História Eu faço meu próprio destino - SasuSaku - Capítulo 64


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Fugaku Uchiha, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari
Tags Adultério, Comedia, Drama, Hentai, Naruhina, Naruto, Nejiten, Revelaçoes, Romance, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 259
Palavras 1.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A sua autora é uma problemática, sinto muito por minha crise baby's mas aqui estou eu novamente

Boa leitura, espero que gostem :3

Capítulo 64 - Carregando tudo em suas costas


Fanfic / Fanfiction Eu faço meu próprio destino - SasuSaku - Capítulo 64 - Carregando tudo em suas costas

Quarta feira 02/07

Fugaku jogou o celular em cima da mesa o desligando, massageou suas têmporas apoiando seus cotovelos em sua mesa, suspirou

Ele havia ligado para sua esposa, a convidado para um almoço, como os que eles faziam ao menos uma vez na semana desde de sempre

Mas as coisas não eram mais como antes, Mikoto tinha um jeito só dela de se mostrar contra algo, ela o castigava com o silêncio, a frieza, a indiferença, e a ausência, e isso lhe fazia falta como nunca

Isso já perdurava a meses e ele não aguentava mais, as várias recusas, ele sabia o que Mikoto queria, mas era a única coisa que ele não podia lhe dar

Também não era fácil para o patriarca Uchiha destinar seus dois filhos a um destino sem amor, e provavelmente sem alegria, mas era maior que eles

Sua empresa, a empresa que seu avô fundou a décadas atrás estava se afundando em dívidas e logo sucumbiria, isso não podia acontecer!

Fugaku olhou a segunda vez para seu celular, esperando lá no fundo uma ligação de sua esposa voltando atrás

Ele pousou sua cabeça sobre a mesa, ele estava perdendo sua esposa, seu casamento estava se acabando e talvez aquele fosse o castigo dos deuses para consigo

Ele ouviu algumas batidas na porta e antes de poder mandar qualquer pessoa que fosse ir embora o barulho da porta sendo aberta ecoou pela sala

- Eu não quero ver ninguém, vão embora. - rosnou levantando seu rosto

Esfregou seu rosto voltando a sua postura de sempre: forte e arrogante

- Sinto que não posso deixar isso pra depois, Fugaku sama. - disse Orochimaru aproximando se

O moreno suspirou vendo seu braço direito se aproximar de sua mesa

- O que foi agora, Orochimaru? - perguntou se sentando melhor em sua cadeira

Nada era tão ruim que não podia piorar...

- perdemos o contrato com a empresa norte americana. - o pálido entregou os papéis a Fugaku

O Uchiha olhou folha por folha e em um ato de raiva as voou para longe

Orochimaru não se surpreendeu com a atitude de seu patrão e continuou inexpressivo

- Como isso é possível, Orochimaru? Temos um contrato! Eles não podem simplesmente abrir mão dele

- Eles afirmam que não estamos os oferecendo produtos com a qualidade que lhes foi prometida, estamos ultrapassando o prazo para entrega de motores

- Perdemos trezentos operários, estamos a beira de fechar duas fábricas, não podemos perder esse contrato

Orochimaru ficou calado apenas olhando o homem a sua frente, o grande Fugaku Uchiha que para sua sorte era orgulhoso demais para pedir ajuda a qualquer um

- O que você fará agora, Fugaku sama?

- eu preciso pensar... - suspirou. - chame Itachi pra mim

Orochimaru fez uma breve reverência e caminhou até a porta agora sorrindo

...


Itachi respirou fundo antes de bater na porta do escritório de seu pai e assim que ouviu o "entre" se pôs a abrir a grande porta de madeira

- Mandou me chamar, Otou san? - parou em frente a mesa de Fugaku

O mais velho tirou os olhos dos papéis. Olhou primeiro para o relógio em seu pulso e depois para seu filho

- Você tem algum compromisso para agora? - perguntou já se levantando

- Eu iria encontrar uma pessoa... Mas posso desmarcar. - completou mesmo contra gosto

- Ótimo. Preciso conversar com você e de preferência enquanto bebo um bom vinho. - colocou o palitó e seguiu para porta

Itachi seguiu seu pai com um nó na garganta, ele preferia mil vezes passar o almoço inteiro preso do escritório com fome do que ter uma refeição acompanhado unicamente de Fugaku

Infelizmente era uma das tantas coisas que ele não podia fugir


Os dois se olhavam em silêncio enquanto o garçom colocava o vinho em seus copos

- O que você tem para me falar? - perguntou Itachi assim que o garçom estava longe

Ele levou sua taça a boca, não precisava prolongar ainda mais tudo aquilo

Fugaku olhou para seu filho, Itachi sempre foi mais parecido com consigo mesmo o fazendo com que ele - mesmo sem perceber - se tornasse muito mais próximo dele mas as coisas estavam diferentes, Itachi não o perdoava e ele compreendia

- preciso que você vá aos EUA novamente, Itachi, só você pode resolver esse problema

Ele entregou o papel para seu primogênito. Itachi lia linha por linha com atenção

- Eles querem nos deixar? - perguntou baixinho um pouco atordoado

Aquele era um dos maiores contratos que sua empresa tinha

Fugaku assentiu. - a não ser que você faça com que eles mudem de idéia

- e como eu faria isso? Eu não sou formado em direito, só entendo o suficiente sobre contratos...

- Você é inteligente, Itachi, se você não conseguir, ninguém consegue.

Itachi parou sua fala surpreso, ele piscou algumas vezes, seu pai não lhe fazia um elogio daquele tipo a muito tempo

Suspirou. - Hai... Mas eu preciso saber o que está acontecendo com as nossas empresas, Otou san, o senhor precisa ser sincero comigo

- Não está acontecendo nada, Itachi, nada que eu não possa lidar

O mais novo fitou atentamente o homem a sua frente procurando algum sinal de mentira, o rosto de seu pai entretanto demonstrava tanta emoção quanto o de um robô

O silêncio perdurou pelos minutos seguintes e continuou assim que o garçom deixou seus pedidos

- Como esta seu namoro com Sakura? - perguntou entre uma garfada e outra

Itachi que olhava para a comida em seu prato soltou uma risada amarga e sem humor ao ouvir seu pai usando a palavra "namoro"

- Não temos qualquer sentimento romântico um pelo outro, eu duvido até que ela goste de mim, então não namoramos, Otou san, não temos nada - respondeu ríspido

Fugaku parou de comer enquanto seu filho continuava sua refeição, ele já esperava por aquilo, mas no fundo tinha uma esperança de que os dois pudessem se entender, eles nunca se amariam, mas nada garantia que os dois não podiam ser felizes juntos, pelo menos era pelo que ele torcia

- Itachi...

- Não! Não quero ouvir nada que o senhor tenha a me dizer. - Ele fitava seu pai com rancor. - Eu já ouvi tudo isso, eu posso até mesmo recitar suas falas, " sacrifícios são necessários", " faça isso pela nossa família", "não se esqueça de quem você é e do peso de ter sua vida", eu já entendi, Otou san, eu já estou fazendo o que vocês querem não estou? Só não me peça para ter algo verdadeiro com Sakura, isso não vai acontecer

- Onde você está indo? - perguntou ao ver o seu filho se levantar

- Eu não posso continuar aqui, sinto muito... estou sem fome. - em seus olhos ônix - tão parecidos com os de seu pai - a mágoa estava refletida e mais que isso havia tristeza, muita tristeza

Itachi já estava a alguns passos de distância da mesa quando resolveu voltar

- Eu poderia aceitar isso não fosse afetar só a mim, mas você e sua ganância está machucando minha Okaa san e meu Otouto, o senhor vai destruir nossa família, já está fazendo isso

Fugaku não olhava para ele, mas Itachi sabia que ele havia o escutado


O mais velho afastou seu prato ainda cheio, ele também estava sem fome, jogou o dinheiro em cima da mesa e saiu


Fugaku resolveu fazer algo que a muito tempo não fazia, andar pelas ruas de Tóquio

Era verão mas ainda não estava tão quente, o Uchiha olhava pelas ruas daquela cidade tão movimentada dando uma atenção especial para um pai que andava com seus dois filhos

Um parecia ter em média uns quatro anos e tomava seu sorvete enquanto seu pai segurava sua mãozinha e tinha seu outro filho em seu colo

Ele se permitiu sorrir nostálgico, sua mente o traiu o trazendo lembranças de ano a atrás quando seus filhos ainda precisavam de seus cuidados, quando os dois ainda ainda o olhavam como heróis

Mas Fugaku havia cometido muitos erros em sua vida ele havia - mesmo que sem querer - afastado seu filho mais novo e estava fazendo o mesmo com Itachi

Por conta de seu orgulho Fugaku começava a perder tudo, ele já havia afastado seu caçula, começava a perder o amor de sua esposa, e a confiança de seu filho, aos poucos ele se afundava mais e mais

O Uchiha olhou para cima sentindo os pingos de chuva em seu rosto, ele precisava voltar para a empresa




Notas Finais


Orochi é uma cobra vocês sabem né?

Foi um capítulo pequeno mas espero que vocês tenham gostado, vocês disseram que estavam sentindo falta de Itachi aqui está ele! E ele vai aparecer muuuuito

Postarei assim que possível o próximo, obrigada por estarem sempre me apoiando, amores

COMENTEM!

Beijo, miau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...