1. Spirit Fanfics >
  2. Eu juro solenemente não fazer nada de bom! >
  3. O grande e único chapéu seletor.

História Eu juro solenemente não fazer nada de bom! - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Me ajudem galerinha, se gostou não esqueça de favoritar e dar uma opinião sobre meu trabalho, obrigada!
(caso haja erros de ortografia eu lamento)

Capítulo 1 - O grande e único chapéu seletor.


Fanfic / Fanfiction Eu juro solenemente não fazer nada de bom! - Capítulo 1 - O grande e único chapéu seletor.

Meu aniversário seria amanhã, mamãe me disse que enviariam a carta para mim... Ela nunca me contou muito sobre o mundo bruxo, pequenas coisas mas sempre discretas, ela dizia que não queria que me envolvesse tanto nos conflitos deste mundo, mas claro que ela sabia que não poderia me esconder a verdade pra sempre, eu iria aprender logo, depois que papai morreu na guerra bruxa lutando bravamente com o Voldemorte ela nunca mais foi a mesma, pelo menos foi o que meu irmão, Jack, me disse... Isso faz tantos anos, mamãe conheceu outra pessoa e logo me teve, mas meu pai nunca esteve presente, Jack diz que não gosta dele, então, como minha mãe normalmente só fica de cama e meu pai  que nem se sabe onde está, logo, meu irmão teve que cuidar de mim, sempre com muito amor e carinho, ainda bem...Ah... Esqueci de mencionar, meu nome é Hanna Merry, mas como Jack e eu, não temos o mesmo pai, o nome dela acaba por ficar Jack Miller, é um bom nome, eu acho...
- Hanna,  eu posso entrar?
Jack perguntou antes de abrir a porta, eu assenti, ele entrou e disse que Willy, nosso elfo queria conversar comigo, ele estava logo atrás de Jack, eu disse que tudo bem, Wlly se sentou na minha cama, eu estava em pé do lado da escrivaninha relativamente perto da cama, Miller saiu e Willy disse:
- Senhorita Merry, como é bom te ver.
- Também é bom te ver Wlly, mas o que você quer por aqui?
Perguntei curiosa, e ele me respondeu desviando o olhar
- Willy vai senti falta da senhorita Merry... Senhorita Merry vai partir e Willy terá que ficar com o senhor Jack, senhor Jack detesta Wlly.
- Ele não te detesta Willy, ele só é duro com você porque gosta de você, em breve ele lhe irá te presentiar com uma meia... Sentirei sua falta.
- Willy será um elfo livre? Que alegria! 
Ele abriu um sorriso e levantou
- Fique tranquilo,passarei esse ano em Hogwarts mas retornarei nas férias, até aí acho que você já terá ido embora, tem que aproveitar sua liberdade Willy... Mas, falando em liberdade, onde está Pelúcio?
Logo me dei conta que aquele bichinho sem vergonha havia saído do meu quarto! Claro que estaria no quarto da minha mãe pegando alguma coisa dela, então disse que iria procura-lo, abri a porta e andei calmamente até o fim do corredor onde estava os aposentos da mamãe, segurei a porta firme e abri com cuidado, mas aquela porcaria tinha que rangir! Entrei muito silenciosamente para não acorda-la, entrei no closet dela que apesar de estar numa porta pequena aquilo era enorme, gigantesco, então, caminhei até a parte onde ela guardava suas jóias, e lá estava o bonito com a mãozinha no colar dela, já estava cheio de brincos e perolas, quando ele me notou, parou de se mover imediatamente e fingiu ser uma estatua... Ai ai, onde eu estava com a mente ao querer uma criaturinha dessa que tudo que brilha ele quer pegar! Enfim, eu o peguei e o levei ao meu quaro, fechei a porta e disse:
- Meu Deus Pelúcio, eu já disse para não pegar o que não é seu, e muito menos sair por aí escondido, dessa maneira não poderei leva-lo comigo amanhã!
- Me desculpe! Estu tentando Merry, juro que estou, prometo que na próxima farei melhor! Me leve com você! Não quero ficar aqui sem você, o Jack esquece de me alimentar sempre.
Quando era pequena, meu pai me deu o Pelúcio e fez uma magia que o deixasse falar comigo, acho que foi a única coisa boa que ele já fez por mim.
- Ninguém pode saber que você fala, e que muito menos está lá comigo, mas tem que parar de roubar, irei pedir para Jack o deixar invisivel quando estiver com alguém.
Então ele subiu no meu ombro e disse:
- Obrigadinha!

No dia seguinte levantei para o café e ajudei minha mãe a descer as escadas, nos sentamos á mesa enquanto Jack fazia o café, minha mãe estava feliz por estarmos juntos...
- Hanna, apesar das poucos coisas que te falei sobre nosso mundo, e apesar de estar apavorada, eu quero que você se divirta na escola... Arranje amigos tudo bem?
Ela me olhou sorrindo, mas seus olhos pareciam tristes, não queria admitir mas era a realidade, logo ela ira partir... 
Willy ajudou meu irmão a colocar a mesa e comemos... Mas claro, não demorou muito para a carta chegar,ela veio acompanhada de uma coruja cinzenta bem dócil, depois de comermos e a coruja sair, eu corri para meu quarto muito ansiosa para abrir a carta, pelúcio dormia profundamente em meu travesseiro ainda, então eu o acordei e disse:
- Pelúcio! Veja! Veja, é a minha carta!
Ele sem dar tanta bola assim pois o sono ainda era forte respondeu-me bocejando:
- Ahh, que bom, que bom...
Eu a abri e li, me dava os cumprimentos e dizia os materiais que eu precisaria, aaaahh, estava tão animada! Mal espero para comprar minha varinha no olivaras! Parecia um sonho tudo aquilo. Depois disso passei a tarde no jardim, imaginando as magias que aprenderia... 
Quando anoiteceu estava me preparando para deitar quando Jack apareceu e disse que queria me contar uma história, me deitei na cama e ele se sentou numa cadeira ao meu lado e disse:
- Já te contei sobre a história de Harry Potter?
- Sim, umas sete ou oito vezes.
- Então é hora de eu contar uma outra história dos Marotos.
Maro... Quem??
- Os marotos era um grupo, formado por Thiago Potter, Sirius Black, Remo Lupin e Pedro Pettigrew... Imagino que saiba quem são esses não é?
- Mas é claro! Thiago Potter é o pai de Harry Potter, Sirius Black era o padrinho dele, Remo Lupin era um lobisomem e Pedro os traiu sendo um comensal da morte.
- Exato... 
Jack me contou sobre os Marotos e eu fiquei fascinada... Ele me contou sobre o mapa do Maroto, dizem que ele está perdido pelo castelo, não sei por que ele me contou sobre isso, mas me deixou muito interessada, eles eram pessoas incriveis! No final ele disse:
- Feliz aniversário.
Fiquei deveras confusa e perguntei
- A história foi um presente?
- Você entendera num futuro proximo minha irmãzinha.
E entao ele saiu, tipo, quêêê???

Quando amanheceu arrumei minha mala e Jack fez a magia para deixa-lo apenas visivel quando estivesse sozinha e que só eu poderia vê-lo, me despedi da minha mãe que estava deitada e ele me levou ao Beco Diagonal, compramos meus livros e etc, e finalmente chegou minha parte mais favorita! A minha varinha no olivaras... Entrei na loja e um senhor estava lá, disse que queria uma varinha, e ele respondeu:
- Claro que quer, venha cá minha jovem, mais perto!
Ele me encarou bem e disse:
- Belos cabelos azuis, não vejo um assim desde que Tonks se foi... Era uma bruxa excelente.
- Tonks? Fala da esposa de Remo Lupim? 
- Claro, os seus cabelos mudavam de cor dependendo de seus sentimentos em tais momentos, ela teve um filho antes de partir, me lembro bem dele, esteve aqui ano passado comprando sua varinha.
Eu nunca soube bem porque meus cabelos são assim... As vezes eles ficam roxo... Nunca tive tanto interesse nisso.
- Então... Ele está em Hogwarts? Deve ser do segundo ano...
De repente, senti um calor confortante em meu peito... Foi estranhamente curioso.
- Pois bem, vejamos... Acho que sua varinha é esta aqui.
Ele retrucou pegando uma caixinha de baixo do balcão e estendendo a mim, eu a peguei e ele disse para testar... Bem, eu destruí todos os vidros que existiam na loja, me senti envergonhada e ele falou:
- Tudo bem, a varinha escolhe o bruxo não é sua culpa... Mas então, só de ver aquela...
Ele se virou e foi ao fundo de uma prateleira e voltou calmamente, parecia intrigado com algo; novamente me estendeu a caixinha, peguei a varinha, ela era totalmente negra, com aproximadamente 28cm, o senhor disse que era feita de crina de unicornio, e algo de dragão que não ouvi direito,  e uma luz emanou por toda a loja, foi algo maravilhoso, ele se espantou e disse:
- As varinhas de vocês são exatamente iguais...
Quê? Como assim minha varinha e a deste garoto poderia ser igual? Isso é possivel? Eu agradeci pela varinha e encontrei meu irmão do lado de fora, ele parecia feliz e disse que queria ver minha varinha, eu a mostrei, ele disse:
- Ela é bem bonita.
É, é verdade, ela era bem bonita...

Estava quase na hora de partir, Jack me levou para estacão de trem, 9  3/4?
- Jack... Este número existe?
- Claro que existe, está vendo aquela parede? - e apontou para a mesma - você tem que correr até ela bem rápido.
;-;
- M-mas.... Okay... Me despedi dele e me certifiquei se Pelúcio ainda estava no meu ombro e sim, respirei fundo e corri até a parede, e incrivelmente passei por ela, era um portal, estava bem ao lado do trem para Hogwarts, ele estava prestes a partir e entrei... O vagão do primeiro ano estava totalmente lotado, tive que ir para o do segundo ano, estava muito nervosa e então encontrei uma cabine com apenas uma pessoa e me senti mais a vontade para entrar, para minha surpresa, era um garoto de cabelos ruivos, eu me sentei a sua frente e ele perguntou
- Não deveria estar no outro vagão?
- Ele está muito cheio...
Respondi olhando para ele, então ele disse sorrindo:
- Meu nome é Severo Kinsley, sou do segundo ano, prazer!
Ao julgar pelas suas vestimentas ele é da grifinória...
- Meu nome é Hanna Merry, prazer...
Ficamos conversando e rindo a viagem toda... Acho que poderemos ser bons amigos...

Quando chegamos ao famoso castelo, já estava de noite, entramos no salão principal e não sei nem dizer tamanha felicidade! A senhora Mcgonal deu seus cumprimentos a todos e logo apresentou-nos ao chapéu seletor, o grande e único chapéu seletor... Foi chamado um a um... Logo chegou minha vez, me sentei na cadeira e colocaram-me o chapéu, ele foi falando algumas coisas sem sentido sabe
- Hum, eu vejo... Bondade, pureza... Amor, muita coragem, curiosa...grifinória seria ótimo mas, bom, seria grande em sonserina... Corvinal um desastre, Mas em Lufa Lufa...- ele respirou fundo (se é que um chapéu respira) e gritou - LUFA-LUFA!
Os lufanos aplaudiram e fiquei mutio feliz, era sensacional, lufa lufa agora é minha casa! me sentei a mesa da Lufa Lufa, sentei ao lado de um garoto, ele parecia ter algo peculiar em sua aparencia, mas não desviei meu olhar, estava com vergonha de olhar para ele pois percebi que logo ele me fitava.


Notas Finais


espero que tenham gostado! Eu gosto mt do mundo bruxo... Me dem uma chance de continuar esta história pf


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...