História Eu mudei! - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Dreyfus, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Gustav, Hauser, Hawk
Tags Aventura, Baine, Hentai, Kiane, Melizabeth, Romance
Visualizações 80
Palavras 2.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora 😶

Capítulo 3 - Margaret? Elaine?


Fanfic / Fanfiction Eu mudei! - Capítulo 3 - Margaret? Elaine?

A prateada acordou sem se lembrar de muita coisa. Ela se sentou cama, esfregou os olhos com os pulsos e olhou em volta. Ela estava em seu quarto,mas como? A última coisa de que ela se lembrava era de uma dor de cabeça infernal. 

Ela se levantou e enrubreceu ao perceber que estava completamente nua. Suas roupas estavam encima de uma cadeira. A prateada se vestiu enquanto rezava para que fosse Diane ou Merlin que haviam tirado suas roupas. 

Ela saiu do quarto e andou pelo corredor, apreciando o barulho que seus saltos faziam no chão de madeira. Desceu as escadas e encontrou os pecados fazendo uma pequena reunião no bar. 

- princesa,que bom que acordou. Por favor sente-se. - Merlin foi a primeira a notar sua presença. Elizabeth fez o que foi pedido e aguardou anciosamente que Merlin lhe dissesse o que aconteceu. - do que se lembra sobre a noite anterior? 

- só me lembro de uma dor de cabeça horrível. - respondeu. - e…também lembro da Diane tentando me ajudar. Não sei, quando eu tento lembrar minha cabeça gira. 

- entendo. Já havia acontecido isso antes? 

- não, é a primeira vez. 

- quando você sabe quem, se comunicava com você, não era a mesma sensação? 

- não! Eu nunca me senti assim. Quando "ele" se comunicava comigo eu apenas ouvia sua voz,nada mais. 

- mas isso é óbvio. - Gowter se pronunciou. - dessa vez "ele" tirou a consciência da princesa sem que ela dormisse. Ele se apoderou da mente e do corpo dela. A princesa Elizabeth deixou de existir por alguns instantes,é óbvio que iria doer. 

- Gowter tem razão. - Meliodas. - são invasões mentais de intensidade diferentes. 

- eu nem sei por que aquele desgraçado sismou comigo. 

- ele pode gostar de você. - Diane sugeriu. 

- gostar de ver os amiguinhos dele abusarem de mim, né? 

- abusaram mesmo de você, princesa? - King 

- mais vezes do que eu consigo contar. - Elizabeth respondeu olhando para um ponto fixo na parede. - era só o que me faltava, agora a qualquer momento "ele" pode me controlar. - resmungou. 

- não só você,mas a todos nós. 

- temos que fortalecer nossas mentes. - Merlin comentou com a mão no queixo, aparentando estar pensativa. - o Escanor vai ter que esperar! conheço uma mulher que vai nos ajudar com isso mas, ela mora um pouco longe. 

- por que não vamos com o seu teletransporte? - Hawk

- onde ela mora tem um poderoso feitiço de proteção, não te como nos teleportar pra lá. 

- ah que ótimo,mais trabalho pra gente! - Ban reclamou. 

- Ban, você é o pecado da ganância,pare de agir como o urso da preguiça! - Diane 

- você não manda em mim,poste. 

- O QUÊ?? 

- não briguem! - Meliodas ordenou

- ele que começou! - Diane murmurrou cruzando os braços. 

- vou chamar o Arthur para podermos partir. - Merlin afirmou, em um estalar de dedos da maga e,ela não estava mais alí. 

.

.

.

Elizabeth saiu do bar, ainda não haviam partido,  ainda estavam esperando Arthur resolver algumas coisas no reino. Ela se deitou na grama, fechou os olhos e respirou fundo, logo caindo no sono

* ****

- onde eu estou? - perguntou a prateada. Ela estava flutuando em um lugar completamente vazio,sem chão,sem teto,parede,nada, só branco para todo lado. 

- oi! - uma garotinha loira apareceu na frente dela. - é um prazer te conhecer, meu nome é Elaine. 

- Elaine? A namorada do Ban? 

- eu mesma hihi 

- sem ofensas, você não estava morta? Aí meu Deus,eu estou morta? 

- não haha, eu só estou usando seus sonhos para me comunicar com você. 

- ah tá! Então,é realmente um prazer. 

- Elizabeth, eu tenho um assunto sério pra falar com você. - a prateada engoliu em seco, mas continuou prestando atenção na loira. - como você sabe eu estou morta,mas você pode mudar isso. 

- eu posso? 

- sim, você é uma deusa, as deusas tem esse poder. 

- que legal! 

- mas, você só pode reviver três pessoas em toda sua vida. 

- oh…. 

- por favor eu te imploro, me leve de volta ao mundo dos vivos,eu quero ver o Ban. 

- eu não sei como fazer isso! 

- é simples! Quando acordar, vá a um lugar selêncioso  e relaxe. O resto você vai descobrir na hora. 

- mas, Elaine….

***

- princesa! Princesa! - Elizabeth acordou com a voz de Ban a chamando. - o capitão está chamando, já vamos partir.

- oh, claro, claro,estou indo. 

- a senhorita está bem? 

- sim!- mentiu, não queria dar falsas esperanças a Ban sobre o retorno de sua amada, se ela não conseguisse ou se sua conversa com Elaine tivesse sido apenas um sonho o Albino ficaria muito decepcionado. Até que ela descobrisse se era verdade e se conseguiria fazer tal feito ela manteria isso em segredo. 

.

.

.

- vamos parar aqui pra mama Hawk descansar! - Meliodas afirmou. Os pecados, Arthur, Hawk e Elizabeth tinham viajado por um dia inteiro. O sol já estava se pondo, dando espaço para a lua cheia brilhar em toda a sua beleza. 

Eles haviam parado na frente de um lago lindo, a água cristalina refletia a luz da lua, as flores davam ao lugar um toque especial e a grama brilhava em um verde Maravilhoso. 

Elizabeth saiu do bar, o vento gélido do crepúsculo mordeu sua pele pálida a fazendo se arrepiar, o mesmo vento fez seus cabelos prateados voarem junto com algumas partes de suas roupas. 

Os outros saíram logo depois dela, Ban carregava barris cheios de cerveja e Meliodas preparava o fogo. Diane conversava animadamente com o pecado do urso. A prateada sorriu ao ter uma pequena lembrança da sua primeira jornada com os pecados capitais e, se dirigiu até onde estava Lith. 

- você não era tão quietinha assim. - falou para o animal, enquanto afagava sua cabeça. - machucaram você, não é? - a dragoa apenas virou o rosto e bufou. - vou me vingar de todos, não se preocupe. 

- ELIZABETH!!! - ela se virou para a voz de Hawk,o porquinho estava tentando fugir de Meliodas que aparentemente estava tentando o assar. 

- SIR MELIODAS LARGA O HAWK!! - ela correu até eles,na tentativa de resgatar seu amigo. 

- eu só quero fazer um torresminho! - Meliodas resmungou.

- eu vou fazer torresmo com a sua cara! - o porquinho pigarreou. 

- ah,vocês são chatos! - Diane

- por que diz isso Diane? - Elizabeth

- principalmente você,Elie. Eu adoro porco assado e você não deixa o capitão assar o Hawk. - respondeu. 

- vocês são muito insensíveis! - Elizabeth afirmou enquanto apertava o porquinho entre seus seios. 

- olha só, Elizabeth, eu não gosto dessa visão.

- oh, desculpe Hawk- Chan! - pediu enquanto colocava o porco no chão. 

- fala só por você! 

- CAPITÃO!!! - Diane gritou quando viu o loiro com a cara nos seios de Elizabeth. Todos os demais presentes deram risada da situação.

.

.

.

- lembrem-se: não falem com ninguém! - os pecados e os outros estavam a frente de uma pequena vila, iriam se separar em duplas e um trio  para andar pela vila e comprar as coisas que precisariam para abrir o bar naquela noite e extrair algumas informações dos moradores. 

- os grupos são: eu e a Elizabeth…- Meliodas começou a divisão dos grupos. - Diane e King, Ban e Hawk e Merlin, Gowter e Arthur. 

- ok, vamos Kingu!! - Diane chamou o moreno já entrando na vila. 

.

.

.

 Elizabeth e Meliodas já estavam caminhando a um bom tempo, aquela vila poderia ser comparada a uma grande cidade. Eles estavam agora andando por uma feira, pegando tudo de que precisam. 

- hum, precisamos de tempero. - Elizabeth afirmou indo até o vendedor de tal produto. Enquanto a prateada conversava com o vendedor Meliodas percebeu uma pessoa suspeita, não dava pra saber se era homem ou mulher porque a tal pessoa andava encapuzada, nem sequer seus cabelos eram visíveis. - o Ban vai adorar esse tempero,dizem que é o melhor de todos e… o que foi? 

- está vendo aquela pessoa? - o loiro apontou e Elizabeth só assentiu com a cabeça. - suspeito, não acha? 

- um pouco,mas pode ser alguém que não gosta da multidão. Ou um vampiro.

- vamos segui-la! - e assim o fizeram, seguiram aquele ser suspeito por um tempo,mas "ele" percebeu estar sendo seguido. 

- o que querem? - a voz suave ecoou no beco escuro. Não haviam mais duvidas,era uma mulher. - por que estão me seguindo? 

- achamos você suspeita. - o loiro respondeu. 

- saiam da minha frente,eu vou embora! 

- você só vai sair daqui quando nos disser quem você é! - Elizabeth afirmou séria. 

- escolho a segunda opção! - em movimentos rápidos a prateada levou um chute no rosto. 

Ela revidou com um soco que foi broqueado por sua "inimiga" Meliodas também atacou, mas seu alvo se abaixou, com a cabeça no chão e as pernas abertas em um espacate, ela girou sua corpo, dando vários chutes nos rostos de ambos os seus adversários. 

Após alguns segundos segundos de luta, Elizabeth conseguiu segurar os pulsos da mesma, a fez se deitar no chão e tirou o capuz da mesma. 

- Margaret?? - ela não estava exatamente igual,mas era reconhecível. Seus cabelos violetas estavam maiores, seu rosto assim como o de Elizabeth mais maduro e os olhos mais brilhantes. 

- quem é você e como sabe o meu nome? - Ela perguntou irritada. 

- sou eu,Marge. A Elizabeth. 

- e o Meliodas! - o loiro se manifestou. 

- Elie? Mas Elizabeth não é tão madura assim. Ela é uma adolescente e quanto a você, "Meliodas": o que faz com essa garota?

- princesa, não sei se você sabe mas, se passaram oito anos desde a última vez que a senhorita viu sua irmã. Ela mudou! - o loiro respondeu. 

- não pode ser….. cadê a Lith? 

- está com a mama Hawk, irmã. 

- então….é mesmo você? 

- sou eu sim! 

- legal…dá pra me soltar? 

.

.

.

- onde estão os outros? - Elizabeth perguntou. Agora estavam todos no chapéu de Javali, incluindo os pecados que antes estavam espalhados pela vila. 

- estamos morando em uma caverna,uma vez por mês alguém tem que vir buscar comida, hoje foi minha vez. - a rouxeada respondeu. - por onde você andou? 

- eu estive presa por anos. Meliodas e os outros me salvaram a uns dias. 

- cinco dias para ser mais exato. - Gowter. 

- como conseguiram fugir? - Elizabeth. 

- longa história! - Margaret

- nós temos tempo. - Meliodas. Margaret suspirou e começou a narrar os fatos.

- depois que a Elizabeth fugiu da sala de jantar,alguns guardas ficaram nos vigiando e os outros foram atrás da Elie…..

 

                                    FRASHBACK ON

 

- me solta!! - Verônica se debatia descontroladamente nos braços de um dos guardas. - ME SOLTA!!! - ela conseguiu se soltar e surpreendente fez os outros guardas soltarem sua irmã e seu pai. - vamos embora!

- mas e a Elie? - Margaret perguntou. 

- não temos tempo,ela vai ficar bem! - eles correram para fora do castelo,mas fora dele estava muito pior do que dentro. Os aldeões tentavam proteger suas famílias dos soldados inimigos a todo custo, vários deles estavam mortos e,os que jaziam vivos carregavam graves ferimentos. 

- a família real achou mesmo que iria fugir? - uma voz debochada foi ouvida pelos três. Ao olharem para trás eles se viram a frente de um exercito não muito grande mas também não era pequeno. - peguem logo eles! - os soldados fizeram o que os foi pedido. Verônica dessa vez havia ganho um ferimento em ambos os braços para que não tentasse fugir novamente.

- é melhor matá-los, não precisamos deles.- os três congelaram com tais palavras, não era assim que eles haviam imaginado suas mortes. - comece pela princesa mais velha! - sem o menor cuidado Margaret foi jogada de joelhos no chão. Um dos homens preparou a espada encima do pescoço da mesma,pronta para a matar sem dó nem piedade. 

- não toque nela! - Baltra implorou entre lágrimas. 

- você não tem autoridade sobre nós,reizinho de merda. - o invasor fez um movimento, indicando para que seu homem terminasse o serviço.

Margaret, a aquela altura já rezava para que sua alma encontrasse a paz. A rouxeada pedia um descanso pacífico de sua alma na Necrópole, pedia que Deus tivesse piedade de sua existência e, perdoasse seus pecados. 

O homem encarregado de matar a primeira princesa recebeu uma grande descarga elétrica, morrendo instantâneamente. 

- meu amor, você está bem? - os olhos da rouxeada brilharam em alegria quando ela ouviu a voz do seu amado. 

- Gil!! - ela o abraçou com a voz embargada pelo choro. 

- Griamore! - Verônica foi até o moreno com o semblante sério. - onde você estava? Seu inútil! 

- depois você briga com ele princesa. Agora nós precisamos fugir. - Hawser afirmou. 

  

                                 FRASHBACK OF

 

- depois disso nós conseguimos fugir e nos escondemos em uma caverna antiga bem longe de Liones. Bom,eu vou voltar pra lá, encontro vocês com os outros depois. 

- vou esperar anciosa,irmã. - as duas princesas se abraçaram e, Margaret foi embora. 

- você parece mais tranquila. - Meliodas comentou. Elizabeth apenas sorriu e assentiu com a cabeça.

.

.

.

Novamente fora do bar Elizabeth caminhava para o longe possível do mesmo. 

- esse lugar deve servir! - afirmou para si mesmo ao avistar a margem de um rio no qual caia uma cachoeira. Ela sorriu boba ao se lembrar do dia em que ganhou Lith,o mesmo dia em que Meliodas partiu seu coração  em dois….tsc

Deixando esses pensamentos de lado,ela se sentou o mais confortável possível na areia,bem perto da água. A prateada fechou os olhos,inspirou e espirou lentamente,ela se amaldiçoou por não conseguir relaxar e abriu os olhos enfurecida. 

- hurg não con….sigo…. - ela não estava mais a frente do rio. Ela agora estava em um lugar repleto de cristais verdes nos mais variados tamanhos. A princesa se levantou confusa. Como ela havia ido parar alí?Ela reconhecia aquele lugar,mas não se lembrava de  quando estivera alí em algum outro momento da sua vida. - ahhh…. - ofegou quando finalmente se lembrou. - estou na Necrópole.


Notas Finais


Desculpa se o retorno da Elaine ficou clishê mas ela vai ser importante em alguns acontecimentos futuros. Ou não, minha mente é imprevisível 😛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...