1. Spirit Fanfics >
  2. Eterna Família >
  3. Capítulo 3

História Eterna Família - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei que eu dei uma sumida mas é que eu to com total desatenção e aí paro de escrever mas agora eu vou tentar volta.


EU MUDEI O NOME DA FIC DE DE " Entre Pai e filhos" PARA "Eterna Família".


Boa leitura.
.
.
.

Capítulo 3 - Capítulo 3



Itachi








EU QUERO O MEU CARRO AGORAAAAAAAA!!! – Eu grito saindo do meu quarto e batendo a porta com força fazendo cair alguns quadros no chão.


Mandou me chamar senhor? – o mordomo aparece do meu lado e eu faço a minha maior cara de indignação possível para ele.


Só vou dizer uma vez... – respiro fundo – Aonde está o meu carro ? – eu pergunto e ele se estremece.


Na manutenção senhor – ele responde olhando pra baixo.


Como assim manutenção ? – eu exclamo indignado e o outro sse estremece.


Ele estava com um defeito... senhor – ele diz tremendo e eu arqueio a sobrancelha .


Como assim estava com defeito ? Vocês queriam me matar ? – eu grito vermelho de raiva .


Não senhor e e e qu- eu o imterrompo.


Você está demitido – eu digo.


Não , por favor senhor, eu te imploro – ele se ajoelha no chão e pega na minhas mãos as beijando e eu retiro com nojo rapidamente.


Como ousa me tocar ? Você deve esta todo sujo e ainda  te coragem de pegar na minha mão – eu digo exaltado.


PRA RUA JAAAAAAAAA – Eu grito pra ele e ele saí correndo pelo corredor.


Inútil – eu falo pra min mesmo.


Então eu pego um spray que continha álcool dentro e espirro na minha mão que  estava toda suja de empregado.


Talvez eu tenha algum toc de limpeza mas isso me torna mais interessante.


Repugnante... – resmungo descendo as escadas.


Começo a andar em direção a sala de jantar e chegando lá encontro meu pai e minha mãe .


Bom dia – digo me sentando e tomando uma xícara de café.


Bom dia filho – Meu pai diz serio.


Bom dia querido – Minha mãe diz sorridente.


Mamãe? – eu digo.


Sim querido – ela responde.


Bem que a senhora poderia me colocar na capa da resvista não é mesmo? com as fotos que tirar hoje né? – eu pergunto.


Quando eu vim pra cá, se não me engano eu era uma pessoa humilde e gentil e talvez um pouquinho tímido.


Mas as más línguas dizem que eu mudei.


As más línguas ficam falando que eu me tornei rude, orgulhoso, egoísta e outras coisas... e principalmente mimado e boy lixo.


Mas quem eles acham que são pra falar assim de min?!?


Não passam de seres repugnantes que pode ser facilmente substituível.


E como é fácil substituir algo tão inutilmente inútil .


Filho,  você já não estava na capa da revista do mês passado? – Meu pai me pergunta.


Estava, por quê? – eu pergunto indiferente.


Por- ele é interrompido.


Deixa ele Hashi, se ele quiser está na capa dessa também, ele pode, eu sou a dona da maior agência de modelos e se ele quiser está na capa da revista DENOVO ele vai está  - minha mãe “põe” um ponto final nessa conversa pra tentar amenizar menos uma brjga.


Você está mimando demais esse menino Mito – meu pai acusa.


Do meu filho cuido eu Hashirama – minha mãe retruca.


Não se esqueça querida, que nos dois adotamos ele juntos então ele também é meu filho – meu pai debate e reviro os olhos


Mas não é isso que me parece Hashirama... – minha mãe provoca.


Vou me retirar, não estou afim de ver vocês discutindo denovo essa semana  - eu digo de nariz em pé, e me levanto pego minha bolsa de ombro e saiu do apartamento e desço o elevador para chegar a garagem.


A exatos cinco anos meu pai começou a “implicar" comigo e minha mãe falando que eu estou muito mimado e mau educado e que eu tinha que mudar.


E nisso resultou em pequenas discussões entre meu pai e minha mãe e que pelo menos até agora.


Se me perguntassem se eu escolhesse com quem passaria a viver e tivesse que escolher entre meu pai e minha mãe.


Eu escolheria minha mãe sem pensar duas vezes.


Não que meu pai fosse um mau pai, ele é um bom pai.


Mas ele mudou o jeito que ele me tratava.


Se não me engano quando as más línguas começaram a me acusar se ser aquilo, de ser daquele jeito.


E eu não duvido que ele faça parte dessa turma.


Mas é que ele não me dá a liberdade que a minha mãe dá.


Ele não me deixa fazer coisas que me deixa feliz.


E ele ainda “briga” comigo por causa do jeito que eu trato as pessoas e principalmente os funcionários de qualquer lugar.




Mas isso não passa de uma grande mentira.




Eu trato super bem todos ao me redor não é?








Quebra de tempo








COMO ASSIM AQUELE TRASTE AINDA NÃO PASSOU O MEU COLETE!?!?!? – Eu grito com o a estilista.


Calma aí Itachi... -  Ela tenta me tranquilizar.


COMO QUER QUE EU ESTAJA CALMO KONAN SE O INÚTIL DO SEU ASSISTENTE NÃO PASSOU A MINHA ROUPA AINDA ?!?!?! – Eu falo alto suficiente pra todos que estiverem passado pelo corredor do studio escutasse.


A alguns instante eu cheguei aqui na agência para tirar minhas fotos e fui logo me troca.


Vesti todo o conjunto que eu usa hoje que seria uma calça social com detalhes azuis nos lados com uma camisa branca social e por cima um colete azul e uma gravata.


Até que eu recebo a notícia da minha amiga e estilista, Konan, que ainda não passaram o meu colete.


O que eles pensam o que eu sou?


Um simples modelo que pensa que vai ser o maior de todos com a sua força?


Errado.


Sou Itachi Uzumaki Senju, de 20 anos de idade, com o corpo mais desejado de todo país e se dúvida do continente ou do mundo.


Eu vou para o meu camarim – eu respiro fundo e ele me olha com medo - e se em menos de 20 minutos o meu colete não estiver pronto eu boto ele no olho na rua e ainda te diminuo seu salário entendeu ?  -  indaga totalmente rude e indiferente.


Certo Itach- eu a interrompo.


Agora no momento eu sou seu superior que pode acabar com sua fonte de renda – ela arregala os olhos e vejo ele lacrimejarem e ela baixa cabeça – então eu peço respeito e que não me chame de Itachi quando eu estiver trabalhando  mas sim de “senhor" entendido? – ela assente – então diga... “sim senhor” -  eu mando.


... sim... senhor... – ela diz com a voz um pouco falha e ainda de cabeça baixa e eu reviro os meus olhos.


Olhe nos meu olhos enquanto me responde – repreendo – repita... “Não vou mais lhe desrespeita senhor"

Então ela levanta a cabeça e vejo que lag

rimas escorrem dos seus olhos e deslizando pelo seu delicado rosto.


Quem sou eu pra sentir pena dela? – Penso.


Não vou mais lhe desrespeitar senhor – ela diz rápido claramente desconfortável.


Perfeito – dou dois tapinhas de leve em seu rosto – pode voltar ao seu trabalho.


Entro em meu camarim e vejo um cabeleira ruiva sentando na poltrona lendo um livro.


Ainda aqui Naga? – digo vendo ele pegar um susto se levantando da poltrona deixando sue livro cair.


O-oi Ita-achi –ele diz gaguejando, como sempre que fala comigo, percebo uma leve coloração vermelha atingido suas bochechas e ignoro.


Você não se cansa de lê não? – eu digo pegando o livro do chão.


Eu gosto de lê – ele diz baixo e eu rio baixo.


Percebo... – murmurro.


Eu olho pra capa do livro e vejo que ele está lendo é nada mais e nada menos que Romeu e Julieta, sorrio ladino.


Sério? – digo entregando o livro a ele e percebendo que ele está um pouco quente.


Eu gosto de romance – ele diz olhando pra baixo.


Eu sei disso e principalmente que você gosta de romance clichê - digo colando uma das suas mexas extremamente vermelhas deixando bem amostra um de seus lindos olhos de coloração roxo.


Não deveria esconder seus olhos assim, eles são lindos – elogio percebendo que ele agora está parecendo uma pimenta e rio baixinho.


O-o-brig-ado - ele diz claramente nervoso  sem motivo algum.


Enfim... qual é o seu clichê romântico favorito? – eu pergunto.


Por que perguntas? – ele tomba a cabeça pro lado deixando ele com um ar extremamente fofo.


Só me responde ruivo – digo sorrindo ladino e ele ri baixo.


Eu gosto daquele onde a nerd tímida e excluída se apaixona pelo popular bad boy e play boy – ele diz sorrindo .


Interessante... – digo.


Pra que você quis saber ? – ele pergunta confuso.


Você saberá em breve – dou lhe um sorriso.


Entre todos os meus amigos, o Nagato sempre foi o meu favorito.


Agente cresceu junto desde que eu fui adotado pela minha mãe e isso fez que agente tivesse uma amizade forte.


Talvez entre todas as minhas amizades essa seja a única amizade verdadeira que eu tenha hoje em dia.


E talvez só por ele eu deixe meu orgulho de lado e tento muda pouquinho o meu jeito pra não perder ele.


Porque eu sei se eu perder a minha amizade com ele eu posso ficar sozinho.


E eu gosto muito dele mesmo ele sendo desse jeito dele, excluído e tímido, porque eu sei que com ele eu posso desabafa.


Senhor, seu colete já está pronto – Konan bate na porta.


Já, estou indo – eu aviso.


Eu acho melhor você ir – ele brincando com os dedos.


Que tal agente maratona uns filmes hoje ? – proponho.


É claro – ele exclama animado me dandoum  susto - me-e des-scul-ppe Ita- eu o interrompo.


Tudo bem... – eu o calmo – vou me arrumar e tirar as fotos – eu digo saindo do camarim e sem escutar o que ele ia dize em seguida.




E indo aonde eu tiraria as fotos eu chamava atenção...



Também né...



Se um deus grego como eu não chamasse atenção, quem chamaria?







Quebra de tempo





Gente do céu...







Como isso é possível...






O que aquilo fez comigo...







Ele me deixou daquele jeito...







Agora eu estou...







PERFEITOOOOOOO.







Como aquele creme conseguiu tira aquela mancha do ombro?




Perguntas sem respostas .




Nesse momento estou só de cueca no meu camarim analisando o meu lindo corpo.





E eu acho que Nagato já deve estar lá em casa me esperando...



Itachi?  - acabo pulando de susto quando vejo meu fotografo na porta do meu camarim me olhando como se ele fosse um caçador e eu fosse a caça.



Quem te deixou entrar aqui seu escrúpulo? – eu digo sem paciência e um pouco desconfortável.



É que eu queria saber se você não quer tirar mais algumas fotos no studio que eu tenho na minha casa sabe... aquele é melhor do que o daqui – ele diz olhando descaradamente pra minha bunda que está totalmente marcada pela cueca box.



Ele tem que melhorar essas despulpas pra quando for chamar alguém pra transar na casa dele... estúpido.




Pego um roupão e visto ele indo em direção dele.




Você acabou de tampar uma visão magnífica sabia? –Ele diz lambendo os lábios.



Nojento – penso.



Então agente faria fotos em diversas posições por acaso ? – digo bem próximo do rosto dele sentido sua desprezível respiração.



Já ouviu falar da posição de quatro na minha cama ? – ele diz sussurrando em meu ouvido.



Já ouviu falar da posição joelho levantando ? – digo no seu ouvido.



Nunca, como é? – ele diz preste e se prepara pra me beija.



Assim – digo levantando meu joelho com força esmagando suas bolas.



Ahahahaha – ele grita de dor caindo no chão  e eu puxo ele pra fora e deixo ele no meio do corredor e chamo os seguranças.



Tirem esse ser quer colocar chifres no meu namorado – digo e forma um pequena aglomeração de pessoas, tinha pessoas gravando, querendo vê o que aconteceu.




Seu... seu... -  o fotógrafo se levanta mas os seguranças o pegam. – seu ser desprezível , seu estúpido,  mimado de merda.





E eu digo alto pra todos escutarem:






- eu posso ser de tudo que dizem que eu sou, posso ser mimado, posso estúpido, posso desprezível, posso ser um lixo de pessoa. Mais saiba de uma coisa seu idiota e pra todos que tentarem fazer o mesmo...












Eu não sou infiel com meu namorado.


Notas Finais


1. Eaí o que acharam??? Comentem.

2. Pelo menos ele não é infiel... mas e o namorado dele???

3. Por hoje é isso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...