História Estresse. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, D.O, Xiumin
Tags Baekhyun, Baeksoo, In Public, Kyungsoo, Linguagem Impróprias, Minseok, Ohnastly, Pwp, Soobaek
Visualizações 1.130
Palavras 1.029
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Lemon, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu sei que isso tá um lixinho e talvez eu reescreva depois, mas eu nao aguentei quando vi uma fanart no EXO FANFICS e o povo pedindo por uma "pwp". bicho, eu com uns 8 plots na mesa pra desenvolver e postando pwp, só deus na causa

espero que gostem, mesmo que eu reescreva depois. boa leitura ♡

Capítulo 1 - Único.


BaekHyun não sabia que podia sentir tanta raiva como sentia naquele momento. 

Os punhos cerrados, as sobrancelhas franzidas e o corpo tenso demonstravam isso, ele podia jurar que iria dar um soco no baixinho ao seu lado que não cala a merda da boca um segundo sequer. Minseok sabia ser inconveniente da pior maneira possível, cutucando-lhe ao falar, gritar às vezes e até mesmo batucar os dedos na madeira da mesa. 

Isso, somado aos acontecimentos estressantes do dia na faculdade, resultou em um mau-humor enorme no Byun. O rosado estava realmente em seu limite, já levantava o rosto para gritar com o Kim mais velho, para mandá-lo calar a boca, mas uma mão em uma de suas coxas lhe interrompeu. Odiava interrupções, Deus, como odiava. 

Mas, KyungSoo, seu namorado gostoso e com um corpo de dar inveja, lhe encarando com um olhar tremendamente sensual, quase dissipou toda a sua raiva no momento. Suspirou, sorrindo amarelo para o coreano loiro ao seu lado. Mesmo com a chegada de seu namorado de olhos de café, Minseok não parava de lhe perturbar. 

O Do, percebendo a tensão do namorado ao olhar para o Kim, pegou um lápis com a ponta de seus dedos e o jogou para debaixo da mesa. Abaixou-se, mas não para pagá-lo, pelo contrário, permaneceu no chão fingindo procurar o tal lápis por um tempinho, até que Minseok se esquecesse da presença dele ali e continuasse com o seu ignorado falatório. 

BaekHyun chegou sua cadeira para frente e fingiu digitar algumas coisas no bloco de notas do computador, no espaço de tempo em que a voz do loiro acabou de soar no ambiente. Mas, não era como se ele fosse ter paz, já que a mão de KyungSoo tocou sua coxa e a apertou fortemente, a outra se dirigiu até o membro guardado dentro da calça. 

O rosado não estava entendendo, mas assim que a mão do namorado apertou seu pau, ele mordeu o lábio inferior com força. Aqui não, por favor…, pensava, e seria ótimo se pudesse conversar com KyungSoo por telepatia e lhe explicar que a biblioteca da faculdade – mesmo que praticamente vazia – não era o melhor lugar para fazer um boquete. 

Os dedos espertos logo abriram seu zíper e abriram o único botão da calça, sem parar a massagem forte que fazia em seu pau. KyungSoo realmente tinha mãos boas. Aproximou seu rosto do membro semi-desperto e o lambeu da pontinha até a base, mesmo que superficialmente. Lambeu os próprios lábios ao começar a masturbá-lo de leve – após tirar a boxer preta que o escondia –, erguendo o olhar para ver o rosto relaxado de BaekHyun. 

— Gostoso, não? — sussurrou baixinho para que apenas o namorado o escutasse. Ouviu Baek rosnar e sorriu, passando o indicador pela glande rosinha e exposta. 

A sensação não era nova, e sim gostosa. Transar em público já tinha se tornado um hábito do casal, era excitante a ideia de ter alguém os observando a a adrenalina junto ao medo de serem vistos o deixavam cada vez mais excitados. Agora, com Minseok ao seu lado, finalmente distraído no computador, ele podia dar atenção às sensações que tomavam conta de seu corpo. 

A língua de KyungSoo novamente resvalou por todo o seu comprimento até chegar em sua glande, chupou-a com força e conseguiu sentir o doce sabor no pré-gozo em seu paladar. Fechou os olhos para apreciá-lo. Logo, sem mais delongas, ele apenas acomodou a pontinha dentro de sua boca quentinha, chupando-a da forma que sabia que BaekHyun gostava. 

O rosado revirou os olhos discretamente e abaixou a cabeça para ver melhor todas as expressões do namorado. Com o lábio inferior sendo pressionado pelos dentes, viu a língua quente lamber sua glande e chupá-la, em seguida a boca descendo por toda a sua extensão para chupá-la com força. 

Levou sua mão até os cabelos ruivos e os puxou, a cabeça de KyungSoo indo para frente e a ereção sendo acomodada na boca quentinha do mais novo. Gemeu baixinho, quase inaudível, apertando os fios ruivos entre seus dedos longos e tatuados. 

O ruivo o massageou com a sua língua, subindo e descendo pela extensão grossa. Raspou de leve seus dentes por ela, e quando o aperto finalmente afrouxou um pouco, KyungSoo retirou o pau de sua boca – causando o excitante barulho da saliva – e soprou de leve a glande rosadinha e melada de pré-gozo. 

O corpo forte tremeu levemente, a risada do Do soou baixa contra a sua ereção e os lábios deixaram um beijinho na pontinha de seu pau. BaekHyun rosnou, puxou os fios de cabelo sedosos e o fez engolir novamente toda a sua extensão. 

Olhando nos olhos do menor, impulsionou seus quadris para cima até que sua glande atinja a garganta alheia. E, quando atingiu, fodeu discretamente a boca de KyungSoo, mesmo que agora Minseok tenha colocado os fones de ouvido e não escutasse absolutamente nada. A garganta doí, os cantinhos dos lábios ardiam e pequenas lágrimas escorriam pelas bochechas rosadas do ruivo, que apertava as coxas do Byun com força. 

Aquela visão era de tirar o fôlego. O pau sumia e aparecia para BaekHyun, molhado de saliva e com veias saltadas, a extensão grande e grossa tremendamente dura que entrava e saía da boquinha quente e acolhedora do namorado. O corpo forte se contraindo, os olhos fechados e os dentes pressionando o lábio inferior, tudo para ambos era tão excitante. 

Ao sentir o couro cabeludo doer, KyungSoo sabia que o rosado estava chegando no ápice, por isso, retirou o membro de sua boca quando ele deu uma brecha e o posicionou em seu rosto, logo o masturbando para que ele gozasse deliciosamente em sua face vermelhinha. E, assim feito. BaekHyun gemeu baixo, o esperma caindo nas bochechas e boca do ruivo, que apenas sorria e lambia os lábios em puro deleite. Quando teve seu cabelo solto, levou seus dedos até o esperma em seu rosto, recolhendo-o e chupando os dedos sujos de porra. O gosto era agridoce, gostoso demais, e quando o Byun abriu os olhos e fitou os olhinhos de coruja, KyungSoo sabia que, ao chegarem em casa, seria fodido até que perdesse completamente a estabilidade de suas pernas. 


Notas Finais


xau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...