1. Spirit Fanfics >
  2. Eu Me Tornei A Deusa Atena >
  3. Capítulo 23

História Eu Me Tornei A Deusa Atena - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 23 - Capítulo 23


Os passos ecoavam pelo salão. Sorento parou em frente a uma porta e indicou para que eu entrasse.


Passei por ele e abri as portas. A figura de Julian estava sentado em um trono no meio do salão. Assim que ele me viu, se levantou do trono com um pulo.


- Srta. Sumire... O que você faz aqui?!


- Sr. Julian... Eu sou a Atena.


- O quê?! - ele abaixou a cabeça. - Agora entendo a sensação que senti quando nos encontramos em minha mansão... Somos inimigos mortais que travaram incontáveis guerras ao longo das eras... Desde a era mitológica.


- Estou surpresa em saber que você é Poseidon... - só que não. - mas agora não é hora de discutir isso. Você precisa parar esta chuva imediatamente. Pare as tsunamis e enchentes que estão devastando o mundo!


- Foi isso que você veio fazer aqui?


- Esses eventos estão acontecendo por sua causa. Você não pode matar mais inocentes!


Isso, de acordo com o plano. Peça para ele parar as enchentes e quando ele disser "não", diga que irá tomar o lugar da Terra e irá entrar no Pilar Principal.


- Infelizmente, não há nada que eu possa fazer. Em 30 dias, esta chuva irá cobrir a Terra inteira e o nível da água não diminuirá durante 150 dias. Todos os humanos serão apagados da face da Terra. Toda a maldade da humanidade irá se extinguir junto com eles.


- Isso é loucura! Nem todos os humanos são ruins! É verdade que muitos tem seus corações manchados, mas também há aqueles de bom coração! Você também vai condenar à morte até mesmo crianças e bebês inocentes?


- Antes, eu pedi que fosse minha noiva. Meus sentimentos não mudaram. Una-se a mim e vamos governar o mundo juntos! Os humanos jamais deveriam ter dominado a Terra!


- Eu já disse que não.


- É por causa do seu noivo? - ele rosnou.


- Não. Eu apenas não gosto da ideia de me casar com um psicopata homicida. - falei.


Ah, droga. Eu não consegui me controlar.


Ele me olhou de olhos arregalados e eu tomei a palavra antes que ele o fizesse.


- Eu irei ficar no lugar da Terra! Eu irei receber as chuvas e enchentes no lugar dos humanos!


- Muito bem. Como está tão determinada, vou lhe dar uma chance. Mas saiba que receber as chuvas só irá atrasar a inundação durante um tempo.


- Se isso irá retardar a destruição da Terra, mesmo que por pouco tempo, eu o farei de bom grado.


Ele indicou para que eu o seguisse. Saímos do templo e fomos na direção de um pilar que havia atrás do templo. O Grande Suporte Principal.


Ele abriu as portas e falou para eu entrar. Entrei e me vi em uma câmara dentro do Suporte Principal. Julian apareceu em uma janela um pouco acima da porta.


- Atena, você conhece o significado da expressão "pilar humano"? - ele perguntou sorrindo.


- Sim.


O sorriso sumiu do seu rosto e ele tossiu, se recompondo.


- Bom. Já que você sabe, eu não preciso perder tempo lhe explicando. - falou. - Atena. Você será o pilar humano que irá proteger o templo de Poseidon! Meu templo será indestrutível mesmo que a galáxia inteira um dia acabe! Foi escolha sua, Atena.


Água começou a encher a câmara. Calmamente, andei até o centro da câmara e fiquei para em pé lá.


- Esta é a água da chuva que deveria cair sobre a Terra. Com o tempo, ela preencherá esta câmara completamente! Se os seus preciosos cavaleiros não conseguirem resgatá-la, você se tornará parte do Suporte Principal por toda a eternidade!


Ele fechou a janela e eu senti seu cosmo se afastando. Juntei as mãos em prece e comecei a elevar o meu cosmo para me comunicar com o Santuário.


"Mu... Está me ouvindo?"


"Sim, Atena. O que deseja?"


"Eu estou no templo de Poseidon."


"Perdão?!"


"Não tenho tempo para explicar. Eu preciso que você pegue uma coisa para mim que está aí no Santuário e traga para onde eu estou. Pode ser difícil, mas eu realmente preciso disso."


"Claro, Atena. Do que precisa?"


Falei para ele o que eu queria que ele trouxesse e ele concordou em trazer, embora demorasse um pouco. Falei que estava tudo bem e cortei a nossa conexão.


Agora...


Olhei ao redor, a procura da Ânfora.


Kanon deve ter escondido em um local que não seja visível para as pessoas. Eu tenho que me apressar e encontrá-la antes que a câmara seja inundada de água.


Passei as mãos nas paredes, tentando encontrar alguma pedra solta.


Nada.


Suspirei desapontada e continuei a procurar. O nível da água subia cada vez mais.


Estou ficando sem tempo.


Percorri o meu olhar novamente e vi um tijolo solto em uma das paredes. Corri até lá e o tirei. Vi a Ânfora escondida ali e rapidamente comecei a tirar os outros tijolos para pegá-la.


O nível da água já estava no meu peito quando eu consegui pegar a Ânfora. Suspirei aliviada e a segurei contra o meu peito.


Agora, eu só preciso esperar.


O nível da água foi subindo cada vez mais. Prendi a respiração quando fiquei completamente submersa e apertei a Ânfora contra o meu peito com mais força.


Estou ficando sem ar...


Aos poucos senti minha visão escurecer. Fechei os olhos e não senti mais nada.


...


Abri os olhos de uma vez. Olhei ao redor e vi que estava em um quarto roxo e com vários pôsters de animes na parede.


Esse quarto me é familiar.


Arregalei os olhos e me levantei de uma vez. Corri até o banheiro e olhei no espelho.


Cabelo preto curto, pele morena, olhos escuros e um rosto normal. Não era eu. Não, era sim eu...


- Diana, o que você está fazendo? - olhei para a porta e vi uma mulher de cabelo comprido jogado me encarando.


Com as mãos tremendo, corri até ela e a abracei.


- Tia!




Notas Finais


Vou postar o próximo capítulo em breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...