História Etéreo - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Ficção, Mitologia, Romance
Visualizações 3
Palavras 719
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Necrofilia
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obrigado a todos que leram!
<3

Capítulo 9 - Quintessência.


Ainda sendo levada na maca para uma das salas do hospital, Elizabeth se encontrava desacordada. Em meio ao desfecho de sua história, sentindo cada parte do corpo estremecer como se tivesse um trovão dentro de si, ela preocupava os médicos e ainda mais Jason por ter presenciado o início das dores e não ter feito nada. 

Ela respirava com ajuda de aparelhos, seus olhos viravam e o corpo suava. 

Jason chorava, aflito ao ver Elizabeth naquele estado sem que pudesse fazer nada para ajudá-la. 

Elizabeth foi novamente presa com as máquinas e estava desacordada, mais uma vez. 

O que Agathos fez, ao devolvê-la ao mundo, foi totalmente em vão. Mas ele sabia que não haviam apenas consequências ao se apaixonar por uma alma humana. Ele poderia, sim, fazer algo para aliviar a dor. 

Agathos viajou até onde estava o corpo de Elizabeth para acompanhar o terrível processo, ele tinha ciência de que nada que os médicos pudessem fazer poderia salvar a moça. Só ele podia. 

Ele parou em frente ao corpo desacordado de Elizabeth, que já estava acompanhada dos pais que sofriam, acompanhada de Jason que segurava sua mão e logo, também acompanhada da morte. 

— Elizabeth, eu te amo, não vá... Por favor — suplicava Jason, apertando a mão de Elizabeth. 

Os pais de Elizabeth se abraçavam vendo aos poucos sua menina se esbranquiçar. 

— Foi um tempo doloroso — disse Agathos para si mesmo, observando a cena triste. 

Quando o Etéreo deu por si, ele já estava acompanhado de outro espírito, um espírito que estava ali cumprindo seu papel, porém em vão. 

— Você sabe que ela não será sua hoje, não é? — indagou Agathos à própria morte. 

— Você não pode tomá-la de mim novamente — respondeu a voz tenebrosa. 

— Não sou eu quem vou tomá-la — ele disse, sorrindo. — Ela vai se libertar sozinha. 

 — Do que está falando? — questionou a morte, indignada. 

— Da Quintessência. Um quinto elemento para que este corpo se torne celeste. 

Agathos olhava com segurança para a morte que não hesitou em mandá-lo diretamente para o inferno. O Etéreo apenas observava a cena, certo de que, mesmo não estando mais na terra, ela sobreviveria. 

— Vocês Etéreos não podem dar poder a uma alma humana apenas para salvá-la de um fim longínquo — reclamou a morte. 

— Sim, podemos. O que fez ela ser escolhida foi a Quintessência, o quinto elemento, um elemento que supera todos os outros...

— E o que é esse quinto elemento? 

— É a minha paixão por ela. Meu amor a tornou uma de nós. Elizabeth agora é um Etéreo, assim como eu...

— Não pode ser! 

A morte nem se deu ao trabalho de ficar ali para poder ver seu prêmio ser levado nas mãos de outro ser. Agathos enfim retomaria seu prêmio, uma pessoa que ele amou desde que essa era uma criança. Sempre cuidando dela, sempre a livrando de fim trágico. Porém, toda história tem um fim, mas não significa que pode ser ruim. 

Ele a observou dizer suas últimas palavras: 

— Agathos... 

A familia não entendeu o que aquilo poderia significar, Jason sentiu-se amargurado e chorou ao ver que ela tinha partido. Elizabeth se foi. 

Agathos pôde ver o espirito dela saindo de seu corpo. Se tornando uma luz e voando até o céu. 

O Etéreo ficou confuso, logo ele partiu aos céus em direção a luz. 

Naquela noite a familia, amigos, e o namorado de Elizabeth fizeram uma cantada para o corpo dela. Perder alguém que amamos pode significar perder nós mesmos. A vida pode ser mais curta do que imaginamos, passar um bom tempo com quem amamos é essencial para sermos felizes.

Entretanto, naquela noite, a quintessência, o amor, se tornou a maior aliança de Elizabeth e Agathos.

A história de um Etéreo que se apaixonou por uma humana e que faria qualquer coisa para tê-la ao seu lado. 

E, finalmente, eles poderiam estar juntos.


***


Em meio ao breu, lá estava ela, a frente do lago. Esperando que ele chegasse novamente, pois tinha certeza que ele chegaria. Ela brincava pelo gramado, flutuando com seu novo corpo de luz, a Etéreo Elizabeth. 

Ela sorriu quando finalmente viu seu grande amor descendo no céu. Agathos, que a amou, e esse amor a salvou, fez com que eles pudessem ficar juntos pela eternidade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...