1. Spirit Fanfics >
  2. Eu Correrei (BONUS SCENE) - Jeon Jungkook >
  3. My Time

História Eu Correrei (BONUS SCENE) - Jeon Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Vish, voltei!


Vim cumprir (ou tentar) a promessa de trazer alguns extras de Mari e Kookie.
My Time foi um surto coletivo, fandom todo morreu nestes dois dias de show, mas né. Tivemos que tornar pra ver o JK loiro (e isso logo, logo aparece por aqui também).


É isso.
Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 2 - My Time


Fanfic / Fanfiction Eu Correrei (BONUS SCENE) - Jeon Jungkook - Capítulo 2 - My Time

- Está nervoso? - Perguntei mansa.

- Não. - Seus lábios me diziam uma coisa, mas os olhos amendoados me diziam outra. - Sim, estou. - Admitiu com um fraco riso nasal. 

- Sem público é um pouco mais tranquilo, né?

- É, mas não posso errar igual. É tudo ao vivo e sem cortes. É difícil. 

- Difícil é o seu sobrenome, meu bem.

- Espero que isso seja uma coisa boa. - Rimos.

- Não se preocupe, você tem ensaiado tanto e naturalmente você sabe improvisar muito bem. Você é demais. - Sussurrei rente a pele nua de sua nuca o vendo arrepiar imediatamente. Deixei ali um selar e voltei pra mesma posição. Estávamos ambos de bruços no colchão, totalmente despidos de roupas, pudores e segredos. 

Depois de tudo o que eu e Jungkook passamos, nossos laços se estreitaram. Nossa conexão está mais intensa e nenhum de nós cogita viver longe um do outro. Tudo entre nós dá um jeitinho de ser compatível. É claro que o caos com a sasaeng me abalou. Pensei e repensei a vida que estava escolhendo. Eu não tive medo quando fiquei sozinha naquele quarto de hotel com aquela mulher, mas o medo me pegou depois que chegamos em casa e ficamos só eu e ele, frente a frente com nossas versões daquele episódio de terror e todas as inseguranças que vieram com ele. O trauma me envolveu pouco a pouco. Quantas vezes mais eu passaria por situações assim? Como revelar um noivado num mundo onde pessoas são capazes de ir até as profundezas do inferno para roubar a privacidade do Jungkook? Jamais.

É. Foi preciso terapia. 

Para ambos.

Uma das únicas coisas boas disso tudo,  foi a reputação que ganhei na Big Hit. Finalmente, glórias aos céus, aleluia! Ganhamos apoio, suporte e sossego. Passei a ser aceita e respeitada pelos superiores do Jungkook e inúmeras vezes os ouvi comentando sobre como eu havia sido corajosa e como eu parecia como uma daquelas seguranças particulares e destemidas dos filmes de ação. Meu ato de esperteza têm garantido um acesso mais simples até meu namorado. O que nem acho que deveria considerar como uma vitória, afinal as pessoas deveriam ser livres para se relacionar com quem desejarem, né? Mas ok. Tudo bem. Me senti muito feliz por ter sido convidada para o Map of the Soul ON:E, mesmo sem estar trabalhando mais de freelancer/backup pra BH.

________________________________________________________________________

Mensagem:

Mariana: Estou chegando. Está tudo bem? Se alimentou direitinho? 

Jungkook: Yes! Tudo pronto!

Mariana: Já está um baita gostoso? 

Jungkook: Sempre :)

_______________________________________________________________________

Ao chegar no local do evento, logo localizei Kwon Sob, meu amigo, confidente e maior suporte dentro da empresa - junto com Sejin. 

- Por que não vai até o camarim? 

- Jungkook me proibiu. - Suspirei dramática.

- Quê? Logo agora que você é a queridinha de todos os managers.

- Pois é. Disse que não quer que eu veja o figurino antes do show. É surpresa. - Falei a última palavra com um pouco de desdém, porque eu queria muito dar umas apalpadas nele no banheiro. Tinha uma certeza gritante dentro de mim de que ele estava um baita gostoso da p**** naquele dia. Fiz um bico e Kwon riu de mim.

Não demorou para que me encaminhassem até a parte dos bastidores, junto de Son SungDeuk e alguns câmeras onde eu iria sentar para assistir as performances. Meu coração estava acelerado e minhas mãos suavam. É claro que eles fariam tudo da forma mais perfeita, mas mesmo assim, era meu Jungkookie que estava se preparando para entrar no palco e eu podia sentir o quanto ele estava tenso e o quanto a cobrança interna o sufoca. 

- Vai dar tudo certo. - Murmurei baixinho pra mim, como uma prece. 

Quando ON começou a tocar, puxa... foi uau atrás de uau! Os bailarinos estavam impecáveis e eu não podia deixar de notar as expressões de orgulho do coreógrafo ao meu lado; as batidas da música pareciam ecoar no meu peito, fazendo meu corpo inteirinho vibrar; eu queria poder gritar e por alguns minutos, desejei que o Army pudesse estar lá vibrando junto e sentindo tudo aquilo, porém quando ele entrou em cena... Droga! Que homem! Mudei de ideia. Não queria mais ninguém assistindo, não queria ninguém vendo o que eu estava vendo. Era como se só eu e ele estivéssemos lá. Desculpa OT7s mas caramba, é o meu namorado naquele palco! Impossível desgrudar os olhos dele.

O conjunto de movimentos e o casamento entre as vozes dos meninos é incrível. Eles nasceram para fazer aquilo juntos e apesar de eu achar que todos estavam dançando maravilhosamente em sincronia, JK se destacava. Suspeita falando, mas ele sempre se destacava. Alguns movimentos ele exagerava na perfeição. Sério. Ele não consegue conter aquela adrenalina que sente no palco e eu sabia que naquele momento ele estava como que anestesiado, mas com certeza seu corpo sentiria depois. Em alguns momentos me peguei apreensiva "Kookie, sua coluna... por favor, vai com cuidado, meu bem". 

Nos intervalos entre uma performance e outra, vídeos eram projetados em alguns pequenos televisores próximos do palco e eu não entendia muito bem o que estava acontecendo, mas imaginei que por se tratar de um concerto online, para quem estava em casa deveria estar tudo maravilhoso.

Meus olhos procuravam Jungkook o tempo todo, eu queria muito dar uns beijos nele naquelas pausas. Só de pensar nas staffs o ajudando a trocar de roupa - como já presenciei uma vez - meu coração acelerava. Os figurinos eram lindos e cada vez mais lindos. Eu quase morri quando o vi todo de branco em 00:00 o'clock! Os solos de cada um encheu meu coração de orgulho. Como eu podia ser próxima de pessoas tão brilhantes? O mundo inteiro queria o que eu por acaso (ou por causa de um esquilo) tinha. Eu estava muito feliz e grata por estar ali admirando o trabalho dos meus amigos.

Também haviam vários momentos de interações com os fãs e aquilo tudo era muito legal. Muito legal. Até chegarmos na parte ilegal da coisa toda:  My Time.

Jungkook fez o maior segredo de sua performance solo, não me deixou vê-lo ensaiar nenhuma vez sequer e até mesmo o figurino era um total segredo. Aquilo me fez gerar uma grande expectativa e até um certo... hm... medo? My Time foi a música que ele escreveu quando nos conhecemos. Ele havia feito algumas poucas frases antes de viajar pra Noruega e, de acordo com ele, eu fui a inspiração para que ele a terminasse. 

"Oh, I will call ya, I will hold ya

Oh, I will

And yes you know, yes you know"

Tudo era significativo nessa música. O crescimento e as transformações presentes em seu interior, suas inseguranças, sua verdade sobre a fama. Para mim, My Time traduzia o coração de Jungkook de uma forma linda. Por isso, eu realmente estava esperando algo tocante neste solo. Será que Jungkook iria fazer algo romântico? Talvez algo no estilo de Euphoria, quem sabe fosse menos dançante e mais vocais. 

Me enganei. Me enganei em todas as minhas expectativas.

- My Time é a próxima! Quero até ficar aqui do seu lado pra ver seu infarto. - Kwon Sob disse baixinho se achegando e eu ri meio envergonhada. 

Me arrepiei toda quando a música que eu tanto amo ecoou. Meus olhos imediatamente brilharam analisando sedentos cada detalhe daquela calça preta justérrima de couro sintético que colocaram nele. Meu coração perdeu uma batida ou duas ou três. Mas de repente um sentimento estranho começou a tomar meu peito. Aquelas mãos deslizando por suas coxas fartas, os olhares, a camisa teimando em abrir mais um botão, o cabelo suado que fazia parte do "pacote" que o público exigia ver... o que é que tinham feito com My Time? Jungkook estava terrivelmente sexy. Era tudo sensual, com exceção da letra. É óbvio que não podia faltar algo que o army deveria estar doido para rever: seu abdome sarado. Acho que dei uma leve bufada ao ver o gesto. Eu não estava decepcionada... estava? Não, não era possível, afinal, Jungkook estava tão lindo!

Os passos da coreografia, junto com as altas notas o cansaram rápido e quando ele deixou a voz escapar por um momento eu senti meu coração doer. "Ele vai se cobrar horrores por isso". Outro detalhe era que a música toda era com muitas partes gravadas, sincronizadas com a voz ao vivo dele. Uma vez ele me disse que cantar daquele jeito dava uma certa segurança, ao mesmo tempo que era frustrante e eu me perguntava ali naquele instante se ele ficaria satisfeito com sua performance ou não. 

Quando a música parou e JK sumiu da minha vista, olhei para o lado ainda perplexa e só então notei que Kwon Sob havia puxado o celular pra gravar minhas reações. Não sei qual expressão eu tinha no rosto, mas pela cara dele o vídeo não havia ficado bom. Ele me encarava preocupado.

- Estou meio... frustrada. Acho que projetei algo totalmente o oposto do que acabei de ver. - Desabafei diante do seu olhar. 

- Sério? 

- Sério.

Nisso o chamaram para atender uma das câmeras novamente, ele fez um sinal de que estava à caminho e então me disse baixo:

- Só... não fala isso pro Jungkook, tá? Você sabe como ele é.

- Sei. - Concordei. 

Eu me animei novamente para acompanhar o restante do show e mal via a hora de poder abraçar e beijar aquele pedaço de mau caminho que dançava na minha frente. My Time não tinha sido como eu imaginava que seria - fugindo totalmente de sua temática - mas tudo bem. Achei melhor não ficar mentalizando críticas para que minha expressão fosse cem por cento boa quando me encontrasse com ele. Jungkook já era muito apegado na minha opinião, então era melhor que não soubesse das minhas frustrações. 

Fui levada para o camarim depois de algum tempo, quando já tinha restado poucas pessoas da equipe com os meninos. JK estava sem camisa, com gelo sobre os ombros e recebendo algumas fitas que deveriam ser algo tipo salompas para relaxar os músculos. Uma das staffs, que parecia enfermeira, estranhou minha presença, mas nada disse e logo foi dispensada. Quando Jungkook me viu, um sorriso fofo se formou em seus lábios e seu olhar me convidava para um abraço discreto. Depois de alguns minutos que eu estava ali, acariciando sua pele despida, trouxeram uma camiseta e um moletom para que ele vestisse. 

- Você foi incrível, meu amor! Como pode me surpreender tanto? - O gabei e ele riu parecendo tímido, mas sei que estava esperando mais elogios. - Sua voz é a coisa mais linda do mundo e a dança? Meu Deus, como você dança! Só que essas coreografias deveriam ser proibidas, sabe? É perigoso para quem assiste. Eu estava passando mal. - Rimos encostando a ponta do nariz um no outro  e eu não contive sem roubar um selinho. Jungkook olhou em volta meio preocupado, mas aparentemente ninguém havia visto nosso momento de namorico. 

Quando finalmente eles foram liberados, elogiei e parabenizei todos os meninos, fazendo questão de comentar sobre suas performances e sobre como eu havia amado cada detalhe do show. Cada detalhe exceto a sexualização do meu namorado, mas óbvio que isso eu não falei. Jungkook não gostou muito quando falei que Jimin tinha deixado o ambiente fervendo e só piorou quando o mesmo riu todo encabulado e me deu um abraço de agradecimento. Entretanto, posso dizer que JK anda se comportando no quesito ciúme, portanto apenas tentou ignorar seus instintos de querer me tirar de perto de qualquer figura masculina e sorriu. 

Eu não pude voltar no mesmo carro que os meninos, mas pude ir para o Hannam jantar com eles. É claro que o assunto do momento continuava sendo o show.

- Jungkook-ah estava muito sexy, não estava? - Hope disse todo soltinho em determinado momento da conversa. Os meninos assentiram e começaram a fazer graça, olhando para nós dois, esperando alguma reação de minha parte.

- Realmente ele estava muito sexy. - Concordei meio séria e eles explodiram em risos. JK estava meio corado, mas sei que estava satisfeito. 

Em um determinado momento, sussurrou no meu ouvido que me queria de quatro no Golden Closet, o que me deixou toda excitada, mas depois de comermos, acredito que o relaxante muscular (e possivelmente mais alguma droga) que deram para ele fizeram efeito, porque tudo o que eu tive no Golden Closet foi um Jeon exausto que dormiu e começou a roncar em poucos minutos. Estava tudo bem, ele realmente precisava dormir. Me deitei junto a ele e fiz carinhos nos fios compridos do seu cabelo, o cheirei, beijei e aproveitei cada segundo antes de acabar dormindo também.

Na manhã seguinte, ganhei vários beijos com gosto de leite de banana assim que acordei. Os meninos precisavam ir logo pra empresa para os "ajustes finais" para o segundo dia de show. Dessa vez, ele aconteceria as 16h, por tanto, tive pouco tempo com meu namorado, mas no breve tempo que pudemos nos amassar ele soltou:

- Você ainda não me falou o que achou do meu solo. - Pediu com um bico. 

- Ah... é que... você é maravilhoso né, Gukkie? Sou doida por você. - Tentei desconversar, mas tenho bastante dificuldade de esconder o que sinto. 

- Hm... me achou... sexy? - Perguntou meio duvidoso.

- S-sim. 

- E a coreografia? 

- JEYKEY! - Cantarolou Hobi, adentrando o Golden Closet para chamar o amigo. Ufa! 

Nos despedimos e só voltamos a nos ver novamente no local do show. Bem, nem tem muito o que comentar... tudo estava maravilhoso, assim como fora na noite anterior. Eles pareciam incansáveis, intocáveis, sobrehumanos. Estava tudo indo bem, o problema é que eu resolvi ler alguns comentários que fãs estavam fazendo na live, através do monitor que colocaram ao meu lado.

"Jungkook estou aqui pelo seu tanquinho!" - Essa era BR.

"QUERIA QUE O JK ME COMESSE"

"Jeon Jungkook, aguardo ansiosamente ver suas coxas gostosas em My Time"

"Segundo round de My Time hoje, só de pensar já estou toda molhada"

Eca. Senti enjoo. Eu sei que Jeon Jungkook é uma figura pública, as pessoas tem o direito de falar o que quiserem dele, mas... por que desse jeito? Para mim ele continuava sendo meu namorado fofo, o homem que colocou uma aliança no meu dedo e disse que quando eu quisesse e estivesse pronta iríamos nos casar. Entretanto, diante dessas situações a sensação que tinha é que nunca estaria pronta. Como eu poderia? Com garotas de todas as idades querendo o devorar. Eu seria esfolada viva e depois queimada em praça pública se nosso namoro fosse divulgado.

Quando a música do seu solo ecoou eu tremi interiormente e se no dia anterior tinha sido ruim pra mim lidar com tudo aquilo, imagina quando vi Jungkook com camisa de oncinha. Eu fiquei incrédula. 

- O que que é isso...? - A pergunta escapou de meus lábios sem que eu quisesse, minha expressão deveria estar péssima, mas felizmente ele não conseguia ver.

Camisa de oncinha, conjunto vermelho com um tie dye preto, cabelos jogados pra trás.

Meu Deus... meu namorado parece um gigolô.

Eu não resisti sem novamente olhar pro monitor que mostrava os comentários, para confirmar o que eu já esperava: as sentenças estavam ainda mais baixas - e em todas as línguas possíveis. Ninguém enaltecendo My Time, ninguém falando sobre seu vocal ou dizendo coisas bonitas para ele. Apenas comentários terríveis sobre seu corpo. Desviei o olhar quando senti meu sangue fervendo. Eu não estava brava com ele, óbvio que o filho da mãe não tem culpa de ser tão lindo, mas estava irritada com a Big Hit, com a equipe de marketing e visual do BTS. Por que tanta sensualidade? Jungkook tem só 24 anos e sua personalidade nem condiz com essa erotização. 

Militei solitária em pensamento. Será que mais alguém quer proteger ele assim como eu?

Depois que tudo acabou, novamente eu fui levada ao camarim, mas desta vez eu não estava animada. Sei lá se foi a TPM que contribuiu ou o que, mas eu realmente me sentia muito irritada e frustrada, mas também doida para transar com ele e lembrar que ele era só meu e que ninguém  nunca - nunca, nunca, nunca - vai sentar nele. Somente eu. Não sou possessiva ou exageradamente ciumenta, mas naquele dia eu estava alterada. Para ajudar, Jungkook se sentia pleno e era elogiado de todos os lados, inclusive não tirava os olhos do celular. 

- Jagi, o Namjoon hyung disse que o Twitter está cheio de posts sobre mim. O army realmente amou meu solo. Eu sabia que iam amar. - Gavou. -  Essa foi a coreografia mais legal que já fizeram pra mim. 

Ah, sério? Desviei o assunto e quando liberados, fomos para a Big Hit. Aparentemente os meninos teriam alguma live ou reunião. Eu não entendi direito e nem me esforcei para entender. Eu só estava ali porque queria meu menino de volta. Queria ir pra casa, levá-lo comigo e fazer ele apagar o fogo que me gerou em todos os sentidos.

- Mari, nós vamos sair para comer alguma coisa antes de irmos pra casa. Os hyungs e eu queremos beber cerveja como sempre fazíamos depois dos shows. 

- Amor. - Reclamei baixo para que ninguém ouvisse. - Pensei que iríamos pro Trimage.

- Não vamos demorar lá, ok? Eu logo chego e prometo que te compenso.

Então eu não era convidada para a jantinha do Bangtan. 

- Tinha entendido que eu iria junto com vocês.

- Ah... - Ele ficou preocupado. - V-você quer? Eu posso falar com os hyungs, mas é que... já jantamos todos juntos ontem, né? - Coçou a nuca.

- Deixa pra lá. Já vou indo, até depois. - Respondi um pouco seca.

Vi que ele tentou segurar meu braço e vir atrás de mim, mas haviam funcionários ali que não me conheciam e não podiam saber sobre nosso namoro, portanto ele desistiu. 

Que droga. Eu estava mesmo enciumada, doida pra marcar território e quando tirei a roupa pra entrar no banho, foi que percebi como eu faria aquilo.

_________________________________________________

Mensagem:

Mariana: What a shame... tô aqui nua e solitária.

Mariana: Ninguém para tocar meu corpo.

Mariana: Aigoo, essa banheira parece tão espaçosa hoje. 

Jungkook: sidsdh

Jungkook: dsygerrrrrr

Jungkook: dftsnfo

Jungkook: khsd

______________________________________________________

Eu comecei a rir e parte da irritação foi embora. Imaginei que ele estava tentando fazer as mensagens indecentes desaparecerem, mas eu resolvi insistir mandando mais um: "Vem logo ou eu tranco a porta do quarto e só abro amanhã".

Não demorou muito e...

- Cheguei! - O ouvi tropeçar e soltar os coturnos pesados no chão de qualquer jeito. 

- Você é muito safado.

- Culpa sua. - Passou seus braços ao redor da minha cintura e tentou colar nosso lábios, mas eu o impedi.

- Culpa sua. - Revidei. - Não devia se exibir tanto nesses shows para o army.

- Ciúme? - Ele riu empolgado.

- Não. Só não gosto que fiquem desejando você e criando fictions eróticas com você.

- Pois eu gosto. - Me provocou. 

- Jungkookie! - O empurrei.

- Mas eu só desejo você. Só desejo você. - Disse rindo e tentando me abraçar novamente.

- Aé? - Respirei o cheiro dele, bem próximo ao seu ouvido.

- Uhum...- Ele suspirou com aquela sensação. Minhas mãos já estavam na barra de seu moletom. - E aquele banho de banheira?

- Você não está merecendo depois de My Time. - Não era isso que quis dizer, mas disse.

- C-como assim? - Se afastou procurando verdade nos meus olhos.

- Ah eu só esperava que fosse diferente... sei lá... talvez mais romântico. - Dei de ombros e tentei o beijar para quebrar aquele assunto, mas dessa vez foi ele que me impediu.

- Você não gostou?

- Jungkook... - Suspirei. 

- Parecia que não tinha gostado muito, mas pensei que fosse algo da minha cabeça. 

- Não é que não gostei. 

- Foi porque eu usei muito o autotune?

- Não.

- Desafinei na parte do...

- Não! - O interrompi. - Você é sempre impecável, amor, eu só esperava que fosse ser diferente.

- Diferente? - Seus olhos mostravam que o mesmo já estava frustrado.

- My Time fala sobre sentimentos tão profundos e aí te mandaram mostrar o abdome malhado? Te fizeram dançar passando as mãos nas coxas, com aquela calça apertada. Aigoo... Eu não esperava isso, mas não importa, ok? Você foi ótimo. 

- É claro que importa. Eu pensei que você ia amar tudo aquilo, como o army.

"Como o army".

- Tudo? - A irritação me tomou. - Aquele figurino de gigolô é meio difícil de engolir. - Não sabia a palavra "gigolô" em coreano por isso disse em inglês mesmo, não sei se ele entendeu, mas pelo meu tom involuntariamente estúpido, ele percebeu que era coisa ruim e fechou o semblante. 

- Mariana! - Me repreendeu. - Não precisa falar desse jeito, é o trabalho d...

- Você que quis saber! - O interrompi. Que que estava acontecendo comigo?

Notei seu olhar magoado e para não ficar mais encarando aquilo, dei meia volta e fui pro quarto já totalmente arrependida de ter falado aquelas coisas. Passaram poucos minutos e ele entrou atrás de mim. 

- Nunca me passou pela cabeça que você não iria gostar. - Falou murcho. 

- D-desculpa... eu só não gosto que sexualizem tanto você. Poxa, Kookie não dava pra ter escolhido uma coreografia a ver com a letra da música? 

-  Eu não escolho.

- Mas poderia ter dito algo, não poderia? 

- Você não entende. - Segurou o choro. - Eu realmente me dediquei muito para isso, dei o meu melhor para a coreografia que fizeram. Aceitei a temática sexy, porque pensei que iria impressionar você. - Para não chorar ele me deu as costas e foi para o banheiro.

- Me perdoa, Jungkook. - Pedi lutando pra empurrar a porta, mas ele foi mais forte a fechando e trancando. - Me perdoa. Eu fiquei morrendo de ciúmes de você. Fiquei doida ao te ver tão lindo no palco, sabendo que estava dividindo aquilo com milhões de pessoas. Eu não gosto da ideia de ter que dividir você, por isso me senti territorialista e frustrada e acabei descontando no seu trabalho. Foi errado. Me perdoa. - Gritei do lado de fora, totalmente decepcionada comigo mesma. 

Ele definitivamente não merecia aqueles comentários.

- Fiquei doida pra transar logo com você, porque precisava me lembrar que você é meu e me ama. - Admiti com medo, pois não ouvia resposta alguma. - Que droga... - Suspirei baixo e me afastei ao ouvir o barulho da banheira sendo ligada. 

Entretanto, o estalo da porta se abrindo me fez me virar rapidamente.

- Eu fiquei bravo, mas já passou. - Fui em sua direção quando o ouvi falar aquilo e imediatamente fui recebida nos seus braços fortes. 

Nos beijamos com paixão e minha mente viajou lembrando que o gostoso tatuado ali dançava extremamente bem, tinha vocais impecáveis, era conhecido mundialmente, mas ainda assim era meu e se importava tanto com o que eu pensava. 

- Ainda tá afim daquele banho?

- E te tocar? Aish... mas é claro. - Respondeu meio rouco. 

Insinuei um beijo, mas me retirei antes que meus lábios tocassem os de Jungkook, o deixando com a boca entreaberta e cheia de expectativa. 

- Então vamos! - O chamei.

Quando terminei de me despir, entrei na banheira e deixei que a água morna escondesse parcialmente meu corpo, deixando apenas meus seios de fora. O mais novo ainda se despia, sem conseguir esconder o quanto sua ereção já estava evidente. Fiquei o observando até que ele adentrou no mesmo espaço que eu querendo se aproximar de mim entre minhas pernas. O freei e do jeito que deu, inverti o lado com ele. Assim que ele encostou as costas na parede da banheira, eu subi em seu colo e então iniciei um beijo lento e intenso. Aos poucos desprendi da boca do coreano e desci até seu peito e por fim, abocanhei o mamilo esquerdo. Jungkook é muito sensível nessa região, por isso fiz questão de o sugar enquanto o olhava, desejosa por ver sua reação. 

- Mariana, não... - Arfou, tentando me afastar.

Eu continuei beijando o mamilo esquerdo e depois o direito.  Ficamos nos encarando, aquilo definitivamente estava o deixando louco e saber disso só aumentava minha libido.

Quando a água já chegava até quase a altura dos nossos peitos, eu a desliguei. Em seguida, Jungkook me puxou pelas coxas para cima do seu membro teso e deslizando com seus dedos pelas minhas nádegas ele me direcionou até que eu o colocasse dentro de mim. 

- Ah... - Imediatamente gemeu se apoiando completamente na parede de porcelanato atrás dele, inclinando a cabeça e deixando seu pescoço livre pra que eu o beijasse.  

Depois que ele começou a me estimular com os dedos, eu não resisti por muito tempo e gozei. O agarrei com tanta força, durante o orgasmo que só depois temi ter deixado marcas em sua pele macia e exposta. JK não pareceu ter sentido, porque me conduzia apressado para que mudássemos as posições. Estava ofegante e desesperado para me penetrar novamente e embora eu quisesse isso, me levantei e o puxei pela mão para que sentasse na borda da banheira e assim, me ajoelhei na sua frente o vendo suspirar satisfeito ao perceber o que estava prestes a ganhar. 

- Relaxa, it's my time...

Seu olhar demonstrava o quanto estava sedento e eu estava feliz, porque aquela  performance era exclusivamente minha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Eita!
Acho que essa versão estressadinha-possessiva da Mari ninguém tinha visto ainda, né?

Mais alguém teve sentimentos parecidos com os dela em relação a My Time no Map of The Soul: ON:E? Ou vocês eram as army escrevendo "JK me come" lá na live? Ein? Suas safadas!

kkkkkkk

Comentem, porque é sempre legal interagir!
Beijinhos e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...