1. Spirit Fanfics >
  2. Eterna romântica >
  3. Nome errado na hora errada

História Eterna romântica - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


volteiii, não demorei muito emmm! #DISFRAÇA
gente um pequeno spoiler, teremos hentai neste capitulo hehehe

boa leitura!

Capítulo 9 - Nome errado na hora errada


- Oi gatinho — Dei um sorriso descarado para o moreno assim que ele me abriu a porta.

- Oi gatinha.

Kiba me cumprimentou com um beijo na bochecha e um abraço, só fomos educados mesmo pois já já estaríamos nos beijando em outros lugares mais íntimos. Adoro.

Sou surpreendida por latidos e, meu deus, me assustei com Akamaru que não muito tempo atrás era um filhotinho fofinho minúsculo que parecia ser uma pequena bola de neve agora parecia ser o pé grande, serio dormi por quanto tempo?

Tenho certeza que Akamaru era maior que eu se o coloca-se de pé ao meu lado, parecia um grande lobo da neve, continuava sendo um fofo. Acho que ele me reconheceu pois ele disparou em minha direção pulando em mim quase me derrubando.

- Ei calma ai amigão — Kiba segurou aquele lobo de 2 metros de altura pela coleira tentando afasta-lo de uma forma que não o machuca-se e Akamaru deu uma pequena choradinha — Desculpa Saky é que o Akamaru só cresceu no tamanho,  ainda se comporta como um filhote.

- Que isso relaxa — me recompus e comecei a afagar a cabeça do Akamaru que latia de forma eufórica tentando pular em mim. Um fofo acho que quero roubar ele — Adotei um gatinho também.

- Legal! Naquele abrigo que eu falei?

- Sim... mas ele ta com uma amiga por enquanto, meu colega de apartamento tem alergia. — Até minha voz muda de animada pra triste só de falar do Uchiha.

- O cara do casaco — Kiba gargalhou só de lembrar dele ou melhor da cena vergonhosa que o Sasuke fez a gente passar — Ele tava estranho, como se estivesse com ciúmes sei lá.

Minha careta denunciou o quanto fiquei desgostosa só por lembrar naquele fadítico dia em que o Sasuke atrapalhou minha foda casual que agora estava se tornando algo fixo, talvez um namoro. Kiba notau minha careta de desgosto e sumiu pelo pequeno corredor do seu apartamento junto a Akamaru, que agora suspeito que foi dado pra adoção confundido com um cachorro mais na verdade é um lobo fofo selvagem. Só acho.

O apartamento de Kiba era o famoso “ovo”, mas graças ao seu arquiteto Shino conseguiu transformar aquele lugar minúsculo em algo que parecia grande com moveis planejados, tudo tinha uma forma um pouco mais rústica o que combinava perfeitamente com o jeito dele. Começo a pensar sobre as possibilidades do Kiba na minha lista ele é solteiro, tem uma vida estruturada, gosta de animais e quer ser o pai dos meus bebês.

O cara ta em nº1 da lista de maridos.

-  Foi mal fui colocar o Akamaru no quarto pra gente comer sossegado — Kiba vinha ajeitando sua blusa branca de linho subindo elas até seu cotovelo mostrando as veias saltadas. Muito sexy.

- É que eu pensei que poderíamos pular essa parte sabe — Mordi os lábios fazendo ar de inocente — e já ir direto para a sobremesa.

Ok eu tava com um sorriso que denunciava que eu queria ser a sobremesa e ele entendeu isso já que deu um sorriso cafajeste.

- Hmmm não sei... — Começou a se aproximar de mim como se ele fosse um caçador e eu sua inocente presa e eu já to molhada pra caramba — Eu comprei mousse pra gente mais decidi que to com vontade de comer torta de cereja hoje.

Dei uma pequena gargalhada com sua fala que em outras circunstancia ficaria estranha, quando Kiba se aproximou de mim colocou a mão em minha nuca, segurou um punhado do meu cabelo e inclinou minha cabeça para cima o fazendo encara-lo, nossas respiração já se mesclava e sentia meu vente queimar de excitação.

- Eu prefiro torta de cereja — Encarei seus olhos castanhos enquanto ele sorriu ladino.

- Eu também.

Pronto aquilo foi o suficiente para começarmos um beijo afoito e necessitado cheio de luxuria. Os beijos eram fortes como se nossas bocas travassem uma briga, toda vez que nos afastávamos nossas bocas faziam um estalos alto, senti a ereção dele roçando em minha barriga, comecei a guia-lo até o sofá e por eu estar de olhos fechados e ele de costa tropeçávamos em algumas coisas e riamos durante o beijo.

Joguei ele no sofá e montei em cima dele passando minha perna uma em cada lado do seu corpo, comecei rebolando no membro dele enquanto o mesmo dava beijos e mordidas pelo meu pescoço, sua mão já estava por baixo do meu vestido apertando minha bunda me auxiliando a rebolar em cima dele.

- Caralho Saky você é muito gostosa — Senti o tapa na minha bunda me fazendo dar um gemido.

- Vou te mostrar o quão gostosa eu posso ser com minha boca.

Sai do colo dele o que foi um sacrifício já que os amassos com ele estava maravilhoso e eu poderia gozar só com aquele sarra sarra. Me ajoelhei em sua frente e comecei a desfivelar o seu cinto tentando ser o mais sensual possível, só que minha paciência acabou quando levei mais tempo que o normal para aquela simples tarefa, quando consegui abrir o cinto desci suas calças junto com sua cueca liberando seu membro que pulsava e babava pré-gozo.

Eu até perderia tempo admirando aquele pau maravilhoso que estava pulsando por mim só que eu estava ansiosa demais, segurei o membro de Kiba e fui lambendo sua extensão vagarosamente enquanto o encarava, vi seu maxilar travar e soltar um gemido. Chupei um glande enquanto o masturbava lentamente, Kiba enrolou meu cabelo na palma de sua mão e agora eu engolia todo seu pau em movimentos lentos ora outra travando por alguns segundos ele todo até minha garganta, acelerei os movimentos sendo auxiliada por ele e só consegui sentir os jatos quentes por minha garganta enquanto Kiba grunhia e falava obsenidades. Ele me puxou pelo cabelo até sua boca me dando um beijo luxurioso, senti meu corpo ser puxado e ele me jogar no sofá ficando por cima de mim.

Meu vestido foi puxado pra cima e eu o ajudei, minha vagina pulsava de tanto desejo e eu sentia meu ventre queimar cada vez mais só com a encarada que ele me deu reparando no meu conjunto de lingerie verde musgo.

-  Porra Saky, me lembra de comprar mais calcinhas nessa cor pra você quando estivermos casados.

Eu ri feito uma idiota e tenho certeza que corei pelo elogio.

Meus lábios foram tomados de volta e sinceramente já estava ansiosa, ele abriu o feixe do sutiã e começou a chupa-los, quando me dei conta meus olhos estavam fechados e eu soltava gemidos altos, nem consegui sentir minha calcinha deslizando por minhas pernas e o dedo do Kiba já me invadia de forma deliciosa. Meu corpo foi levantado e virado de bruços me fazendo apoiar as mão ao encosto de cabeça do sofá meu quadril foi puxado me fazendo ficar empinada e senti Kiba já atrás de mim.

- Vamos fazer o que seu amiguinho de apartamento não deixou nós terminarmos...

Quando eu ia retrucar por colocar o nome daquele embuste na minha foda senti ele me penetrar com força me arrancando quase um grito, queria ter esquecido o nome de Sasuke mais foi impossível quando sua imagem veio em minha cabeça. Kiba ia forte e rápido colou seu peito a minhas costas e seu mão apertava o meu peito enquanto sussurrava obscenidades, eu tentava me concentrar no aqui e agora só que o nome Sasuke não saia de minha cabeça e até peguei me comparando entre eles. Isso era uma merda.

Desci uma mão até meu clitores me estimulando e quando meu baixo ventre esquentou senti minha vagina se contrair.

- Caralho Sakura, ta me apertando...

- Eu vou... — Falei em um fio de voz. Eu só consigo pensar em “aqui e agora, sem Sasuke, aqui e agora”, só que não deu quando atingi meu clímax praticamente gritei um enorme — Sasuke.

- O que? — Senti Kiba sair de dentro de mim e jatos quentes em minhas costas.

- O que? Nada. — mentira, me virei para encara-lo.

- Você me chamou por outro nome! Tava pensando em outro cara enquanto a gente tava fodendo?  — Kiba tava praticamente gritando.

- E-eu? Eu não! — Vou fazer a Katia sonsa mesmo.

Ele passou as mãos pelo rosto e suspirou alto ele estava pensando em algo, e eu trocaria um doce pelo seu pensamento, tomara que não queira me matar.

Serio.

- Sakura não da uma de joão sem braço. — Ele colocou as mãos na cintura e me encarou.

- Por favor, eu juro —  juntei minhas mãos, perdemos alguns segundos nos encarando e eu podia ver a magoa no olhar dele. Eu sou uma pessoa horrível, estraguei meu futuro casamento.

- Eu não sei... — Rapirou fundo fazendo negativo com a cabeça —  posso te deixar em casa? Amanhã a gente conversa.

- Seu amanhã significa, tipo, amanhã conversa comigo ou Sakura não me procura? — Sim eu tinha que perguntar da forma mais sinica possivel.

- Ainda não sei ta legal. Só deixa eu pensar. —  Sasuke conseguiu realmente estragar até isso.

- Posso tomar um banho? — Pedi na cara de pau mesmo.

- Ok — Dito isso fugi pro banheiro pra tentar esconder toda aquela vergonha.

***

Kiba estacionou o carro na frente do apartamento e não tinha trocado absoluta NENHUMA palavra comigo, eu tentava puxar assunto ou algumas piadas só que ele sorria forçado ou simplesmente fingia que não me escutava. Pior que eu não podia culpa-lo ou cobrar nada já que imaginem como é ruim alguém confundir seu nome no sexo.

- Então entregue.

- Kiba você vai me ligar né ? — Cara de pau essa minha em.

- Eu ligo pra você.

Ele me abraçou e pelo menos consegui roubar um beijo dele,mesmo que fosse de despedida. Sai do carro e fiquei parada esperando ele sumir pela esquina.

Entrei no prédio cabisbaixa, a única coisa que eu queria era minha cara e esquecer a burrada que tinha feito.

Ao abrir a porta me deparo com o apartamento todo escuro sendo iluminado pela luz da cidade, não me preocupo nem em acender a luz e fui sentido ao meu quarto, só que o demônio insiste em me atazanar e por isso tropeço em algo machucando o meu precioso mindinho do pé, quando termino de murmurar e ver que está exatamente tudo ok com ele e não quebrei o mesmo, ainda, vejo o objeto que tropecei.

Talvez meu sangue tenha parado em meus olhos e me deparo cega de raiva ao constatar que o objeto em questão é um salto alto de mulher.

Aquele. Filho. Da. Puta. Tava transando enquanto tinha estragado minha noite.

- Aquele acéfalo...

Jogo o sapato no chão fazendo um alto barulho no piso de madeira, realmente não me importo em acordar ele e a quenga com quem ele estiver, vou fazer muito barulho ainda.

Abro a porta do meu quarto e acho próximo ao meu guarda roupa o meu querido companheiro de barraco, o taco de baiseboll. Pego a belezinha e vou até a porta do quarto de Sasuke dando uma, dois e três tacadas com toda minha força até quebrar sua maçaneta arrombando sua porta.

- Que porra é essa Sakura! — Sasuke gritou comigo levantando da sua cama com a cara de sono, só que eu estava cega e surda de raiva, olhei em volta do quarto dele e estava vazio.

- Aonde ela tá! — Gritei, vou fazer sopa de Uchiha.

- Ela quem ??? — Sasuke veio em minha direção só que eu corri em para a porta do seu banheiro e mais duas tacadas quebrei a fechadura — Caralho!!!

- Cade a porra da Ino ou qualquer baranga que você ta pegando.

Em um movimento rápido, e eu falo isso por que nem sei como Sasuke tirou o taco da minha mão, me colocou em seu ombro e eu batia em suas costas como uma criança fazendo birra.

- Que porra você ta falando — Ele me jogou na sua cama e subiu em cima de mim segurando meus pulsos — Sakura para por favor eu vou te machucar!

Tentei me debater em baixo dele só que depois de um tempo fui ficando cansada, a raiva e a adrenalina passando, só conseguia respirar fundo. vi o estrago que tinha feito.

- Ta mais calma agora? — Aquela pergunta me deixou confusa e no misto de tudo aquilo comecei a chorar.

- Cade ela? — Sasuke franziu a testa mais entendeu do que eu estava falando.

- Mandei ela ir embora. — Agora sim eu chorava alto, fiz um show por nada. Eu mesma tinha estragado minha noite no final das contas — Ta mais calma?

Não consegui responder só acenar positivamente com a cabeça, Sasuke foi me soltando aos poucos e me abraçou, o perfume dele era bom, e me pareceu o melhor perfume do mundo e seu abraça o mais acolhedor também.

- Achei um sapato de mulher no apartamento — Falei sussurrando acomodando minha cabeça na curva do seu pescoço.

- Você sabe que é seu né ? — Ele falava com total desdenho.

- Claro que não é!

- Você é bagunceira Sakura, quando se arruma sai jogando tudo pela casa... — Ficamos em silencio um tempo até que ele começou a rir — Não acredito que quebrou minhas portas por isso, e elas estavam abertas, era só girar a maçaneta.

Comecei a rir, era estranho já que eu não sabia se ria ou chorava.

- Desculpa... de novo.

- Desculpa nada, vou chamar um chaveiro aqui e vou descontar da minha parte no aluguel.

Acabei rindo de novo, mais de nervoso do que qualquer outra coisa já que ele estava praticamente falando que ia pagar pelo estrago.

Sua mão fazia um cafuné em minha cabeça me fazendo relaxar, fechei os olhos e acabei dormindo no covil do Uchiha.


Notas Finais


Gente tivemos o final de KibaSaku, eu sinceramente sempre amei o Kiba, me julguem.
até a proxima e não se esqueçam de serem concientes e passar alcool em gel na mão!

bjos de longe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...