1. Spirit Fanfics >
  2. Eu amo meu melhor amigo. >
  3. Chapter - 3

História Eu amo meu melhor amigo. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi
Oii
Oiii
Oiiii
Oiiiii

Gente, gente! A gente sempre deseja as férias quando estamos na aula, e meu Deus, essa quarentena não tô aguentando. Quero a escola de novo, e vocês?

Bem, trouxe mais um capítulo pra vocês porquê estou no tédio, e quando se está no tédio procuramos algo de bom pra fazer, então vim aqui agradar vocês com mais capítulo.

Espero que gostem e é isso, fiquem com a leitura.

Capítulo 3 - Chapter - 3


Fanfic / Fanfiction Eu amo meu melhor amigo. - Capítulo 3 - Chapter - 3


Estávamos todos reunidos na mesa de jantar, conversando sobre coisas do dia a dia, como: a escola, o trabalho, como foi o dia, o'que aconteceu, o'que aprendeu; e várias outras coisas que faz parte do nosso circo. Mas, eu não estava inclusa nessa conversa, eu estava só observando. Não meus pais conversando, e sim...Ele, Jeon JungKook. Eu não consigo me conformar com essa paixão grande que sinto por ele, seriamente. Por que não me apaixonei por uma outra pessoa como um dos amigos de Jungkook, ou um nerd bonito da minha escola?!

Porquê os amigos deles são uns safados e iam te comer pra depois largar. 

...E os nerds bonitos só existem nos filmes.

Mas pelo menos eles tem o coração bom...

Não, não daria certo.

Meu corpo tremeu quando um barulhinho irritante passou pelos meu ouvidos, olhei pra baixo vendo que o garfo estava no chão. Levantei minhas iris encarando os meus pais e Jungkook que me fitavam preocupados.

Lya — Que foi, gente? Só caiu um garfo.— Disse, aparentemente nervosa. Me agachei pra pegar o garfo, mas uma mão apareceu pegando Primeiro.

JK — Leza como sempre.— Falou dando um peteleco na minha testa, ao me ajeitar na cadeira de novo.

Lya — Vai se danar.— Ele riu, e minha mãe revirou os olhos pelo meu linguajar. Ela não tinha se acostumado ainda com os meus xingamentos, mas meu pai sim, até porque ele também é boca suja. Somos brasileiros, não conseguimos segurar a língua.

Mãe — E então, Jungkook, já tem namorada? — Engasguei com minha própria saliva naquele momento. Porra, mãe! Eu sou cardíaca!— Meu deus, filha! Você tá bem?— Arregalou os olhos.

Lya — C-Claro, eu só...— Peguei o copo de suco berbericanco o mesmo. Acho melhor ficar na minha enquanto escuto tudo.— Nada não.— Lambi os lábios tirando requisitos do suco nos meus lábios.

Mãe — Que bom! Voltando...— Encarou o Jungkook.— Conheceu alguma Crush?— Pronunciou "Crush" de um jeito engraçado, fazendo um biquinho. Se eu não estivesse meio frustrada com aquela conversa, eu até riria.

JK — Ah, ainda não senhora Miller. Mas eu espero encontar a garota certa pra mim se relacionar.— Sorriu meigo.

Lya — Com certeza, ainda mais com o seu teste de "A garota perfeita pra mim é a que é virgem".— Sussurrei pra mim mesma, dobrando a barra do meu vestidinho florido.

JK — Disse alguma coisa, Lya?— O olhei espantada. Sorri amarelo.

Lya — Eu? Não, amigo. Está ouvindo coisas.— Rio sem ânimo.— Chega de perguntas, né?! Olha mãe, já são dez horas da noite, Jungkook deve estar doido pra ir pra casa, né migo?— Indaguei dando batidinhas de leve no ombro do rapaz, que arqueeou uma sombracelha.

Pai — Ah, você poderia dormir aqui, Jungkook.— Meu cú fechou de um jeito que nem agulha entrava.

Mãe — Oh, sim, sim. Poderíamos ligar pra sua mãe avisando, depois que arrumassem o quarto pra vocês dois dormirem.— Bateu palminhas animada. 

Não, isso não pode estar acontecendo!

JK — Ah, pode--

Lya — Não! Ele não quer! Jungkook quer a cama dele e com certeza ficar acordado até tarde assistindo um filmezinho educativo, num é, Jungkook?— Expremi os lábios esperando ele dizer um "sim" com um olhar amendrotador. Mas o menino é tão filho da puta, que sorriu debochado pra mim.

JK— Tsc, nada haver! Eu gosto de ficar perto de você, e essa é uma boa oportunidade.— Acariciou meu queixo.— Eu vou dormir aqui, sim. Avisem minha mãe, ela vai aceitar de boa.— Sorriu. 

DESGRAÇADO! ESTOU EVITANDO FICAR PERTO DE VOCÊ PRA NÃO TE AGARRAR! 

Mentira, é que as vezes vem umas coisas na mente que faz eu movimentar a boca e liberar merda automáticamente.

Lya — Eu te mato, jungkook.— Cochichei no ouvido dele, tirando uma risada baixa do mesmo.

JK — Faz isso depois, primeiro eu quero uma massagem.

Vadio do caralho.

Mãe — Bom, meninos. Vão arrumar a cama pra vocês dormirem, quero arrumar a mesa.— Sorriu para nós dois. Jungkook se levantou e eu fiz o mesmo. Subimos as escadas, e cada degrau era uma provocação da parte de Jungkook. Eu quero matar e ao mesmo tempo encher esse menino de beijos. Tem como isso?!

JK — Finalmente vou sentir a textura desse colchão.— Se deitou na minha cama, abraçando os travesseiros.— Que delícia!

Fechei a porta, trancando ela em seguida, o'que chamou a atenção do moreno pela chave ter omitido um barulho na fechadura.

JK — Por que trancou? — Cerrou os olhos.

Lya — Na moral, se não existisse regras na Coréia de não matar as pessoas, eu matava você agora, asfixiado com esse travesseiro que você tá abraçado.— Ele arregalou os olhos.

JK — Nossa, não me quer mais por perto, é isso? Tá, eu vou embora então.— Se levantou andando até a porta com uma expressão de pura seriedade. 

Ai, gente...

Eu não aguento. 

Segurei a barra da sua camisa branca, o puxando pra mais perto de mim. Formei um biquinho nos meus lábios quando ele me olhou parecendo estar com raiva da minha indecisão.

Lya — Fica.— Abracei ele, demorando pra ser retribuída, mas logo ele envolveu seus braços com o meu corpo.— Se você passasse de verdade por essa porta, eu arrancaria suas bolas.— Ele riu fazendo cafuné nos meus cabelos.

JK — Você está bastante estranha. Antes era grudada em mim que nem chiclete, agora me quer longe como se eu tivesse alguma doença transmitível.— Me distaciou um pouco, pra poder olhar meu rosto.

O'que eu FALO???

Lya — Me desculpa, Oppa. É a excitaç...— Tampei minha boca após ter percebido o'que eu havia (Quase) dito.

JK — Excitação? Como assim? — Sorriu malicioso.— Fica excitada quando estou por perto? Seus hormônios ficam a flor da pele, é? — Se aproximou. Sério que ele estava me perguntando isso?

Lya — Não, estou falando de outra cois- Eu vou te agredir, sai!— Empurrei ele na minha cama, o mesmo ficou rindo que nem um débil mental.— Não tem graça.

JK — Você tinha que ver sua cara.— Eu estava com uma cara carrancuda, e com a raiva tomando conta de mim, fiquei por cima do coreano o estapeando.— Lya, você para com isso! Ly- AI, ESSE TAPA DOEU!— Continuei com os tapas, só que uma coisa inesperada aconteceu.— Anw...— Arregalei meus olhos, e só ali fui reparar que eu estava em cima do seu membro.

POTA QUE PAREO!

Sai de cima dele me sentando do seu lado, encarando um ponto fixo no chão. Meu deus, o que acabou de acontecer, véi???

Ele se sentou ficando na mesma que eu, depois me puxou me abraçando de lado. 

JK — M-Me desculpa por isso, Lya.

Lya — M-Me desculpa por isso, Oppa.

Falamos ao mesmo tempo, e rimos sem graça.

Lya — Não precisa pedir desculpas, eu que...subi em cima de você, eu-An, foi mal.

JK — Não, não. Eu provoquei você, eu que- Vamos esquecer isso, tá?

Não, veado! Eu não quero esquecer que o motivo do seu gemido foi eu! 

Lya — Claro, tudo bem.— Ele se deitou, fiz o mesmo e ele me fez virar, me abraçando por trás. 

Como ele quer que eu esqueça fazendo "izu", véi?

JK — Meu gemido é sexy. 

Não contive a vontade de rir,e acabei soltando uma risada exagerada.

Lya — Aham, é sim.— Ele me pressionou mais contra o seu corpo.— Você é um boboca.

JK — E você é uma panaca.— Rimos.


Não Jungkook, eu sou DOIDA por você.


Notas Finais


Me perdoem por qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...