interessante! - Jeno se assustou ao ver que o Sr.Huang realmente parecia interessado - E como você descobriu esse gosto?

- Eu sempre fui apaixonado por filmes desde que era pequeno, gostava de pesquisar sobre os diretores e me facinei pelo modo como eles criam o mundo dos filmes. Então é basicamente meu sonho desde que me entendo por gente - Jeno sorriu sem mostrar os dentes

- Sim… E Jeno tem ótimas notas e estuda bastante então ele com certeza conseguirá passar nas melhores faculdades! - o pai de Jeno disse sorrindo orgulhoso para o filho.

   Jeno era tão grato por ter pais que o apoiavam em qualquer decisão que tomasse, e que confiassem nele de olhos fechados.

- O gege vai fazer filme? - um dos gêmeos, jeno são sabia se era Jingtian ou Jingyi, o olhou admirado - um filme tão legal quanto Alice no país das maravilhas?

- Tão legal quanto Alice no país das maravilhas - Jeno assentiu sorrindo doce

- Podemos ajudar gege? - o outro gêmeo perguntou com um biquinho nos lábios

- Vocês serão os primeiros que eu irei chamar para serem meus assistentes, não se preocupem com isso - ele deu uma piscadela para os gêmeos do outro lado da mesa

- Eba! - os dois exclamaram saindo de seus lugares e correndo até Jeno o abraçando de dois lados diferentes e ele sorriu

- Meninos! Deixem Jeno comer! - a Sra.Huang riu

  Os dois se desvencilharam de Jeno e exclamaram um "já terminanos!" antes de saírem correndo pela casa.

- A bateria deles não acaba nunca - o Sr.Huang disse enquanto balançava a cabeça sorrindo

- Crianças… - o pai de Jeno concordou.

  Após os dois meninos saírem da mesa, a conversa continuou mas as perguntas agora eram lançadas a Doyoung e Meiqi - essa que até então não tinha dito uma palavra sequer e Jeno logo percebeu que era porque ela encarava seu irmão a cada 5 minutos como se estivesse o admirando, pobre Meiqi - e Renjun e Jeno apenas ficaram um ao lado do outro calados sem se encararem e fazendo o possível para não virarem o alvo da conversa novamente.

    Ambos ajudaram a tirar a mesa com a ajuda de Meiqi enquanto os adultos foram para a varanda beber um vinho e conversar.

    Enquanto Jeno enxugava os pratos que Renjun lavava, estranhou o menor estar tão quieto, não que fosse desconfortável, mas ele parecia pensativo.

- Hm… você tem um irmão mais velho não tem? Achei que ele apareceria no jantar.

- Você quer dizer Minghao? - Renjun perguntou sem tirar os olhos da louça - Eu achei que ele viria, deve ter acontecido algum imprevisto ou… Gege! 


       Antes que Renjun pudesse terminar, a porta da frente se abriu revelando um garoto alto, bem vestido e com sacolas nas mãos, os gêmeos abraçavam suas pernas enquanto perguntavam o que tinha nas sacolas, Jeno deduziu ser Minghao já que Renjun largou os pratos na pia quase os quebrando para ir abraçar o mais velho.

- Ok tweedles peguem seus presentes e vão fazer bagunça! - as sacolas foram puxadas de Minghao e os meninos subiram para o quarto correndo.

  Jeno observou a cena de longe, Minghao abraçando Renjun apertado enquanto o mesmo afundava a cabeça em seus peitos, por um segundo, Jeno achou que estivesse chorando, mas Renjun apenas se afastou do irmão e o olhou sorrindo.

- Achei que não viesse… - disse o mais novo com um bico emburrado nos lábios

- O quê? Claro que vim, mamãe teria me decapitado se não viesse, apenas surgiu um imprevisto na agência que tive que resolver e acabei perdendo o jantar… - ele sorriu travesso

- Você perdeu de propósito não é? - o irmão assentiu

- Já esgotei minha cota de interrogatórios pra uma vida inteira maninho - ele deu uma piscadela para Renjun e passou os olhos pela casa parando em Jeno - e quem é aquele? 

   Renjun olhou para Jeno como se tivesse esquecido que ele estava ali

- Aquele é Jeno… - Renjun hesitou - um colega da escola e filho do nossos novos vizinhos.

- Ah… é um prazer Jeno - Minghao sorriu - Já pensou em ser modelo? Você é lindo!

   Jeno corou e coçou a nuca sem jeito

- Ahn… o-obrigado

- Que gracinha! Ele é um fofo Renjun! - Minghao se dirigiu até o sofá se sentando com Renjun ao seu lado e chamou Jeno para se juntar a eles acenando as mãos 

  Jeno sem jeito se sentou no sofá a frente dos irmãos Huang.

- Minghao é expert em deixar as pessoas com vergonha

- O quê? Que calúnia! Eu só disse a verdade, Jeno é lindo! - Minghao tentou parecer ofendido e Renjun riu

- E como vão as coisas? E o junhui?

- Ele teve que ficar na agência até mais tarde, passou por uma sessão de fotos hoje e resolveu ficar para ver se a sessão rendeu.

   Jeno apenas ficou observando a conversa alheia sem entender sobre quem se tratava, Renjun pareceu perceber o rosto confuso de Jeno.

- Minghao estudou Moda na faculdade, se formou ano passado e hoje trabalho em uma agência de modelos renomada, Junhui é o namorado dele, é um ator e modelo conhecido. - Jeno os olhou espantado

- Junhui quer dizer, Wen Junhui? O Wen junhui? - Minghao e Renjun riram da reação de Jeno

- Sim, esse Wen Junhui. - o mais velho assentiu

- Minha nossa então você é… você é Huang Minghao, é estilista da Steem models! Você é… uau.

   A reação de Jeno não poderia ser mais engraçada, ele estava ali cara a cara com um dos estlistas mais renomados da Coreia e da China e nem mesmo o reconheceu.

- Meu deus Jeno! você quer um autógrafo? - Renjun fez piada.

- N-não, é que meu namorado é muito fã do trabalho do Minghao, ele também quer trabalhar com moda sabe… 

   A voz de Jeno morreu ao que ele percebeu que chamou YangYang de namorado. Afinal, ele não tinha mais um namorado, ele estava em outro país.

   A expressão de Renjun se fez surpresa

- Não sabia que tinha namorado.

- É, bem… é complicado. - Jeno coçou a nuca

- Bem, se ele é um admirador então não posso esperar para conhecê-lo! Adoraria ter um pupilo! - Minghao exclamou animado

- Ele mora na china…

- Mas que coincidência! Minha nossa isso… eu estava precisando de um assistente para me ajudar com as coisas na china, o meu se demitiu essa semana e tudo está um completo caos por lá! Quantos anos ele tem?

- 17, vai fazer 18 daqui alguns meses. 

- Ótimo, me passe o contato dele, ele pode trabalhar como estagiário e se se sair bem no final pode até ser efetivado.

  Os olhos de Jeno brilharam de alegria.

- Mesmo? Minha nossa eu nem sei como agradecer…

- Não agradeça ainda, ele tem que passar pela entrevista, vou aproveitar que essa semana vou viajar para Xangai e farei eu mesmo! Ele mora em Xangai certo? - jeno assentiu - ótimo.

  Jeno se animou ao passar o número de YangYang para o estlista, ele mal podia esperar para dar essa notícia a ele.

- Certo, Jeno você roubou a atenção do meu irmão e eu fiquei de escanteio - bufou Renjun

- Desculpa - Jeno sorriu sem jeito

- Meu Renjunnie ficou com ciúmes? - Minghao brincou com o irmão

 - Cala a boca. - Renjun respondeu emburrado

- Ah Jeno sabe, esse garoto vive com saudade de mim, chorou rios quando saí de casa…

- Gege! - o mais novo o repreendeu e Minghao e Jeno riram - Jeno não ouse rir - a expressão de Jeno se fechou a ameaça.

 Os 3 ficaram ali conversando, Jeno gostou de observar a relação dos irmãos, dava pra ver que eram unidos, eram amigos, Minghao fazia piadinhas com Renjun como se tivessem a mesma idade.

   Jeno lembrou de sua relação com Doyoung, ele amava o irmão, era seu melhor amigo, mas ele sempre teve aquele ar de irmão mais velho, sempre responsável, castigando, aconselhando e dando sermões em Jeno, o Lee sabia que Minghao, apesar de agir daquele modo, também deveria ter esse lado quando se tratava de Renjun.








[...]







  O domingo se passou rápido já que Jeno só saiu do quarto para comer, o frio batia violento do lado de fora, era dia 20 de dezembro, ele sentiu que dali a dois dias começaria a nevar.

   Ele tinha ligado para YangYang dado a notícia de que se encontrou com Minghao e passou o contato de YangYang para ele com a proposta de ser estagiário, o chinês do outro lado da linha faltou soltar fogos de artifício, ficou tão animado, mas segundos depois começou a entrar em pânico por causa da entrevista, Jeno o tranquilizou, disse que se sairia bem e que ele deveria se preparar com calma e apenas ser ele mesmo, depois de mais algumas palavras de conforto, a chamada se encerrou com o "eu te amo" de sempre.

     Eram 16:00 quando Jeno resolveu se arrumar ao lembrar que tinha que comprar o presente de Mark, ele estava sozinho em casa com o irmão que estava na cozinha provavelmente testando receitas para o jantar.

   Jeno desceu e foi até a cozinha, para avisar o irmão e se deparou com o caos que o cômodo e o irmão estavam.

- Cara… você nunca assistiu Ratatouille? "A marca de um chefe é avental sujo e mangas limpas" - jeno disse em tom de deboche enquanto beliscava um doce que estava no balcão

- Vai se foder. - ele disse sem tirar o foco da panela que estava mexendo.

- Ihh, tá estressado. Bem, eu vim te avisar que vou sair, não bote fogo na casa até a mamãe chegar. - ele beliscou outro petisco que estava em uma bandeja ao lado de Doyoung

- Vaza da minha cozinha piolhento! - Jeno recebeu uma chicotada do guardanapo de Doyoung e rindo ele saiu de casa.

   Doyoung era assim, gostava de treinar várias receitas na cozinha da casa, quando ainda estava no ensino médio e já tinha certeza que faria gastronomia, ele tentou preparar um jantar, mas as receitas eram muito complexas pra ele, que ainda era apenas um menino do colegial.

   Resultado : Doyoung botou fogo na cozinha após acidentalmente deixar a garrafa de vinho cair em cima da boca do fogão ligado.

    Não foi um incêndio tão horrível, mas o suficiente para que Lee Seonghee não deixasse Doyoung entrar em sua cozinha até que estivesse no 2° ano da faculdade de gastronomia.

   Não que o irmão de Jeno não continuasse sendo um caos na cozinha, mas pelo menos nunca mais botou fogo em nada, e limpava toda bagunça que fazia.


    Jeno já estava na metade do caminho da loja onde era seu destino.

    Algo naquela parte da cidade onde morava o agradava, era um bairro calmo, havia a praça e as lojas e restaurantes aconchegantes e pequenos que faziam Jeno se sentir em casa, mesmo que com uma pontada de culpa.

    Ali por perto também tinha um bairro no qual uma parte que se localizavam diversas lojas com coisas ao estilo antigo, um antiquário, uma loja de discos, uma livraria pequena e uma locadora, a qual Jeno entraria depois de comprar o presente para Mark.

   Ele abriu a porta do antiquário, e o sininho indicando sua entrada resoou pela loja, chamando a atenção do caixa.

   Não havia ninguém na loja, o que de certa forma deixou Jeno incomodado, haviam tantas coisas legais a serem exploradas ali. Mas claro, que adolescente iria querer algo usado e velho?

   Jeno tinha escolhido o antiquário pelo preço, mesmo que houvessem coisas de extremo valor ali, haviam umas tão bacanas quanto mas com preço menor.

- Bem vindo! - o atendente gritou dos fundos - se precisar de ajuda é só chamar!

   Jeno se aproximou dos fundos da loja e viu um garoto de aparência jovem, tinha covinhas no rosto e o cabelo era castanho claro.

- Bem… eu estou procurando uma câmera fotográfica. - ele franziu o cenho como se tentando lembrar de algo e em seguida levantou da cadeira desaparecendo entre os corredores da loja e voltando minutos depois com uma câmera em mãos.

- Aqui - ele deu nas mãos de Jeno com cuidado - essa é um modelo antigo, tem aquele efeito old com os números indicados ao lado da foto, eu deveria saber o nome do modelo mas esqueci, e ah! A foto sai na hora também. - ele sorriu gentilmente mostrando as covinhas.

- Certo… - ele viu o preço da câmera na etiqueta e suspirou de alívio ao ver que não era tão caro. - vou levar.

- É presente? - jeno assentiu - vou embrulhar em uma caixa pra você então.

  Enquanto o garoto procurava a caixa para embrulhar a câmera, Jeno observou a loja.

- Ah cara… um amigo meu que trabalha aqui vai ficar furioso quando der falta da câmera. - o atendente riu

- Por que?

- Ele está namorando essa câmera há meses, estava guardando dinheiro pra compra-la

- Bem… sinto muito então. - Jeno riu

  O Lee se assustou ao ouvir o sininho da porta soando, e ficou sem reação ao ver que era Renjun entrando.

  O menor apenas sorriu rapidamente em direção a Jeno e parou no balcão.

- Minhyung não veio trabalhar hoje?

- Não, ele discutiu com Mina e agora estão se resolvendo.

- Problemas no paraíso? - Renjun disse sarcástico e o garoto do caixa riu assentindo.

- Aqui está! - ele deu uma sacola com a caixa com a câmera lá dentro na mão de Jeno, e Jeno retirou sua carteira o pagando - obrigado e volte sempre! 

  Jeno sorriu se curvando minimamente, e acenando a cabeça para Renjun, que agora estava atrás do balcão da loja, fuçando algo lá atrás.

      Ele deixou a loja para trás, enquanto seguia o caminho até a locadora.

     Estranho, era estranho agirem como se não se conhecessem, mas porque isso afetou Jeno? Eles não era próximos de qualquer maneira...

- Ei! Lee!

     Jeno se virou para trás vendo Renjun correr em sua direção, ele ficou parado esperando que o chinês o alcançasse com uma expressão confusa no rosto.

    Renjun tinha algo para dizer a ele?

    Ao que o Huang se aproximou dele, Jeno deu um passo para trás, mantendo aquela distância; é, talvez ele tivesse medo de Renjun, como se ele fosse quebradiço, como se houvessem cacos espalhados ao redor dele.

- Eu só queria dizer pra agradecer a Sra.Lee por mim, eu recebi um e-mail da livraria agora pouco me chamando para uma entrevista. - ele respirou cansado da corrida - Eu realmente espero conseguir esse estágio.

- Não se preocupe você vai conseguir. Sabe onde é a livraria? - Renjun assentiu.

- É a algumas quadras daqui, eu vou muito lá, até conheço os atendentes, ela é grande, tem um café dentro - os olhos do chinês brilhavam em expectativa - eu descobri que se me sair bem no estágio vou ser efetivado, posso trabalhar meio período quando me formar no colegio e fazer faculdade e… - Renjun pausou, ele achou que estivesse falando demais - desculpa.

- Sem problema, fico feliz que esteja empolgado, é bom pensar no futuro de vez em quando.

 Jeno disse com aquele tom na sua voz, aquele mesmo tom que usava toda vez que conversava com Renjun como se quisesse acorda-lo de um estado de sono profundo apenas com palavras.

   Renjun semicerrou os olhos.

- Pra onde você está indo?

- Vou dar uma olhada na locadora, tomara que lá tenha vaga pra limpar a poeira dos dvds porque estou começando a ficar com inveja de todos ao meu redor conseguirem empregos e eu não. - Jeno disse forçando um tom chateado e Renjun riu.

- Eu também estou indo lá, conheço o dono. - quantas pessoas daqui ele conhece afinal? Jeno se perguntou mentalmente.

 

   Renjun passou a frente de Jeno, e o Lee apenas o seguiu.


- Não tenho certeza se ele está contratando, não rola muitos clientes por lá, ele aluga um flat em cima da locadora, é isso que o dá mais dinheiro. Mas na verdade ele só a tem por diversão, também é louco por filmes, o trabalho dele de verdade é em uma firma de advocacia.

  Jeno apenas assentiu sem saber o que dizer sobre a informação.

   Quando eles chegaram próximos a locadora, "Chicago locadora", era o que dizia no letreiro enorme, um homem de terno estava andando de um lado pro outro com um celular no ouvido e exclamando várias palavras frustado.

- O que?! Eu não vou perder esse processo nem morto! Me dê 5 minutos, já chego aí! - ele desligou o celular, arrumando os cabelos e percebendo a aproximação dos dois, ele sorriu aliviado, para Jeno não era, então só podia ser para Renjun.

- Renjun! Que bom que você apareceu! 

- Eai johnny - o chinês sorriu para Johnny - algum problema?

- Sim, problema! Yunho, o garoto que tomava conta da loja aos domingos na folga de Sungchan caiu fora, eu iria pegar o turno mas acabou de surgir um problema lá na firma. Você pode olhar a loja pra mim? Até eu achar um substituto 'pro Yunho?

- Johnny acabei de resolver seus problemas! Bem, pelo menos um deles - Renjun pegou Jeno nos braços - Esse é Lee Jeno, tem 16 anos, cinéfilo de carteirinha, tem ótimas notas e vai fazer faculdade de cinema. 

    O mais alto o analisou e Jeno amaldiçoou Renjun mentalmente, Jeno nem mesmo tinha se preparado para entrevista alguma.

- Hm… ok, é seu amigo então deve ser de confiança - Renjun assentiu - contratado. - Johnny disse olhando para Jeno - você vê algum problema em começar hoje? - o Lee apenas aceno a cabeça negativamente para o mais velho - Ótimo. Renjun explique para ele como as coisas funcionam, você sabe. 

  E sem dizer mais nada, Johnny andou rapidamente até seu carro e foi embora.

- Ele é legal - disse Renjun por fim - vem, vamos entrar.

  Renjun seguiu Jeno para dentro da loja.

 O chinês apenas ficou explicando quais iam ser os trabalhos de Jeno, explicou como fechar o caixa, organizar o estoque dos fundos e essas coisas.

- Bem… é só isso.

- Pra conhecer tanto, você deve vir muito aqui não é? 

- Sim. Eu venho aqui todos os domingos e pego filmes para assistir no escritório dos fundos, lá tem uma tv antiga e um vídeo cassete. Eu costumava assistir com Yunho mas… - ele deu de ombros

- Você deve ter ficado chateado por ele não ter avisado que ia se demitir

- Na verdade não, não éramos amigos. Ele era meio esquisito. 

- Hm…

- Bem, de qualquer forma, você conseguiu o emprego. - Jeno sorriu e assentiu.

  Ele amaria passar os domingos naquela loja, tinham fileiras e fileiras de filmes, a porta era de vidro e trazia as luzes laranja e vermelhas do pôr do sol para dentro da loja.

   Tinha pôsteres dos filmes favoritos de Jeno espalhado pelas paredes e mesmo que os espaço fosse pequeno, era confortável.

- Eu gostei daqui. - Jeno disse sorrindo encatado observando os detalhes da loja.

Percebi que sim - Renjun sorriu soprado - agora vem. - o chinês pegou Jeno pelos pulsos o levando para a porta que havia atrás do balcão do caixa.

- Vem pra onde? - Jeno perguntou confuso

- Vamos assistir um filme, Lee.

  

                           

                                                     

                   


Notas Finais


MIMEI VCS DEMAIS EU SEI
enfim, um docinho pra que jurou que ia rolar beijo em uma parte aí kkkk
os gêmeos, eu sou assim com eles 🥺💗💞 eu que criei (literalmente)
Enfim, me desculpem MESMO por qualquer erro, foi postado um pouco na pressa pq não quis deixar vcs sem att por muito tempo, amanhã eu reviso melhor.
E o partido dos trabalhadores ganhou 3 aliados hoje, eu amo.
Até o próximo capítulo, se cuidem, me digam se gostaram nos comentários, sério, ler eles me encoraja muito.

twitter : @sunkvie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...