História Eu ainda gosto de você - Vkook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts Taehyung, Hoseok, Jungkook, Romance, Vkook
Visualizações 57
Palavras 1.507
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bolinhos! Esse é um capítulo único tá...

Capítulo 1 - Me deixe em paz...


Kim Taehyung não aguentava mais ter que acordar as quatro da manhã para limpar o escritório de seu chefe. Ele definitivamente não aguentava mais servir de um empregado maltratado. Sua reputação era boa demais para ser tratado daquele modo. Quem dera ele tivesse aceitado fugir com seu ex-namorado...

 

Ele havia acabado de abandonar as cobertas macias de sua cama, com o barulho do seu despertador. O que a pessoa que inventou esse aparelho irritante tinha na cabeça? Sua vontade era de jogar o mesmo pela janela, mas não o fez. Rumou até a cozinha de preparou seu copo de leite diário enquanto seu cachorro puxava sua calça com os dentes.

-Calma Mark, já vou lhe dar comida. – Ele disse, encarando o bichinho. Sua relação com o mesmo era de extrema intimidade. Quando Taehyung parava para pensar, se dava conta de que seu cachorro sabia de todos os seus segredos.

Abriu o armário debaixo da pia e retirou de dentro um pacote de ração; o mesmo estava rasgado. Quando percebeu, já era tarde demais – a ração já estava toda espalhada pelo chão e Mark estava comendo-a - Malditos ratos! Já estava na hora de fazer uma limpeza naquele armário mesmo. Arregalou os olhos e pôs a mão direita na testa, fazendo uma careta.

-Bem, esse é o seu café da manhã...não coma tudo!

Sentou-se em sua mesa perto da janela de seu apartamento e começou a tomar seu leite e a morder suas torradas. A combinação dos dois alimentos eram o prazer extremo na sua opinião. Realmente, leite com torradas é a comida mais casual e aconchegante que você pode ver.

                                                                                      ***

Jeon Jungkook estava muito triste ultimamente. Deve ser a saudade que o mesmo sente por Taehyung. Os dois tinham uma vida feliz e animada juntos. Quando olhava para fotos deles juntos, mal podia pensar que não há lugar para ele na realidade de Taehyung.

Foi quando o moreno resolveu entrar em seu carro com um buquê de flores e dirigir em direção à casa de seu ex-namorado. Pensava que era hora de acertar tudo, que se pedisse desculpas às lágrimas, tudo estaria resolvido; mas não era bem assim com Taehyung. As coisas não eram tão fáceis com pode-se aparentar. Ele era um garoto difícil de se convencer. Jungkook não queria obriga-lo a amá-lo, pois o amor não se obrigado, se conquista com o tempo.

O mesmo sabia que sua tentativa de provar que realmente o ama, seria em vão.

Jungkook estacionou em frente ao apartamento do mais velho. Procurou seu nome no meio de todas as campainhas em uma placa de ferro. Quando finalmente achou, apertou-a e foi para a frente da janela da sala, que ficava no terceiro andar. Logo uma figura loira apareceu em seu campo de visão. Kim Taehyung ainda tinha seus cabelos loiros, e sua aparência parecia exausta. O moreno sentiu um aperto no coração, era como se fosse enfrentar uma batalha.

Entrou no elevador com o buquê de flores rosas, amarelas e vermelhas. Eram cores não tão vibrantes; o loiro não gostava de cores que machucavam seus olhos. Quando a porta metálica do elevador se abriu, Jungkook se viu em um corredor quase escuro, como de costume. Naquele momento todas as suas memórias dos tempos em que ele e seu namorado atravessavam todo aquele corredor se beijando. Era muito difícil para ele voltar para o lugar que o fez feliz uma vez; o mesmo não gostava de estar para baixo e estar em um ambiente com memórias boas ao mesmo tempo, por isso sua preferência de não ficar tanto em sua própria casa.

Quando estava chegando perto da porta, colocou suas mãos para trás e vestiu seu dedo indicador com um anel prateado que Tae havia lhe entregado. Ele estava prestes à bater na porta branca, mas a mesma se abriu e revelou um Taehyung de pijama.

-O-oi... – O moreno se pronunciou, olhando para baixo e ainda com as mãos para trás. Taehyung passou um tempo o fitando, mas logo abandonou a porta aberta e foi em direção à mesa da cozinha, virando a cara para a janela.

Jungkook entrou e fechou a porta. Logo o cachorro que estava catando a ração do chão com a boca, foi até seus pés e se esfregou no mesmo. Quando percebeu, ele já estava sentado à frente de Taehyung, que encarava a janela.

-Você parece bem. – Ele disse, e as esperanças de Jungkook ressurgiram. – Seu cabelo continua idiota.

Jungkook ficou em silêncio. Tirou o anel de seu dedo para brincar com o mesmo. Sem querer, ele deixou o objeto cair no chão e o som fez o loiro olhar para o mesmo.

-Ainda tem isso? Achei que tinha jogado fora.

-Você se lembra do dia que me deu ele? – O moreno falou, apanhando o objeto de metal.

Taehyung voltou a observar a janela e se recusou a lembrar do momento, mas suas memórias não estavam sendo honestas com o mesmo.

Flashbak on.

Jungkook estava sentado ao lado da banheira, onde o loiro tomava banho. O barulho da água era um incômodo para ele, mas não ligava muito, pois estava com seu amado. Ele tocava um pequeno piano de brinquedo enquanto pensava em nada mais nada menos que no garoto ao seu lado.

-Jungkook...Você me ama, não é? – O loiro se virou para o namorado, se apoiando na borda da banheira. O moreno respondeu com um ‘é claro’. – Então fique com isso, para se lembrar de mim! – Tirou um anel prateado de seus dedos enrugados pela água e o colou no dedo indicador de Jungkook.

Flashbak off.

-Não, eu não lembro de nada. – Falou, ele estava se recusando a admitir que realmente sentia falta daquilo. Jungkook ficou em silêncio por um longo tempo.  -Você arrancou sua língua fora?

Os dois se encararam como não faziam há anos. Os olhos castanhos de Taehyng faziam com que sua aparência ficasse agradável; enquanto observava os mesmos, o moreno recebeu memórias antigas em sua mente.

Flashbak on.

Taehyung e Jungkook andavam pelas ruas em um dia de inverno. Os dois estavam discutindo por algum motivo besta. Era algo relacionado ao celular ou ao fato de Jungkook estar bêbado. O mesmo se arrependia disto até hoje, pois o loiro não gostava nem um pouco quando isto acontecia.

Quando chegaram em casa, o moreno tirou uma garrafa de Whiskey da geladeira e tomou um copo cheio. Taehyung não sabia da onde havia aparecido aquela garrafa, pois nunca comprava a mesma.

Jungkook ficou tão bêbado que começou a gritar com o loiro, fazendo com que ele ficasse assustado.

Flashback off.

Taehyung desviou o olhar para a janela novamente e se recusava a olhar ou até falar com Jungkook. O moreno sacudiu o braço do mais velho, com a tentativa de fazer com que ele o olhasse.

-Não me toque. – O mais velho falou, virando para o mais novo. – Eu não consigo te reconhecer, o seu cabelo e aparência continuam os mesmos, mas você sabia falar antes.

-Eu ainda sei falar...

-Por que veio aqui?

-Porquê...eu ainda gosto de você... – Falou, ainda em pé ao lado do loiro.

-Me deixe em paz. – Ele falou gritando e se levantou em um pulo.

O coração de Taehyung doía ao lembrar daquelas coisas, ele realmente queria esquecer tudo aquilo e seguir em frente.

Jungkook ainda estava escondendo o buquê; correu até o banheiro e se trancou lá. Jogou as flores no lixo e se sentiu culpado pelo ato, mas não ligava para este sentimento. Ele saiu do banheiro e voltou para a mesa perto da janela. O loiro estava chorando, e quando percebeu a presença do mais novo correu para o quarto. Claro que Jungkook foi atrás do mesmo.

Entrou no quarto e fechou a porta. Se deparou com Taehyung de costas ainda chorando. Ele se aproximou do mesmo e o abraçou por trás; se surpreendeu por ele não rejeitar o abraço. O mais velho se virou de frente para ele e o abraçou.

Logo o som da campainha tocou e era possível ver um garoto de cabelos alaranjados pela janela. Jungkook conseguiu um beijo apaixonado de Taehyung antes que ele notasse a campainha soando. Ouvia-se os passos do garoto nos corredores; Jungkook correu para o guarda-roupas e se trancou lá.

Logo alguém abriu a porta, foi até Taehyung, que estava sentado na cama, e o beijou na boca.

-Bom dia meu amor. – O ruivo falou, sentando ao seu lado e beijando seu pescoço.

-Eu te amo, Hoseok – O loiro falou enquanto olhava para o guarda-roupas.

Jungkook estava chocado com a cena à sua frente. Ele conseguia ver tudo pelas frestas da porta do guarda-roupas. Logo lágrimas rolaram por sua bochecha. Hoseok perguntou porque o loiro estava encarando a porta daquele móvel, e o mesmo desviou o olhar para outro canto.

-Não é nada...Eu estava apenas pensando.

-Pensando no que?

-Em coisas que eu não deveria ter esquecido.

Mark, o cachorro, estava latindo para o móvel onde Jungkook estava; Hoseok abriu o mesmo, mas não encontrou nada. Jungkook havia saído dali enquanto os dois se beijavam.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...