1. Spirit Fanfics >
  2. Eu Me Tornei A Deusa Atena >
  3. Capítulo 28

História Eu Me Tornei A Deusa Atena - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 28 - Capítulo 28


Abri os olhos. Eu estava flutuando no ar. Olhei para baixo e vi um cenário digno de ser considerado o próprio inferno.


- Terrível, não concorda, Atena? - uma voz perguntou.


Uma mão segurou a minha e eu comecei a descer lentamente na direção do chão. Olhei para baixo e vi Shaka segurando a minha mão enquanto me guiava na direção do chão.


- Shaka... - comecei.


- Você não pensou que iria até o Mundo Inferior sozinha, pensou? - ele perguntou.


Sorri.


- Por um momento, sim, mas agora estou mais aliviada por você estar aqui. Obrigada, Shaka.


Nossos pés encostaram no chão.


- Não precisa me agradecer. - ele falou. - Devemos nos dirigir aos Elísios, o lugar onde Hades está, o mais rápido o possível.


- Hades não está nos Elísios. Ele se encontra na Giudecca. É para lá que devemos ir. - falei.


- O que Hades faria na Giudecca? Sei que é onde se encontra a Oitava Prisão e o castelo de Hades, mas ele normalmente fica nos Campos Elísios.


- Hades ainda não despertou completamente. Ele deve estar na Giudecca, ainda parcialmente adormecido. Devemos esperar até que ele desperte.


- O quê?! Atena, por quê? - ele perguntou incrédulo.


Fechei os olhos.


- Um eclipse começa a surgir. A lua irá cobrir completamente o sol, deixando a Terra completamente mergulhada na escuridão por toda a eternidade. Esse evento ocorre por causa do poder de Hades. Eu preciso fazê-lo parar o eclipse antes de derrotá-lo.


Abri os olhos e o encarei.


- Vamos esperar Hades despertar, por favor. - pedi.


Ele assentiu com a cabeça.


- Sim, Atena.


...


Esse cosmo...


- Atena, sinto um grande cosmo vindo da Giudecca. Parece que valeu a pena esperar. - Shaka falou.


- Ele finalmente apareceu no Mundo dos Mortos. Hades. - falei.


Shun... Eu estou indo te salvar.


...


- Quem está aí? Disse que não quero ser incomodado. Aconselho que vá embora. - ouvi a voz de Shun.


- Não posso. - falei saindo das sombras.


- Então, o cosmo por perto era o seu. Atena.


- Hades.


- Então você finalmente apareceu, para oferecer sua vida a Hades.


Shaka surgiu ao meu lado. Olhei para Hades, constatando que o cabelo dele ainda estava verde, da mesma cor do de Shun.


Comecei a subir as escadas e fui na direção de Hades. Passei ao lado do tridente de Pandora, que estava fincado no chão, e o peguei.


- Hades. Eu venho aqui com um favor para lhe pedir. - falei.


- Um favor? - ele perguntou.


- Por favor, pare o Grande Eclipse com o seu poder. Quero que você evite que o mundo vá para as sombras.


- Atena! - Shaka exclamou.


- Você vem até mim, me pede isso e espera que eu aceite o seu pedido quando você está com uma arma em mãos?


- Estou disposta a usar essa arma para tirar minha própria vida, se essa for a condição para que você pare o eclipse. - falei.


E para usar o meu sangue para trazer o Shun de volta.


- Sua vida? Está disposta a se sacrificar?


- Sim, se isso significar que a Terra será salva.


Instalou-se um silêncio ensurdecedor.


- Está bem, irei aceitar sua vida.


Estendi a lança para ele, que a pegou e apontou na minha direção. Ele avançou na minha direção e eu peguei a lâmina da lança com as mãos antes que me atingisse. Sangue escorreu das minhas mãos para a lança e o chão.


- O que houve, Atena? Não ia se sacrificar pelo mundo? - Hades perguntou. - Ou sua vida é muito preciosa?


- Todas as formas de vida são preciosas, e todo o esforço vale para salvá-las. Para os meus Cavaleiros, a minha vida é preciosa, assim como a vida deles e de todos os humanos são para mim. Eu não vou jogar a minha vida fora enquanto eles estiverem aqui, zelando por mim, pela minha segurança e de todo o mundo. Eu não vou deixar você me matar, muito menos destruir a Terra! Por isso que nasci nesta era!


- É incrível como você, a Deusa da Sabedoria, muda de idéia tão rápido. - disse Hades.


- Eu nunca mudei de ideia, eu apenas precisava que você encostasse no meu sangue. - falei sorrindo.


- O quê?


Ergui a lança, fazendo com que meu sangue escorresse e chegasse até a mão dele. Elevei o meu cosmo e a pulseira de flores em seu pulso começou a irradiar uma luz esbranquiçada. Ele gritou de dor e eu senti o cosmo e a alma de Hades começar a deixar o corpo de Shun.


Ele caiu e eu segurei seu corpo antes que ele atingisse o chão. A alma de Hades surgiu em minha frente e eu apontei a lança para ele.


- Como isso é possível?! Shun nasceu neste mundo para ser o meu receptáculo! - a voz dele ecoou na minha mente.


- Errado. Você escolheu o Shun. Ele nasceu neste mundo para ser o Cavaleiro de Andrômeda e meu companheiro! Não para virar o seu corpo. Desista, Hades. Você escolheu a hora errada para renascer. Você não tem o corpo para voltar à Terra. Você nunca vai conseguir ressuscitar nessa era! Agora, não adianta mais lutar! Pare o Grande Eclipse e volte a dormir, Hades!


- Atena! - ele avançou na minha direção, mas eu joguei a lança na sua direção, perfurando a sua alma graças ao meu sangue que ainda estava na lâmina. Ele gritou e uma luz avermelhada iluminou o salão.


Fechei os olhos e quando os abri novamente, Hades havia desaparecido. Shun soltou um gemido de dor e eu olhei para ele, que lentamente abria os olhos.


- Shun! Você está bem?! - perguntei o deitando no chão.


Shaka correu até nós. Eu havia ordenado que ele ficasse parado sem fazer nada, então entendia o porquê de toda essa agitação da parte dele.


- Acabou? Hades foi derrotado? - o loiro perguntou.


- Não. Ele fugiu para os Campos Elísios. Para derrotá-lo de uma vez por todas, é preciso ir até lá e selá-lo. - falei.


Eu não posso matar Hades. Se eu o fizer, o Mundo dos Mortos entrará em colapso e os Titãs e Gigantes que ficam aprisionados no Tártaro serão libertados. E sem falar que as almas dos humanos não terão um lugar para ir depois de mortos. Eu realmente não sei como as coisas ficaram depois que o Ômega acabou, mas me lembro de ler uma manchete que dizia que o próximo projeto de Kurumada seria sobre a batalha dos deuses e dos Cavaleiros contra os Titãs e os Gigantes. Eu realmente não quero que isso aconteça, então, não posso matar Hades.


Passei o braço de Shun pelos meus ombros e fiz um esforço para levantá-lo. Shaka pegou o outro braço de Shun e passou pelos seus ombros, o erguendo sem um pingo de dificuldade.


Passamos pelas cortinas que haviam atrás do trono e andamos por algum tempo, até chegarmos a um muro.


- O Muro das Lamentações, o fim do Inferno. Só os deuses conseguem passar daqui. Essa parede não oferece nada além de morte para mortais. - falei.


- Atena, não está pensando em ir sozinha atrás de Hades, está?! - Shaka perguntou assustado.


- Não. Mesmo que eu consiga derrotar Hades, ainda há os deuses da morte e do sono, Thanatos e Hypnos. Eu não dou conta de três sozinha. Não gosto disso, mas preciso esperar aqui até que os outros cheguem. - falei abaixando a cabeça.


E enquanto eu espero, a lua vai cobrir o sol cada vez mais. Não temos muito tempo.


- Vamos esperar, Shaka. - falei colocando Shun deitado no chão.


- Sim...


Me sentei no chão e fechei os olhos. Vários minutos se passaram. Por fora, eu esperava pacientemente os outros chegarem, mas por dentro, eu estava um turbilhão de emoções.


Ouvi passos apressados se aproximando e abri os olhos.


- Atena! - os Cavaleiros de Ouro e os de Bronze chegaram correndo no local. A maioria deles estava com as armaduras quase completamente quebradas, mas eles pareciam não ligar.


- Pessoal! - me levantei e fui até eles. Seiya e os outros me abraçaram.


- Sumire! Você está bem! - Seiya falou sorrindo.


- Sim, eu estou. - falei sorrindo de leve, mas logo fiquei séria.


- Que parede é essa? - Aiolia perguntou.


- É o Muro das Lamentações. - Shaka falou. - Para chegar até onde Hades está, precisamos atravessá-lo, mas somente deuses podem passar por esta parede.


- Eu posso atravessar o muro, mas eu não consigo lutar contra Hades e os deuses gêmeos sozinha. Eu preciso que vocês atravessem comigo. - falei.


Eles se entreolharam e assentiram com a cabeça.


- O que temos que fazer?


- Para destruir o Muro das Lamentações é necessário de luz do sol. Em um lugar cheio de escuridão, a luz representa a esperança. Luz é a fonte de vida, desde que tenhamos luz do sol, podemos destruí-lo. - Shaka falou.


- Mas no Mundo dos Mortos... - Shun falou se levantando.


- Shun! - Ikki correu até ele e o ajudou a se levantar. - Você está bem?!


- Sim. A Sumire me salvou. - ele falou. - Como podemos destruir o Muro se não temos a luz do sol?


- Podemos quebrá-lo. - falei. - Podemos quebrar o Muro das Lamentações. Combinando os poderes dos Cavaleiros de Ouro, criamos a luz do sol.


- Atena, o que você quer dizer? - Mu perguntou.


- As doze constelações do zodíaco são eclípticas. Eclíptico é o caminho em que o sol se move em um ano. As doze constelações das Armaduras de Ouro estão no caminho do Sol e elas têm absorvido poder do Sol desde os tempos antigos. Temos um acúmulo ilimitado de luz do sol no interior das Armaduras de Ouro. - me virei para os Cavaleiros de Ouro. - Se vocês queimarem seus cosmos e atacarem a parede com o poder do Sol, conseguirão destruir o Muro, com certeza. Mas isso irá custar suas vidas, por isso que eu irei ajudá-los.


- Atena?!


- Com o meu cosmo, vocês serão capazes de destruir o muro e ainda sairão ilesos. - falei.


- Mas, senhorita, isso é perigoso! Se algo acontecer com você... - Aiolos começou.


- Então, vocês todos preferem morrer?! Porque eu não! Eu não quero me nenhum de vocês morram. - falei. - Eu vou ajudá-los! Esse é meu dever como Atena!


Aiolos me encarou por alguns segundos e assentiu com a cabeça. Ele pegou o arco de sargitário e uma flecha e se posicionou para atirá-la na direção do muro. Fiquei ao lado dele e coloquei as mãos em seu braço esquerdo, que segurava a flecha. Os outros Cavaleiros de Ouro se posicionaram ao nosso lado.


Me concentrei e elevei o meu cosmo. Uma aura dourada nos envolveu e a energia começou a se acumular na flecha.


- Seiya, meninos, é melhor vocês saírem daqui. - falei.


- Sumire! - Seiya falou. - Nós não vamos embora!


- Seiya, nós, os doze Cavaleiros de Ouro e Atena vamos transferir todo o nosso cosmo para a minha flecha. É a primeira vez que isso acontece. Mesmo pequena, ela vai criar a luz do sol e destruir o Muro das Lamentações. O impacto do ataque será poderoso o bastante para causar isso, mas pode machucar quem estiver nas proximidades. Se entenderam, saiam daqui. - Aiolos falou.


- Mas...


- Meninos, me escutem. - eles olharam para mim. - Depois de destruir o muro, não teremos tempo a perder, então eu irei imediatamente atrás de Hades. Vocês devem vir atrás de mim o quanto antes para me ajudar. Só os deuses podem passar pelo Muro das Lamentações. Se um mortal tentar passar por um buraco para os Elísios ele será jogado de volta ou mandado para outra dimensão. Mas não é impossível para vocês. Suas Armaduras foram banhadas com o meu sangue. Seus corpos foram abençoados com o sangue de um deus. Vocês devem viajar pelo caminho dos Elísios, onde só deuses podem ir e ir atrás de mim, entenderam?


- S-Sim.


Sorri.


- Ótimo. Seiya, me entregue a minha armadura.


Ele assentiu com a cabeça e pegou a pequena estátua, a estendendo para mim. A peguei com a mão esquerda e sorri.


- Obrigada por trazerem isso até aqui. Agora, saiam daqui.


Seiya fechou as mãos em punho, mas foi. Os outros o seguiram, hesitantes. Coloquei a armadura perto do meu peito e olhei com firmeza para o muro.


Tem que dar certo...


A luz se intensificou e Aiolos lançou a flecha. O local explodiu e minha visão escureceu.


...


Abri os olhos e vi que estava caída no chão. Me levantei e vi que os Cavaleiros de Ouro estavam caídos no chão, inconscientes. Rapidamente chequei se eles estavam bem e suspirei aliviada ao ver que nenhum deles estavam mortos.


Deu certo... Agora.


Ergui as mãos e elevei o meu cosmo. Esferas esbranquiçadas surgiram ao redor deles e eles lentamente começaram a desaparecer.


Isso vai enviá-los de volta para o Santuário.


Observei eles desaparecerem e me virei na direção do muro. Havia um enorme buraco no centro dele. Ergui o braço e o báculo de Nike surgiu na minha mão direita.


É hora de colocar um fim nisso.





Notas Finais


Vou postar o próximo capítulo em breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...