História Eu Cuido De Você (Kaisoo-Revisando aos poucos) - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinki Lee (Onew), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Taehyung (V), Lu Han, Minho Choi, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Taemin Lee, Xiumin
Tags 2min, Chanbaek, Hunhan, Idesign, Jikook, Kaisoo, Xiuchen
Visualizações 523
Palavras 2.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoal! Como vão?
Antes de mais nada, gostaria de pedir perdão a duas pessoas, quais eu anotei as datas de aniversário erradas: @misaki401 e @Park_SooHyo.

A dx @misaki401 era dia 22/07, mas eu marquei dia 22 desse mês.
A dx @Park_SooHyo era dia 12/05, mas eu marquei dia 12/10. Peço perdão por esse erro e gostaria de saber se vocês ainda aceitariam a oneshot, mesmo atrasada. Espero que sim! Mas só irei escrever se vocês forem ler, afinal, é o presente de vocês.

Eu gostei desse capítulo, está fofo! Fiquei feliz. Espero que gostem também! ^-^

Desculpem os erros.
Boa Leitura ❤

Capítulo 34 - Capítulo 32


Pov Jongin 


Eu estava no quarto do meu pai, enquanto velava seu sono. Após a cena que vi mais cedo, não consegui mais deixá-lo sozinho. Eu estava me sentindo cansado e era realmente incrível como momentos felizes podiam se transformar em dores, em um piscar de olhos.  Mas eu já estava me acostumando à essas reviravoltas. Afinal, nem mesmo nos contos de fadas a vida é perfeita.

Suspirei, me lembrando de que havia deixado o meu namorado totalmente preocupado, me esperando no andar de baixo. Dei uma última olhada em meu pai, antes de levantar e sair do quarto. Mal cheguei ao último degrau e fui presenteado por um abraço apertado, vindo do meu pequeno.

– Como se sente? – sua voz saiu abafada e o meu coração se derreteu com seu tom manhoso. Retribui seu abraço, mas logo passei meus braços em torno de suas pernas e o peguei no colo, sorrindo largo ao escutá-lo gritar. – J-Jongin!

– Eu estou bem, amor. Mas, sabe, não é todos os dias que se vê o nariz do seu pai sangrar. É tudo muito… tenso. – nos guiei até o sofá e me sentei com ele em meu colo. Fiquei um pouco frustrado ao ver que ele usava uma calça de moletom, mas tentei não demonstrar.

– Oh, eu entendo… Mas você tem que ser forte por ele. – olhou em meus olhos e jurei poder ter visto admiração através de seu olhar. – Eu nunca te disse isso, mas você é o meu herói, Jongin. – confesso que fiquei confuso ao escutá-lo, mas também me senti extremamente bobo com suas palavras. – Você não deve se lembrar, mas você já pegou centenas de livros para mim, pois eu nunca conseguia alcançá-los. Isso foi no começo do ano, antes de eu ser taxado como “estranho” pelas pessoas.

Meus pensamentos vagaram por entre suas palavras e, de repente, a figura de um garoto baixinho ao meu lado, enquanto eu o entregava um livro, dominou a minha mente.

– Era você… – Kyungsoo sorriu concordando, quase me fazendo morrer de amores com tamanha fofura. – Caramba, era você! – eu realmente estava embasbacado com aquela descoberta, afinal, o meu baixinho esteve ao meu alcance há tempos e eu nem sequer havia o visto. – Mas você sumiu depois de um tempo. Apesar de não ter reparado em seu rosto, eu estava sempre voltando à biblioteca para ver se o garoto baixinho iria precisar de livros novamente.

– Ah, sobre isso… Bom, os livros eram para um trabalho em grupo, então depois que acabei não precisei mais deles. – Kyungsoo pareceu estar hesitante ao dizer-me aquilo e isso me incomodou, mas resolvi não insistir. Se tivesse outras coisas para me contar, sei que ele diria, mas irei procurar não pressioná-lo.

Ao invés de questioná-lo, eu apenas o ofereci um sorriso radiante, antes de beijá-lo. Suas pequenas mãos tocaram as minhas com delicadeza e ele entrelaçou nossos dedos, começando a brincar com os mesmos e acabar me fazendo rir entre o beijo.

– Nem acredito que o homem da minha vida esteve debaixo dos meus olhos o tempo inteiro e eu não o vi. Puta merda, eu sou muito lerdo! Agora irei ficar indignado comigo mesmo pelo resto da vida. – meu pequeno gargalhou alto, contagiando tudo à sua volta e fazendo com que eu me apaixonasse ainda mais pelo seu jeitinho.

– Não se culpe, pelo menos eu irei estar ao seu lado pelo resto da vida, né? – meus olhos brilharam em sua direção e eu sabia que estava parecendo um bobo. Kyungsoo sabia como acabar comigo, da forma mais amável possível.

– Sim. Felizmente, pelo resto da vida. 


Pov Narrador 

(Segunda de manhã) 


Baekhyun estava parado em frente a entrada do colégio, esperando pelos amigos e totalmente ansioso para contá-los sobre a noite qual tivera com Chanyeol.

O mesmo não havia vindo para a escola, pois foi fazer uma visita à irmã, que estava doente. Baekhyun queria ter ido para ver Hani também, mas sua tia não o deixou faltar.

Suspirou, se sentindo impaciente com a demora do amigos, mas sorrindo largamente assim que de longe avistou Taehyung chegar, distraído e com fones no ouvido. Pegou impulso e correu até ele, pulando em seu colo e quase os levando ao chão.

– Tae! – exclamou contente, gargalhando alto ao escutá-lo resmungar.

– Eu juro, se você tiver estragado o meu foninho, será um homem morto. – Taehyung se afastou, apenas para que pudesse testá-lo, suspirando aliviado ao ver que ainda pegava os dois lados. – Você está a salvo, sorte a sua!

– Sem drama, amorzão. Hoje eu estou pura alegria e nem as suas ameaças assassinas irão estragar isso. – o mais alto o olhou de canto dos olhos, segurando uma risada na garganta ao perceber a maneira como ele andava.

– Hum, acho que já sei o motivo… E se você continuar andando dessa forma, sem nem tentar disfarçar, toda a escola também saberá. – Baekhyun arregalou os olhos, sentindo as suas bochechas esquentarem ao entender o que ele quis dizer.

– S-Sério? O que eu devo f-fazer? – involuntariamente, levou ambas as mãos até a bunda e tentou escondê-la, o que só fez com que o outro risse de sua tentativa frustrada.

– Nada. Só vamos procurar nos sentar depressa, antes que chegue mais gente. – Taehyung o ofereceu o braço e Baekhyun entrelaçou o seu ao dele, ambos começando a caminhar rapidamente, mas parando no meio do caminho ao verem Luhan se aproximando junto de um Sehun sonolento.

– Olá, meus principezinhos, tudo tranquilo? – Luhan os cumprimentou de forma animada, diferente do namorado, que apenas acenou com a mão enquanto bocejava.

– Tudo sim, minha bonequinha de porcelana. Mas o Sehun parece que vai desmaiar a qualquer momento. – Taehyung riu de sua expressão, vendo-o mal conseguir manter os olhos abertos.

– Pergunte a esse serzinho aqui, que não me deixou dormir direito. – Sehun se referiu ao namorado, que o abraçou de lado e beijou seus lábios.

– Vou fingir que não pensei besteira e irei seguir o meu caminho. Ah! Parem de falar no diminutivo, vocês ficam muito… “Inho inho”. – Baekhyun disse e ficou confuso com as suas próprias palavras, ignorando as mesmas assim que uma certa pessoa chamou a sua atenção. – Olhem só, parece que a “noivinha” do Jongin voltou.

Os outros três direcionaram o olhar até a mesma e Luhan torceu o nariz ao vê-la, se lembrando de seu plano rapidamente e recebendo um sorriso maldoso de Sehun, que também tivera os mesmos pensamentos que si.

– Hoje tem jogo, não é? – perguntou e todos concordaram de forma confusa, enquanto tentavam entender o que uma coisa tinha a ver com a outra. – Eu preciso da ajuda de vocês com uma coisa.

Baekhyun e Taehyung se entreolharam e o último citado soltou uma risada soprada ao se lembrar das condições do amigo. Luhan não entendera o motivo de sua risada e nem dos olhos arregalados de Baekhyun, mas tinha que admitir que sentiu uma pontada de ciúmes ao observá-los.

– L-Luhan, você está muito exaltado. P-Podemos procurar um lugar para nos sentar? – Baekhyun gaguejou e o deixou ainda mais confuso, enquanto via Taehyung se acabar em gargalhadas.


                            ∞


Taemin corria desesperado enquanto tinha uma torrada na boca e a mochila nas costas. Estava atrasado para o colégio e torcia para que o seu namorado não tivesse ido sem ele.

Passou por algumas senhoras que caminhavam como se a calçada fosse delas e quase esbarrou nas mesmas. Aumentou a velocidade de sua corrida e por pouco não tropeçou.

Encontrou justamente quem queria e a torrada em seu boca, deu-se lugar a um grandioso sorriso. Taemin aproveitou de que o outro estava de costas e pulou nas mesmas, sendo segurado firmemente, enquanto começava a ser rodado.

– Minho, você vai me deixar cair! – exclamou alarmado, sentindo um friozinho na barriga, qual o fez querer vomitar. – Minho!

– Tá. Já parei. – parou de gira-lo e o colocou no chão, tendo-o de frente para si e o beijando com delicadeza. – Bom dia, namorado! – Taemin ficou sem jeito ao receber um adorável sorriso e abaixou a cabeça timidamente.

– Bom dia, seu idiota. – ignorou o seu constrangimento e se mostrou sério, passando pelo mais velho e esbarrando em seu ombro propositalmente.

– Uou! É assim que se trata o homem da sua vida? – Minho fez drama e correu para alcançá-lo, entrelaçando suas mãos logo em seguida.

– Quanta ilusão, meu caro. Você não é tudo isso. – segurou uma risada na garganta ao vê-lo o olhar de forma indignada e se aproximou mais, deixando um beijo em seu ombro.

– Só por causa disso eu vou comer a sua torrada. – Minho pegou a torrada de sua mão e enfiou tudo na boca, ficando extremamente fofo aos olhos do mais novo, que tentou repreendê-lo, mas não conseguiu.

–  Morto de fome. Nem parece que desperdiça comida em casa. – brincou o menor e recebeu um leve empurrão. – Ei, amor, sabe que hoje tem jogo, não é? – perguntou e o mais velho concordou. – Sabe também que é hoje que você vai virar homenzinho e vai pedir desculpas para o Jongin, não é?

Minho revirou os olhos e virou o rosto para o lado oposto do namorado, apenas erguendo o polegar em sua direção e terminando de engolir a torrada. Taemin suspirou e balançou a cabeça em negação, sorrindo minimamente para o falso desinteresse que o mais velho demonstrava em relação ao assunto.

– Eu irei pedir desculpas à ele, Taemin, não precisa ficar me lembrando. Será algo natural, amor. Se você ficar falando sobre isso o tempo todo, eu irei me sentir pressionado e na hora não parecerei sincero. – o menor dobrou o tamanho de seu sorriso, se sentindo orgulhoso do garoto ao seu lado.

– Certo, certo, meu docinho de abóbora. Eu… – Taemin foi interrompido e gargalhou alto ao escutar as palavras do namorado.

– “Meu docinho de abóbora”? É sério isso? Meu Deus! Vamos terminar, cara. Agora. – Minho, realmente, pareceu estar indignado. Sentia-se extremamente constrangido pelo novo apelido e esperava que o menor nunca mais o usasse. – Sério, eu estou muito perplexo.

Taemin, por outro lado, só sabia rir.  Abraçou o namorado de lado, de modo desajeitado, e apoiou a cabeça em seu ombro enquanto ambos começavam a caminhar desengonçadamente, até que estivessem, finalmente, em frente ao colégio.


Pov Chanyeol


– Vamos lá, Hani, abra a boca e tome esse remédio. – estava tentando não me irritar com a minha irmã, mas estava sendo impossível.

– Não, não e não. Você não pode me obrigar! – Hani se escondeu entre as cobertas e eu revirei os olhos para a sua pirraça desnecessário. Ela estava doente, não era nada grave, mas precisava tomar remédio para que melhorasse um pouco mais. Só que ela não colabora comigo e isso vai acabar me fazendo ficar em sua casa bem mais do que o necessário.

– Certo, fique aí então. – parei de insistir e a deixei sozinha.

Eu e Hani somos irmãos, filhos da mesma mãe, mas não do mesmo pai. Eu estava em sua casa, no momento. A esposa do pai dela havia me ligado mais cedo, dizendo que ela estava doente e que queria que fosse eu quem cuidasse dela. Sei que Hani só estava fazendo drama, mas eu não perderia essa oportunidade de passarmos um tempo juntos, depois de tantos dias sem vê-la.

A casa estava silenciosa. Me acomodei em um dos sofás da sala e liguei a televisão, procurando por algo que me mantivesse distraído, mas não encontrando nada que prendesse o meu interesse. De repente a imagem de Baekhyun surgiu em minha mente, assim que vi o comercial de seu desenho favorito.

A noite passada havia sido a melhor da minha vida. Eu ainda podia sentir o seu corpo sobre o meu, enquanto as minhas mãos o tocavam com firmeza. Não era um bom momento para se ter tais pensamentos, mas eu não conseguia e nem queria evitar.

– Não! Sua irmã está em casa, seu idiota! – me repreendi ao que senti vontade de me tocar e tratei logo de pensar em algo que me fizesse esquecer de minhas vontades.

Acabei me assustando ao escutar o meu celular tocar e me apressei em procurá-lo, torcendo para que fosse o Baekhyun quem estivesse mandando mensagem. E, para a minha total alegria, era sim o meu baixinho escandaloso.


Byun♡: Bom dia. Estou passando para lhe desejar uma abençoada semana. Quero dizê-lo o quanto é especial para mim, você está guardado no meu coração. Bom dia, tenha um ótimo dia.


Talvez eu fosse muito bobo, pois ao ler aquela mensagem eu quase morri de tanto rir. Baekhyun estava cheio dessas ultimamente, ele me mandava frases de bom dia com imagens ou então escrevia algo por si mesmo. Me lembrava uma de minhas tias, pois era ela quem tinha esse costume. Sabia que ele fazia para me irritar, mas tudo o que suas mensagens causavam em mim eram sorrisos e gargalhadas.


Mensagem:

Bom dia, seu enjoado. Preste atenção na aula e pare de me amolar. <3


Coloquei um coraçãozinho para aliviar um pouco, pois sabia que Baekhyun iria fazer um tremendo drama. Mal enviei a mensagem e já recebi sua resposta, o que me fez rir novamente:


Byun♡: Seu cavalo, trate direito o seu homem! Quanta ignorância. Eu fui tão gentil com você. Vou te ignorar pelo resto da vida, babacão.


Mensagem:

O quê você quer?


Eu amo irritar o Baekhyun. Ele fica extremamente adorável quando está bravo e mesmo que eu não possa vê-lo, consigo imaginá-lo perfeitamente.


Byun♡: Poxa, Chanyeol, eu sou o seu namoradinho, cara. Me dá carinho, seu filho da puta! 

Byun♡: Com todo respeito à senhora minha sogra.


Suspirei, revirando os olhos e sorrindo minimamente ao me ver tão babão por aquele menino, mesmo ele estando fora do alcance dos meus olhos.


Mensagem:

Tá bom, meu amorzão que eu amo mais que a comida da sua tia, fala o que você quer? 


Byun♡: Agora está melhor, assim que eu gosto.

Byun♡: Como a Hani está?


Menssagem:

Ela está melhorando, mas não quer tomar o remédio.


Byun♡: Quem será que ela deve ter puxado, em…


Mensagem:

Quieto.


Byun♡: RUDE!


Mensagem:

NÃO COMEÇA COM O CAPSLOCK NÃO, SEU RIDÍCULO.


Byun♡: PARA DE ME MALTRATAR, SEU PÉ DE FEIJÃO!


Mensagem:

Tá bom, vida, acabou a choradeira.

Mensagem:

Sério, fala o que você quer, amor. Eu tenho que ir ver como a Hani está.


Byun♡: Ok. Preciso que você venha para o colégio depois que as aulas acabarem. Hoje tem jogo e o Luhan irá precisar da nossa ajuda para algo importante. Ele quer oferecer algo à “noiva” do Jongin.


Suspirei, já me sentindo entediado. Esses meus amigos, só Deus na causa! Bando de Maria-barraca.


Notas Finais


Já tenho o próximo capítulo pronto, mas só irei posta-lo mais tarde ou amanhã. Espero que tenham gostado!

Até mais! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...