1. Spirit Fanfics >
  2. Eu estou sonhando? Eu estou em haikyuu. >
  3. Capítulo 03 -Reencontro-

História Eu estou sonhando? Eu estou em haikyuu. - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo 03 -Reencontro-


Depois de um tempo eu me solto do abraço dele, e fico de pé na sua frente, eu ajeitei o meu cabelo para trás, batendo a mão na roupa olhando para ele, que ajeitou os seus óculos, eu podia jurar que o seu rosto estava corado. 

"Desculpa, foi muito do nada, mas eu precisava tentar." Eu disse rindo de tanto nervosa que eu estava. Ele estava me olhando com aquele olhar sério, e eu sorri olhando para ele. 
"Vem entra." Ele disse me puxando para dentro da casa dele, ele sorriu me entregando uma toalha para que eu pudesse me secar.
"Eu vou ter que conviver com você em duas formas, eu basicamente não sei nada sobre você nessa forma." 
"Você vai descobrindo." Eu disse rindo tirando os sapatos, e ele me leva novamente para o seu quarto. 
"Como você conseguiu voltar, e por que demorou tanto?" 
"Eu não sei como, mas eu demorei por que eu não estava conseguindo." Eu disse sorrindo olhando para ele, e eu logo sentei na sua cama, jogando o meu cabelo para trás enquanto eu olhava para ele. 

Ele sorriu olhando para mim, enquanto ele tirou o seu headphone da cama, deixando ele em cima da mesa de cabeceira, ele abriu uma gaveta jogando um fone sem fio, para mim. 

"Você podia fazer um tour para mim." Eu disse sorrindo deitando na cama olhando para ele sorrindo.
"Nem ferrando."
"Você é tão fofo as vezes." Eu choraminguei olhando para ele. "Você podia não é."
"No sábado." Ele disse virando o olhar. 
"Obrigada." Eu disse empolgada olhando para ele. "Eu não avisei que eu estava saindo, eu acho que eu tenho que voltar." 
"Eu te levo lá, por que eu acho que você não sabe voltar." Ele disse rindo me olhando. 
"Você é tão idiota." Eu disse empurrando ele. "Mas não esta errado, eu não sei voltar." Eu disse com um sorriso envergonhado. 

Ele levantou da cama me acompanhando até em casa. "Vê se decora o seu endereço." 
"Eu não quero dormir novamente." Eu disse com um sorriso um pouco forçado. "Eu ainda não sei como eu posso vir para cá, se eu dormir eu posso não conseguir voltar." Eu disse me afastando um pouco dele. 
"Então se você for embora, e acabar voltando eu te levo para dar uma volta pela cidade no dia em que você voltar."
"Tem certeza?" 
"Tenho."
"Tchau quatro olhos."
"Até amanhã eu acho, você vai para aula não vai?"
"Se eu ainda estiver aqui." Eu disse sorrindo olhando para ele. "Afinal que dia é hoje?" 
"Quinta." 
"Espera, não era para você estar no clube de vôlei agora?" 
"Podemos dizer, que eu tinha algumas coisas importantes para fazer."
"Não vai me dizer o que é?" 
"Não."
"Ótimo, tchau quatro olhos." Eu suspirei olhando para ele, que apenas deu aquele sorriso sádico de sempre, concordando com a cabeça, saindo, eu entrei no quarto olhando de uma forma mais específica o e meu quarto, eu olho para as prateleiras a cima da minha escrivaninha, tinha algumas fotos com Tsukishima e Yamaguchi, uns livros de fantasia e romance junto com um livro sobre chás. 

"Talvez essa Kaguya não seja tão diferente de mim." Eu disse no momento em que eu vi um teclado, eu abri minhas gavetas vendo o estilo de roupas, era umas roupas mais neutras. 

O estilo tudo, era como se fosse realmente eu, mas o meu eu que conseguiu deixar as coisas do jeito que eu queria. Eu deitei na minha cama enquanto eu vi um celular na cabeceira, provavelmente era meu. Eu peguei ele empolgada, acendo a tela até que eu vejo o boqueio de tela, eu Yamaguchi e Tsukishima, eu estava deitada com a cabeça no peitoral do loiro enquanto Yams estava perto do meu peito para que eu fizesse trança em seu cabelo, e bom nenhum de nos poderia ter tirado aquela foto, então tinha outra pessoa ali. 

Na tentativa de desbloquear o meu celular eu descubro que eu não sei a minha própria senha, não tinha nem como eu ligar para Tsukishima, afinal eu não sabia o seu número. E lá vai eu vasculhar o meu quarto. Eu olhei em todos os meus livros e cadernos procurando alguma coisa. 

"Filha? Naomi, eu não coloquei comida para a gata, você coloca tudo bem? Sua mãe não chega hoje, ela também esta de plantão, e eu tenho que ir para o plantão, parece que naquele hospital só tem incompetentes." Esse seria o meu pai? Um homem alto de cabelos loiros e olhos verdes com a barba por fazer. Ele entrou no quarto me olhando no chão junto com toda a minha bagunça. "O que tá acontecendo?"
"Eu só não lembro a minha senha do celular, e eu acho que eu tenho o número do Tsukishima em algum lugar, ele sabe minha senha." Sabe? Eu não sabia se ele sabia ou não, mas eu não tinha para quem mais pedir ajuda.
"Eu acho que temos o número dele naquele caderninho na cozinha, ah e tem dinheiro no lugar de sempre, e bom tenta dormir garotinha da insônia." 

"Claro." Eu disse sorrindo guardando as coisas ele saio e quando eu terminei eu fui correndo para a cozinha procurar o tal livrinho, eu achei o número de Tsukishima, eu sentei na bancada pegando o telefone fixo discando o seu número. Enquanto ele não atendia eu tentava pensar onde poderia ser o lugar do dinheiro.

Não demorou muito para que alguém atendesse, uma voz doce e macia, eu reconhecia, era a voz da mãe dele. 

"Sra. Tsukishima, boa tarde."
"Boa tarde Kaguya alguma coisa de errado?"
"Não, eu só precisava falar com Kei." 
"Um minuto meu amor." Ela disse com um tom de voz alegre enquanto eu ainda estava esperando Tsuki.
"Kaguya? O que você quer." 
"Eu preciso de um favor." 
"Você esta sempre precisando." Ele disse com um tom sádico.
"Eu não sei a senha do meu celular, e eu acho que você sabe."
"Eu sei."
"Ótimo, e tem outro favor." 
"O que é." 
"Eu não quero dormir só, e eu preciso de ajuda aqui, e eu pensei como eu ia para a sua casa você deveria vir na minha."
"Mais algum favor princesinha." Palavras meigas que saiam da sua boca de uma forma tão sádica.
"Não." 
"Kaguya eu não vou..."
"Por favor, eu não consigo fazer nada aqui, eu estou perdida."
"Eu chego em meia hora." Ele disse e desligou o telefone, eu dei um pulo da bancada indo procurar onde guardávamos a ração da gata. 

Eu procurei e logo achei, e indo para a sala eu achei a gata, eu me aproximei sorridente, afinal eu amo gatos, e passei a mão na gata preta, que estranhou afastando um pouco, mas logo se aconchegou em mim. Eu sorri olhando a plaquinha, achando o nome Lua. 

"Que linda, Lua, um belo nome, deve ter sido eu quem escolheu." Eu disse rindo caminhando para o lado onde eu tinha visto o pote de ração. 

Eu sentei no sofá esperando Kei, enquanto eu olhava para a minha gata comendo. E passado meia hora ele realmente tinha chego, que menino pontual. Quando eu o ouvi tocar a campainha eu levantei do sofá correndo abrindo a porta olhando para ele, que estava faltando me fuzilar com o olhar. 

"Ah qual é? Não é tão ruim." Eu disse rindo olhando para ele, enquanto ele entrava tirando os sapatos. "Eu sou tão chata assim." 
"Primeiro sim é horrível, e segundo tá chovendo lá fora." 
"Eu tenho dinheiro para comprar bolo de morango."
"Talvez não seja tão ruim." Ele disse me fazendo rir, eu puxei ele mais para dentro de casa, enquanto eu sorri olhando para ele, eu busquei o meu celular no quarto indo para o lado dele.
"Tsukii." Eu disse animada entregando o meu celular para ele.

Ele sorriu olhando para a minha tela de bloqueio, e logo olhou para mim, colocando a senha logo em seguida. 

"Sério é não é que você sabia mesmo." Eu suspirei olhando para ele, sentando ao seu lado. "Por que você esta sendo tão bonzinho?" 
"Eu já disse, você é uma amiga, eu tenho suas senhas." 
"Chato." Eu disse apoiando a cabeça em seu braço olhando as coisa no celular, minha gata vem e deita no meu colo, e eu apenas faço carinho nela.
"Então a lua gosta dessa Kaguya?" 
"Como assim?" 
"Ela não gosta de você, mas de você de outra realidade ela gosta." Ele disse passando a mão na gata, e eu logo deixo o celular de lado olhando para ele. Eu me afasto indo para a cozinha procurando em algum lugar. "Sabe eu tenho que achar onde meu pai deixa o dinheiro, para que eu possa comprar alguma coisa, e preciso de uhmm achei." Eu disse empolgada olhando para ele sorrindo. "Então eu não vou sair nessa chuva, mas eu posso fazer o bolo." Eu disse sorridente olhando para ele.
"Você sabe fazer?" Ele perguntou se aproximando, sentando no banquinho ao lado da bancada me olhando. 
"Claro que sei, é quase o meu bolo preferido." Eu disse sorrindo olhando para ele, enquanto eu pegava os ingredientes na geladeira. 

[...]

Tsukishima era realmente um idiota, chato e fechado, mas por algum motivo ele se abria comigo, e eu não fazia ideia do porque. E nem tinha nenhuma ideia dele acreditar no que eu estava contando, ele poderia apenas achar que eu estava enlouquecendo, mas não, ele estava do meu lado.

"A gente já viu dois filmes que você escolheu, eu quero escolher também." Eu lamentei olhando para ele, que riu negando com a cabeça, enquanto ele olhava o horário em seu relógio de pulso.
"Já esta tarde, eu acho que assim você não vai acordar para a aula cedo amanhã." Ele disse me olhando. 
"Você vai dormir aqui não vai?" 
"Vou." Ele disse levantando do sofá, e eu apenas levantei indo atrás dele. 

Eu troquei de roupa, colocando um pijama no quarto, enquanto ele trocava de roupa no banheiro.

"Eu espero que você não fale muito antes de dormir."

Eu apenas ri do seu comentário deitando na cama, me afastando para o canto, enquanto eu esperava o loiro deitar ao meu lado, ele deitou e eu apenas me aproximei dele, deitando com a cabeça em seu peitoral, ele tentou me empurrar para o lado, mas eu apenas o abracei forte negando com a cabeça. 

"Eu acho que o medo de dormir nunca vai passar." Eu sussurrei contra o seu peitoral, e ele não disse nada, apenas passou a mão no meu cabelo, ajeitando ele para trás da orelha.
"Por que você me contou tudo isso, tudo isso de mudar de realidade?" 
"Por que eu não tinha mais ninguém para contar, e eu acho que se eu contasse para o Yamaguchi, ele iria surtar." Eu disse rindo de nervoso, enquanto eu não desencostava de Tsukishima. "Você pode fazer outro favor para mim?" Eu perguntei levantando o olhar para ele.

O loiro revirou os olhos, respirando fundo, enquanto deixava uma risada breve escapar de seus lábios, ficando em silencio por alguns segundos. "Eu acho que você pede demais." 
"Não me deixa dormir só, por favor. Eu só quero me sentir segura." Eu sussurrei enquanto eu fechava os meus olhos, lutando contra o sono, sem a sua resposta, eu fiquei calada por alguns minutos até que eu realmente acabasse dormindo.

Pov Tsukishima

"Não me deixa dormir só, por favor. Eu só quero me sentir segura." Ela disse me chocando. Eu fiquei calado, não consegui achar uma resposta para isso.

Ainda não conseguia entender o que estava acontecendo, por que ela de outra realidade parecia ser tão parecida, mas ao mesmo tempo tão diferente da Kaguya que eu conhecia. Eu só queria a abraçar forte, e falar que eu não iria a deixar dormir só, mas eu não consegui. 

A Kaguya que eu conhecia decidida, e implicante, uma garota prodígio, que já foi apaixonada por conhecimento, e estudos, que acabou se cansando, por estar sobrecarregada, não é essa que esta se aconchegando em meu peitoral. Por mais que ela pareça decidida, inteligente, e também uma mini prodígio, ela parece encantada, com tudo que descobre. E ao mesmo tempo parece que ela pode quebrar emocionalmente a qualquer momento. 

Ele parece tão quieta em meu peitoral, e não demorou muito para que ela caísse no sono. Eu dei um sorriso de canto dos lábios enquanto eu ajeitava o seu cabelo. 

"Você esta segura agora. Bons sonhos." Eu disse enquanto eu a abraçava. 

Eu não queria que ela fosse embora, eu queria saber mais sobre ela. Saber sua personalidade, e a ver se divertindo mais vezes, eu queria ver o seu sorriso, e queria entender o que estava acontecendo, e a levar a um tour na cidade.

Eu tentei não dormir, afinal no momento em que eu acordasse seria como se isso nunca tivesse acontecido. Eu não a veria novamente por um tempo, mas no final eu também me rendi ao sono.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...