1. Spirit Fanfics >
  2. Eu me importo. >
  3. Desejo.

História Eu me importo. - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Desejo.


Fanfic / Fanfiction Eu me importo. - Capítulo 2 - Desejo.

 Foi um grande erro chamar Kenny para dormir em casa.

Muita coisa poderia acontecer, muita coisa ruim, Kenny poderia me odiar, toda escola poderia me odiar.


Eu nunca fui bom em fazer amigos, Kenny é quase oposto de mim, a única coisa que temos em comum poderia ser o azar.


Kenny- foi mal por demorar no banho. - Kenny entrou no quarto só com a toalha amarrada na cintura.


Meu coração dá um pulo e começa à acelerar, meu rosto esquenta e eu me viro de costas para ele.


Kenny- hehe... Você pode me emprestar uma roupa? A minha está um pouco... molhada. - o sorriso dele me lembrava do grande acidente, que tivemos no café. Eu poderia ter matado ele! 


Ele levava tudo na brincadeira, não compreendia que eu era uma pessoa ruim.


Tweek- Ghaa! Eu não tenho r-roupas de baixo, mas posso te emprestar u-um pijama. - eu não conseguia dizer uma frase, sem gaguejar era a primeira vez em messes, que alguém dormria em casa.


Era uma oportunidade de estragar tudo e ser falado por toda a cidade, como meu quarto era uma zona.


Kenny- que coisa mais safada Tweek, você fica preparando para o que der e o que vier, não é mesmo? - eu não sabia se ele realmente estáva falando sério ou zoando com a minha cara.


Tweek- o-o que você quer dizer com isso? - dou um toque nervoso.


Kenny sorri, insinuado um ato sexual com suas mãos.


Tweek- GHAA! N-não eu sou virgem! - disse rápido demais, ele poderia pensar que sou um pervertido.


Agora, todos poderiam saber que eu sou um virjão.


Kenny sorriu para mim.


Kenny- um virgem preparado. - ele deu uma piscadela para mim, o sorriso dele era bonito demais, brilhante demais, ele poderia me segar desse jeito.


Eu me levantei rápido, pegando um pijama para ele.


Tweek- e-eu não sei se vai servir, você é muito grande. - entrego as roupas para ele.


As mãos dele tocam as minhas propositalmente, fazendo meu corpo inteiro arrepiar e minha respiração falhar.



Kenny- Eu me acho um pouco acima da média, mas não tão grande assim. - Kenny falava do seu pênis como se fosse normal.


Eu me assusto com isso.


Tweek- Eu não quis dizer nesse sentido! - pela primeira vez eu não travo.


Ele sorriu com os olhos fechados.


Kenny- Eu sei- ele tirou a toalha e por um prevê momento, vejo ele completamente nu, meu corpo age sozinho e eu me viro.


Tweek- Eu vou tomar um banho! - pego minhas roupas e vou no banheiro.



Tranco a porta e me encosto na mesma, escorregando até sentar no chão.


Meu coração estava tão acelerado, meu rosto tão quente.


Kenny era realmente bonito e eu não posso negar isso, mas me apaixonar era errado, muito errado, principalmente porque ele nunca gostaria de mim, do mesmo jeito que eu gosto dele.


Algumas lágrimas surgem em meus olhos, chorar por algo tão fútil, era uma sensação muito ruim.


Completamente a minha cara, me apaixonar pela primeira pessoa que se importa comigo, isso não é amor.


Me levando do chão limpando minhas lágrimas, encaro o espelho, tiro minhas roupas ainda encarando meu reflexo.


Eu só conseguia ver um menino feio, magro e cheio de bandaids por todo o corpo, com um cabelo bagunçado e olhos fundos, com grandes olheiras em volta.


Eu não era um menino bonito ou talentoso, não tinha o porque de alguém gostar de mim.


Abro o chuveiro e entro em baixo dele, a água morna que escorria em minhas costas, era incrivelmente aliviadora. Eu queria que meus problemas fossem embora, junto com as lágrimas que se misturavam com a água, sumindo em meio ao ralo.


Kenny não estava duro lá no quarto, mas estava um pouco na cafeteria, seria possível ele ter se tocado na minha casa, no meu chuveiro, exatamente onde eu estou agora? Talvez... até pensado em mim...?


Não! Tweek, consentresse na realidade, isso é impossível, o Kenny tem tantas pessoas para pensar enquanto se masturba, por que ele pensaria em você?


Talvez pelo incidente mais cedo? Ele poderia ter imaginado eu chupando o pau dele, enfiando no fundo da minha garganta.


qual expressão ele poderia fazer, enquanto faz tal ato, desprovido de pureza? 


O rosto vermelho, olhos de puro desejo, gemidos... ah, como eu queria ouvi-los, escuta-los bem pertinho do meu ouvido, dizendo meu nome, gritando até ficar rouco.


Marcando meu corpo com sua boca, suas mãos, suas unhas cravando na minha pele, até conseguir me fazer sangrar, uma dor boa, um pouco aguniante, mas muito excitante.


Eu poderia beijar seus lábios? Sua boca rosa na minha, o toque de sua língua na minha, mordendo meus lábios para me deixar envergonhado, arrastando suas mãos pelas minhas costas, em um toque suave que me faz arrepiar.


Olhando no fundo dos seus olhos azuis...



Aaaannn! 





Porra...


Eu realmente tinha fantasiando com ele enquanto me masturbava?


Enquanto ele está na minha casa? 


Eu sou um puta, pervertido de merda, que merecia morrer, queimado em praça pública.


Mas a morte seria um alívio para uma pessoa como eu.


Termino de me banhar e depois me seco, novamente encaro o espelho, um pouco embaçado pelas gotículas de água.


Passo a mão no espelho, limpando o suficiente para ver meu reflexo, um pouco borrado.


Patético.


Ele nunca vai ser seu, por que perder seu tempo com ele?


Ele nunca vai sentir desejo por um lixo que nem você, acorda para vida.


Tweek- sentir desejo é bem diferente do que gostar de alguém, eu posso fazer ele querer minha carne, mas ainda sim, não posso fazer ele gostar de mim..


Séria divertido tentar...?




Não... Séria uma insanidade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...