História Estranho garoto de olhos negros - Imagine Jungkook - - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Pentagon (PTG)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Personagens Originais
Tags Bts, Jungkook, Romance, Você
Visualizações 92
Palavras 1.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FANGINE

ㅡ Aceito sugestões

ㅡ Críticas

ㅡ Algumas coisas nessa história não existem, nome de pessoa, nome de livros ou lugares .

ㅡ Entre outros .

Boa leitura .

Capítulo 2 - Segundo Capítulo - Surpresa inesperada -


8:29.Manhã 

.Kim Sn.


Acordo já ouvindo os gritos  fortememte de meus pais, é a quarta vez essa semana...

Fecho os olhos fortemente quando escuro barulhos de vidros se quebrando, não dava para ficar quieta com a gritaria de minha mãe pedindo ajuda, me levanto ficando sentada olhando para o enorme espelho à minha frente, tapo meus ouvidos com a mão no intuito de não ouvir a mesma gritar pelo meu nome. Uma dor de cabeça já estava presente, descido tomar um banho, de preferência um banho gelado.  E assim faço.  Depois de ter tomado banho, visto um vestido normal rosa claro com pequenos detalhes de flores, coloco um tênis rosa claro também,  seguida escovo os meus cabelos, faço um simples penteado de minha preferência e sigo para a pequena estante que se encontrava do lado de minha cama e do escravo mudo, pego o livro e espero a gritaria abaixar, quando a mesma abaixa, pego todas as minhas forças e saio do quarto, olho para os lados e não vejo ninguém, desço as escadas com cuidado para os mesmo não ouvirem e não me chamarem e começarem a gritar e brigar, vejo que no meio da sala há vidros espalhados por todos os lados, já fora da escada descido olhar para outro lado, os dois ainda não pararam de brigar, com passos cuidadosos tento seguir para a porta na intenção de sair, esses vidros não colaboram e os mesmos percebem a minha presença. 

ㅡ - FILHA! ㅡ minha mãe me chama indo em minha direção tentando escapar de meu pai ㅡ

ㅡ - OLHA PRA MIM QUANDO EU FALO ! ㅡ o mesmo puxa ela pelo braço e segura seu queixo ㅡ

Como ele pode estar bêbado numa horas dessas? 

ㅡ - E você sua miniatura de puta, aonde estava ontem?  ㅡ o mesmo fala calmo indo em minha direção me segurando pelo braço quando dou um passo para trás ㅡ

ㅡ - Nem pense em fugir.   ㅡ ele mantinha um olhar sem expressão para mim, que logo se transformou em um sorriso, digamos que cheio de intenções 

ㅡ - Já que você é uma vadia Sn, porque não nos divertimos a sós? ㅡ olho assustada para ele, o mais velho ainda me segurava pelo braço, ele começou a me empurrar para subir as escadas, minha mãe só sabia gritar e dizer para ele não fazer isso, estava com tanto medo que me debatia para não subir.  ㅡ

 ㅡ - Quer saber?! Vamos aqui mesmo ㅡ ele me puxa para o outro lado e me agarra, o mesmo distribuía beijos pelo meu pescoço, minha mãe continuava a gritar juntamente comigo, há estava tão cansada de me debater que eu só conseguia o empurrar.  O mordo e e em seguida o empurro, o que o me olhar com pura raiva. ㅡ

ㅡ - SUA! ㅡ antes que pudesse escapar, já era tarde, sentia um forte arder em minha bochecha, quando vejo há estava caída no chão, minha mão estava ralada juntamente com meus joelhos por causa do vidro estilhaçado pela sala ㅡ

ㅡ - PARE DE GRITAR MULHER!  ㅡ ele segura os braços de minha mãe, ela me olha e afirma, não penso duas vezes e corro para a porta e em seguida corro para a rua.  Já estava cansada de correr, deito em um banco que havia na praça e respiro fundo fechando meus olhos, me sento e limpo as minhas mãos e meu joelho ㅡ

ㅡ - Aish ㅡ resmungo.  Penso em algo para fazer ou ir, descido em ver um amigo que sempre vai em uma loja de café por perto ㅡ

Chegando lá o vejo e o mesmo me abraça .

 ㅡ - Princesa!  que bom ter você por aqui! 

ㅡ - Como você está Mark?  Já se recuperou do tombo?  ㅡ começo a  rir ㅡ

ㅡ - Chega né Sn!  esse maravilhoso tombo foi o verão passado! ㅡ ele bate de leve em meu ombro ㅡ

ㅡ - Princesa, vamos ao Shopping? ㅡ concordo ㅡ

Chegando lá, Mark vai para uma loja de brinquedos para depois comprar. 

ㅡ - Esse aqui é legal ?

ㅡ - Sim! combina com você .

Era uma pequena estátua de uns dos heróis de seu jogo favorito. 

Depois de uns vinte minutos fomos em outro canto, fomos jogar. 

ㅡ - Vamos princesa!  ganho de você rapidinho! 

ㅡ - É sério isso ?

ㅡ - Uhum, vamos lá! 

ㅡ - Okay então! 

Pego a arma de brinquedo e começamos a jogar. 





ㅡ - NÃO! ㅡ ele grita ㅡ






ㅡ - NÃO! ㅡ ele grita ㅡ






ㅡ - NÃO! NÃO! NÃO!ㅡ ele grita batendo  a  arma  em sua cabeça de leve  ㅡ

ㅡ - Assume Mark!  eu sempre ganho de você !

ㅡ - NÃO!..., EU GANHEI! VIU SÓ SN EU GANHEI, QUEM É O VENCEDOR AGORA?! ㅡ ele grita ㅡ

ㅡ - Mais Mar... ㅡ ele me interrompe ㅡ

ㅡ - Shiiu cala a boca, finge que eu ganhei ㅡ ele sussurra ao meu ouvido o que me faz abrir um sorriso ㅡ










ㅡ - Nossa..., hoje o dia foi massa! ㅡ estávamos andando por uma rua qualquer.  O celular dele começa a tocar e o mesmo se faz que não ouviu ㅡ

ㅡ - Pode atender.   ㅡ e assim ele faz ㅡ

ㅡ - Oi (...) Agora? (...) Sim (...) Mais pai! (...) NÃO! (...) Estou aqui com a Sn (...) Deixa eu só deixar ela em casa  (...) Como assim não?! (...) Mais pai! ... Pai? ..., ele desligou ㅡ Fala olhando para mim  ㅡ

ㅡ - Princesa, me desculpa, meu pai está surtando porque passei o dia fora. 

ㅡ - Está tudo bem, eu vou sozinha pra casa. 

ㅡ - Valeu baixinha ㅡ ele me abraça e me dá um demorado beijo na testa ㅡ Até amanhã!  ㅡ ele diz correndo até sumir de minha visão ㅡ

ㅡ - Tomara que eu não me perca ㅡ  falo andando  ㅡ










ㅡ - Não acredito que me perdi ㅡ murmuro ㅡ

Estava em uma rua escura e fria, na qual o vento batia em meu rosto e nas minhas pernas nuas, o silêncio era perturbador.  Descido entrar em um beco.  

Já ao entrar ele sinto um forte cheiro de machonha, abano minha mãos até o rosto.

 Sinto alguém pegar em minha  cintura, me viro e vejo uma pessoa na qual não sabia quem era. 

ㅡ - Olha só o que temos aqui rapazes! uma menininha. ㅡ ele se aproxima e dou passos para trás ㅡ

ㅡ - Não chegue perto! 

ㅡ - Não? E se eu fizer..., isso! ㅡ numa rapidez eu já estava na parede com o mesmo me encurralando.  Ele se aproxima a certo ponto que dava para sentir seus lábios nos meus  ㅡ

ㅡ - Me deixe ir ㅡ sussurro ㅡ

ㅡ - E se eu não quiser deixar..., bravinha?

 ㅡ - Bravinha?  ㅡ olho para o mesmo que me encarava com um sorriso ㅡ

Bravinha era o apelido de infância que só uma pessoa conhecia, a que me colocou o apelido..., Baekhyun. 

ㅡ - Baekhyun?!

ㅡ - Há quanto tempo, não? 

ㅡ - Será que pode me soltar agora? 

ㅡ - Ah sim!  ㅡ ele me solta ㅡ

ㅡ - Baekhyun..., quem são eles? 

ㅡ - Eles? Ah !... ㅡ o mesmo olha para os dois garotos que estavam encostados na outra parede ㅡ

ㅡ - Eles são Chanyeol e Sehun... SE APRESENTEM! ㅡ o mesmo grita ㅡ

ㅡ - Sou Sehun. ㅡ o garoto de cabelos negros fala ㅡ

ㅡ -  Sou Chanyeol. ㅡ o garoto de cabelos marrom claro fala ㅡ

ㅡ - O que está fazendo aqui bravinha? 

ㅡ - Eu estava querendo passar pelo outro lado para chegar em casa .

ㅡ - Ah! Pode ir, nos veremos a qualquer dia mesmo ㅡ concordei ㅡ

ㅡ - Xau menininha! ㅡ Sehun e Chanyeol falam ㅡ










Já  outra rua, essa está iluminada, mais ainda está frio. Não vejo a hora de chegar casa e correr para o quarto. Nunca mais vou à casa de meus pais, essa foi a última semana que passo com eles.  




ㅡ - AMÉM!  ㅡ faltavam seis casas para chegar a minha  ㅡ Nossa, que silêncio .

Chego em casa e vou direto ao meu quarto, pego uma roupa confortável e vou tomar banho. 

Estava penteando meus cabelos quando escuto um grito vindo do lado de fora, vou até a janela e vejo um garoto correndo, atrás dele tinham dois cachorros. 


ㅡ - DEUS!   JESUS!   BUDA!  ㅡ o garoto gritava. ouço um estrondo  de porta sendo aberta e fechada rudemente..., foi aqui em casa. Desço as escadas e vejo o tal garoto no sofá respirando pesadamente ㅡ

ㅡ - Você está bem?  ㅡ me aproximo do mesmo que me olhava ㅡ

ㅡ - Não acredito!  ㅡ falamos juntos ㅡ Você?! .





Notas Finais


Continua?



ㅡ 중석 .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...