História Estrelas Perdidas - Capítulo 79


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Belinda, Exo, Kaisoo, Selena Gomez, Sexing, Super Junior, Xiuhan
Visualizações 80
Palavras 4.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite Estrelinhas!

Demorei mas voltei. Sábado tem mais, prometo.

Beijinhos e até lá!

(^.^)

Capítulo 79 - O Trono da Luz - Parte II


Fanfic / Fanfiction Estrelas Perdidas - Capítulo 79 - O Trono da Luz - Parte II

 

Terça-feira.  06 de março do ano do Criador...

 

Primavera...                                                                              

 

Pela primeira vez na vida Minseok se sentiu afogar sendo levado para o fundo junto com Yixing, era como se ele tivesse perdido a capacidade de se adaptar por uns instantes, se debateu, tentou puxar ar para os pulmões que pareciam se encher de água. A imensa criatura que se atirara nas águas caíra sobre os dois empurrando-os para baixo, mas agora Minseok se sentia ser levado para cima como uma marionete, abriu os olhos e pode perceber que os pelos da criatura que os prendia em seus braços eram brancos, parecia um dháfyrus, mas tinha o dobro do tamanho deles e era completamente branco.

Minseok ainda segurava a mão de Yixing a qual puxara minutos atrás, olhou para o elfo aquático e Yixing lhe olhou assustado, os olhos arregalados ao máximo, não por ter sido descoberto, mas sentiu como se o tritão não o quisesse ali, mesmo para sua proteção, era como se Yixing quisesse ser levado.

O demônio branco arrastava os dois pelas águas, novamente para a superfície, nadava para cima, segurava-os firme por suas cinturas, seus braços e mãos eram de tamanhos descomunal e entre a agonia de se sentir sendo levado Minseok conseguiu sentir também o oxigênio entrando em seus pulmões lentamente, da forma em que entraria nos pulmões dos aquáticos, sentiu-se fortalecido, soltou a mão de Yixing a qual ainda segurava e tentou se libertar, tentou livrar-se do abraço do monstro, tentou chutar, olhou para Yixing, o tritão pareceu movimentar a cabeça de forma negativa mas se inclinou em direção a Minseok tentando puxar o braço da fera para que soltasse o ômega da profecia.

Yixing não queria ser liberto, mas também não queria que Minseok fosse capturado. Olharam-se nos olhos, tentariam juntos, Minseok empurraria, Yixing puxaria.

1, 2, 3. O braço da fera afastou-se minimamente para que Minseok escorregasse para baixo e assim que se sentiu livre para voltar e soltar Yixing, Minseok viu um tanto de dez elfos guerreiros investirem contra o demônio branco, viu Yixing sendo arrancado dos imensos braços do demônio e se sentiu ser erguido até a superfície, até o ar, sentiu-se tonto, estava voando? Não, alguém voava com ele nos braços, olhou para o lado sentindo uma leve vertigem, viu o belo rosto de Chen bem perto ao seu, o príncipe das terras da luz e das rosas olhava para baixo com uma expressão preocupada, segurou-se firme nele e olhou na mesma direção, Tao os acompanhava com Yixing em seus braços enquanto um emaranhado de elfos guerreiros e dháfyrus se enfrentavam na beira do lago, respirou aliviado por Yixing que ainda maninha sua bela cauda de tritão à mostra, o ômega certamente ainda desejava cair nas águas e ser levado pelo inimigo pois se debatia nos braços de Tao, mas Minseok sabia que Tao era forte o suficiente e levaria o elfo das águas de volta à segurança do castelo, o que lhe preocupava agora eram os guerreiros que enfrentavam as feras.

— Os sentinelas... — disse preocupado.

— Tudo vai ficar bem — ele ouviu Chen lhe dizer enquanto voava com ele em seus braços em direção à segurança do interior do castelo — Eles conseguem lhe dar com isso — O príncipe continuou ao perceber que Minseok se preocupava com os guerreiros que ainda enfrentavam o demônio branco e seus comparsas.

Minseok respirou fundo, sabia que estava muito encrencado quando viu com surpresa e incredulidade Belinda, Bey e Fler esperando por eles no salão dos quartos.

— Por aqui — Belinda mostrou a Tao e Chen por onde deveriam seguir, foram em direção ao quarto da rainha, os príncipes colocaram os ômegas sentados em um confortável divã como a rainha havia pedido e com uma leve reverência regressaram ao campo de batalha onde descobriram que como se estivessem seguindo ordens de superiores as feras haviam fugido na noite escura, desapareceram como poeira ao vento.

— Vocês dois são as criaturas mais imprudentes que eu conheço — Fler desabafou enquanto Minseok observava a cauda de Yixing se transformando novamente em pernas — Luhan havia me pedido para cuidar de você Minseok, mas não sabíamos que você se colocaria em perigo tão cedo...

— Yixing estava em perigo — a interrompeu.

— Temos sentinelas, guardiões, guerreiros, espadachins, arqueiros... Tudo para que você não precise se colocar em perigo...

— Eu...

— Por que não regressou ao interior do castelo como os sentinelas orientaram? Por que tem sempre que se colocar em perigo Minseok? — a ninfa sempre muito discreta elevou o tom de voz, lembrava-se de que havia entrado imediatamente no portal particular da família Kim em direção a Trinyon mais uma vez quando Selena e ela foram avisadas em Hélyos sobre os perigos que Minseok e Yixing corriam, a rainha não pode se ausentar do reino ou Minseok ouviria bem mais do que isso, mas ela estava ali, decepcionada, preocupada e surpresa com o ômega, a rainha Selena viria assim que as coisas se acalmassem, assim que Oberon regressasse ao reino. Minseok a olhava confuso, sabia que ela estava certa. Por que havia mesmo se colocado em perigo quando havia prometido a todos que se cuidaria? Ele sabia o motivo, somente ele sabia.

— Me desculpem — ele pediu, queria dizer mais, mas não achava prudente revelar assim o que havia visto em uma de suas recentes visões, seria no mínimo chocante, ele mesmo tentava se acostumar com o que vira pois teria que enfrentar o que havia visto vindo para si em breve, não, não podia contar. Puxou o ar com dificuldades mais uma vez, como se tentasse se acostumar com o ar da superfície e só então sentiu as pequeninas asas molhadas pesando, sentiu também como as damas de companhia da rainha se aproximavam dele e de Yixing para secá-los com magia e cobri-los com roupões secos, quentinhos, decidiu ficar calado enquanto sentia que as ninfas lhes tiravam os roupões e batas molhadas e começavam seus trabalhos.

— E você Yixing, o que deu em você para fugir no meio da noite? — Bey que até então olhava incrédula para o filho se manifestou, mas de certa forma tinha medo de sua resposta, principalmente quando Yixing que mantinha os olhos fechados desde que Tao o havia deixado ali os ergueu olhando profundamente nos dela.

— Vocês mentiram para mim... Ele está com Suho.

Eles viram dor nos olhos do ômega das águas. Haviam feito tanto esforço para tentar poupá-lo de tudo isso, como dizer a ele que talvez Suho não regressaria a eles, nunca mais? Bey o abraçou enquanto gotinhas cristalinas vertiam dos olhos de Yixing.

— Teu pai e eu temos planos filho, sábios e reis estão conosco na busca por Suho, devia ter nos contado antes que sabia, teríamos evitado toda esta exposição que tiveram agora, se eles tivessem te levado teriam os dois agora, os três — olhou para Minseok — Urano jamais libertaria Suho fácil assim...

— Como sabes? Ele me prometeu...

— Suho se tornou precioso demais para ele — a mãe respondeu, ele ergueu os olhos para ela mais uma vez, queria explicações e ela as daria todas, mesmo que tudo o magoasse profundamente.

— Pelo visto todos já sabem — ele afirmou olhando ao seu redor os rostos que o observavam e pelo silêncio feito no quarto ele constatou a veracidade de suas palavras — Podemos ir a meu quarto então? Quero que me conte tudo agora — pediu.

— Melhor conversarmos pela manhã — disse a rainha.

— Agora — Yixing insistiu muito sério afastando-se das mãos que o secavam com magia, levantando-se para em seguida cair como um recém nascido. Ergueu-se permanecendo sentado no chão, fez esforço para se levantar mais uma vez, não compreendia, ergueu o rosto para a mãe — Eu não sinto minhas pernas.

 

______________________________L&M______________________________

 

— A que devo a honra de que meu amigo e meu imperador me visite? — Ryeowook perguntou e se afastou para olhar nos olhos de Alcyon, os jovens príncipes apenas observavam atentos esperando pelo pior. Jongin calculava por onde deveria escapar para resgatar sua Lua, ele conhecia aquele castelo, pouco, mas conhecia, D.O. havia lhe dado certa vez um mapa mostrando como escapar de certos lugares para chegar até seu quarto e o salão do trono era um desses lugares, mas ele não seria covarde, não deixaria ninguém que precisasse dele na mão.

— Meu amigo — disse Alcyon — Deixas-te tão inesperadamente minha casa que me preocupei por sua segurança — O imperador continuou olhando-o nos olhos.

— Como meu gentil amigo pode ver estou magnificamente bem — disse Ryeowook ainda segurando-o pelas mãos e um sorriso estranho brincando em seus lábios, um sorriso que faria doces criaturas pacíficas ficarem arrepiadas dos pés à cabeça — Mas não vieste somente por isso. O que mais o traz até meu reino caro meu amigo?

— Me preocupei pelo jovem príncipe D.O., o trouxeste sem avisar e ele é minha responsabilidade, tive medo que ele tivesse sido levado por outro. O que eu poderia dizer ao meu amigo se fosse assim?

— Perdoe-me — disse Ryeowook com uma falsa doçura enquanto soltava as delicadas mãos de Alcyon. Caminhou novamente até seu trono e se assentou nele majestoso. Alcyon assim como todos os visitantes percebiam o olhar angustiado da rainha Camy enquanto segurava as gêmeas sentadas em seu colo, ela lhes pedia ajuda — Mas D.O. está bem agora, ele permanecerá comigo por estes dias, aqui é seu lar, dias difíceis se aproximam, quero a família reunida, quando regressar ao Castelo do Sol diga a Chen e sua consorte que eu os aguardo. Poderia fazer-me este favor? — Ryeowook continuou, Alcyon estudava todos os seus gestos e palavras, aquele definitivamente não era seu amigo — Acaso desconfias de que a família não é o suficiente para a proteção de D.O.?

— De forma alguma meu amigo. Sei como todos em Arcadhy que a família é sempre o melhor para cada um de nós, mas me preocupei pois ele está gestando. O amigo sabe que ele precisa da magia de seu alfa por perto para o desenvolvimento do bebê, não sabe?

— Ah! Vieste trazê-lo para mim — Ryeowook continuou com uma expressão estranha no rosto e desviou os olhos dos olhos de Alcyon, para olhar profundamente nos olhos de Jongin — Agradeço imensamente — ele continuou — Os dois permanecerão comigo então — ele sorriu mais abertamente voltando a olhar nos olhos de Alcyon enquanto um belo elfo que estava ao lado do trono se inclinava um pouco mais em direção a seus ouvidos para lhe sussurrar.

— Seria melhor que acomodássemos nossos visitantes antes que venhas a tomar qualquer decisão majestade — disse o primeiro sábio, o conselheiro do rei que Alcyon conhecia muito bem. Ele havia falado baixinho, mas todos na sala haviam ouvido por causa do silêncio que se fazia além da conversa dos dois reis.

O conselheiro sempre tão sensato parecia tão estranho quanto Ryeowook, e como se Ryeowook obedecesse a suas palavras se ergueu novamente de seu trono e se aproximou mais uma vez da comitiva, o sábio conselheiro o acompanhou. Jongin, Luhan e os outros apenas os observavam atentos, preparados para o pior.

— Sim, tens razão — Ryeowook concordou olhando para Jongin, se aproximando do jovem elfo, segurou suas mãos, Jongin se controlou para não fazer nada de errado antes das ordens do rei Alcyon — Que maravilha recebê-lo em meu lar que um dia também será seu, que bom que veio — sorriu estranho, seu rosto se contorcera no que mais parecia uma careta — Meu filho ficará fora de si de tamanha felicidade...

— Majestade, devemos acomodar os visitantes — o conselheiro insistiu novamente.

— Tens razão, primeiro as acomodações — Ryeowook concordou.

— Quero ver D.O. — Jongin se atreveu a dizer olhando nos olhos do rei.

— O verá em breve — Ryeowook disse erguendo uma de suas mãos e seus guerreiros se puseram em ordem de ataque ao redor da pequena comitiva. Eram mais de cem que faziam a guarda do corredor que os levara ao salão do trono e mais de cem se juntaram a eles em seguida, uns deles pegaram as princesinhas dos braços da rainha as levando para fora do salão, em seguida levaram também a rainha contra sua vontade, mas ela não protestou, ela não se afastaria das filhas menores.

— Viemos em paz. Mas se assim desejas — Disse Alcyon enquanto Ryeowook regressava e se assentava em seu trono para apreciar o espetáculo, a pequena batalha que não tardou, permaneceu sentado, imóvel enquanto seus guerreiros investiam com suas espadas em punho contra os visitantes, a batalha estava formada em sua frente.

O que fazer? Se defender apenas, Alcyon deu ordens para que os membros de sua pequena equipe não matassem nem um dos guerreiros de Ryeowook que estavam em maior número. Alcyon sabia que os guerreiros que o acompanhavam por mais jovens que fossem eram muito bem preparados para se defender das investidas das espadas do inimigo.

Alcyon sabia que estavam todos sob o domínio das forças daquele que desejava voltar, todo o belíssimo Castelo da Luz estava banhado por uma atmosfera sombria a qual descobrira da pior forma que os impedia de usar de sua magia, fora arremessado com brutalidade por um enorme elfo da guarda de Ryeowook quando tentara acender sua magia do sol.

Levantou-se novamente defendendo-se com sua espada, Alcyon sentia que a magia sombria vinha de bem perto, não exatamente de dentro do rei da luz. Olhou à sua volta combatendo e tentando sentir enquanto via o filho e toda sua equipe combatendo a seu lado, sentia como o coração de Jongin tornava-se apertado e murchava em preocupação por seu ômega, o alfa combatia e olhava por possíveis formas de escape, formas de ir atrás de D.O., achava que certamente o encontraria aprisionado em seu quarto.

No calor da batalha onde somente os sons das espadas se chocando e gritos de guerra eram ouvidos Alcyon se concentrou mais uma vez vendo como seu filho e seus amigos se defendiam com bravura. Ele sentiu, ele viu, não era Ryeowook, alguém sussurrava palavras do mal em seus ouvidos... O sábio conselheiro. Rápido, cortou caminho por entre a multidão de elfos guerreiros que se enfrentavam e chegando até Jongin o salvou de um golpe certeiro que o atingiria pelas costas.

— Consegue para o tempo? — Alcyon perguntou ao jovem enquanto combatiam lado a lado.

— Nunca tentei com tantas criaturas ao redor, ainda não sou muito bom nesta magia — Jongin respondeu ao se desviar de um golpe de espada, Alcyon sabia que o uso da magia estava vetado naquele lugar, mas se seus planos dessem certo Jongin seria capaz de usar um pouco ou mais de sua magia — Nossos poderes estão falhando, mas posso tentar outra coisa — disse o jovem príncipe — paralisação dos guerreiros, é tão forte quanto parar o tempo e independente de minha presença no local a magia pode durar por uma hora ou mais, se eu conseguir... Mas como faremos isso? Nossas magias não funcionam aqui dentro — Jongin perguntou ao investir contra um dos guardiões da luz.

— Apenas cofie em mim — Alcyon respondeu e aos gritos convocou os seus para que fizessem um círculo ao redor de Jongin protegendo-o enquanto ele se concentrava.

— Se pudermos usar de nossas magias eu posso ajudar a mantê-los imóveis por mais tempo — Disse Sehun e Alcyon acenou afirmativamente.

Em seu trono Ryeowook parecia uma grande marionete enquanto o sábio conselheiro sorria sentindo com antecipação o gosto da vitória, mas de repente sua fisionomia mudou para surpreso e furioso quando viu em sua frente tudo paralisar.

Como Alcyon havia imaginado o círculo de guerreiros ao redor de Jongin havia bloqueado a magia de contensão que vinha do sábio conselheiro em direção a eles. Jongin havia conseguido fazer como haviam planejado, apenas a comitiva de Alcyon estava liberta de seu poder de paralisação.

— Vá, quando encontrar D.O. regresse a meu reino com ele, iremos em seguida — Alcyon disse a Jongin que rapidamente correu em direção à porta que ele sabia que o levaria até seu ômega, ele entendia o que o rei queria dizer, era chegada a hora de testar os alcances de sua magia de teleporter. Sua magia de paralisação permaneceria firme por um bom tempo e como haviam planejado Sehun continuou depois dele, todos viram uma camada de gelo se espalhando do alfa em direção aos guerreiros paralisados, o gelo os cobriu completamente.

Palmas solitárias forma ouvidas em meio ao enorme salão do trono e os guerreiros de Alcyon se viraram para onde o rei deveria estar.

— Finalmente nos encontramos filho de Hiperion — disse o sábio de Ryeowook a Alcyon.

— Sim e sua presença não é bem vinda em meu planeta — Alcyon falou com aquele que usava o corpo do sábio, menos um traidor, apenas um possuído. Alcyon se aproximou dele, Oberon, Donghae, Changmin e Smith o acompanharam. Chanyeol, Baekhyun e Luhan permaneceram com Sehun.

— D.O. não está em seu quarto como Jongin imagina — Baekhyun disse, havia conseguido usar também um pouco de sua magia enquanto seu tio conseguia a atenção de Gornothy para si — Eu o localizei em uma torre em direção oposta de onde ele está indo senhor — ele disse ao tio, com certeza Gornothy que possuía o corpo do sábio real devia saber quem ele era, mas melhor não tentar o inimigo em frete a ele, melhor não lembrá-lo de que eram todos família, sabia que sádicos amavam torturar seus oponentes de forma física e mental.

— Então vá até ele e o avise, Chanyeol o acompanhará. Sigam os dois até Trinyon, Luhan permanecerá com Sehun — disse o rei e Chanyeol e Baekhyun correram em direção a Jongin, pois não tinham como se comunicar com ele sem o funcionamento do comunicador.

Os dois correram o mais rápido que puderam pelos corredores do Castelo da Luz, mas o caminho não estava livre, mais à frente encontraram Jongin com sua espada erguida, enfrentava sozinho cinco guerreiros locais, seus anos de treino na Academia não lhe abandonaram na hora precisa.

Chanyeol, mais afastado dos domínios mentais daquele que dominava o sábio conselheiro e que de certa forma os impedia de usar sua magia, se sentiu livre, seu corpo se incendiou liberando a fênix que dormia dentro dele, seu poder, seu fogo vermelho, suas chamas alcançaram os guerreiros inimigos que estavam ainda muito longe e combatiam contra Jongin. Suas chamas os envolveram queimando-os, deixando Jongin confuso até que os visse. Baekhyun gesticulava para que ele não seguisse por lá e mesmo sem compreender o alfa correu de encontro aos dois.

As chamas de Chanyeol não feriram os guerreiros da luz como Alcyon havia pedido, suas chamas apenas os nocautearam, os libertaram dos domínios de Gornothy, eles desmaiaram. Chanyeol voltou a guardar sua magia dentro de si.

— D.O. não está no quarto dele — disse Baekhyun vendo Jongin se aproximar — Vem! — ele chamou e os três correram em direção à torre que Baekhyun sabia que D.O estava. O coração de Jongin descompassado, desesperado, sentia agora mais do que antes que seu ômega não estava bem. Um guardião de Ryeowook cruzou seu caminho e ele o golpeou com sua espada passando por cima. Ia na frente de todos seguindo as instruções de Baekhyun — Vire à direita — disse o ômega vendo-o correr desesperado. Naquela parte do castelo estava tudo tão escuro, tão sombrio que Chanyeol decidiu por bem trazer sua magia de volta, tornou-se mais uma vez fogo vermelho iluminando o caminho, dissipando a escuridão que se fazia dentro do magnífico castelo, lar da luz e das rosas — Na porta no fim do corredor — Baekhyun gritou depois de tanto passarem por corredores e subirem escadas. A torre onde estavam não era uma das mais altas do castelo e a porta do salão no fim do corredor não estava trancada, eles não sabiam, mas D.O. não tinha como fugir de lá, não pelos dois guerreiros dominados que faziam a vigília, era algo mais forte que o prendia naquele salão — Vai — Baekhyun gritou para Jongin e o alfa compreendeu. Quanto mais longe do sábio conselheiro, mais livre, Jongin se teletransportou para dentro do salão.

 

______________________________L&M______________________________

 

— Vejo que tens bons guerreiros — Disse o sábio conselheiro possuído a Alcyon, assim que os jovens príncipes partiram em busca de D.O. pelo castelo.

— Muito bons — Alcyon confirmou e viu o sábio inesperadamente lançar um raio de luz negra em direção ao coração de Luhan, mas Changmin que também os observava foi mais rápido e entrando na frente conseguiu ativar sua magia dos ventos ativando assim seu campo de força, muito fraco ainda pela presença da essência daquele que desejava voltar, mas o suficiente para impedir que o raio atingisse seu alvo como o inimigo desejava, porém, os dois foram lançados no chão levando consigo Sehun que por graça do destino não se desconcentrou de sua missão, sua magia permanecendo firme.

 

______________________________L&M______________________________

 

Dentro do salão onde Jongin fora parar tudo estava calmo, centenas de pequeninos cristais de luz apagados e rosas pálidas decoravam o ambiente, lá dentro era como o quarto de uma ninfa, tudo muito belo e delicado, havia uma bela cama com dossel perto da porta da sacada aberta. Jongin se aproximou, ele estava ali, sua Lua, sua amada Lua, deitado na cama, parecia dormir. Baekhyun e Chanyeol entraram em seguida e se aproximaram da cama onde D.O. parecia dormir e Jongin havia se sentado em silêncio.

— É ele? — Baekhyun perguntou antes de ver quem dormia na cama quebrando o silêncio que se fazia no ambiente.

— Sim — Jongin respondeu e viu D.O. abrir seus belos olhos, olhos que pareciam confusos, desorientados, ele percebeu. D.O. franziu o cenho, respirou fundo olhando para os lados, tentou se erguer, Jongin o tocou e ele se encolheu novamente na cama com medo.

— Meu amor. Sou eu — disse o alfa também confuso com a reação do ômega.

— Jongin? Como? — D.O. perguntou chocado ao se virar de olhos abertos para o local de onde vinha a voz. Jongin se aproximou dele novamente.

— Ele não está enxergando — Baekhyun sempre atento aos mínimos detalhes da vida observou e D.O. ouvindo sua voz virou-se para ele procurando de onde ela vinha.

— Meu pai tirou a luz de meus olhos — D.O. respondeu reconhecendo por fim a voz dos amigos, a voz de seu Sol — São vocês mesmo? — ele insistiu ainda duvidando e Jongin tocou as mãos dele com as suas. Na ligação de seus corpos, de suas peles D.O. pode constatar que era mesmo seu alfa, jogou-se sobre ele o abraçando amedrontado — Não é meu pai Jongin. Não o façam mal... O estão dominando...

— Não se preocupe — Jongin pediu o abraçando com delicadeza, protegendo-o em seus braços — Sabemos.

— Não estão aqui sozinhos, estão...? Com quem vieram? É perigoso...

— Os reis Alcyon e Oberon, o diretor Smith e o príncipe Changmin estão conosco, mas sabe quando eu tive a certeza de que aquele assentado ao trono ao lado de tua mãe não era o teu pai?

— Quando...? — D.O. perguntou se permitindo relaxar um pouco nos braços do alfa.

— Quando o teu pai não deu a mínima atenção ao meu pai que veio conosco, nada, nem uma provocação — Jongin respondeu — Não se preocupe, eles libertarão teu pai, tua mãe, tuas irmãs e todo o teu reino das garras de...

— Precisam ir agora — Chanyeol os lembrou, lembrava-se de que Baekhyun e ele haviam nocauteado os sentinelas lá fora, mas nada impedia que outros guerreiros viessem até eles a mando de Gornothy.

— E vocês? — Jongin perguntou preocupado e confuso — Não vem conosco?

— Eu ficarei bem, creio que os reis não tardarão a dar um fim nesta batalha — Chanyeol disse — Levem Baekhyun...

— Não o deixarei aqui sozinho — Baekhyun protestou firme.

— Também não posso ir Jongin, preciso ver meu pai, meu verdadeiro pai...

— Ele ficará bem, não se preocupe, será pior se ficarem e desobedecerem às ordens do imperador. Pense em toda a tua família e teu reino D.O., tua permanência aqui pode atrapalhar os planos dos reis em resgatar teu pai — Chanyeol insistiu — Se lembram do que Minseok nos disse? Obedecer ao rei Alcyon em todas as suas ordens.

— Você também deve vir conosco, o rei ordenou... Você é irmão de minha alfa, não posso te deixar aqui — Baekhyun protestou mais uma vez

— Eu vou ficar — Chanyeol foi firme segurando as mãos de Baekhyun entre as suas, olhando profundamente em seus olhos — O caminho de volta ao salão do trono está seguro e a fênix está comigo, não se preocupe, diga a Torrefee que logo estarei com todos no Castelo do Sol — ele continuou olhando firme nos olhos de Baekhyun que permanecia relutante, mas decidiu obedecer — Consegue levá-los? — Chanyeol se virou para Jongin que havia dado muito de seu poder ao paralisar os guerreiros locais.

— Sim — Jongin confirmou percebendo como sua mãe e o rei Alcyon eram sábios, se ele tivesse vindo sozinho para Essêncy por teletransport natural jamais teria tido forças o suficiente para lutar e voltar, ele sentia agora que tinha forças para apenas chegar ao Castelo do Sol, Baekhyun seria seu apoio. Levantou-se da cama trazendo D.O. consigo — Segurem-se em mim — ele pediu aos dois que levaria de volta para Trinyon, manteve D.O. em seus braços e Baekhyun o abraçou por trás — Boa sorte — disse ao guerreiro do fogo que permaneceria no Castelo da Luz.

— A todos nós — Chanyeol respondeu.

Com o olhar preocupado, preso nos olhos de Chanyeol, Baekhyun se deixou levar pela magia teleporter de Jongin. Chanyeol também não se demorou naquele salão, seu poder da fênix ainda se manifestando, ele alçou vôo e seguindo por onde havia entrado foi de encontro aos outros no salão do trono.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...