História Eternidade (Norminah) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Dinah Jane Hansen, Normani Hamilton
Tags Fifth Harmony, Norminah
Visualizações 76
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Peça-me o que quiser


-Você quer continuar com isso?

           Normani sussurra perto do ouvido da loira. Dinah mal conseguia respirar corretamente, já teve o corpo da milionária próximo, mas agora era diferente. Agora a florista estava conseguindo identificar além de desejo, carinho, prazer e outras coisas mais.

- Eu quero você, quero provar você.

            Normani puxa mais o corpo da loira para perto, agora passeando sua mão direta pelo corpo da outra até chegar em seu pescoço e ir para a nuca, segurando os fios loiros com certa força, afasta os corpos e faz as bocas ficarem bem próximas. Dinah olhava fixamente para aqueles lábios que tanto queria.

- Diga-me o que você quer.

- Eu...

- Peça-me o que quiser.

            Normani falava com firmeza, queria aquilo tanto quanto a loira, queria senti-la, queria prová-la, queria amá-la, nem que fosse só por aquele ano, nem que fosse só por aquela noite, porque agora ela tinha uma certeza, era impossível resistir, não conseguiria lutar contra.

- Eu... eu quero você. Quero muito você.

            O polegar da negra passeia pelo lábio da loira que fecha os olhos aproveitando o carinho.

- Se fizermos isso Dinah, se você se apaixonar...

- Se eu me apaixonar você vai retribuir Normani, não se esqueça, você está tão envolvida quanto eu, você quer tanto isso quanto eu, então por favor, pare de pensar, pare de cogitar, apenas faça, nós duas queremos.

            Então elas se encaram, mas não era qualquer troca de olhares, era a prova para as duas de que aquilo era inevitável, elas se entregariam, sem medos, sem questionamentos, sem dúvidas, pelo menos por àquela noite, pois naquele momento elas só queriam se deliciar uma com a outra.

- Vamos jogar o seu jogo.

            E assim Normani toma os lábios da loira. Era muito tesão envolvido. Dinah coloca suas mãos na nuca da morena e puxa com força, elas precisavam sentir aquela explosão, de certa forma vinham se controlando, principalmente a mais velha, agora era hora de mostrar suas verdadeiras habilidades em situações como essa. 

- Eu quero você Dinah , quero sentir você, quero foder você, quero devorar você, quero poder te fazer gemer tão alto que todos saberão quer você atingiu um delicioso orgasmo.

            Normani fala perto do ouvido da loira enquanto vai empurrando os corpos até encostar as costas da outra na parede, pressionando com força.

- Normani...

- Isso querida, desse jeito.

         Retomaram o beijo, beijo que fazia ambos os corpos se acenderem, estavam excitadas, estavam ansiosas por aquilo, na verdade desde o sábado as duas sonham com esse momento. A mão direita da morena desde entre os corpos e vai em direção à intimidade de loira, que geme mais alto, desviando do pano sexy vermelho que Dinah usava, a francesa toca a calcinha também vermelha da florista, empurra para o lado e então veio o gemido maravilhoso.

Quando Normani toca diretamente o sexo da loira, ela geme sem pudor, sem vergonha alguma. A milionária brincava com o local úmido com movimentos lentos e firmes.

- Faça, por favor... – A loira falou antes de morder o ombro da morena. Suas mãos ainda estavam na nuca da francesa.

- Calma, relaxe.

            Normani sorri e continua com a tortura, agora estando no controle de tudo. Os movimentos foram aumentando a velocidade, mas a morena não tinha o plano de fodê-la agora, nesse momento iria apenas lhe dá prazer.

- Goze Dinah, goze.

            A loira gemia tão deliciosamente no ouvido da morena que Normani também poderia gozar com aquilo. Ela aumentou a velocidade de seus dedos e em questão de segundos Dinah estava gemendo o nome da morena, puxando os cabelos de sua nuca com força.

- Isso, Normani...

            E assim foi. Seu corpo relaxou e seu sexo encharcou. Era apenas o começo da noite.


- Mostre-me onde é o seu quarto.

            Normani puxa as pernas da loira fazendo a mesma rodear em sua cintura. Dinah sorri com ato e dá um selinho castro na outra.

- Terceira porta a direita.

            A francesa sorri e caminha segurando firme o corpo da loira. Dinah não via a hora de se livrar daquelas roupas, tanto delas quanto as da morena, queria sentir o calor dos corpos sem obstáculos, sem nenhuma barreira. Logo elas se vêem dentro do ambiente com paredes em tons cinza, uma decoração comum, closet, banheiro, uma enorme TV na parede, uma mesinha com computador e uma estante com muitos livros.

- Espero que sua cama seja bem confortável.

- Ah é? E porquê?

- Porque não sairemos dela tão cedo.

            Normani diz e sorri, logo em seguida joga o corpo da loira no colchão, deitando por cima. Sua mão sobe pela parte lateral do corpo da mulher, essa que era onde o vestido tinha maior liberdade.

- O que você quer fazer Dinah?

- Como... – A loira mal conseguia respirar corretamente devido aos beijos que a morena lhe dava no pescoço.

- Peça-me o que quiser, diga como quer que eu foda você.

- Ow, Normani...

            A loira geme mais alto quando a mão da milionária toca seu sexo mais uma vez. Normani trabalhava arduamente na pele exposta da mulher, queria deixar sua marca ali, mas a verdade era que ela já à marcou de todas as formas.

- Diga-me. – Agora a morena sussurra perto do ouvido da loira.

- Eu... eu quero... quero que você me foda com força, eu preciso disso.

            Normani tem um sorriso travesso no rosto, era tudo que ela queria ouvir, então eleva seu corpo e encara a outra com devoção, desce da cama e oferece a mão para Dinah, ela aceita e também fica de pé. A francesa beija os lábios da florista com carinho ao mesmo tempo que escorrega a alça do vestido por seu ombro, se afastando e vendo o corpo da loira sendo exposto. 

- Tão linda.

            Dinah sentiu que as palavras eram mais sinceras do que esperava, não que se sentisse feia, ela sabia da sua beleza, mas escutar aquilo da morena era diferente, diferente a ponto de se excitar apenas com um elogio.

- Você ainda está vestida.

- Então resolva isso querida.

            Dinah sorri e se aproxima, coloca seus indicadores sob ambas as alças do vestido negro até os seios da negra, Dinah moredeu o labio inferior quando os grandes seios se soltaram do vestido justo. Seu sexo se apertou contra o nada. Depois de tirar o vestido corpo da francesa à loira vira os corpos e empurra o da morena na cama, ela a queria sem nada, então sem hesitar tratou também de tirar a calcinha da milionária. Sua boca saliva ao vê-la assim tão exposta.

- Perfeita.

            Normani sorri e puxa o corpo da loira para cima do seu, também tira a calcinha da mulher e sente o gozo misturado com excitação em sua barriga.

- Rebola.

            Dinah a encara e não ousa desobedecer, começa um movimento lento de vai e vem, gemendo sem pudor e sem vergonha.

- Isso, você é tão gostosa.

            As mãos da morena vão para a cintura da loira que aumenta a velocidade, assim iria gozar de novo.

- Não, assim não.

            Então a mão direita da milionária vai para o sexo da loira, Dinah entende e eleva o corpo, Normani lubrifica seus dois dedos depois indo em direção à entrada do sexo apertado da mais nova.

- Relaxe, Jane. 

            Com isso a mulher empurra devagar, assim como a loira desce, as duas gemem com a sensação, para Normani era aconchegante estar dentro da loira e para Dinah era delicioso ter a morena dentro de si.

- Oh merda, isso.

            A florista geme alto quando a morena vai mais fundo, e assim os movimentos vão aumentando, Dinah rebolava e quicava da forma mais sensual que podia, era natural dela, não tardaria para o prazer se fazer presente mais uma vez e foi isso que aconteceu quando o polegar de Normani tocou seu clitóris, a explosão foi maravilhosa, para as duas, e para a surpresa de Kordei, coisa que nunca tinha acontecido, ela gozou também só por dá prazer para uma mulher. O corpo da loira vai relaxando e cai sobre o da morena. As duas estavam ofegantes e com os corações acelerados. 

- Cansada?

            Normani pergunta ao beijar os cabelos dourados jogados em seu ombro, já havia saído de dentro da loira e as respirações já eram regulares.

- Não.

- Ótimo, porque a noite está só começando.

 

            E com isso vira os corpos e se põe por cima da loira, sorria maliciosa e cheia de expectativas, com certeza a noite estava só começando.


Notas Finais


Acho que to dando muito sexo nessas histórias pra vocês, crianças.
Bom, queria dizer uma coisa, nas minhas histórias não tem preferência à ativas ou passivas, para mim relatividade é o futuro da humanidade. Então esperem, o jogo sempre irá virar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...