História Eu mudei por amor - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite meninas! Nossa estou tão feliz e agradecida por vocês estarem gostando da fac. Espero que vocês gostem do capítulo. Sei que algumas se preocuparam quando viram o Aldo aparecer na fac, e neste capitulo vocês vão ver que assim como na novela, ele é mentiroso e dissimulado. Será que ele vai mais uma vez atrapalhar nosso lindo casal?
Bem a resposta está aqui em baixo, espero que gostem, bjs.

Capítulo 7 - Fernando conta a sua verdade, parte 1


Lety conversava todas as noites com os pais, e com Tomás mas ela havia pedido a ele que não comentasse nada sobre a empresa e nem sobre Fernando, e ele respeitou seu pedido. Mesmo começando a acreditar no amor de Fernando por ela. Tomás quis contar a ela que tinha visto Fernando dando um chega para lá em uma modelo, e que tinha o encontrado na salinha que era dela olhando para uma foto dela e chorando. Mas como tinha prometido que não falaria nada sobre a empresa ou sobre Fernando se calou.

Para Lety os dias que se passaram depois da reunião foram transformadores. Apesar de está ocupada com seu trabalho, ainda não tinha conseguido vencer a dor completamente, mas a cada dia ela se sentia mais forte. Em muitas ocasiões se lembrou de Fernando, mas decidiu só se lembrar dos momentos felizes, como se tudo não tivesse passado de um sonho. Leonora, Carol, Cecília e até uma das candidatas (para estas últimas Lety só tinha contado que tinha terminado um namoro recente, mas que ainda amava muito o ex) sempre a colocava para cima quando a via triste, e foi em um desses momentos que Lety acabou se “transformando” completamente.

O concurso estava quase no fim, e as candidatas estavam se preparando para a última sessão de fotos, antes da final do concurso, que seria na próxima noite. Lety, Cecília e Carol estavam acompanhando as fotos quando Carol teve a ideia de pedir para um dos maquiadores e cabeleireiros as arrumarem para que elas pudessem tirar uma foto com as candidatas. Lety no principio não quis, mas Cecília com seu jeito alegre e brincalhão a convenceu. E Todos tiveram uma surpresa quando viram Lety com o cabelo livre da trança, depilada e maquiada. Mas ninguém ficou mais surpreso do que a própria Lety, que com a ajuda de Carol e Cecília adotou de vez o novo visual.

Fernando estava cansado, pois os últimos dias tinham sido bem puxados. Ele era sempre o primeiro a chegar e o último a sair da empresa. Omar estava muito preocupado com o amigo e tinha o proibido que trabalhar no final de semana.

Fernando: - Mas eu tenho que me encontrar com o diretor da Athus para fechamos o acordo e....

Omar: - Não, eu vou! Afinal fui eu que fiz o primeiro contato. Você está trabalhando muito e não está se cuidando. Fernando você precisa descansar um pouco e se alimentar direito, porque se continuar assim você acabará doente. Então como seu amigo e vice-presidente desta empresa te digo que depois da reunião de hoje a tarde você vai para casa descansar. Eu cuido da Athus.

Fernando: - Mas eu...

Omar: - Fernando me diga o que vai adiantar você recuperar a empresa se morrer no processo?

Fernando: - Não seja dramático Omar, eu...

Omar: - Não estou sendo dramático, mas realista! Já faz duas semanas que você não se alimenta, nem descansa direito. Então por favor, tire esses dias para descansar, na próxima semana você ter reuniões importantes, precisa está preparado!

Fernando nota a preocupação em seu amigo: - Tudo bem Omar, mas só este fim de semana.

Omar sorri: - Certo já é um começo.

A reunião foi com Humberto, Teresinha, Márcia e Tomás para conversarem sobre os avanços da empresa, eles se reuniam quase que diariamente, pois ainda não confiavam em Fernando. Apesar do bom trabalho que Fernando estava fazendo ele podia perceber a frieza com que seu pai se dirigia a ele. E isto o magoou muito, então depois da reunião ele vai embora como tinha prometido ao amigo, mas quando estava perto de casa decide ir para outro lugar. Ele começar a dirigir sem rumo e acaba pegando a estrada, estava distraído lembrando de Lety. Ele estava dirigindo tão rápido que quando percebe, já estava com o carro na areia da praia e por pouco não entra no mar com carro e tudo.

Depois que ele consegue parar o carro ele apoia os braços no volante e abaixa a cabeça, ele só a levanta quando alguém bate em seu ombro.

Aldo: - Você está bem?

Fernando olha para cima e ver preocupação nos olhos do estranho: - Estou! Eu estava tão distraído que só vi que sair da estrada tarde de mais.

Aldo: - Olha você teve sorte! Não é seguro dirigir em alta velocidade como estava fazendo. Você poderia ter morrido.

Fernando olha para o mar: - Eu sei, mas talvez teria sido melhor que eu tivesse morrido.

Aldo: - Não fale assim! Nossa vida é muito preciosa.

Fernando: - Não a minha! Eu só faço tudo errado, só faço quem amo sofrer.

Aldo: - Mas somos humanos, e que bom que cometemos erros. Ninguém é perfeito. A propósito me chamo Aldo Domensaín.  

Fernando segura a mão estendida dele: - Fernando Mendiola.

Aldo então se lembra da estória que Leonora contou sobre Lety, mas ele não podia acreditar que aquele homem que trazia uma dor tão grande em seu olhar, poderia ser o mesmo canalha que usou a Lety. Então ele tenta tirar mais informações dele.

Aldo: - Então Fernando, mesmo correndo o risco de parecer intrometido, que tal eu te ajudar a tirar o seu carro da praia, e você me contar porque acha que sua vida não é preciosa? Sou um excelente ouvinte.

 Fernando olha para aquele estranho, e consegue ver uma curiosidade misturada com bondade naqueles olhos, que lhe dá vontade de se abrir com ele: - Bem quanto a me ajudar a tirar o carro agradeço, mas não sei se você teria tempo para ouvir minha longa estória.

Aldo sorri: - Bem para nossa sorte, estou livre no momento e muito curioso para falar a verdade. Você é um homem de boa aparência, e se o seu carro for um indicio, um homem rico, ou seja, tem tudo o que muitos julgam suficiente para ser feliz. Então porque pensa que sua vida não vale nada?

Fernando triste olha para o mar: - Porque hoje eu sei que aparência e bens matérias não são nada... não se não temos a mulher amada ao nosso lado!

Fernando então com a ajuda de Aldo tira o carro da praia, depois Aldo convence Fernando a tirar o paletó, a gravata, os sapatos e se sentar com ele na praia. Fernando se senta ao lado de Aldo e por um momento fica somente olhando para o mar. Depois de um tempo sem tirar os olhos do mar ele começa a falar.

Fernando: - Minha estória é bem longa então vou te contar a versão bem resumida. Eu por influencia de um amigo, e para esconder de meus pais erros graves que cometi na empresa da família, acabei usando uma mulher maravilhosa, cujo único crime foi me amar. Acontece que eu me apaixonei perdidamente por ela, mas ela descobriu porque me envolvi com ela e sumiu sem que eu pudesse explicar que tudo mudou, que eu a amo...  e agora além de enfrentar o desprezo de meus pais, não sei onde a Lety está. Já faz duas semanas que ela sumiu, e eu sinto que cada dia longe dela eu morro um pouquinho.

Aldo pode percebe a dor e o amor dele por Lety em cada palavra, e sabendo que Lety também estava sofrendo decidiu fazer uma loucura.

Aldo: - Nossa! É uma estória e tanto. Se esta é a versão resumida imagino a versão completa. Pelo o que você falou esta tal Lety deve ser muito especial.

Fernando sorri: - Sim a Lety é a mulher mais maravilhosa do mundo! Eu vou te mostrar, tenho uma foto dela aqui comigo.

Fernando então pega a foto de Lety (aquela 3x4 que ele tinha na carteira), e antes de entregar a Aldo dá um beijo nela. Aldo olha a foto e ver a “velha e feia” Lety, bem diferente da nova Lety, linda e toda arrumada, que ele tinha visto mais cedo. E Fernando falava dela com tanto amor que ele não tem mais dúvidas que Fernando merecia a oportunidade de conversar com ela. Pois era visível o amor que ele sentia por Lety.

Aldo devolve a foto a ele que antes de guardar de volta na carteira dá outro beijo: - Bem como te falei sou muito curioso, e gostaria de ouvir a versão completa. Prometo não te julgar, também já fiz sofrer quem eu amo, e sei como dói, e me ajudou muito falar sobre o problema com outra pessoa.

Fernando olha para Aldo por um tempo: - Você não é repórter é?

Aldo sorri: - Não, não sou repórter! Sou chefe de cozinha e tenho meu próprio restaurante que administro com minha linda e maravilhosa esposa, que me deu dois lindos filhos, e que me faz o homem mais feliz do mundo. Portanto prometo que não divulgarei sua estória para a mídia... eu só quero te ajudar. Como falei as vezes se abrir faz bem.

Fernando olha para ele e percebe que aquele estranho esta mesmo querendo ajudar: - Que bom que você conseguiu se casar com o amor da sua vida. Eu espero que um dia a Lety me perdoe e que aceite se casar comigo, mas antes preciso salvar a empresa, encontra-la e provar que a amo!

Aldo: - Puxa me deixou mais curioso ainda!

Fernando olha para Aldo e sente que pode confiar nele: - Tudo bem eu te conto, mas como te falei a estória é bem longa.

Aldo se levanta e sorri: - Não tem problema, como já falei sou um bom ouvinte. Vem, vamos para minha casa, então preparo uma bebida para nós e você me conta.

Fernando também se levanta: - Tudo bem, vamos!

Eles então vão para o carro e em menos de cinco minutos estão na casa do Aldo, que o leva para fora e pede que ele se sente na varanda dos fundos de frente para o mar, enquanto ele vai buscar as bebidas. Aldo entra em casa e vai direto para a cozinha que era o cômodo mais distante da varanda que Fernando estava, então liga para a esposa.

Aldo: - Amor, você está com a Lety?

Leonora: - Estou chegando aqui no hotel para me encontrar com elas, por quê?

Aldo: - Preciso que vocês venham para casa, mas que não façam barulho quando entrarem.

Leonora preocupada: - Por quê?

Aldo preparava uma bandeja com suco e alguns petisco que ele sempre mantinha na geladeira enquanto falava com ela: - Não tem como te explicar tudo agora, mas por incrível que pareça acabei de encontrar com o ex da Lety, e ela precisa ouvir o que ele tem para falar.

Leonora: - Aldo ela ainda não está preparada para conversar com ele e...

Aldo a interrompe: - Ela não precisa falar se não quiser, mas ela precisa ouvir o que ele tem para falar, é importante. Sei que parece loucura, mas confie em mim!

Leonora: - Eu confio! Sei que não faria isto se não fosse importante. Você o levou para a varanda dos fundos?

Aldo: - Isto então...

Leonora: - Então você quer que entremos silenciosamente pela frente e que fiquemos em seu escritório que como sempre está com a janela aberta, e assim poderemos ouvir tudo sem que ele nos veja.

Aldo sorri: - É por isto dentre tantas outras coisas que te amo!

Leonora sorri: - Eu também de amo, e sei que você não se engana com as pessoas, por isto vou fazer o que me pede. Acho que chegamos em uns dez minutos.

Leonora antes de levar Lety para sua casa a faz prometer que confiaria nela, independente do que acontecesse e que elas entrariam em casa sem fazer barulho, e permaneceriam em silêncio o tempo todo. Lety e Carol estranharam esse pedido mas Lety prometeu que confiaria nela.

Assim que ela desliga Aldo coloca o celular no bolso pega a bandeja e vai ao encontro de Fernando, que estava sentando admirando o mar.

Aldo: - Desculpa a demora, mas aproveitei para preparar uns petiscos também!

Fernando se assusta um pouco com a chegada dele, mas tenta disfarçar: - Sem problemas, e a sua esposa, e seus filhos?

Aldo sorri percebendo que Fernando já não estava tão confiante em lhe contar a estória: - Não se preocupe, ela está com umas amigas e não vai chegar tão cedo! E meus filhos estão com os avôs. Pode ficar tranquilo estamos sozinhos.

Aldo então lhe entrega um copo de suco. Fernando aceita: - Tem certeza que tem tempo, e que não estou te atrapalhando?

Aldo sorri: - A vantagem de ser o chefe é que faço meus próprios horários, tenho uma equipe muito boa no restaurante, além do mais hoje é meu dia de folga. Então não se preocupe, pode me contar a versão completa. Prometo que não contarei a ninguém o que você me falar, mas estou realmente curioso, e se abrir pode te ajudar.

Fernando dá outro cole no suco e vira seu olhar para o mar, depois de um tempo de hesitação ele começa a contar sua estória. Ele começa contando sobre como sua vida era antes e depois da chegada dos Villaroel em sua família. Como começou sua rivalidade com Ariel. Como começou seu namoro com Márcia. Como se sentia pressionado por ela e por sua mãe para que os dois se casassem, e como começou a traí-la. E como foi a disputa pela presidência.

Lety, Leonora e Carol chegaram quando ele tinha começado a falar sobre a disputa da presidência. Lety ao ouvir a voz de Fernando olha assustada para Leonora e se vira para ir embora, mas Leonora a segura e sussurra em seu ouvido “Você prometeu”. Então as três ali no escrito de Aldo ficaram ouvindo Fernando falar. Lety ficou triste por ele, quando ele falou que não se sentia amado pelos pais. Parecia que ele havia esquecido de Aldo, era como se estivesse se confessando para o mar. E ali ele contou suas dores mais profundas. Ele contou sobre os problemas da empresa. Sobre o plano do embargo, e porque tinha pensado na Lety. Que sempre tinha confiando nela, mas que Omar não, e como ele acabou o convencendo. Contou como foram as primeiras saídas e como sempre se sentiu culpado por está a enganando. Aldo apenas ouvia calado, pois era nítido na voz de Fernando a sinceridade e a dor em tudo o que falava. Então ele conta como Omar o convenceu a dormir com Lety, e que ele não queria fazer, pois não poderia magoar a Lety assim. Então Fernando para de falar e fica somente olhando para o mar.

Aldo então percebe que ele não queria contar, pois era algo muito íntimo, mas ele sabia que Lety estava ali, e que ela precisava ouvir de Fernando o que de fato tinha acontecido: - Então você desistiu e não a seduziu!

Fernando então olha para Aldo: - Não, eu não desisti. Eu a seduzi, ou melhor dizendo ela me seduziu!

Aldo o olha surpreso: - Ela?

Fernando sorri: - Sim, ela. Eu não queria fazer aquilo. Não pelos meus preconceitos bobos do começo, mas porque sabia que logo teria que terminar meu namoro com ela, eu não queria magoá-la. A Lety sempre foi minha amiga, e eu não queria.... mas o Omar me convenceu e acabei a levanto a um hotel, e quanto chegamos no quarto eu entrei em pânico, e quando ela entrou no banheiro eu sai do quarto, e liguei para o Omar e falei que não conseguiria, mas o Omar não entendia que a Lety não merecia ser usada daquela forma, e me falou um monte de bobagens. Ele me mandou fechar as cortinas e apagar a luz, e que eu devia fazê-lo pela empresa, e mais um monte de besteiras que nem vale a pena falar... Então eu.... eu voltei para o quarto e ela ainda continuava no banheiro, acho que ela também estava nervosa. Então fechei as cortinas e diminuir a luz. Eu me sentei na cama muito nervoso. Quando ela saiu do banheiro se sentou ao meu lado. Então nos beijamos, e eu puder sentir naquele simples beijo o amor que ela sentia por mim, acho que foi o primeiro beijo verdadeiro que dei nela. Ali eu beijei a Lety, era eu e ela somente... Eu não sei explicar, mas eu me senti diferente como nunca tinha me sentido, e acho que ela percebeu porque me perguntou se eu estava bem. Eu a olhei e tive certeza que ela não merecia ser usada como eu vinha fazendo. Então eu disse a ela que não poderíamos fazer amor... ela me perguntou se era por causa da Márcia. E quando eu disse que o motivo era ela... ela me disse chorando que entendia... que entendia que ninguém como ela poderia despertar este tipo de desejo em alguém como eu... que já tinha sido muito que eu a tivesse beijado... e me pediu perdão por me amar e por me pressionar... não sei explicar o que aconteceu comigo naquele momento, mas eu vir tanto amor e tanta dor nela que quis consola-la, porque me doeu vê-la daquele jeito... então eu a beijei e falei que ela tinha entendido tudo errado, que eu sim queria fazer amor... mas ela disse que eu não precisava fazer amor com ela por pena ou por compromisso, então eu olhei nos olhos e meu coração falou uma verdade que eu ainda não sabia... Eu disse que sim que queria fazer amor porque a amava, então nos beijamos... E quando meus lábios encontraram os dela meu mundo parou, eu aprofundei o beijo... e pela segunda vez eu beijei a Lety, somente ela, não existia mais nada além de nós dois... eu a desejei como nunca tinha desejado outra mulher... então nós fizemos amor. E na escuridão daquele quarto pela primeira vez em minha vida, eu não tive apenas uma relação sexual, eu fiz amor! Pela primeira vez eu experimentei não apenas uma ligação de corpos, mas de almas, e isto me assustou. Eu tentei explicar para o Omar no outro dia como tudo tinha sido especial, mas ele não entendeu, então a partir daquele dia eu mesmo escrevia os cartões que entregava a ela. Mas não cheguei a contar a ele como eu estava confuso com os sentimentos que sentia por ela, apenas disse que tinha sido especial, pois percebi em cada toque o amor que ela sentia por mim, e por ela se minha amiga.

Lety neste momento estava com o rosto banhado em lágrimas, pois Fernando estava descrevendo como tudo tinha acontecido como tanto sentimento, que era impossível não perceber o amor que ele tinha por ela, Carol a olhou neste momento e segurou sua mão e lhe sorriu em silêncio.


Notas Finais


Me perdoem, kkkk, a brincadeirinha antes do capítulo, foi para dá um suspense.
Então gostaram? Esse Aldo é bem intrometido eh? Ainda bem que desta vez foi para o bem do nosso lindo casal. Então o que será que irá acontecer? Vou tentar postar o próximo capitulo amanhã. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...