História Eu (não) fecho com demônio - Jeon Jungkook - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, ATEEZ, Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Eunwoo, Hongjoong, Jackson, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinjin, Jinyoung, Jongho, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Mingi, MJ, Moonbin, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rocky, San, Sanha, Seonghwa, Wooyoung, Yeosang, Youngjae, Yugyeom, Yunho
Tags Bangtan Boys (BTS), Bts Sobrenatural, Comedia, Demônio, Jeon Jungkook, Jungkook, Kook, Sobrenatural
Visualizações 14
Palavras 1.979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DEMONÍACAS QUE AMOOOOOOOO!!!!!!!!😌💞💞

Vocês são lindas, maravilhosas, deusas!!!!!!!!!!

Sim, eu tenho um ou mil parafusos a menos,mas quem nunca teve, né?!
Boa leitura!

Capítulo 17 - Cara, o que está acontecendo hoje?


Fanfic / Fanfiction Eu (não) fecho com demônio - Jeon Jungkook - Capítulo 17 - Cara, o que está acontecendo hoje?

Mano, aquela voz só pode ter vindo para me fazer raiva não tem condição e quem está achando isso massa, top, legal e o escambau?  Se você falou Kayla,parabéns. 


Cinco dias se passaram e a voz continua a aparecer de verdade eu vou me interna porque o caso já está avançado,e sabe o que é mais lindo ? É que a desgraça acha pouco falar comigo durante o dia aparece no sonho! Vê se não é motivo para ficar puta da vida ? 

- S/N! Vem jantar logo! - meu pai grita da sala. 

- Olha, me deixa em paz e não me faz raiva.- Digo para voz que continua sem nome.- Fica aí.


Saio do quarto e sigo para a cozinha vendo a minha família se servi, faço o mesmo e me sento ao lado da minha mãe. Tudo maravilhoso, mas como satanás ama me fazer raiva. Sinto uma respiração no meu braço,fecho os olhos e respiro fundo.

- Está tudo bem, S/A? - meu pai pergunta e olho sorrindo.

- Sim. Só me lembrei que a deixei...a luz do banheiro ligada. - Que bosta de mentira, hein, S/N.

- Come e depois vai desligar porque não andando achando dinheiro no meio da rua.- Meu pai fala e seguro a vontade de revirar os olhos. 

Aí eu percebi que não sentia mais a respiração, sorrio e minha mãe me olha.

- Está zombando do seu pai para esta com esse sorriso aí?  - Porra, mãe! Não é isso,não. Não me fode.

- Mãe! Quê isso ? Sabia que levantar falsa calúnia é crime ? - finjo de ofendida. Mãe não me fode ou o pai vai deixar de castigo.

- É mesmo?  - ela me olha com a sobrancelha arqueada. Fodeu! - Pois a louça do jantar é sua.

Vou nem contestá ou tomo no cú. Volto a comer.


.

Aqui estou eu com a barriga na pia da louça, bucha, detestá gente  - se ler detergente -, e claro minha blusa do Capitão América toda molhada porque gente normal lava sem se molhar, eu parece que quero entrar na pia para tomar banho, não tem condição. 


- Boa noite filha.- Meu pai fala dando um selar na minha testa. - Seu irmão já está dormindo então nada de barulho.

- Boa noite. - sorrio e ele sai.- Nada de barulho 'tá me achando com cara de quê?  Acha que eu tenho poderes ?

- EU 'TÔ OUVINDO, S/N!

- Puta merda! TE AMO PAI! - Ouço a porta sendo fechada.- Cara, eu só me fodo.

Termino de lavar a louça e começa o processo de seca e guarda. O coisa chata, meu amigo. Após termina suspiro e me jogo no chão da cozinha.

- 'Brigada Deus! - Então tudo fica preto.- Mas que bosta. Quem apagou a luz ?

Então vejo um garoto de costas com as mãos sujas de sangue, sua camisa era branca agora está vermelha e um corpo ao seu lado, porém, não consigo ver direito. Estico minha mão para chamar a pessoa então vejo que tem um papel na minha mão, observo atenta já que está borrada a imagem, Namjoon. 

E assim tudo volta ao normal, fecho meus olhos para me acostumar com a claridade novamente. 

- Namjoon? Isso é nome ? - me sento e suspiro.- Satanás aparece. 

Então ouço algo bater na geladeira e um vento frio passar pelo meu pescoço. 

- Diz aí. - voz fala.

- Diz aí, digo eu. - falo ríspida.- Que porra está acontecendo?

- E eu que vou saber. - Tenho quase certeza que esse ser deve ter revirado os olhos.- Mas não sou inimigo.

- Meu querido, quando se trata de atrapalhar meu sono, você virá inimigo. 

- Mas eu não posso impedir de aparecer no sonho.

- Eu só quero dormir é pedir de mais ? - choramingo.- Cara, só uma noite.

- Não depende de me e se de você.

Então tudo fica silêncio e o vento frio passar por mim.

- Ah, vá tomar no cú. 


[ ... ]


Quarta-feira 

06:30 A.M 


Acordo com minha mãe batendo na porta do quarto, bufo e me jogo para o lado vou quase rastejando para o banheiro,  faço minhas higiene e visto uma calça jeans de lavagem clara, a farda - que já estou com vontade de tocar fogo -, coloco os livros que irei usar na mochila, calço meu tênis preto e saio do quarto prendendo o cabelo. 

- Bom dia.- me sento ao lado do Thierry.

- Bom dia.- falam uníssono.

- S/N esse final de semana você irá ajudar sua tia Ara com o restaurante.- minha mãe fala comendo uma torrada e a olho.

- Hein ? 

- Ela precisa de uma ajudante para esse final de semana já que terá um evento no restaurante dela.- Diz. - E já que você não faz nada então irá ajudá-la.

- Ei! Mas eu pensei em ir ver a vovó de novo.- falo tentando fugir do meu possível óbito.

- Irá no outro final de semana. Nesse irá ajudar sua tia, agora termina de comer ou vai se atrasar.  

- Aish! - resmungo e meu pai me olha.- Pai do meu kokoro...

- O que você já quê? - bebe um pouco do seu café.

- Me deixa na escola hoje, por favor.

- Saio em cinco minutos.- ele diz  se levantando. - Se aprece. 


Preciso nem falar que eu sai correndo feito uma louca para escovar meus dentes, né? Pego minha mochila e bato o pé na cama, o ombro na parede e quebro minha unha. AH, MAIS QUE PORRA! 


- Toma.- minha mãe entrega um lancheira.- Sei que vai está p*** da vida.

- Te amo! - mando beijo e saio correndo já que meu pai esta buzinando. 

Adentro o carro e meu pai me olha e gargalha.

- Quê?

- Acho que seu cabelo não está colaborando muito hoje. - gargalha dando partida e olho no espelho.


MANO! QUE PORRA! Meu cabelo parece uma vassoura, sério, todo assanhado. 

- Tem um pente no banco de trás.


Pego e já taco no meu cabelo, faço uma trança despojada e o carro para.

- Está entregue.- sorrir e deixa um selar na minha testa. - Nada de dormir na aula.

- Não irei.- Digo e saio do carro. - Até mais tarde.

- Até.


Coloco uma alça da minha mochila e começo a andar para o purgatório ao passar pelo portão da uma vontade imensa de falar: pai, não me deixa aqui. Só tem demônio aqui, me leva pra casa. Mas como sou uma adolescente de quase 18 está na hora de ir ali fazer bosta. O quê?  Só verdades.

- S/N!!!! - Kayla grita sentada da escadaria. Coloco a mão cobrindo meu rosto. - VEM AQUI, PESTE! 


Me aproximo e sinto alguém passar a mão por minha cintura. Olho para trás vendo Daniel segurar minha cintura o olho sem entender então ele aproxima do meu ouvido e sussurra:

- Me ajuda a se livrar de uma menina da minha sala.- 'Tô falando. Só me fodo.- Por favor, te pago um super lanche amanhã.

- Quem é a guria? - pergunto e ele passa seu outro braço na minha cintura juntando nossos corpos. É comida e outra sou uma amiga maravilhosa então vou ajudar.

- A ruiva que está te encarando agora, ela está próxima do portão. 

- Oi amiga.- falo com Kayla.  E olho disfarçadamente para a ruiva. Mano, ela é linda!

- Percebeu minha existência? - resmunga.- Vai aceitar a proposta dele ?


- Não. Estou conversando com a minha amiga invisível.- os garotos riem.- Sim. Tenho nada melhor para fazer. - dou de ombros.- Mas porquê tas fugindo dela ? Ela é linda.

- E possessiva! - Danilo completa e olho confusa.- Eles ficaram por uma semana e ela não deixava uma menina chegar perto dele que já fazia barraco. 

- Não é para tanto.- Kayla diz prendendo o cabelo.- Daniel nem é lá essas coisas. - fala o olhando por inteiro.

- Obrigada pela parte que me toca.- rimos.

- E aí, meus parças? - Josh chega cumprimentando todo mundo. 

Então Daniel me puxa e deixa seu rosto na curvatura do meu pescoço. AÍ MEU PONTO FRACO PORRA! Kayla me olha e depois olha para o portão, vejo de relance que a ruiva se aproxima com suas duas amigas. 

- Gente, que tal irmos jogar bola esse final de semana ? - Paul pergunta. 

As vezes nos juntamos para jogar bola no campo próximo a casa do Danilo. Não sei se já falei mas ele e o Daniel não são irmãos, e sim primos.


- Ótima idéia sair todos suados, maravilhoso.- Kayla diz.- Mas topo quero evitar de olha para a cara do Ayllon.

- Eu até iria gente mas não vai da.

- Por que?  - Josh pergunta puxando os cabelos da Kayla que não demora a da um chute no mesmo.- Credo!

- Vou ter que ir para Olinda ajudar minha tia com o restaurante. - bufo e eles riem.- Não tem graça.

- Você servindo um mesa.- Kayla rir alto.- Vai se atrapalhar toda.

- Bom dia. - as risadas param e olham para a ruiva.- Desculpa atrapalha mas será posso falar com você Daniel? - a ruiva me olha e sinto Daniel funga no meu pescoço. DANIEL, PORRA! Dou um leve tapa em sua cabeça e ele a olha sem tirar a cabeça do meu ombro.

- Claro. O que houve Rayanne ?

- Sobre o trabalho que iremos fazer para entregar amanhã, pode ser na minha casa ? - ele confirma.- No horário que saímos da escola está bom ? - ele confirma.- Tchau, pessoal!  - ela sorrir e acena.

- Como tu estás fugindo dela ? Na moral, ela é linda.- Digo me afastando dela. - Vocês homens são tudo frouxos. 

O sinal toca, Kayla me puxa pelo pulso e os meninos vem atrás resmungando e nos rimos.

[ ... ]


Já na última aula do dia. O professor fecha seu material e eu guardo os meus, organizamos a sala e o sinal toca. A galera do fundão saem feitos malucos e quase levam a parede junto, eu, Kayla, Josh e Paul saímos por último quase nos arrastando.


- Gente, eu não aguento mais essa vida.- Kayla resmunga. - Já está se aproximando das provas e os professores tacando seminário.

- Né. Eles acham que somos máquinas? - Josh diz quase ficando no portão do meio quando passamos. - Portão maldito.- gargalho. 

- Só quero descanso e não vou ter nada disso. - resmungo.

- Vejam pelo lado bom iremos fazer as provas antes das outras duas séries. - Paul diz.- Férias mais rápido.

- Meu bem, 'cê está bem ? - colo a mão na testa dele.- Paul, estamos em setembro! - ele bate na testa e rimos.

- Cara, jurava que estávamos em novembro. - rimos.

- Super.- Kayla diz. -Tchau pra vocês.

- Tchau! - falamos juntos e vejo o carro do meu pai.

- Vou embora, meu pai já me espera.- eles me olham confuso.- É eu também não sei o que deu nele para vim me buscar, tchau! - aceno e ando até o carro.

- Pensei que fosse fechar a escola.- ironiza ao entrar no carro.

- Que exagero.- colocoo sinto. - Mas que milagre foi esse de ter vindo me buscar? 

- Reclama pra ver se não te deixo no meio do caminho.

- Calma! 'Tô calada. - rimos.

Satanás não me perturbou hoje, ou seja, vem merda por aí. Só quero saber quem é Namjoon? 


Notas Finais


Eu te falo é simplesmente o homem lindo da porra, um das obras dos gregos, o deus maravilhoso das covinhas mais apaixonantes do universo. Só isso flor!

I love you!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...