História Eu Faço Tudo Por Nós - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias F(x), Pristin, Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Personagens Originais, Pinky, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Victoria Song, Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Ação, Fic, Kim Mingyu, Romance
Visualizações 5
Palavras 1.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, olha ai mais um capítulo!!

Espero de coração que vocês gostem!

Capítulo 15 - Uma Mãe


Narrador POV

A dor no coração de Soo Ji-Yun em ver a sua filha Cheeul indo embora e não poder fazer nada por ela, não poder cuidar dela e dar suporte que uma mãe dá a filha, era grande. Ela se sentiu impotente em não fazer nada, mas então, depois de muito pensar, ela viu que só tinha uma opção naquele momento, mesmo que não fosse sua favorita, então ela pegou o telefone e fez a ligação que nunca pensou que faria.

- Alô? _ aquela voz grossa que ela não ouvia há anos

- Oi, é a Soo Ji-Yun! _ Ela falou e se instaurou o silêncio

- Quanto tempo. Como você está? _ Ele a perguntou

- Sim, faz tempo. Estou preocupada. _ Ela falou nervosa

- O que houve? _ A preocupação tomou conta

- É a Cheeul, ela está precisando de você! _ Ji-Yun disse

Ela então começou a contar tudo o que estava se passando com a Cheeul, sentiu um nervoso ao lembrar tudo o que sua filha estava passando.

- Não a deixarei desamparada, nem o bebê! _ Ele falou e ela respirou fundo

- Obrigada! _ Ela ficou aliviada

- Não precisa agradecer, você saber que eu faria por ela. Eu sempre te disse isso! _ Ele falou e Ji-Yun sorriu

- Sim. Tenho que desligar! _ Ela falou ao ver Cheol chegando

- Tchau, até mais! _ Ele falou

- Até! _ Ela falou e desligou, nisso Cheol foi até ela e a olhou

- O que foi ommoni? _ Ele a questionou

- Nada, estava em uma ligação! _ Ela falou calmamente

- Como você está com a mudança da Cheeul? _ Ele perguntou segurando a mão da mãe

- Preocupada, mas sei que será o melhor para ela! _ ela falou suspirando

- Ela está com o Mingyu, que a ama muito! _ Ele falou e ela sorriu

- E isso me tranquiliza! _ Ela falou olhando o seu filho

- Bom, agora vem, vamos almoçar! _ Cheol falou a puxando para fora do consultório

Depois de almoçarem, eles foram andar pela cidade de Seul, então deram de cara com a pessoa que virou a vida de Cheeul de ponta cabeça, o Da San.

- Senhora Soo, Cheol. Como estão? E a Cheeul? _ Ele perguntou formalmente ao vê-los, Ji-Yun viu seu filho ficar com raiva e segurou sua mão

- Vamos embora filho! _ Ela falou passando pelo Da-San

- Não responderão minha pergunta? _ Ele os questionou, nisso Cheol se virou para ele, raivoso

- Você não tem o direito de perguntar sobre a Cheeul! _ Ele falou dando um empurrão em Da-San

- Agredindo um policial Cheol? Isso da prisão hein! _ Da-San falou e Cheol o encarou

- Está me ameaçando? _ Cheol o questionou

- Filho, vamos! _ Ji-Yun puxa seu filho pelo pulso e vira para o Da-San - Nunca mais procure a minha filha!

- Foi bom vê-los! _ Da-San gritou quando os dois se afastaram

- Que vontade de socar esse cara! _ Cheol falou bravo

- Fica calmo, tudo se ajeitará! _ Ji-Yun falou tranquilamente e ele a encarou

- Ommoni, você sabe de alguma coisa? _ Ele questionou sua mãe

- Sim, mas não posso te contar! _ Ela falou e olhou para o céu

- Por que eu acho que sei o que você sabe? _ ele perguntou parando

- Como seu eu soubesse o que você acha que sabe! _ Ela falou, deixando sue filho com a pulga atrás da orelha

- Dona Ji-Yun, nem falo nada! _ Ele falou a fazendo rir

Eles foram para Busan, onde Ji-Yun encontrou a nora, Min-Ji e a neta, Solar. Ela ficou na casa de Cheol durante o fim de semana todo e adorava cuidar e brincar com sua neta.

- Eu estou louca para ver o bebê da Cheeul brincando com a Solar! _ Ela falou animada

- Eu também, espero que eles sejam muito amigos que nem eu e ela! _ Cheol falou sorrindo

- Vocês dois são tão importantes para mim, eu não sei o que faria se algo acontecesse algo com vocês. Por isso que sempre insisti que a Cheeul fosse médica e não policial! _ Ele falou com um aperto no coração

- Acho que ela não voltará a ser policial ommoni! _ Ele falou pondo a mão em seu ombro

- Assim espero! _ Ela falou com um leve sorriso

Depois do fim de semana em Busan, ela voltou para o trabalho, então ao abrir o e-mail dela, viu que sua querida filha lhe mandou um e-mail, e ela não pode deixar de sorrir.

"Oi Ommoni!

Já estou na China e estou bem. Eu e o Mingyu estamos em uma linda casa que ele mandou arrumar para a nossa família, fez um quarto lindo para o nosso bebê. Já estou com saudade de todos ai, logo logo estaremos reunidas de novo. Eu te amo demais, obrigada por tudo!

Beijos

Cheeul!"

Ela ficou toda emocionada e não tardou a responder o e-mail da filha, a semana inteira ficou pensando na ligação que havia feito, ficou com medo de se arrepender depois, por pensar por um instante que ela poderia ficar com raiva dela novamente.

- Não pense isso Ji-Yun, isso vai ser bom para a Cheeul! _ Ela falou pra si mesma

Depois de várias consultas e uma cirurgia, ela voltou para casa, olhando para a cidade, enquanto o seu motorista, Yan, dirigia, ele a olhou pelo retrovisor e sorriu

- Tenho certeza que a sua filha estará de volta logo! _ Ele falou e ela o olhou

- Sim. Yan, você quer jantar comigo esta noite? _ Sim, ela tomou a iniciativa, surpreendendo o Yan

- Como? _ ele perguntou surpreso

- Jantar comigo! _ Ela falou sorrindo

- Tá, tá! _ Ele falou um pouco nervoso, Ji-Yun achou muito fofo

O jantar dos dois foi muito agradável, eles sempre se deram bem, muitas coisas em comum. Depois, eles foram andar pelo jardim da casa dela, e os dois se sentiram nervosos, então Ji-Yun se virou para Yan, o beijando, uma mulher de atitude.

- Quer namorar comigo Yan? _ Ela perguntou e ele arregalou os olhos - Eu gosto de você de verdade, quero ser feliz e sei que isso pode acontecer ao seu lado.

- Deveria ser eu a pedir isso, não acha? _ ele perguntou a olhando - Ji-Yun, você quer namorar comigo?

- Eu quero! _ Ela falou e os dois se beijaram

A partir dai, uma parte dela se sentiu bem, pois sabia que teria um suporte emocional e de uma pessoa que ela sentia algo forte e especial.

- Só senti isso pelo pai do Cheol e da Cheeul! _ ela falou para ele

- Eu também digo o mesmo, o que sinto por você, só senti pela mãe dos meus filhos! _ Yan falou e acariciou o rosto dela

Ela sorriu e voltou a beijá-lo, nunca se é tarde para viver o amor

. . . 


Notas Finais


Eu espero de coração que vocês gostem!

Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...