1. Spirit Fanfics >
  2. Eternal Love 2: War of Hearts >
  3. Capítulo 15

História Eternal Love 2: War of Hearts - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Capítulo 15


Akira

Mesmo depois de conversar com meu esposo sobre a raiva dele contra uma garota que não tem nada haver com o passado dele, Tomoe continua na mesma e pra completar tem me ignorado completamente como forma de "punição", mas tudo bem, ele é o youkai aqui e por conta disso seus desejos são mais fortes veremos por quanto tempo ele consegue ficar sem me procurar.

Estava em minha sala passando uma receita médica para a mãe de uma menininha, já estava perto da hora do almoço. Izume entra na sala logo depois da mulher sair e abre um sorriso amarelo.

- Pronta pra almoçar?

- Sim, só vou terminar de arrumar isso. - falei guardando alguns papéis, logo depois me levantei e a segui para fora do hospital indo em direção ao restaurante onde sempre almoçamos, nos sentamos e logo uma garçonete veio nos atender, fizemos os pedidos e enquanto ela ia buscá-los, ficamos conversando.

- Ultimamente o movimento aqui está fraco. - ela comenta olhando para as poucas pessoas ali.

- Com esses ataques não é de se admirar, afinal ambos os lados estão correndo risco.

- Soube que uma das garçonetes daqui foi atacada por um youkai, ninguém descobriu quem foi.

- É uma pena mesmo que isso esteja acontecendo. - ouço um psiu de longe e olho na direção da entrada do restaurante e vejo a Kimi, ela acena pra mim e sua expressão era séria. - Izume, me dá um minuto, vou ao banheiro.

- Tá bem. - me levanto e vou até o banheiro do local, verifico se não tem ninguém.

- Kimi?

- Aqui. - ela aparece sentada na pia de mármore de pernas e braços cruzados.

- Aconteceu alguma coisa?

- Ainda não, como sou sua guardiã é meu dever te alertar sobre algumas coisas que podem ser perigosas pra você.

- Hm? - ela suspira.

- Tome cuidado com aquela mulher, sinto algo de ruim vindo dela.

- A Izume? Tem certeza disso? É que eu a conheço a bastante tempo e sempre me pareceu uma boa pessoa.

- Bom, posso estar enganada mas ainda assim tome cuidado. - ela está mesmo preocupada. 

- Tudo bem eu vou me cuidar.

Ela sorriu pequeno e sumiu novamente, respirei fundo, ainda não me acostumei com essa de guardiã mas ela se preocupa comigo e isso é fofo.

- Falando sozinha Akira? - Izume aparece de repente e me assusta.

- Aí que susto Izume, eu estava falando comigo mesma. - sorrio nervosa.

- Estava pensando Akira, você é muito importante.

- Hã? Como assim? - fico confusa, ela estava bem séria.

- Você pode ser capaz de dar fim a tudo isso, sua existência até agora foi para quando esse momento chegasse, o poder que você recebeu não é para ajudá-los e sim para puni-los, sua ancestral ficaria decepcionada ao ver que se uniu a um ser sujo como Tomoe Yamazaki. - o que deu nela? Porque está dizendo essas coisas estranhas?

- Escuta Izume, não sei o que deu em você mas te peço que não fale assim do meu marido, você não o conhece como eu.

- Sei que é um youkai e eles não deveriam existir.

- Entendi, então você é uma das que apoia a extinção dos youkais.

- Sim, sim, mas não vamos falar disso, recebi uma missão importante e diz respeito a você.

- Que missão?

- Se junte a nós Akira, com seu poder temos mais chances de dar fim a essas criaturas repugnantes, evite o sofrimento que está por vir, se renegar sua família e nos seguir podemos te oferecer coisas melhores que o que você já tem só precisa acabar com sua família e você ganhará uma nova. - ela falava sério? Só podia estar louca.

- Achou mesmo que eu iria matar meu esposo, meu filho e meu sobrinho pra me juntar a pessoas como você? Que não valorizam a vida de outra pessoa?

- São apenas youkais.

- E são seres vivos também, esqueceu de seu juramento?

- Dane-se meu juramento, ele nada vale em relação a essas criaturas.

- Pois então perdeu seu tempo, não vou me juntar a nenhum de vocês. 

- Lamento ter que ser assim então minha amiga. - ela se aproxima rápido e enfia uma seringa em meu pescoço pegando meu sangue. - Você vai nos ajudar Akira, seja por bem ou por mal. - ela saiu rapidamente.

Minhas pernas fraquejaram, acho que antes de pegar meu sangue ela injetou algo em mim, não consigo me mexer direito. Me sento e apoio minhas costas na parede com a mão ainda no pescoço.

- T-Tomoe... - cai no chão, estava quase desmaiando, vejo um vulto entrar rapidamente e se abaixar ao meu lado. - Tomoe. - sussurrei.

- Sshh, estou aqui, vou te levar pra casa. - ele me pega no colo e em segundos saímos do restaurante e já estou dentro de seu carro.

***

Abro meus olhos lentamente e noto que estou em meu quarto e ao meu lado meu youkai que me encarava sério porém com os olhos cheios de preocupação.

- Como se sente senhora? - reconheço a voz de Kimi.

- Acho que melhor.

- Fiz um chá pra ajudar a tirar o que aquela médica injetou em seu corpo.

- Obrigada Kimi. - ela sorriu e depois se despediu sumindo de nossas vistas em seguida. - Você não disse nada até agora, está tudo bem?

- Você e sua mania de perguntar se eu tô bem sendo que quem tá mal é você.

- Eu não tô mal, estou melhor.

- Quem era essa menina?

- Kimi é minha guardiã, ou algo assim, conto depois. - me virei para ele.

- Ela disse que a tal Izume pegou seu sangue, pra que?

- Não sei exatamente, mas ela está do lado dos que odeiam youkais e teve a ousadia de me pedir pra me juntar a eles. - ele ficou sério e depois começou a acariciar meu rosto, fechei os olhos para senti-lo.

- Me desculpe. - abri meus olhos sem entender. - Odeio brigar com você por coisas insignificantes.

- Tá tudo bem amor. - ele me abraçou forte e me permiti adormecer.


Notas Finais


4 virgens
A seleção
https://my.w.tt/jlrfQMTWY4
Quem das quatro garotas será a escolhida para ser a futura rainha de Merydian?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...