História Estrangeira - Capítulo 29


Escrita por: e JheyA

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Escolar, Romance, Violencia
Visualizações 12
Palavras 1.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, demorei mas voltei, tenho plena consciência que o capitulo anterior não está lá essas coisas e que talvez tenha alguns erros de continuação com esse.

Então se acharem qualquer cagada me avisem para que eu possa tentar arrumar.

Boa Leitura!

Capítulo 29 - Cadê ela?


Eu saio do carro prestando atenção ao meu redor mas mesmo assim correndo, encosto na porta da casa delas e tento abri-la discretamente, esta trancada, a essa altura Jhey já estava ao meu lado e ela faz um sinal afirmativo com a cabeça, eu sem pensar duas vezes chuto o trinco da porta e quebro-a, eu e Jhey entramos quase ao mesmo tempo, já preparadas pra morrer batendo, ouço um gritinho, me viro identificando de onde viria o som. 

- Mas o que diabos é isso. – Mae fala de olhos arregalados. 

- Cadê a Yul. – Jhey fala olhando em volta.  

- Esta no quarto dela. – Mae responde. – Porque vocês estão armadas e entrando aqui assim. 

Ouvimos barulhos da escada e nos posicionamos naquela direção. 

- Mas o que...? –Yul para o caminho no meio nos olhando arregalando os olhos. 

-  Yul porque você me mandou aquela mensagem? – Jhey fala indignada andando pelos cômodos ali perto para conferir. 

- Eu não mandei mensagem alguma. Eu não tenho nem como fazer isso. – Yul fala terminando de descer a escada. 

- Da para alguém me explicar o que esta acontecendo. – Mae fala impaciente, Jhey conta sobre a mensagem. 

- Mas eu não mandei essa mensagem. – Yul fala confusa. – Eu perdi meu celular faz uns três dias. 

- O que? – Eu e Jhey falamos ao mesmo tempo. 

- Quando foi isso? – Jhey continua e eu vou até a janela para ver se Kook e Jin ainda estão lá. 

- Uns dois dias depois que nos encontramos no café, eu não sei como, nem quando, mas ele simplesmente sumiu, nós procuramos em todos os cantos, tentamos ligar para ele, mas não o encontramos. 

Vejo que os meninos ainda estão ali, faço um sinal com as mãos de que está tudo bem, Jhey pega o celular dela e liga para o número de Yul. 

- Desgraçados. – Jhey fala. 

- O que foi? – Perguntei. 

- Está desligado, isso foi pra fazer a gente de trouxa. – Ela fala andando de um lado para o outro. – Vamos lá, peguem um casaco e vamos todas sair daqui. 

Jhey decide e por incrível que pareça Mae atende-a rapidamente enquanto Yul questiona. 

- Mas o que está acontecendo? E pra onde vamos. – Ela fala e Mae volta com duas jaquetas uma para ela  e outra para Yul. 

- Vamos. – Ela fala e Yul não questiona, elas colocam os sapatos e todas nos vamos para fora. 

- Não cabe todos nos no seu carro. – Yul fala e os meninos saíram do carro. 

- Vai ter que caber. – Jhey fala tentando pensar em algo. 

- Kook você vem no meu colo, as meninas do nosso lado e a Jhey vai na frente com o Jin. – Eu falo decidindo. 

- Não é mais fácil você sentar no meu colo. – Kook fala envergonhado. 

- Nem a pau. – Eu falo e ouço Jhey dar uma risadinha, eu entro e Kook sem opção nos obedece, e as meninas também. 

- Jin você dirige por favor. – Jhey pede e ele consente, os dois entram, e nos explicamos para as meninas o que estava acontecendo e Jhey não parava de digitar naquele celular. 

- Mas o que você tanto faz. – Pergunto. 

- Entendam. – Jhey fala seria. – Você com certeza não perdeu seu celular, e a pessoa que o pegou está tentando nos assustar, nos dividir, temos que nos cercar, eu estava mandando mensagens pra saber como eles estão. 

- E ai? – Kook pergunta. 

- Por enquanto, todos bem, só a Iara ainda não chegou no lugar marcado. – Jhey responde a pergunta. 

- Mas ela avisou que demoraria. – Lembrou-nos Jin. 

- Eu sei, mas eu estou mandando mensagens e ela não responde. – Jhey está com o rosto franzido, a raiva e a preocupação estampados como um letreiro de led na testa dela. 

- Deve estar fora de área, fica tranquila. – Kook tenta tranquiliza-la. 

-Vou tentar. – Jhey fala. 

- Estamos perto? – Eu pergunto. 

- Sim, falta uns 10 minutos. – Todas as respirações estavam alteradas. 

- Chegamos. – Jin estacionou e Jhey praticamente pulou do carro, antes mesmo que ele parasse. 

- Cadê a Iara. – E a primeira coisa que ela pergunta quando os outros se aproximam. 

- Também não sabemos. – Respondeu J-Hope. 

-  Ela ainda não chegou? – Eu pergunto tendo acabado de descer do carro. 

- Não, e também não atende o celular. – Namjoon responde andando de um lado para o outro. 

- Eu sei tentei ligar e mandar mensagem umas 500 vezes. – Jhey fala. 

- Eu também. – Fala Namjoon. 

- Vocês sabem a onde ela foi? – Pergunto para Bruna e para Elo. 

- Pior que não, ela falou que ia fazer um trabalho de escola, com uma outra menina que é estrangeira na nossa sala, e elas resolveram fazer juntas, mas eu não sei onde ela mora e nem sei o telefone dela. – Elo responde. – Pra ser sincera nem o nome dela eu lembro direito. 

- Aish. – Namjoon fala passando a mão nos cabelos com impaciência. 

Meu celular toca, eu olho a tela e é o número da Iara. 

- E a Iara. – Eu aviso e atendo, vendo os rostos ansiosos de todos.  

Ligação 

– Onde você está? - Pergunto sem rodeios. 

- Talvez nos digamos pra você. – Ouço uma voz grave do outro lado da linha, fico com uma expressão séria juntando as sobrancelhas, e faço sinal com o dedo pedindo silêncio a eles. – Quem é a chefe da gangue de vocês? 

- Primeiro você me diz quem é você. – Falo incisiva. 

- Você viu o número na sua tela, sua amiga está conosco. – Ele fala soltando uma risadinha, que vontade de estrangular aquele cara. 

- Você está com o celular dela e isso não prova nada, eu não vou cair no mesmo truque duas vezes. – Falo seria. 

- A então a mocinha quer uma prova. – Ouço um barulho de fundo e uma respiração acelerada enquanto a voz que falava comigo gritava afastado. “Vamos fala.” 

- Alô. – Ouço a voz tremula da Iara. 

- O que estão fazendo com você? – Pergunto e meu olhar devia ser de pavor, já que todos a minha volta ficaram tensos. 

- Isso é tão clichê, mas não venham... – Ela fala e solta um gemido de dor, ela estava se controlando para não gritar eu sei disso, ele provavelmente bateu nela para impedi-la de continuar a falar. 

- Tá bom pra você. – Aquela voz maldita volta a falar. 

- Escuta aqui... 

- Escuta aqui você, se não fizerem o que eu disser, ela morre, e eu vou matar os seus amigos um por um. – Ele fala com a voz calma e sádica. 

- O que você quer? – Eu pergunto odiando ter que ceder, mas eu não vou deixar ela lá. 

- Agora melhorou, vocês vão nos encontrar em um lugar, eu vou te mandar uma mensagem com o endereço, vocês podem vir todos juntos se quiserem, e tentar se organizar mas..., eu vou deixa-los avisados, vocês estão sendo vigiados e os telefones de vocês estão grampeados, vocês não tem chance nenhuma contra nos, e se tentarem avisar a policia, eu já te avisei, ela vai ser a primeira. – Ele termina e desliga antes que eu consiga falar qualquer coisa. 

Ligação off.

Eu abaixo o telefone e todos estão me olhando. 

- Eles estão com ela. – Falo com a voz fraca, agora eu entendo o sentimento do Kook, aquele sentimento de  “eu falhei”. 

- Como assim? – Namjoon pergunta com os punhos fechados, dava pra ver a raiva e o medo nos olhos dele. 

- Eles estão com ela, e disseram que vão passar um endereço para eu ir até lá a noite. – Eu falo. 

- Você não vai sozinha. – Kook fala e todos ali concordam. 

- Aqui não é lugar pra resolver isso. – Eu falo olhando em volta, vamos para a minha casa. – Todos concordam e nos dividimos entre os dois carros e a pequena van do Namjoon, fomos até a minha casa um seguindo o outro, ficamos dando voltas para saber se estávamos sendo seguidos, então nos separamos e cada um foi por um lado,  mas depois fomos para a minha casa e nos encontramos lá. 

Entramos em casa, nos ajeitamos todos sentados, menos Namjoon e Jhey que ficaram andando de um lado para o outro. 

- Sentem-se vocês dois também, a gente precisa de alguma ideia. – Eu falo e suspiro logo em seguido. 

- Vamos aos fatos. – Jhey fala, mas não se senta. – Você não vai sozinha. 

Todos concordaram. 

- Quem são os melhores motoristas que nos temos? – Pergunto pensando. – E quando eu digo melhores eu quero dizer aqueles que conseguem dirigir acima de 150Km/h. 

- Eu. – Responde Mae e Jhey sorri. 

- Era de se esperar. – Jhey fala e continua. – Eu também, mas eu sou uma das poucas que consegue atirar, então eu prefiro ir para dentro com você. 

- Nos também sabemos atirar. – Yul fala. 

- Por essa eu não esperava. – Fala Jimin. 

- Tá, quem mais aqui sabe atirar, e já atirou com uma arma de verdade. – Pergunto olhando para todos. 

- Eu. – Fala Namjoon parando de andar e nos encarando. 

- Eu, mas eu não sou muito bom. – V fala, por essa eu não esperava mesmo. 

- Tá então somos em 5 que sabem atirar com certeza e 2 que sabem dirigir em alta velocidade. – Jhey fala. 

- Dois? – Eu questiono. 

- Sim, o Jin também consegue dirigir em alta velocidade. – Ela fala encarando-o e ele acena para ela com a cabeça afirmando o que ela diz. 

- Então Jin leva o carro dele, Mae o meu, e falta alguém para dirigir o do Namjoon. – Falo. 

- Eu levo o do Namjoon. – Suga fala. 

- Você consegue correr com esse carro, ele é grande. – Questiona Elo. 

- Sim, eu já dirigi o carro então é mais fácil para mim. – Suga fala. 

- Eu tenho uma duvida. – Fala V. – Onde nos vamos arrumar armas do nada. 

Jhey pede pra esperarmos que ela vai resolver isso e sai, continuamos pensando em como resolver isso, e apesar de nenhum de nos ter aceitado que ela fosse a sei lá onde, fazer sei lá o que sozinha ela foi irredutível, após 15 minutos desesperadores ela voltou e entrou com uma mala preta de rodinhas. 

Ela coloca a mala sobre a mesa de centro e abre, varias pistolas de vários calibres e silenciadores estavam ali, além de pentes carregados e mais um monte de coisas. 

- Meu intuito era ensinar vocês a atirarem esse fim de semana, mas acho que vai ter que ser na raça mesmo. - Ela fala suspirando logo em seguida. 

- Vamos fazer assim, quem quiser aprender a atirar, fica aqui comigo e com o Namjoon, quem não quiser vai abastecer os carros com alguém que saiba atirar. 

- Eu posso ir sozinha. – Diz Mae se levantando. 

- Nem pensar. – Diz Jimin. – Ficar sozinhos agora está fora de cogitação. 

- Suga você também sabe atirar não é? – Pergunta Kook. 

- Não exatamente, eu só sei atirar com espingarda de caça. – Ele fala. 

- E quase a mesma coisa. – Jhey responde para ele. – Eu e Jin vamos no carro dele, Mae, você e Jimin vão no meu e Suga e Yul vão no do Namjoon, o resto fica e aprenda a atirar por favor, sem fazer muito alarde se for possível. 

- Ainda bem que minha casa é isolada, e quase não tem vizinhos. – Eu falo. 

- Mae, Yul e Suga, escolham uma arma aqui. – Eu falo pegando a minha, uma colt. - Peguem um pente também. 

- Estamos indo. – Fala Mae. 

- Soon, no quarto de hospedes, tem outra mala preta no guarda roupa em baixo das roupas, fique a vontade com ela. – Jhey fala para mim e sai. 

- Bom agora e com a gente. – Eu falo olhando para Namjoon, eu vou pegar as armas e vocês vão para o quintal do fundo. 

Falo e eles me obedecem, logo volto com a maleta e abro-a no chão. 


Notas Finais


E isso galeras.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...