História Eu, Cinderela?! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cinderela, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Nico di Angelo, Percy Jackson, Thalia Grace
Tags Adolescente, Amizade, Aventura, Cinderela, Contos, Disney, Drama, Percy Jackson, Romance
Visualizações 127
Palavras 1.411
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura! <3

Capítulo 8 - Ela me ama


Fanfic / Fanfiction Eu, Cinderela?! - Capítulo 8 - Ela me ama

Annabeth’s Pov.

Eu já estava morta. Nós já estávamos andando fazia horas, passamos em várias lojas, experimentamos muitos vestidos e nada. Acho que esse era o 81964 vestido que eu experimentava e eu já não aguentava mais.

— Annabeth! – Silena me bronqueou. —Pare de ser chata!! Você tem que estar linda lembra? Você vai se encontrar com o príncipe da sua vida.

—Não Silena, eu só vou conhecer um cara com quem já converso a quase um ano. Só isso e nada demais. Você sabe muito bem que eu não acredito em contos de fadas. – respondi ela de dentro do provador.

—Já colocou? – ela perguntou impaciente, ignorando minha resposta.

Abri o provador. Eu estava vestindo um vestido vermelho cumprido, tomara que caia, bem coladinho no corpo.

—Lindo esse! – Silena disse. —Thalia! Meninas! Esse não ficou lindo?? – Silena disse apontando para o meu vestido.

Thalia olhou para mim e ergueu a sobrancelha e fez aquela cara de desgosto.—Isso está ridículo. – ela simplesmente disse.

—Ah, quer dizer não está feio, mas é que não combina com a Anna. – Piper disse.

—Ok eu desisto! Eu não quero mais experimentar nada! – eu disse irritada e entrei dentro do vestiário e tirei o vestido e coloquei meu jeans e minha camiseta. — Se você me fazer vestir mais alguma coisa eu te bato. Entendeu? - Falei bem seria para Silena.

Ela olhou para mim assustada com os olhos arregalados e assentiu. Comecei a rir da cara que ela fez, que ficou toda embirada e corada.

Passamos no Subway e comemos um mega lanche natural e depois fomos embora.

Já era tarde quando cheguei em casa e para minha total surpresa Michelle estava acordada.

“Eu estou ferrada”, foi a única coisa que passou na minha cabeça naquele momento.

Nico’s Pov.

“Ela me ama”, era a única coisa que meu cérebro conseguia reproduzir. As palavras dela não saiam da minha mente. É claro que eu estava mais chapado que tudo, e me lembro só de algumas cenas, mas a voz dela me dizendo que me amava foi a única que me cérebro registrou realmente.

Assim que ela saiu eu abri os olhos, e fiquei olhando para o nada, mas eu estava tão mal que nem consegui me levantar da cama e ir correndo atrás dela dizer que eu sinto o mesmo.

Depois disso, só me lembro de ser acordado por ela, no outro dia. Eu estava com uma ressaca dos infernos, mas assim que eu a vi a única coisa que veio na minha mente foi “ela dormiu aqui?”, mas ai quando ela falou que meus pais viram tudo e que ameaçaram de chamar a polícia eu esqueci tudo e desci correndo. Eu estava ferrado.

Despois daquela faxina horrenda, onde eu tive que lavar os banheiros nojentos, que me fizeram realmente me arrepender de ter dado esse bendita festa, me fiz de desentendido perguntando o que tinha acontecido comigo (apesar de eu lembrar somente de pequenas partes), e acabei sorrindo de lado quando vi a Thalia corada. A Thalia que eu conhecia nunca ficava envergonhada. Era bom saber que eu tinha esse poder sobre ela.

Eu a amava desde sempre, e apesar de ela ter se afastado um pouco por conta do time, nós ainda eramos amigos. Assim que anunciaram oficialmente o baile, logo comprei os dois convites e a chamei para ser meu par. Ela aceitou de primeira, o que para mim foi uma surpresa. Ela sempre tendia a ser durona quando se tratava de sair comigo.

Quase me ofendi um pouco quando soube o porque de ela ter aceitado tão facilmente meu convite. Ela suspeitava de um dos garotos do time ser o misterioso par romantico de sua amiga Annabeth e queria descobrir quem era.

Eu seria o cara que iria descobrir.

Annabeth’s Pov.

—Michelle eu nunca, nunca mesmo te pedi nada, então por favor me deixa ir nesse baile.

—Não. Eu já disse que não. Nesse dia você, vai ficar na lanchonete. É sua escala, e não vou mudar, só porque vai ter uma festinha na escola. Ou você vai trabalhar, ou vou considerar sua ausência uma falta e vai ser descontado de seu salário. Você sabe que o movimento lá é maior nos finais de semana. - Ela lixava a unha enquanto me respondia, com aquela cara de nojo de sempre. Eu me irritava facilmente com aquilo.

—Mas...

—Sem mas. Agora você já pode ir.

Me retirei da sala e voltei para meu quarto. Bosta, bosta, bosta. E agora?

(...)

—COMO ASSIM VOCÊ NÃO VAI?

—Silena dá pra parar de gritar?

—Mas...

—Foi maus Si, mas eu não vou mesmo poder ir, ok?

—Isso é tão injusto. Por que as duas tapadinhas das suas meia-irmã vão e você vai ter que ir trabalhar? -Não respondi, foi uma pergunta retórica. Ela sabia o porque. E eu também. —Aff. Se seu pai estivesse conosco nada disso estaria acontecendo. -Ouvi ela murmurar.

—Eu sei. -respondi baixinho. Sentia tanta saudades de meu pai. Ele jamais deixaria isso acontecer.

—Sinto muito, Anna. Se eu pudesse te raptava. Você sabe, né?

—É claro que sei. Te amo. Beijos.

Desliguei o celular, que por sorte ainda estava comigo e fui tomar um banho rápido.

O que eu iria dizer ele? Ele vai ficar me esperando no centro da pista me esperando, enquanto eu estarei na lanchonete, trabalhando e torcendo para que esse ano acabe logo para que eu possa finalmente ir para a faculdade.

Assim que voltei para o quarto três ligações não atendidas: Thalia.

Só balancei a cabeça, nem me importei muito. Me troquei, penteei meus cabelos e depois retornei a ligação.

—Oi Liah.

—Porque você não vai para o baile?

—Estou bem, obrigada por perguntar.

—Sem ironias comigo Annabeth. Fala logo.

—Está bem, mãe. Michelle não me deixou ir. Ela disse que precisaria de mim na lanchonete.

—Nem vou falar nada ok? Você sabe que isso é ridículo.

—Ok Liah, tanto faz.

—Eu já vou, amanhã a gente vê isso com mais calma ok?

Desliguei o celular e me joguei na cama, essa vida que eu levo não é fácil. A minha sorte é que esse é o último ano, e que depois disse eu estou finalmente livre para viver minha vida sem ninguém para ditar as regras.

Acordei no outro dia na mesma rotina. Tomei banho, coloquei um short jeans, uma camiseta GG do Snoop de manga única e meu bom e velho All Star. Amarrei meu cabelo num coque bem mau feito e desci correndo para pegar o salmão para a folgada da minha madrasta.

Passei na casa da Thalia no caminho do colégio e por mais incrível que seja ela nem tocou no assunto do baile. Foi como se a gente nem tivesse se falado ontem.

Quando chegamos na escola, toda a escola já estava se preparando para o início do campeonato, todo mundo animado, e a decoração já estava sendo preparada.

Fomos para os nossos armários e a nossa turma já estava lá.

—Hey! Bom dia moças... – Leo disse beijando nossa mão, como na década de 1960.

—Bom dia. – respondi me direcionando ao Leo. __Bom dia gente.

—Bom dia! – responderam.

—Bom dia! – Disse uma pessoa que raramente aparecia entre os alunos.

—Clary!!!!! – Silena foi correndo abraçar a Clarisse.

—Silena! – bronqueou-a.

—Foi mal. – ela disse com os ombros encolhidos.

—Bom dia gente. – Quem disse isso, foi um dos meninos mais inteligente do colégio: Henry.

Ele, a Clarisse e a Dakota (a minha amiga que trabalha na lanchonete lembra?) fazem parte do Jornal da Escola e da Equipe de eventos. São a turma mais utilizada,por assim dizer, de toda a escola.

Segundo alguns boatos dizem que o Henry morre de amores pela Dakota, mas que ela nem dá bola para o menino. O que eu não entendo como, já que o menino é lindo. Alto, dos olhos caramelo, com os cabelo preto e um corpo bem... avantajado.

Não sei se isso é verdade, mas... bem quem sou eu pra falar né??

—Enfim, viemos avisar que o tema do baile já foi decidido. – Clarisse falou.

—E qual é?? – Silena já perguntou toda empolgada.

—Balie de máscara Senior. – ela respondeu.

—Legal, gostei do tema! – Eu disse.

—É isso. Já preparem, e não se esqueçam, tem a competição dama e cavalheiro de honra!

—Ok!!

Assim que eles foram embora, todo mundo olhou para mim.

—O que?

—Que história é essa de você não vir mais para o baile? – Piper perguntou.

Ai meus deuses. Parece que isso não vai dar certo...


Notas Finais


Até o próximo!
bjos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...