1. Spirit Fanfics >
  2. Eu Me Tornei A Deusa Atena >
  3. Capítulo 17

História Eu Me Tornei A Deusa Atena - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 17 - Capítulo 17


- Sumire! - Shun me abraçou com força assim que me viu sentada no sofá.


- Shun! - falei sorrindo. O abracei. - Que saudade!


- Shun, saia de cima da Sumire. Ela ainda está machucada por causa de ontem. - Ikki falou.


- Está bem, nii-san. - ele disse se separando de mim. - A propósito, Sumire, você ficou bem depois do ontem?


- Fiquei sim. O Saga me ajudou.


Eles se entreolharam.


- Algum problema? - perguntei confusa.


- Sumire, sabemos que você tem um bom coração, mas... Sabe, nós estamos preocupados com você. - Hyoga falou hesitante.


- Eu não entendo. O que há de errado com Saga? - questionei.


- Eles estão preocupados do Gêmeos pirar de novo quando você e ele estiverem sozinhos nessa casa. - Ikki falou.


- Nós não diríamos de forma tão indelicada, mas é por aí. - Shiryu falou dando de ombros.


Sorri.


- Agradeço a preocupação de vocês, mas o Saga não vai me machucar.


- Sumire, nós não confiamos nele. - Seiya falou sério. - Se alguma coisa acontecer com você...


- Confiem em mim. Se não confiam no Saga, então confiem em mim. Porque eu acredito que o Saga não vai me machucar. Está bem?


Eles ficaram em silêncio, mas assentiram com a cabeça depois de alguns segundos.


- Então... - comecei. - Quem topa uma festa do pijama?


...


- Não! Não entra aí, mulher! O demônio tá aí! - Ikki falava enquanto olhava para a televisão. - NÃO! Você é burra?! O demônio está atrás da merda desta porta! Ah, ela entrou! Espero que morra por tamanha burrice.


Shun estava encolhido ao meu lado, cobrindo os olhos para não ver. Seiya e Shiryu estavam assistindo normalmente, mas fechavam os olhos quando as coisas ficavam tensas no filme e Hyoga parecia nem aí pro que acontecia. Eu só ria das reações deles e de Ikki amaldiçoando os personagens pela "burrice" deles.


De repente, o corpo de Hyoga ficou tenso ao meu lado e ele puxou levemente a manga do meu pijama.


- Sumire. - ele sussurrou, pálido. - Acho que eu ouvi uma barata.


Senti meu coração falhar uma batida.


- T-Tem certeza? - perguntei no mesmo tom.


- Sim. O barulho das asas dela, eu ouvi direitinho. - ele murmurou branco feito papel.


Engoli em seco e encolhi as pernas.


- Ikki! - ele me olhou. - Acho que eu ouvi alguma coisa. Liga a luz, por favor?


Ele suspirou e se levantou. Foi até o interruptor e ligou a luz. Hyoga apontou para a mesa com a cabeça discretamente.


- Olha ali, por favor. - pedi apontando para a mesa.


Ele ergueu uma sombrancelha, mas foi sem nem questionar.


- Não tem nada... Ah! - ele se afastou de uma vez. - Uma barata!


Arregalei os olhos e pulei em cima de uma cadeira.


- Mata! Mata, por favor!


- Calma aí. Eu vou matar. - ele pegou um sapato e o ergueu, mas a barata voou na cara de Ikki, que tropeçou e caiu no chão.


- ELA VOA! - Seiya berrou.


- Corre! - Shiryu gritou correndo pro outro lado da sala.


- Nii-san, você está bem?! - Shun perguntou abrindo o olhos e, consequentemente, olhando para a tela da TV na mesma hora em que o demônio aparecia. Ele gritou e caiu do sofá.


- Shun! - Ikki gritou se levantando.


Olhei para Hyoga, que estava paralisado no sofá. A barata começou a voar na direção dele.


- Hyoga!


Ele arregalou os olhos e juntou as mãos acima da cabeça, elevando o seu cosmo.


- Hyoga, não! - gritei.


- EXECUÇÃO AURORA!


Fechei os olhos e senti um frio repentino e alguém me erguer.


Abri os olhos e vi que estava do lado de fora da mansão, com Saga me segurando em seus braços.


- Você está bem, Atena?! - ele perguntou.


- S-Sim. O que...


Olhei para a mansão e arregalei os olhos ao ver um terço da minha casa completamente congelada.


- Hyoga!


...


- Ugh... - coloquei a mão na testa, sentindo minha cabeça doer.


Que engraçado. Aiolos me mandou para cá justamente pra eu descansar, mas até agora não tive um minuto de descanso.


Saga entrou na sala e veio até mim.


- Já falei com os seu amigos, Atena. Eles estão bem. Eu os mandei para casa para a senhorita descansar.


- Eles foram embora sem se despedir? - perguntei incrédula.


- Disseram que não queriam incomodá-la. - ele explicou. - Senhorita, eu não posso permitir que você fique em uma casa nessas condições. Tem algum outro lugar onde possa ficar?


- A família Kido tem várias propriedades ao redor do mundo. Eu vou ver em qual é melhor para ficar. - falei me sentando no sofá.


Olhei para a carta que Saga tinha em mãos.


- O que é isso?


Ele me entregou a carta e eu a abri, começando a ler.


- Se me permite perguntar, o que diz aí? - Saga perguntou.


- É um convite para uma festa. - falei. - A festa de aniversário se 16 anos do senhor Julian Solo, o filho do homem mais rico do mundo. Vai ser daqui a duas semanas, na Inglaterra.


Coloquei a carta na mesa.


- Eu tenho uma casa na Inglaterra. É bem próxima do local onde a festa irá acontecer. Podemos aproveitar e ir para lá.


- Irei arrumar as passagens de avião. - Saga falou se levantando. - Com sua licença.


Ele se curvou e saiu da sala. Respirei fundo.


Iria aconteceu uma hora ou outra. Agora, o inimigo é... Poseidon!




Notas Finais


Vou postar o próximo capítulo em breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...