História Eu juro que vou salvar você - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba
Personagens Giyuu Tomioka, Shinobu Kochou
Tags Ação, Aventura, Comedia, Demon Slayer, Mistério, Novela, Romance, Shinobu X Tomioka, Tomioka X Shinobu
Visualizações 44
Palavras 3.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo, muito obrigado mesmo pelos os comentários do capítulo passado vocês não tem nem ideia de como isso me incentiva a continuar escrevendo.
Aproveite a historia e boa leitura.

Capítulo 6 - Caminho Único


Fanfic / Fanfiction Eu juro que vou salvar você - Capítulo 6 - Caminho Único

 Logo apos aquela destruição total da floresta Tomioka ficou totalmente debilitado por alguns dias, O pilar de água estava dormindo na casa de sankoji, enquanto isso Shinobu não saiu de perto dele nem uma sequer vez pois estava muito preocupada que ele não fosse mais acordar, O pilar do inseto estava deitada bem perto de Tomioka esperando apenas ele abrir os seus olhos.

A os poucos Tomioka finalmente abriu os seus olhos e logo se depara com um globo ocular de coloração roxa.

- O que esta fazendo ? Afirmou Tomioka enquanto encarava aqueles olhos de perto.

- Você acordou. Shinobu fez um sorriso.

- Você tem uma péssima mania de ficar encarando as pessoas enquanto elas dormem Kochou-sam. Tomioka se levantou aos poucos da cama. - O que aconteceu ?

- Você não se lembra ? você usou a respiração do sangue e conseguiu cortar todas as lanças. Falava Shinobu deitada olhando para Tomioka.

- Eu... conseguir ? a quanto tempo eu estou dormindo ?

- Já faz três dias que você esta assim. Afirmou Shinobu.

- Certo... Tomioka tentou se levantar mais sentiu o seu corpo muito pesado.

- Aqui deixa eu te ajudar, eu já imaginava que você fosse acorda desse jeito. Falava Shinobu ajudando ele a se levantar.

Tomioka não disse nada ele percebeu que estava muito estranho depois que acordou, ele sentiu que seu corpo estava formigando da ponta de seus pés ate a sua cabeça mas ele ainda não sabia o porque. Logo apos a ajuda de Shinobu os dois pilares se encaminharam ate a porta do quarto e depois foram na direção da sala, mais no meio do caminho Tomioka parou de andar.

- O que foi Tomioka-sam ? 

- Eu me sinto muito estranho, parece que meu corpo não esta me obedecendo. Dizia Tomioka em frente a Shinobu.

- Talvez se você comer alguma coisa isso passe, afinal você não come nada a três dias. Afirmou Shinobu.

- ...Talvez tenha razão.

Os dois se encaminharam ate a sala, ao chegar la Shinobu pediu para Tomioka se sentar e esperar enquanto ela preparava alguma coisa para ele comer, não demorando muito ela acabou trazendo algo que deixou o espadachim surpreso.

- Isso e ...

- Salmão com rabanete, eu sei que você gosta disso. Falava Shinobu olhando para Tomioka de um jeito desconfortável.

- Porque esta me olhando assim ? Perguntou Tomioka.

- Bom... a última vez que vi você comendo isso foi um pouco... desagradável.

- Eu não vou comer da mesma forma de antes se e isso que você esta pensando, além domais foi você que preparou isso pra min eu... quero aproveita. Falava Tomioka com a face neutra enquanto olhava a comida.

Shinobu estava surpresa com as palavras do espadachim com isso ela deixou de fazer uma cara de desconforto e voltou a mostrar seu sorriso, e ficou apenas observando Tomioka comer.

-  Tomioka-sam você realmente gosta disso não e ? Perguntou Shinobu com um sorriso.

- Porque acha isso ?

- A primeira vez que vi você sorrindo foi quando você estava comendo isso, tem alguma coisa de especia nessa comida ? Perguntou Shinobu.

- Eu não sei bem, talvez seja... não deixa pra la. Dizia Tomioka enquanto terminava de comer.

A conversa entre os dois pilares estava tomando rumos desconhecido, os dois não sabiam sobre o que conversar um com o outro, por conta disso eles só tiravam assuntos aleatórios apenas para manter a conversa, mais esse clima acaba sendo quebrado apos os pilares escutarem a voz de sakonji bem atras deles.

- Espero não esta interrompendo a conversa de você dois. Falava Sakonji atras dos dois pilares.

- Urokodaki-sam Você estava ai o tempo todo ? Dizia Shinobu surpresa.

- Não, eu cheguei faz pouco tempo, vejo que você finalmente acordou Giyuu.

- Sim...

- Como se sente ? Perguntou Sakonji.

- Estranho... me sinto muito estranho, parece que meu corpo esta totalmente dormente. Afirmou Tomioka.

- Interessante​, venha ate aqui Giyuu.

Tomioka se encaminhou para perto de Sakonji, enquanto Shinobu ficava só observando os dois.

- Estenda a sua mão, eu quero testar uma coisa.

Apos Tomioka entender a sua mão para ele, Sakonji fez um pequeno corte na mão do espadachim fazendo que algumas gotas de sangue caísse no chão de madeira.

- Porque fez isso mestre ? Perguntou Tomioka confuso.

- Agora traga o seu sangue de volta para o seu corpo, já que você dominou a respiração do sangue você vai conseguir fazer isso. afirmou Sakonji.

O pilar da água olhou para o chão e se concentrou naquelas pequenas gotas de sangue, ele estendeu a sua mão e aos poucos o sangue começou a levitar e voltou para dentro dela.

- O que foi isso, eu achei que eu só pudesse controlar o sangue só enquanto eu usasse a respiração ? Perguntou Tomioka olhando para própria mão.

- E isso que eu também estou tentando entender Giyuu.

- Quando você estava na arena eu percebi uma coisa, o seu sangue não estava apenas seguido o percusso de sua espada Giyuu, ele também estava em volta de seu corpo, como se estivesse te protegendo. Afirmou Sakonji.

- Urokodaki-sam isso não e normal ? não era pra ser assim a respiração do sangue ? Perguntou Shinobu com duvidas.

- Na verdade não, o sangue só deveria ser controlado pela espada e não pelo seu próprio corpo, e também não e apenas isso, desembainhe a sua espada Giyuu. Dizia Sakonji.

Apos aquela frase Tomioka saca a sua espada de modo lento e percebe algo interessante em relação a ela, a espada alem de ter uma coloração azul estava com alguns tons de vermelho formando um pequeno desenho de onda.

- Ela esta... com duas cores ? Dizia Tomioka olhando para a espada.

- Eu também achei estranho, enquanto você dormia esses dias eu dei uma olhada nela. Sakonji olhava para a espada. - Eu nunca tinha visto uma espada com duas cores antes.

- Isso não tem alguma relação de ela ter se tornado uma Chikage ? Falava Tomioka.

- Não, normalmente quando uma Nichirin se torna uma Chikage ela não muda de cor. Afirmou Sakonji.

- Então porque ela esta assim...​

- Eu ainda não sei Giyuu, mais eu gostaria de testar mais uma coisa, me acompanhe vocês dois. Dizia Sakonji indo em direção a porta.

Os dois pilares apenas seguiram Sakonji, todas foram ate uma certa distancia de sua casa, apos isso Urokodaki parou em frente a uma grande arvore antiga.

- O que estamos fazendo aqui mestre Sakonji ? Falava Tomioka curioso.

- Eu só quero testar mais uma coisa, esta vendo essa arvore, corte ela com sua espada sem usar nenhuma técnica de respiração. Falava Sakonji apoiando a sua mão na arvore.

- QUE !! Os dois pilares falaram ao mesmo tempo.

- Essa arvore gigante... eu não acho que seja possível, além domais ele ainda nem descansou direito, eu não acho que ele tenha forças para fazer isso agora, ainda mais sem usar técnicas de respiração. Falava Shinobu olhando para Sakonji.

- Eu sei Shinobu... mais eu quero que ele teste mesmo assim, tudo bem pra você Giyuu ? Afirmou Sakonji.

- Eu vou tentar...

- Lembre se já que sua espada agora e uma Chikage ela tem que beber o seu sangue, mais não use nenhuma técnica de respiração do sangue, corte a arvore apenas com suas habilidades. Afirmou Sakonji mais uma vez.

- Certo...

O pilar da água puxa a lamina sobre a sua mão e depois a corta, logo apos isso ele entre em guarda e fica em posição de ataque.

- Shinobu... e melhor se afastar um pouco. Falava Sakonji se distanciando da arvore.

- Tudo bem...

Shinobu estava confusa em relação a ideia de Sakonji, corta uma arvore daquele tamanho sem usar nenhuma técnicas parecia algo absurdo para ela, o pilar do inseto se distanciou da arvore ficando ao lado de Urokodaki que estava bem distante de Tomioka.

- Tudo bem Giyuu você pode começar.

Tomioka estava muito concentrado na arvore que estava a sua frente ele se questionava se realmente podia fazer uma coisa dessas, mais mesmo assim ele não exitou, fazendo um movimento simples o espadachim acertou a arvore, e logo depois ela caiu no chão deixando ele mesmo surpreso.

- Que ? Dizia Tomioka olhado para a arvore caída.

- hum, parece que ate seus ataques simples ganharam muita força... Falava Sakoniji indo em direção a Tomioka.

- Eu nem sequer usei muita força... eu senti que minha espada me guiou para um ponto certo. Dizia Tomioka olhado para a espada.

- Isso foi... impressionante Tomioka-sam... Falava Shinobu surpresa com a arvore caída. - Mais tem uma coisa que eu ainda não entendi Urokodaki-sam, se a espada esta manchada de sangue, se ele acerta um Oni isso não o deixaria mais forte ? Perguntou Shinobu com duvidas.

- Na verdade eu sentiria pena do Oni que consumisse o sangue dele, pois se o fizer, Giyuu poderia tanto imobilizar ou perfurar ele de dentro pra fora usando o seu próprio sangue.

- Eu realmente não sei explicar o que esta acontecendo com seu sangue ou com sua espada Giyuu, eu nunca vi portadores da respiração do sangue fazer uma coisa dessas... e melhor voltarmos. Falava Sakonji indo em direção a sua casa.

Os dois pilares começaram a seguir lo, Sakonji não estava falando nada, ele parecia esta perdido em seus pensamento em relação a Tomioka, o percusso foi muito silencioso entre os três.

...

Já se passaram dois dias apos Tomioka ter cortado aquela arvore, Sakonji tentou explicar ao máximo possível as técnicas da respiração do sangue, mesmo ele não sabendo muito em relação a espada bicolor do pilar da água, ele deu o que podia de instrução para o espadachim. Tomioka estava totalmente recuperado de suas feridas graças a Shinobu, os dois pilares já estavam protos para partir e voltar a seguir a estrada de terra.

De volta a trilha Sakonji estava acompanhando os dois pilares ate uma certa parte do percurso da estrada, ate chegar o momento de se separarem.

- Eu só vou ate aqui Giyuu... Falava Sakonji parando de andar.

- ... Muito obrigada por ter cuidado de nós dois Urokodaki-sam, eu aprendi muito com você. Dizia Shinobu dando um sorriso.

- Você realmente e uma pessoa muito gentil Shinobu, eu espero que você nunca mude.

- Cuide bem do Giyuu, eu sei que ele pode ser um pouco cabeça dura, mais ele tem um bom coração. Afirmou Sakonji.

- Certo...

Tomioka estava apenas ouvindo a conversa entre os dois, sua expressão estava neutra ele não sabia que palavras usar em seu mestre como forma de agradecimento, então ele apenas...

- Adeus mestre...

O pilar da água virou suas costas para seu mestre e começou a segui a estrada ao lado de Shinubu, mais ele acaba sendo interrompido por uma voz o chamando.

- Giyuu venha aqui. Falava Sakonji.

O espadachim ao ouvir a voz do seu mestre ele caminhou em sua direção, enquanto Shinobu observava a distancia.

- Sim mestre...

Sakonji apoiou seus braços nos ombros de Tomioka o deixando surpreso.

- Você cresceu muito Giyuu, você sempre sera bem vindo em minha casa vocês dois, você não precisa guarda todas essas dores que esta passando, entenda você não esta sozinho...

- Mestre...

- Eu sinto muito por não saber o que aconteceu com sua espada, então cuide bem dela.​ Afimou Sakonji.

- Isso não e culpa sua, só eu que deveria me desculpar por ser tão insistente eu... Tomioka acaba sendo interrompido quando Sakonji apoiou a sua mão sobre a cabeça do pilar.

- Tenha uma boa viagem, e cuide bem da Shinobu, eu sei que ela e algo importante pra você Giyuu. Falava Sakonji com a voz calma 

Por mais que Tomioka tentasse se culpar por seus erros, existia algo que sempre alivia o seu coração, palavras doces de quem cuidou dele como um pai quando ele tinha perdido tudo.

- Obrigado...

- Agora vá, eu sempre estarei aqui esperando por você... 

 Essas foram as ultimas palavras que Sakonji desse para Tomioka antes de ele partir, O espadachim seguiu na direção de Shinobu que estava esperado, quando chegou perto dela ele deu uma ultima olhada para seu mestre, e percebeu uma figura de um garoto com cabelo cor de pêssego e uma mascara de raposa com uma cicatriz e bem ao lado de Sakonji.

- Sabito...

- Você disse alguma coisa Tomioka-sam ? Perguntou Shinobu confusa.

Tomioka rapidamente olha para Shinobu e depois volta a encarar o seu mestre, mais... Sabito não estava mais lá.

- Não e nada... vamos Kochou-sam. Falava Tomioka seguindo a estrada.

- Certo... Shinobu fez um ultimo aceno para Sakonji e depois voltou a acompanhar Tomioka.

...

Os pilares já alcançaram uma boa distancia da montanha da névoa estreita o lugar onde passaram muito tempo juntos, estavam caminhando lado a lado seguindo o próximo rumo de seus destinos, Tomioka estava calado como sempre, mais dessa vez ele estava com a consciência mais leve graças as palavras de seu mestre, já Shinobu estava distraída com o caminho a sua frente.

- Eu realmente gostaria de voltar aqui algum dia... eu nunca vou esquecer esse lugar... Falava Shinobu olhado para montanha enquanto caminha.

- Por que você fala isso como se fosse a ultima vez que verá esse lugar ? Perguntou Tomioka.

- Porque talvez seja.... Shinobu falou com a voz tão baixa que Tomioka não escutou o que ela disse.

- O que ?

- Vamos, temos um longo caminho pela frente. Afirmou Shinobu se livrando do assunto.

Tomioka apesar de não ter escutado as palavras distraídas do pilar do inseto, ele conseguia sentir as emoções dela mesmo ela tentando mudar de assunto.

- Você não deve se preocupar com isso... eu prometo que levarei você aqui de novo. Afirmou Tomioka olhado o caminho.

- Certo...

- Eu juro que vou manter essa promessa. Falava Tomioka em seus pensamentos.

Eles continuaram a percorrer o caminho por um bom tempo, ate Shinobu ter uma ideia que deixou o espadachim um pouco confuso.

- Tomioka-sam, Tomioka-sam, o que acha de dormimos em uma casa de repouso hoje a noite.

- Por que isso de repente. Perguntou Tomioka.

- Bom, já faz um bom tempo que não fazemos isso, eu achei que seria uma boa ideia. ela estava encarando Tomioka com um sorriso.

- Se você quiser podemos dormir no mesmo quarto. Shinobu estava tentando provoca lo.

Tomioka acabou encarando Shinobu ​com um olhar desconfiado em relação a essa pergunta.

- A ultima vez que dormimos no mesmo quarto você  achou que eu era um travesseiro. Dizia Tomioka com a face serena.

- Que... ah e verdade. Shinobu deu uma pequena risada.

- Mais então, o que acha da ideia ?

- E melhor do que acampar em uma floresta, então tudo bem. Afirmou Tomioka.

- Certo, deve existir uma por aqui perto, e melhor eu enviar uma corvo para ver.

...

Logo apos a ideia de Shinobu os dois pilares seguiram rumo a trilha que levava para uma casa de glicínia, o corvo de Shinobu retornou e disse que avia uma casa por perto, o caminho foi um pouco complicado pois o lugar ficava em uma área bem fechada da floresta, por conta disso eles demoraram um pouco para chegar e acabou anoitecendo, mais mesmo assim eles chegaram.

- É eu achando que esse lugar era mais acessível Tomioka-sam.

- O seu corvo não explicou o caminho direito... eu acho que foi por isso que demoramos. Afirmou Tomioka com a face serena.

- E talvez, eu acho que esqueci de alimenta lo esses dias. Falava Shinobu coçando a cabeça.

- Tudo bem, e melhor entramos.

Os dois adentraram na casa, o lugar já estava totalmente arrumado, mais o que mais chamou a atenção dos pilares e que eles foram recebido por um jovem um pouco familiar.

- O que ? você também trabalha nessa casa ? Perguntou Tomioka para o garoto.

- hum do que você esta falando senhor ?

- Eu acho que também já vi esse garoto Tomioka-sam, foi na casa de glicínia ao norte daqui. Falava Shinobu com um sorriso.

- Ao norte... acho que vocês estão falando do meu irmão gêmeo, e ele que trabalha na casa ao norte. Afirmou o garoto.

- Então e isso. Os pilares falaram ao mesmo tempo.

- Bom já que esta tudo resolvido vocês podem descansar e ficar á vontade, eu já preparei a refeição de você dois, pois um corvo me avisou que vocês estavam a caminho, só que esperem um pouco que eu ainda não arrumei os quartos dos dois. Dizia o garoto coçando a cabeça.

- Na verdade só um quarto vai ser o suficiente. Falava Shinobu com um sorriso.

- O que ?  porque só um quar-  Tomioka e interrompido por uma forte cotovelada que Shinobu deu em seu estomago.

- Então vocês estão juntos ? como um casal ? Perguntou o garoto curioso.

- Na verdade não... mais sempre dividimos o mesmo quarto não e mesmo Tomioka-sam ? 

- Eu não consigo respirar direito. Falava Tomioka contendo a dor em seu estomago.

- Certo então eu vou arrumar o quarto o mais rápido possível. Falava o garoto com a voz animada.

O garoto correu em direção ao quarto, enquanto isso Shinobu e Tomioka ficaram no salão principal aproveitando a comida que o garoto fez para os pilares, apos um pequeno período de tempo o garoto retornou e avisou que o quarto já estava totalmente organizado e pronto para uso, Os pilares ficaram surpresos com a velocidade do garoto, os dois acabaram de comer e seguiram em direção ao mesmo quarto, mais ao chegar lá ouve um pequeno problema em dividi lo, como os dois iriam se trocar ?

- Vire-se de costas...

- Que ? Tomioka estava confuso.

- Eu não quero que me veja sem roupa. Dizia Shinobu um pouco envergonhada.

- Foi você que teve a ideia de dormimos no mesmo quarto... Falava Tomioka com a face neutra.

- Apenas vire-se Giyuu...

Tomioka ficou surpreso com a ultima frase de Shinobu, por conta disso ele apenas obedeceu o que ela pediu a ele.

- Tudo bem... Falava Tomioka se virando de costa.

Perante ao ato do Pilar da água, enquanto ele estava virado de costa Shinobu acabou se despindo, e vestiu a roupa que o garoto preparou para ela.

- Já pode se virar Tomioka-sam...

- Certo. Dizia Tomioka se virando para Shinobu.

- ... Não vai se trocar ? Perguntou Shinobu.

- Vou... Tomioka começou a tirar o seu manto.

- O QUE, espere eu me virar Tomioka-sam. Falava Shinobu se virando de costas para o pilar da água.

Tomioka não disse nada, ele apenas trocou a roupa que estava usando pela roupa que o garoto preparou para ele, mais ele tomou muito cuidado e escondeu a presilha e a Ken do tempo em seu manto dobrado.

- Já terminou... Perguntou Shinobu.

- Já... você pode se virar Kochou.

Depois de um pequeno constrangimento entre os pilares os dois resolveram se deitar, assim como antes Tomioka ficou de costas para Shinobu enquanto ela observava as costas dele.

- Tomioka-sam...

- Sim...

- ...Você ainda não me contou porque você quis aprender aquela técnica... Perguntou Shinobu com a voz calma.

- Porque você quer tanto saber ?

- Eu só... quero saber mais sobre você...

- ... Certo... eu conto, o único motivo de eu ter passado três messes treinando, praticando e forçado o meu corpo a aprender essa técnica... foi para proteger uma coisa importante pra min... Afirmou Tomioka.

- Eu posso saber que coisa e essa Tomioka-sam ?

- Não... pelo menos ainda não...

- Você ira me contar algum dia ? Perguntou Shinobu se aproximando da costas de Giyuu.

- Talvez um dia eu conte a voc-

Logo apos a ultima frase de Tomioka, o espadachim e surpreendido por Shinobu que acaba o abraçando por trás.

- Shinobu... eu já disse que eu não sou um travesseiro. Dizia Tomioka surpreso.

- Eu sei... mais você e tão confortável quanto um, se importa se eu ficar assim ? Falava Shinobu enquanto o abraçava.

- Não... isso não me incomoda.

Tomioka não consegue entender Shinobu, ela era uma pessoa muito enigmática para ele, seus motivos e suas ações eram totalmente desconhecidas pelo Pilar da água, mais uma coisa que Tomioka finalmente percebeu, era que ele podia sentir o coração dela batendo tão forte que ele podia senti lo através do seu abraço.

- Você esta... diferente Kochou...

- Porque acha isso Tomioka-sam ?

- Eu achei que você me odiasse, assim como os outros pilares. Questionou Tomioka com a voz calma.

- Eu nunca disse que odeio você. Afirmou Shinobu.

- Mais você também nunca disse que gosta de min. Questionou mais uma vez Tomioka.

Apos as palavras do pilar da água Shinobu acaba o abraçando mais forte.

- Se eu realmente te odiasse Tomioka, eu nunca estaria aqui com você... alem domais eu não fui a unica que mudei aqui, dez do dia que você desmaiou naquela floresta, você começou a falar mais comigo, de inicio eu achei entranho, mais depois... eu descobri que você e uma pessoa muito agradável.

- Shinobu...

- Não diga nada Giyuu... apenas... durma. Shinobu acabou pegando no sono enquanto abraçava Tomioka.

...

- Eu realmente queria contar tudo a você, tudo mesmo, mais por mais que eu tentasse isso, eu não sei se você acreditaria em min, por isso... espere mais um pouco, eu prometo que quando tudo isso acabar eu contarei tudo o que eu sinto por você Shinobu. Palavras ditas no pensamento de Tomioka.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Eu não vou dizer que isso deu trabalho de escrever, pois todos os capítulos ate agora deram, então muito obrigado por ter lido, vejo você no próximo capítulo, ate logo.
Na despedida de Sakonji escute essa musica
https://www.youtube.com/watch?v=buR1OJFi0fY
Obs: pra quem não entendeu o dialogo sobre a comida favorita de Tomioka, basta você ler o manga: Kimetsu no Yaiba: Tomioka Giyuu Gaiden.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...