História Eu Me Importo(Romance gay) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Adolescente, Amor, Drama, Gay, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.472
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Comentem o que acharem, pra gente interagir.

Capítulo 18 - Um minuto.


Fanfic / Fanfiction Eu Me Importo(Romance gay) - Capítulo 18 - Um minuto.

Narrado por Josh

 

Nós ainda estávamos ali, sobre a luz da lua, que brega né fala isso? É esse moleque que faz eu pensar esses tipos de coisas, nossa, me tornei esses românticos, mas se bem que por ele vale a pena na verdade.

 

Estávamos deitados no chão e eu peguei a sua mão, e  ele segura a minha forte, me virei para admirar seus olhos azuis e ele não estava me me dando muita atenção.

 

-Isso é incrível né ? - Ele disse olhando para lua.

 

-Verdade, lindo - Disse olhando pra ele.

 

-Seu idiota - Ele disse empurrando o meu rosto - Tô falando sério.

 

-Eu sei, isso que mais admiro em você, seu entusiasmo por coisas simples, na verdade nunca conheci ninguém assim - Eu disse pegando no rosto dele.

 

-É que pra mim nada disso é simples, pra maioria das pessoas pode até ser - Ele disse.

 

-Cara você é tudo pra mim, você lutou como ninguém só pra ficar comigo - Eu disse me aproximando.

 

-Fique sabendo que foi muito difícil viu? -Ele disse chegando sua boca próxima da minha.

 

-Eu sei, ainda bem que não foi - Disse dando selinho nele.

 

-Você no hospital parecendo um bebê chorão - Ele disse e eu me afastei.

 

-Ae? Isso que você diz de mim? - Eu disse sentando .

 

Ele me abraçou por trás e começou a beijar o meu pescoço.

 

-Não, por que se fosse com você eu choraria igual um bebê também.

 

Começamos a nos beijar ali, e depois eu levei ele pra casa, eu ficava meio admirado por ele ser tão louco pelo ar, e por poder respirar, ele não desperdiçava um momento.

 

Deixei ele na porta e ele colocou as mãos no bolso de trás e mordeu os lábios, meu deus, esse garoto só pode tá querendo me deixar louco mesmo, a vontade que eu tenho de agarrar ele e levar embora.

 

-Vou sentir falta - Eu disse me aproximando.

 

-De que? 

 

-De ver você todos os dias, de estar aqui com você - Eu disse meio de cabeça baixa.

 

-Mas você pode vim todos os dias - Ele disse pegando meu rosto.

 

-Não… Aí eu vou parecer um namorado perseguidor - Eu disse.

 

-Ae? Mas e se eu disse que eu gosto - ele disse colocando os braços no meu pescoço.

 

-Cara, aí eu vou dizer que você é louco moleque - Eu disse beijando ele.

 

-Ue, posso ser, pra mim o importante é ter você aqui sabia ?

 

-É?

 

-É!

 

Nós começamos a se beijar, e depois eu peguei minha bicicleta, ficava com raiva quando ele fazia aquela cara de quem queria que eu ficasse, ele começou a rir como se adivinhasse o que eu estava pensando aí eu peguei a minha bicicleta e fui embora dela.

 

Cheguei em casa fui na cozinha, e tinha comida ainda, mas só preparei um sanduíche para comer, quando a minha mãe vai chegando, ela me dá um beijo e faz sanduíche para ela e fica me encarando.

 

-Que foi? - Perguntei em quanto comia.

 

-Nada, que meu filho tá tão lindo - Ela disse.

 

-Para mãe, só falta me chamar de bebê.

 

-Ue, mas você é meu bebê, bebezão.

 

-Não mãe! Pow, sério para com isso - Ela começou a rir.

 

-Você fica ainda mais bonito quando tá feliz - Ela disse.

 

-É o amor - Eu disse com um sorriso.

 

-Eu sei disse querido, e eu fico feliz por você - Ela disse me abraçando - Você vai ficar um gato no baile, já comprei a tua roupa .

 

-Sério ?

 

-Sim, e mais uma coisa. 

 

-Rapa, tu a melhor mãe do mundo mesmo - Disse com um sorriso bobo.

 

-Você vai poder usar o meu carro - ela disse rindo e eu carreguei ela.

 

-Te amo cara, não vejo a hora de chegar com esse carrão na porta de Nick - Eu disse rindo.

-Ele vai amar com certeza.

 

Dois dia se passaram. Acordei bem cedo para ir pra escola, ainda bem que eu consegui me recuperar, porque eu estava faltando muito quando o Nick estava doente, mas o importante era que tudo tinha valido a pena no final das contas, então, não me importava muito.

 

Passei um tempo na biblioteca, estava devendo algumas poucas notas, e como não estava treinando usava para estudar um pouco, quando Cat vai se aproximando.

 

-Nunca vi um capitão tão nerd - Ela disse sentando.

 

-Nem eu nunca vi uma líder de torcida, chata, a não, todas são - Ela me deu um empurrão.

 

-Idiota - Nós rimos - Como ele tá ?

 

-Muito bem na verdade, cara , isso me deixa tão aliviado.

 

-Eu entendo, ele me pediu uma coisa, quando 

estava lá no hospital - Ela disse meio nervoso.

 

-Ue, o que ? 

 

-Que ficasse com você caso algo acontecesse - Começamos a rir novamente e uma mulher mandou a gente calar a boca.

 

-Nick é doido.

 

-Por você, ele te amo muito - Ela disse.

 

-Eu sei, e você não imagina o quanto fico feliz.

 

-Mas mesmo assim vou ficar de olho em você, qualquer coisa conto pra ele - Ela disse.

 

-Até parece, esse coração aqui só tem espaço pra um - Eu disse com o meu sorriso.

 

-Que bom - Ela disse me olhando.

 

-É você, como tá? - Perguntei.

 

-Na verdade muito bem, e tô saindo com o Jafrey - Ela disse tímida.

 

-Cara, isso é muito bom, e ele é um cara bom .

 

-É, ele é ótimo mesmo.

 

Ficamos conversando ainda por um tempo, depois eu fui para casa, quando Elena apareceu e me parou.

 

-Ele tá bem ? - Ela perguntou.

 

-Tá ótimo, ainda bem .

 

-Cara, eu quero conhecer ele, tô ansiosa - ela disse.

 

-Ta parecendo aquelas patricinhas.

 

-Ai que nojo, retire isso agora - Ela disse vindo pra cima de mim.

 

-Tudo bem pow, rainha do gueto - Começamos a rir muito - Ele vai pro baile comigo hoje.

 

-Que bom, pelo menos isso, até mais então.

 

-Até.

 

Fui direto pra casa, estava ansioso pra ficar bonitão pra ele, isso era tudo o que eu queria. Me banhei rápido quando cheguei. Quando deu umas 18 horas eu fui me arrumar, coloquei um terno bem bonito que a minha mãe tinha comprado, escovei o dente até ficar branquinho, e logo depois ajeitei meu cabelo.

 

Desci e mamãe estava me esperando, cara não acredito, ela veio me abraçou e estava toda empolgada.

 

-Meu filho tá tão lindo, meu bebê - Disse me beijando.

 

-Pera aí mamãe - Eu disse tentando tirar ela de cima de mim.

 

-Ai filho, você tá lindo - Ela disse.

 

Nessa hora meu celular tocou e era o meu moleque.

 

-Oi moleque - Eu disse rindo.

 

-Ta atrasado jogador - disse como se estivesse bravo.

 

-Eu sei, eu sei, mas o seu jogador aqui amor, tá muito gato e você vai babar - Eu disse me achando.

 

-Ae? Esperar até ver o seu moleque aqui - Ele disse com tom safado.

 

Eu sair de perto da minha mãe e fui pra cozinha rapidamente.

 

-Vamos transar depois do baile né ? - Disse rindo.

 

-Só se merecer - Ele disse querendo me maltratar.

 

-Tudo bem, tudo bem, já tô indo.

 

-Ótimo, quero muito te ver meu jogador, sabia que te amo?

 

-Eu te amo, vai ter uma surpresa quando eu chegar.

 

-Tá bom.

 

Rapaz eu fui muito rápido, tudo o que eu queria de verdade era ver esse moleque e não queria mais esperar. Fui correndo tentando me livrar da minha mãe com história de fotos, peguei o carro e fui direto para lá.

 

Sabe aqueles momentos que a gente pensa em cada coisa que acontece em nossa vida e tudo passa como se fosse um vento eu estava ali dirigindo e indo em direção ao amor da minha vida e nada poderia ser melhor, e todas vez que eu penso na melhor coisa da minha vida sempre me vem ele na cabeça, e nem poderia ser diferente, e eu amo tanto ele, cara não vejo a hora de ver a cara dele de surpreso com que eu vou falar, eu sou o melhor namorado que ele…….

 

Nessa hora um caminhão acerta o carro de Josh fazendo com que ele capote algumas vezes e para de cabeça para baixo.

 

Narrador por Nick

 

Estava ali, esperando o meu amor, ele deve tá tão lindo, não vejo a hora de ele chegar, mas não vou demonstrar tanta ansiedade, ele pode se achar demais, cara como eu amo ele, demais, e tô querendo saber o que ele tem pra me falar. Fiquei ali no meu quarto olhando para o espelho ansioso para ele chegar.

 

-Ele já deve tá vindo, deve até tá perto já, eu que tô meio bobo, nervoso desse jeito, aí, porque eu amo tanto ele - Falei feliz.


Notas Finais


Até o proximoo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...