1. Spirit Fanfics >
  2. Etheria's Teens Academy >
  3. Festa - Parte II

História Etheria's Teens Academy - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii!!

E lá vamos nós com a continuação da festa <3

OBS: O desenho desse capítulo está bem sugestivo ;)

Boa leitura.

Capítulo 9 - Festa - Parte II


Fanfic / Fanfiction Etheria's Teens Academy - Capítulo 9 - Festa - Parte II

Huntara ouviu o som tocando dentro da casa enquanto se aproximava. Encontrou com Scorpia e a puxou pelos braços, adentrando a festa. Todos estavam de costas para entrada, observando a dança das duas amigas. A maior decidiu chamar a atenção de todos.

- Não estavam esquecendo de convidar alguém?

Neste momento todos viraram para a porta de entrada. O que Huntara e Scorpia, que não eram nenhum pouco bem-vindas, estavam fazendo na festa? Ninguém sabia exatamente como agir, até que Cintilante saiu dentre os convidados e aproximou-se de ambas.

- O que está fazendo aqui? - a baixinha não tinha medo de encarar a maior.

- Poxa, baixinha. Fiquei chateada por não me convidar. - dizia sínica.

- Não era mesmo para você estar aqui. - manteve a pose e ainda a encarando.

- Você não é bem-vinda aqui, Huntara. Principalmente depois do que fez com Adora. - Arqueiro se juntava com a namorada.

- Cala a boca, moleque. Essa conversa não é com você. - a maior empurrava o garoto, fazendo-o cair no chão.

- Ei, sua grandona! Eu não tenho medo de você.

- A minha conversa também não é com você, garota insignificante.

Huntara empurrou Cintilante de uma forma mais bruta, porém Adora conseguiu chegar a tempo para não deixar que a amiga caísse. Encarou a mais alta profundamente, e a festa ficou com um clima tenso.

Scorpia, que acompanhava tudo, não sabia como agir. Aquilo parecia não estar certo e não fazer sentido algum. Enquanto pensava no que fazer, seus olhos encontraram com os olhos de Perfuma que estava assustada com a situação. Encarou Huntara, tentando amenizar a situação.

- Ei, Huntara… Não é melhor parar com isso? - Segurou no ombro da maior. - Não faz sentido nós…

- Fecha essa sua boca, garota. - empurrou o braço de Scorpia.

- Só você não está percebendo que não faz mais sentido essa rivalidade? - Cintilante tentava resolver na conversa.

- Menina, você não fale comigo como se fosse uma autoridade.

- E você não se sinta a melhor de todas, por que não é.

O sangue de Huntara subiu para a cabeça com a última frase da menor. A única coisa que passou na sua cabeça foi cerrar seu punho e ir em direção de Cintilante. Adora que presenciava a cena não teve reação para defender a amiga, pois já tinha bebido um pouco e não estava com seu reflexo tão rápido.

Cintilante fechou seus olhos por instinto, sentido em seguida o corpo de alguém na sua frente, não deixando que o soco a acertasse.

- Você não ouviu a Brilhante? Não é bem-vinda aqui.

Felina cruzou seus braços e sentiu todo o impacto do soco de Huntara no seu antebraço, não deixando com que a baixinha fosse atingida. Cintilante não acreditou que a garota que até pouco tempo não queria por perto estava diante dela, a protegendo.

- Você é uma traidora, sua vira-lata. Precisamos acertar as contas.

- Se você quer brigar comigo, vamos lá para fora e não envolva meus amigos nisso. - Felina a encarava cerrando seus punhos. 

Desta vez foi Scorpia que interrompeu Huntara. Segurou os dois braços da maior, não deixando que ela fizesse nada mais naquela noite. Olhou-a dentro dos olhos, soltando seus braços.

- Huntara… Não faz mais sentido. Vamos embora.

- Scorpia, saia da minha frente. - a encarava com com muita raiva.

- Eu não tenho medo de você e quem deveria ter medo agora é você. Veja quantas pessoas estão ao lado da baixinha. Você não tem vantagem nenhuma aqui. - Scorpia sussurrava para a maior.

- Argh… - Huntara mantinha os punhos cerrados. - Vocês torçam para não encontrar comigo na rua.

 

Huntara empurrou Scorpia e saiu da festa enfurecida, batendo os pés a cada passo que dava. Scorpia encontrou o olhar de Perfuma novamente, sorrindo e sussurrando um "obrigada".

Na mesma hora, Cintilante pediu para alguém trazer gelo para que pudesse colocar no braço de Felina, se aproximando da gata sentada no chão.

- Hey, Felina! Por que fez isso por mim?

- Esse assunto não tinha nada a ver com você. Ela estava atrás de mim. - a gata desviava o olhar.

- Mas você levou um soco por mim. - Cintilante recebeu o gelo trazido por Gélida. 

- Felina, você se machucou? - Adora abaixou-se ainda em choque com tudo.

- Eu estou bem. - a gata sentia o gelado no seu braço, se aliviando um pouco da dor.

- Obrigada, Felina. De verdade. Não sei o que teria acontecido comigo se tivesse levado aquele soco. - a baixinha sorriu, corando.

- Hunf… Não precisa agradecer, Brilhante. - ria baixo. - E por favor, não vamos desistir da festa por causa disso.

- Mas, Felina, seu braço está machucado. - Adora se preocupava com a gata.

- Eu estou bem, galera. - mexia sua mão e seu braço de um lado para o outro. - Não vamos deixar que a Huntara saia vitoriosa.

Cintilante sorriu, abraçando e depositando um beijo na bochecha de Felina. Mesmo não demonstrando nenhum afeto, a gata se sentia bem por ter feito o que fez e saber que agora fazia parte de um grupo de amigos. Adora estava se sentindo orgulhosa de sua amiga ter ajudado Cintilante e percebeu naquele momento que ela enfim havia voltado a ser quem ela era antes.

- Vem, gatinha. Vamos cuidar desse braço antes que ele fique roxo. - Adora abraçou a amiga pelo ombro.

- Não precisa de tudo isso, já me machuquei muito mais do que isso, Adora. - Felina resmungava.

- Para de ser chata e me deixa cuidar de você? - a loira ria ao mesmo tempo que dava bronca, guiando-a até o sofá. - A propósito, obrigada por ter ajudado a Cintilante. Não tive reflexo na hora.

- Não teve reflexo... Sei. - a gata era cínica. - Isso não tem nada a ver com você estar bebendo essa noite, né?

- Nããoo! Eu to bem, eu sei me controlar. - Adora sorria amarelo. - Agora me deixa continuar passando o gelo no seu braço.

As duas amigas ficaram ali por um tempo, enquanto a festa continuava e todos estavam se divertindo. Arqueiro começou a fazer alguns passos de "break" e se formou uma roda em volta dele, todos batiam palmas no ritmo da música para que ele não parasse o show. 

Cintilante chamava suas amigas para dançarem também, algumas mais tímidas que as outras.

Já era de madrugada e aos poucos algumas pessoas começam se despedirem. As amigas de Cintilante também se despediam, pois precisavam ir para suas casas. Até que enfim, ficaram os quatro amigos.

- Uau! Não é que no final deu tudo certo? - Arqueiro se jogava no sofá. 

- Verdade! Graças a Felina! - Cintilante sentava-se ao lado do namorado.

- Não…Vocês não estão parando né? Agora é a hora da gente aproveitar o resto da festa! Ainda tem bebida e comida! - Adora encheu seu copo, com as bochechas rosadas.

- Adora, confesso que não conhecia esse seu lado. - Felina sentou-se do lado do casal.

- Aproveita, que isso é muuuuito raro acontecer. - a loira estava bem "alegrinha". - E nem pense em sentar nesse sofá. Vem! Vamos dançar mais. - puxava a gata pelas mãos.

- Hey, Brilhante! Como desliga essa garota? - Felina estava sendo praticamente arrastada.

- Xiii…Ela vai longe ainda, Felina. - Cintilante ria da situação. - E assim. Aproveitem, por que eu já vou pro meu quarto.

- Vai me deixar sozinha com essa doida? - a gata apontava para a loira.

- A Adora aproveita sempre até os pés ficarem doloridos. - o moreno ria.

- Fica tranquila. Já já ela desiste. - a baixinha pegou na mão do namorado. - Boa noite pra vocês. Ah! Deixei um quarto separado pra vocês. A Adora sabe onde fica.

- Tem certeza que ela vai saber onde fica?

Felina terminou a frase, mas o casal já estava subindo as escadas. Sentiu a loira se pendurando no seu pescoço, quase fazendo com que as duas caíssem, entretanto a gata consegui segurá-la.

- Você já não está mais nesse mundo, sua louca.

- A gente já vai dormir, já… Dança comigo mais uma veeeez… - Adora abraçava a amiga. 

- Tá. Mas depois dessa dança chega. Você tá molenga. - Felina a tomava nos braços novamente.

- Nunca dancei com alguém como hoje… Você me levou tããão beeem…

- Lógico, eu sou uma “pé de valsa”. - a gata ria.

- Felinaaa... - a garota falava de uma forma muito mole. - Eu senti taaaaanto sua falta no meu dia a dia… Não quero separar de novo de vocêêê...

Felina não deixou de corar com o comentário, mesmo com a loira um tanto bêbada. A abraçou, gingando levemente de um lado para o outro. Ficaram ali por alguns minutos, até que a gata notou que Adora estava quase dormindo em seu ombro.

- Adora...Chega, né? - levantou o rosto da loira. - Vamos deitar.

- Quero dançar maaaaiis… - Adora falava extremamente mole.

- Chega. Você tá chata já.

Felina a abraçou pela cintura ajudando a caminhar e subir as escadas. Era incrível como Adora conseguia guiar a gata pelo caminho certo até o quarto de hóspedes.

Adentraram ao cômodo, e Felina agradeceu, pois Cintilante deixou tudo arrumado para que pudessem apenas entrar e dormir. 

- Vem, Adora. Sem enrolação.

- Mas eu quero ficar com vocêêê, não quero dormir…

- Tá, chata. Amanhã você fica comigo o tempo que quiser. Mas sem essa bebedeira. 

Felina abaixou e ajudou a amiga se sentar na cama e pelo menos tirar os seus tênis. Ao se levantar, Adora a puxou pela cintura, fazendo-a cair por cima dela. 

- Que droga, Adora! Assim eu vou acabar te machucando.

A loira nem ouviu o que a gata falava, não raciocinava mais nada. Seus rostos estavam muito próximos, e Adora olhava para os lábios da amiga. Felina tentou se desvencilhar, mas estava presa nos braços da loira, que a segurava com força. 

Adora levou uma de suas mãos caminhando pelo pescoço até os cabelos da amiga, enroscando seus dedos nos fios, fazendo com que Felina sentisse um arrepio. A loira a guiou para perto de si, depositando um selinho demorado nos lábios de Felina.

A gata não pode acreditar no que estava acontecendo naquele momento. Sempre teve vontade de sentir os lábios daquela garota.

Felina não deixou que o beijo se aprofundasse. Não queria, pelo menos não com Adora bêbada. A empurrou, conseguindo se soltar. Jamais iria aproveitar um momento desses para beijá-la ou para qualquer outra coisa. A gata a olhou e a amiga tinha adormecido, e provavelmente no dia seguinte não lembraria disso. E era melhor assim.

 


Notas Finais


Ai, meu coração!
E agora? Quem poderá nos defender?
"O chapolin coloradoooo"

Zuera...

É isso pessoal!

Espero que gostem hehehe

Beijus da Moni :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...