História Eu, a Moge-ko e mais uns loucos - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Angel Beats!, Asu no Yoichi!, Kagerou Project (Kagerou Daze) (Mekakucity Actors), Mogeko Castle, Seto no Hanayome, Slender (Slender Man)
Personagens Hatsune Otonashi, Moge-ko, Personagens Originais, Tachibana Kanade
Tags Chihaya, Ene, Koi, Moge-ko, Mogeko Castle, Peixe, Shiranui, Slender
Visualizações 23
Palavras 1.654
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Ecchi, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, galerinha que me espera a tanto tempo que já até esqueceu que eu existooooo! >< (leiam rápido)
Não tenho muita coisa pra falar, só quero que aproveitem o capítulo.
Boa leitura e nos vemos nas notas finais.

Capítulo 8 - Inimigo peso super extremo pesado


- Eu tô falando, não dava pra ser amigo dela. – dizia Koi-san.

- Ela era tão ruim assim? – perguntou Chihaya.

- Ruim é pouco. – reclamou Koi-san quase chorando. – Ela achava que La Casa de Papel é melhor que Truque de Mestre. Um assalto cheio de falhas que precisou de mais de 20 caras com nomes de cidade, um manda-chuva e reféns foi feito em Truque de Mestre por apenas quatro pessoas que conseguiram sem falhar nenhuma vez e ainda fizeram três vezes com sucesso e tendo apenas suspeitas de serem culpados, sem prova nenhuma. Como que La Casa de Papel pode ser melhor que isso?

- E vamos lembrar que La Casa de Papel é uma série enquanto Truque de Mestre é um filme de menos de duas horas. – completou Ene.

- É incrível que no Japão as pessoas gostam de ver outras pessoas se dando mal na TV, nos EUA gostam de ver duelos ao estilo faroeste. Aí chega no Brasil e o povo gosta de assistir os melhores assaltos. Depois os chineses comedores de cachorro que são estranhos. – Marchosias uivou triste. – Calma, Marchosias, ninguém aqui vai te comer!

- Vocês não se cansam de falar de mulher não? – perguntou Moge-ko irritada para Koi-san e Chihaya.

- Dessa vez parecia diferente, sabe? – dizia Koi-san deixando Moge-ko mais irritada. – Ela era ruiva de cabelos encaracolados e curtos, olhos verdes, tinha uma voz cativante, um sorriso perfeitinho, mas prefere La Casa de Papel a Truque de Mestre.

- Se gosta tanto assim dela VAI LÁ CASAR COM ELA!

- Nossa, pra quê tanta violência? Eu sei que você não gosta de nenhum dos dois, mas eu gosto de você mesmo assim! – disse Koi-san para a loira que ficou com a face vermelha. Após entrar em casa encontraram Akeno, Kanade e Mary jogadas no chão. – Eh? Quê que aconteceu?

- TÉDIOOOOOOOO!

Slender estava calmamente sentado no chão bebendo chá e observando à todos.

- Eu posso me teletransportar para onde quero, então isso não é problema para mim.

- QUERO SAIR PRA ALGUM LUGAR DIVERTIDO! – gritou Akeno. Chihaya se juntou a elas e se jogou no chão também.

- Elas estão certas, Koi-san. Faz tempo que não saímos pra nos divertir.

- Até tú, Brutus? – o garoto suspirou. – Okay, então se arrumem e me ajudem com as compras que essa tarde teremos um pequinique!

- Piquenique? – Satanichia pela primeira vez naquele mundo ficou com os olhos brilhando.

- Comida? – Ene começou a babar.

- Rio? – Akeno estava com um sorriso de orelha a orelha.

- Sim, sim. Agora vamos organizar tudo aqui que temos que pegar o ônibus ainda cedo. Agora vamos.

Moge-ko pareceu engolir o seco.

- Err… não podemos simplesmente ser levados pelo Slender?

- Eu não sei qual é o ponto de destino, então não posso levar vocês. Me desculpe.

- Então você é um jumper. – concluiu Ene batendo uma mão na outra.

- Vamos lá, pois não podemos demorar e nosso destino fica em outra cidade.

- É hoje que eu vou passar a tarde vomitando. – reclamou Moge-ko com a mão na boca.

 

Quebra de tempo

 

- Enfim, chegamos.

- UOOOOOOOOH! – Ene e Akeno pareceram surpresas. – Que grande!

Moge-ko deu um sorriso vitorioso.

- O Castelo Mogeko é três vezes maior.

- Hum… então até vocês tem patrimônios históricos como esse.

- Claro. Pessoal, bem vindos a Fortaleza de São José de Macapá! – gritou Koi-san de braços abertos.

- É realmente incrível, porém… – Mary deu uma curta pausa. Mesmo naquele lugar ela usava máscara o que chamava a atenção de vários curiosos. – Onde iremos fazer nosso piquenique?

- Ah, só me sigam. – Koi-san começou a andar sendo seguido por todos. Slender não estava presente, mas estava de longe os observando esperando o encontrar o local onde todos descansariam. – Nessa praça as pessoas gostam bastante de fazer piquenique, reuniões de família, passear com cachorros e até mesmo caminhar. É perfeito pra passar a tarde.

- Percebe-se, olha quantas pessoas. – Ene disse.

Depois de uma curta caminhada eles chegaram até os fundos da fortaleza, Um campo com grama baixa, algumas árvores e uma boa vista pro rio.

- Uau. – disseram todos juntos.

- Vamos colocar nossa toalha de mesa ali, embaixo daquela árvore! – após chegarem na tal árvore o Slender imediatamente se materializou lá e se disfarçou com a mesma podendo ficar em pé sem se preocupar. O grupo nem se assustou, já tinha se acostumado com as aproximadas imediatas do Slender. – Pessoal, só tomem cuidado com os…

- Isso é um assalto! – avisou um cara apontando uma faca para a cabeça do Koi-san que simplesmente tirou a katana da bainha e com um leve corte nas mãos fez o assaltante largar a faca.

Akeno, Mary, Moge-ko e Satanichia também puxaram suas armas apontando para o assaltante que se desperou. Ao tentar fugir tropeçou por causa de Satanichia que o segunrou pela perna com um chicote vermelho. A ruiva se aproximou do homem desesperado e o jogou no rio.

- Só tomar cuidado com os assaltos, são meio frequentes por aqui. Agora podemos finalmente… relaxar…

- E COMER! – gritou Ene metendo a mão na mochila cheia de comida.

Comemos e bebemos tranquilamente, continuamos se perguntando como Slender consegue beber chá não tendo boca e sem coragem de perguntar diretamente à ele. Era uma tarde perfeita e tranquila até a maré ficar estranhamente violenta. O céu também estava ficando estranhamente escuro de forma rápida, sendo que nem hora de escurecer ainda. Isso acabou chamando a atenção de muitas pessoas que se aproximaram da borda.

- Hey, isso é normal pra cá? – perguntou Akeno. – Eu queria nadar um pouco, mas pelo que parece o tempo não vai permitir.

- Na verdade é a primeira vez que eu vejo isso acontecer, estranho… – comentou Koi-san olhando aos redores.

Satanichia se levantou e começou a cheirar o ar. Primeiro dando leves fungadas para depois puxar bastante as pelas narinas e soltar vagarosamente chamando a atenção dos outros.

- Ei, isso é… – disse Slender sendo interrompido pela Satanichia.

- Sim, Slender. – a ruiva olhou para o horizonte. – Sinto cheiro de demônio!

Todos se levantaram alertas. Pela travessia apareceu um garoto de vestes brancas caminhando calmamente.

- Ei, você, Saia daqui, é perigoso! – avisou Koi-san recuando sentindo algo estranho em relação aquele garoto. – Quem é você?

- Ah, então você é o terceiro user, pra saber que eu sou um tem que ser algo além de nada. – o sorriso se fez presente no rosto do garoto.

- Todos, para trás! – avisou Koi-san apontando a ponta da katana para o garoto que colocou as mãos pra frente.

- Opa, calma aí. Eu só vim agradecer. – o estranho colocou as mãos em cada bolso da jaqueta e tirou algo das duas. – Eu quero agradecer você por ter derrotado aquela garota pra mim. Graças a isso as coisas ficaram mais fáceis!

- Quê? Você tá falando da Bruna? O que aconteceu com ela?

- Simples… – o garoto mostrou que em uma das mãos segurava um pequeno cartão de memória e na outra um mp4 dourado. – Ela morreu. E eu peguei o cartão de memória dela.

- Ela… morreu? – perguntou Koi-san surpreso.

- Sim. Você a matou! Por que está tão surpreso?

- Espera, na sua outra mão…

- Ainda bem que notou, pensei que deveria ficar segurando na sua frente o dia todo. Esse é o Audiobook. Eu sou o segundo user, aquela garota era a primeira user. Prazer te conhecer, terceiro.

- Então eu tenho que te derrotar, não é mesmo?!

- Calma aí. Acho que ao invés de mim, você deveria se preocupar com ele. – o estranho apontou para o horizonte onde todos olharam.

Após Koi-san voltar o olhar o garoto não estava mais lá. Voltando a olhar para o horizonte percebeu-se que a água que antes batia fortemente começou a desaparecer. Parecia mais que o rio estava secando.

- O-O rio, mas… O rio daqui é um dos maiores de mundo, como pode secar tudo isso? Só se a criatura for… – o garoto arregalou os olhos. – Todos, fujam! Pra o mais longe da baía agora!

Todos olharam para o garoto peixe preocupados.

- O que você q…

- AGORA!

Todos começaram a correr.

- Slender, leve Kanade, Otonashi, Chihaya e Ene pra dentro da Fortaleza e fique lá com eles! Todos me sigam. Satania-chan, pode fazer o Marchosias ficar grande de novo?

- Desculpa, mas não. O Marchosias não gosta de água fria!

- Droga… então pode invocar algo grande? O suficiente pra enfrentar uma cobra do tamanho do mundo?

- Do tamanho do mundo, você tá louc… O que vamos enfrentar?

- Um deus!

Satanichia arregalou os olhos e observou as pessoas na borda olhando para o horizonte aterrorizante.

- Eu posso invocar alguém que bateria de frente com um deus, mas tenho que ter tempo, como você não quer que as pessoas saibam dos nossos poderes vou aproveitar a distração para desenhar o círculo de invocação bem ali! – a ruiva apontou o gramado.

- Círculo? Quando você invocou o Marchosias não precisou desenhar nenhum círculo!

- É porque eu sei de cabeça os símbolos e a frase de invocação do Marchosias. Desse próximo não.

- Ele é poderoso?

Satanichia sorriu.

- Ele pode trazer a destruição do mundo se quiser!

Koi-san engoliu o seco.

- Okay, faça.

Akeno e Moge-ko se aproximaram do garoto preocupadas.

- Otou-san, o que é isso?

O garoto olhou para elas e em seguida olhou para o horizonte onde grandes escamas do tamanho de barco cargueiros apareceram.

- Aquela é a criatura que foi banida para Midgard e cresceu a espera do Ragnarok para enfrentar o deus Thor. Filha de Loki. – a cabeça da criatura era tão grande quanto a fortaleza os dentes tão grande quanto torres de operadoras. Após abrir a boca o simples suspiro fez uma ventania forte o suficiente para tombar as árvores e empurrar carros. – Jormungandr, a serpente do mundo!


Notas Finais


Jörmungandr é um dos três filhos de Loki da mitologia nórdica. Foi jogada por Odin no reino de Midgard onde a mesma adormeceu e cresceu o suficiente para dar a volta ao mundo e morder a própria cauda, por isso ficou conhecida como Serpente do Mundo. De acordo com as lendas, Jörmungandr aguarda pelo Ragnarok para enfrentar Thor, onde será abatida.

Eeeeeeeeentão é isso, obrigado por lerem e até a próxima. Kissus de Peixe! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...