1. Spirit Fanfics >
  2. Eu e você. Hoje, amanhã e sempre >
  3. Esse é o seu jeito de ser- Parte 02

História Eu e você. Hoje, amanhã e sempre - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Esse é o seu jeito de ser- Parte 02


Fanfic / Fanfiction Eu e você. Hoje, amanhã e sempre - Capítulo 7 - Esse é o seu jeito de ser- Parte 02

Capítulo 07: Esse é o seu jeito de ser - Parte 02

 

Narração do ponto de vista de Zoro.

Acordamos quando Usopp apareceu trazendo um barril de óleo, já perto do amanhecer. Nami chegou pouco depois e com todos reunidos, ouvimos novamente sobre os planos de Usopp, enquanto ele derramava o barril de óleo na ladeira e nos explicava os detalhes sobre sua armadilha.

Após a explicação veio a espera pelos piratas. O anoitecer foi-se embora enquanto presenciamos o nascer do sol, mas os invasores ainda não haviam chegado. Durante nossa conversa acabamos por descobrir que havia outra ladeira no lado oposto da ilha e que era por lá que eles iriam atacar. Agora precisávamos correr ou não chegaríamos a tempo de salvar a vila.

Luffy foi o primeiro a partir, logo depois foi Usopp e eu ia logo em seguida, mas Nami escorregou no óleo que tínhamos deixado ali como armadilha e acabou me puxando junto com ela. Se só isso não fosse motivo o suficiente para me deixar irritado, ela ainda passou por cima de mim e saiu do óleo, deixando-me para trás. Ah! Que raiva!

Tentei subir e tentei novamente, foram diversas tentativas que resultaram em fracassos, até que eu finalmente consegui sair dali enquanto usava minhas espadas de apoio para não escorregar no óleo. Livre daquela ladeira, corri em linha reta, para que pudesse chegar até onde a batalha estava acontecendo. Enquanto corria, pela trilha em meio as árvores, Luffy surgiu do nada e nós nos chocamos, ele caiu em cima de mim.

— Zoro? O que está fazendo aqui? — perguntou confuso, ao levantar seu rosto e ver em cima de quem estava.

— Eu que pergunto isso?! Você não tinha saído primeiro, por que está aqui? — perguntei me levantando enquanto ele fazia o mesmo.

— Que estranho... Eu tinha certeza de que estava indo para o Norte — comentou enquanto olhava ao redor, com a mão sobre seu chapéu e aquela expressão muitas vezes infantil em seu rosto.

— Norte? E para onde é isso? — perguntei enquanto também olhava ao redor. — Espera! Não temos tempo para conversar, precisamos nos apressar! — disse-lhe ao lembrar que Nami e Usopp tinham ido para a batalha. Aqueles dois eram praticamente indefesos.

— Isso! Eu preciso ir — disse-me enquanto seguia na mesma direção em que apareceu. Eu não sabia se devia segui-lo ou não, então acabei escolhendo outro caminho. 

Nem um de nós sabia para onde ir, então era melhor arriscar em dois caminhos diferentes, assim ao menos um de nós poderia chegar até o lugar esperado... Mas não deu certo. Depois de acabar em um precipício, voltar e acabar na ladeira com o óleo outra vez e seguir novamente para a floresta, acabei mais uma vez me encontrando com Luffy. Dessa vez fui eu quem trombou com ele e novamente ambos fomos parar no chão.

— Zoro? Por que te encontrei de novo?

— Eu também queria saber a resposta — disse-lhe enquanto me levantava de cima dele e oferecia a minha mão para ajudá-lo a levantar. Já de pé e de frente um para o outro, Luffy ficou me encarando.

— O quê?

— Zoro, seu senso de direção é horrível — disse-me seriamente.

— Não quero ouvir isso de você! — retruquei enquanto puxava suas bochechas em repreensão, fazendo-o rir.

— ... Essa não é a melhor hora para rir. Para onde devemos ir? — questionou olhando ao redor com preocupação.

— Vamos cada um apontar uma direção — sugeri e ele concordou com um aceno de cabeça. — Um... Dois... Três! — Quando terminei, eu apontei para atrás dele e ele apontou para atrás de mim.

— Mais uma vez. Um... Dois... Três!— Dessa vez nós dois apontamos para a minha esquerda. — Ótimo. Nós escolhemos três caminhos de quatro disponíveis. Então deve ser o que não escolhemos — disse a ele depois de perceber que estávamos completamente perdidos e que não tínhamos um bom senso de direção... Apesar de eu não querer admitir isso.

— Boa, Zoro! — elogiou o meu Capitão, rindo da minha lógica, se aproximando de mim e me dando um beijo na bochecha pouco antes de sair correndo naquela direção que não foi escolhida por nem um de nós. 

Fiquei estático por alguns segundos, até que ouvi a voz dele me chamando e corri em sua direção. Aquela não era a melhor hora para pensar em algo tão aleatório quanto as estranhezas do meu Capitão, era a hora de batalhar, por isso balancei a cabeça em negação para esquecer o que tinha acontecido e peguei a minha bandana no braço enquanto corria com ele.

— Estou vendo! Droga, eles já estão saindo da ladeira, mais um pouco e teríamos chegado tarde — disse Luffy ao meu lado, com visível aborrecimento. Ao seguir seu olhar, vi Usopp e Nami, e ao ver a navegadora lembrei do que ela havia feito comigo.

Entramos na briga bem em tempo de impedir que os piratas seguissem para a vila e com isso se iniciou a nossa luta. E as estranhezas também começaram logo a seguir, quando aquele hipnotizador que tínhamos visto antes, hipnotizou todos os seus homens para ficarem mais fortes...

Sim, isso foi estranho. Mas não tanto quanto Luffy também ter sido afetado pelo hipnotizador! Por um momento eu fiquei chocado e com raiva por ele ter se deixado hipnotizar, mas... a minha raiva tornou-se diversão ao ver aquele monte de piratas correndo de medo de Luffy e depois virou surpresa, quando vi meu Capitão destruir parte do navio deles com as próprias mãos.

Não demorou muito e Luffy foi outra vez hipnotizado, dessa vez acabou dormindo e foi esmagado pelo pedaço do navio que havia arrancado. Não me preocupei com ele, pois conhecia bem a força do meu Capitão e sabia que algo como aquilo jamais iria matá-lo. Na verdade estava mais preocupado comigo mesmo, pois logo apareceram dois piratas que seriam os meus adversários, mais dois esquisitos.

Por que era sempre eu que tinha que enfrentar os esquisitões!?

Já no início da luta me descuidei e acabei perdendo minhas espadas, se isso já não fosse humilhante o bastante, ainda fui preso e quase tive a minha cabeça esmagada. Por um momento fiquei preocupado, e minhas preocupações só aumentaram quando Usopp tentou interferir na luta. Tive que me ferir para protegê-los e isso dificultou ainda mais a minha batalha, pois sem as três espadas eu não podia usar toda a minha força e minhas habilidades.

Quando o mordomo apareceu, tive um motivo a mais para ficar preocupado, porém consegui minhas espadas de volta graças a Nami e isso foi ótimo. Mesmo que estivesse zangado com ela por causa do óleo, até mesmo lhe agradeci pela ajuda, pois ela literalmente me tirou de uma grande encrenca.

Nami correu na direção de Luffy e outra vez fiquei preocupado... era o dia das preocupações, agora com nossa navegadora que tinha virado alvo do hipnotizador por estar tentando alcançar Luffy e acordá-lo. Gritei para ela se abaixar e quase foi tarde demais, por sorte Luffy se levantou e foi acertado no lugar dela... Afinal, era o Luffy. Aquilo não seria nada para ele.

Com meu Capitão desperto, a situação estava a nossa favor, embora o capitão pirata disfarçado de mordomo não pensasse assim. Ele agia e falava como alguém invencível e suas palavras quando falava da vida de outros, era de depreciação. Durante seu discurso sobre o planejamento de assassinato da garota rica e sobre como ele detestava aquela vila e queria todos mortos, mantive meus olhos em Luffy e vi sua expressão tornar-se raivosa pouco a pouco, o que me surpreendeu.

Mesmo que só fizessem alguns dias que eu estivesse ao seu lado, eu podia facilmente perceber que ele não era do tipo de pessoa que se irritava com facilidade. Por outro lado também sabia que ele se importava muito com a vida de pessoas inocentes, mesmo que fossem desconhecidos. Eu podia compreender aquela raiva, mesmo que ainda assim estivesse surpreso com ela.

Sabia que não ia demorar muito até Luffy agir e como o esperado, segundo depois vi seu braço ser esticado na direção do mordomo, acertando-lhe um soco. Apenas sorri discretamente pelo meu Capitão e seu modo de agir, que mesmo estranho, era para mim o mais certo e o qual eu estava começando a ficar feliz em seguir.

O mordomo continuou seu discurso de ódio e tudo só piorou quando a garota rica e os três pirralhos apareceram. Tudo aconteceu muito rápido e logo os quatro haviam fugido, e por mais que Usopp quisesse ir atrás deles, ele não conseguia mais andar. O mordomo riu de Usopp, assim como os demais e Luffy não gostou de nada disso.

Liffy começou a andar, ele nada fez além de andar, mas sua aura me dizia que ele não queria mais ouvir aquilo e que ia fazer algo para que o mordomo se calasse. Tratei de abrir caminho para ele passar e derrotei o inimigo hipnotizado contra quem estava lutando o mais rápido possível.

Encerrei minha luta e guardei minhas espadas. Meu Capitão estava irritado e assim que percebi isso, decidi que deveria sair dali. Luffy se encarregaria daquele mordomo pirata, então eu deveria garantir que vidas inocentes não fossem perdidas, assim teríamos cumprido com nosso objetivo.

Eu iria salvar a garota e as crianças. Após tomar essa decisão, lembrei-me que fiquei perdido na floresta e rapidamente tomei a decisão de levar Usopp comigo, ele seria útil em me guiar e estaria longe do campo de batalha. Sem Usopp por perto, Luffy poderia se concentrar apenas em lutar e não precisaria se preocupar em proteger a vida daquele nosso jovem amigo.

Minha decisão já estava tomada e já havia pegado Usopp e colocado-o sobre meus ombros, ainda assim não parti sem a permissão dele. Pedi permissão ao Capitão e só após receber uma resposta afirmativa é que iniciei a minha retirada do campo de batalha.

Passei ao lado do mordomo e mesmo sendo ameaçado, não parei de andar, pois Luffy me disse para ir. Apenas segui em frente, sabendo que não precisava me preocupar em ser atacado pelas costas, pois ele estava ali...

Assim como eu sabia que quando eu voltasse, tudo já estaria acabado, pois ele era assim... Estranho, muito estranho, mas confiável e persistente. Era o meu Capitão.


Notas Finais


Até mais.
:-)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...