História Eternal Cold - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Cora (Mills), Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Once Upon A Time, Outlawqueen, Regina Mills, Robin De Losckley, Zelena Mills
Visualizações 29
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura :)

Capítulo 5 - Amor Proibido.


Fanfic / Fanfiction Eternal Cold - Capítulo 5 - Amor Proibido.

O mal nem sempre parece malvado. Às vezes está olhando diretamente para nós e nós nem percebemos. - Regina Mills.

A morena lia um livro que nem sequer sabia o nome, qualquer coisa era melhor do que aguentar sua irmã.

- Regina - Escondeu a cara dramaticamente quando ouviu Lisa a chamar - Regina, pelo amor de Deus, vá agora para a sala de jantar.

- Não estou com fome - Voltou a atenção ao livro desejando que a criada entendesse que ela não estava afim de ser falsa mais uma vez.

- Podia colaborar pelo menos uma vez não é? Melhor aproveitar que a rainha está de bom humor e ir logo - A morena bufou e fechou o livro sorrindo sem nenhuma vontade.

- Você é uma chata - A loira revirou os olhos e puxou a princesa para a sala de jantar.

- Também te amo - Regina resmungou um "chata" e choramingou quando viu a enorme porta que dava para a sala de jantar - Agora vá e seja uma boa menina.

- Prometo não me comportar e ser a pior menina que existe - Lisa riu ironicamente e empurrou a princesa.

Dez meses depois...

- Por que você não fala com ela? - Robin perguntou e a ruiva bufou.

- Porque ela não vai me ouvir Hood, já você sim - O loiro encarou os olhos azuis de Zelena e negou - Por que ela não te ouviria?

- Ela não ouviu a Lisa que era uma das pessoas mais importantes para ela, imagine a mim que ela nunca gostou - Zelena revirou os olhos - Melhor deixar ela para lá Zelena.

- Não Robin, ela é minha irmã e eu vou descobrir o porque de ter mudado tanto - O loiro engoliu seco.

A ruiva saiu disparada do escritório e Robin soltou a respiração que prendia passando a mão na testa, Zelena não podia descobrir que o motivo daquilo tudo era o fim do relacionamento que ele e Regina tinham, não podia e nem ia se dependesse dele.

Os túneis estavam escuros, a chegada até lá nunca tinha parecido tão silenciosa, ela refletia e pensava sobre tudo que estava acontecendo, culpa tomava seus sentimentos, mas o que ela podia fazer? Nunca amaria Robin e sabia que o loiro não a amava também, para que lutar por algo sem fundamento?

Assim que sentiu os sapatos em contato com a terra olhou para os lados, mas não o viu, o banco de sempre estava perto e foi lá que a ruiva sentou, ele deve estar preso na trabalho, como sempre, pensou, mas foi surpreendida quando uma mão tapou seus olhos e o cheiro dele a invadiu, ele estava ali, não havia a deixado.

- Meu amor, céus, que saudades - Ela pulava pelo simples fato dele estar ali e o abraço que deram a aqueceu, mesmo não estando frio.

- Também senti saudades ruivinha - Ele beijou seus grandes cabelos e se culpava por não estar com ela sempre.

- Nunca mais fique tanto tempo sem vir ouviu? Eu te proíbo - Ele ri e beija o pescoço da amada.

- Pode deixar, o trabalho está me matando e os treinamentos estão tendo que ser deixados para depois, mas juro que esse ano eu entro para a guarda real e poderemos nos ver mais vezes - Zelena sorri, era incrível como ele tinha determinação e fazia de tudo para ficar mais perto dela.

- Farei o possível para facilitar sua entrada Humbert - Ele sorri, ela adorava o provocar e sabia que o chamando pelo sobrenome era uma forma.

- Agora, deixando esse assunto de lado, quero matar a saudade da minha ruivinha - Zelena sorri apaixonada e puxa o pescoço de Graham o beijando intensamente.

- Eu te amo Graham Humbert, e nunca deixarei de te amar - Zelena dizia e repetia em sua mente lamentando por estar noiva de outro.

- Eu te amo Zelena Mills e juro, que farei de tudo pelo nosso amor e nunca deixarei de te amar - E mais uma vez se beijaram com as estrelas como testemunha de seus encontros escondidos.

A morena encarava o espelho quebrado, as lágrimas não cessavam, tudo estava destruído, já não tinha mais nenhum vestígio de verão dentro de si, tudo estava acabado, ela ia morrendo aos poucos e ninguém percebia, e ela preferia assim.

" Eu te amo " palavras, palavras, as pessoas as usam como se fossem apenas palavras, como se não fosse nada, como se depois de proferidas elas se tornem vazias e se juntem as outras, mas não, não são apenas palavras que se perdem ao vento, não, Regina se lembrava bem a última vez que ouvirá aquilo, e como se fosse ironia do destino era ela quem tinha dito, Lisa que tinha dito e a morena lamentava por ter ignorado, sabia que Lisa tomava aquilo como um " Eu também " e era, era o jeito de Regina se expressar, irônico jeito aquele.

- Sofrendo pela morte de uma criada Regina? Não creio que caiu tanto - As palavras nojentas dele chegaram ao seu ouvido como um soco em seu estômago.

- Não ouse falar assim de Lisa seu demônio - Ele riu ironicamente.

- É apenas uma criada querida, você supera - Regina cerra os punhos desejando quebrar aquela cara verde nojenta.

- O que quer? Já não estragou a minha vida o suficiente? Não tem mais nada para destruir - Rumple nega e Regina franze a testa.

- Vim te ajudar - Regina ri.

- Me ajudar? Você destruiu a minha vida senhor das trevas, e dá pior forma possível, já não estragou muita coisa arranjando a merda do casamento de Zelena e Robin, hum? - Se sentia exausta e Rumplestilstikin ali não ajudaria em nada.

- Não coloque a culpa em mim querida, quem aceitou isso tudo foi sua mãe - A morena o olha com ódio, ah se raiva matasse.

- Por uma chantagem sua seu demônio, foi tão baixo de sua parte, só porque eu não queria ser sua aluna perfeita e sucumbir as trevas, você é baixo Rumple, baixo - O demônio a encara sem emoção.

- Eu te fiz um favor, a livrei de uma distração Regina - A morena nega - Pare de ser tão ingrata.

- Eu não quero suas trevas, não quero ser poderosa, eu só quero que seja verão de novo, não vê? O inverno se alastrou e nem outono eu consigo ser mais - Sentia tudo se acumular e sair por suas palavras.

- Que seja Regina, depois não me chame pois não a atenderei - O ser das trevas sumiu em meio a fumaça e Regina se sentou na cama voltando a chorar, tudo estava tão cinza.


Notas Finais


Podem amar a Zel, ela é um neném inocente.
Espero que tenham gostado, vou tentar não demorar tanto.
Me sigam no Twitter: @Pandiinha4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...